A Small Insecurity Seguir historia

kiefan Anna Luisa

Mesmo tentando disfarçar, Kim Jongdae estava nervosa com tudo aquilo. Era a primeira vez que seu namorado seria apresentado a toda sua família e ela só desejava que tudo acabasse dando certo. E Park Chanyeol tinha o incrível dom de conseguir passar segurança a ela, mostrando que tudo iria ficar bem. Fanfic também postada no Spirit.


Fanfiction Sólo para mayores de 18.

#exo
Cuento corto
0
3.7mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Capítulo Único

- Fanfic também postada no Spirit.


Capítulo Único


Apesar de tentar disfarçar ou fingir que não se importava, Jongdae estava sim se sentindo nervosa e também ansiosa. Tinha tido dificuldades para dormir e tinha como prova, a leve dor de cabeça que estava sentindo e as olheiras que estavam visíveis em seu rosto.


Quase cuidava o portão de cinco em cinco minutos e o celular de dois em dois, apenas para checar o horário e ver se ele havia mandado alguma mensagem. Moravam longe um do outro e sabia que o homem demoraria para chegar, afinal, tinha sido avisada, mas ainda continuava um pouco preocupada.


A casa estava cheia como nunca antes, todos os parentes tinham vindo e por isso o almoço já começava a ser servido para os mais velhos, idosos etambém para as crianças que já começavam a reclamar por causa da fome.


Sua mãe havia cozinhado como nunca junto do marido e de outros familiares que havia trazido as sobremesas, mas a Kim sabia que mal iria conseguir comer. Seu estômago estava cheio de expectativas e aquilo acabava com seu apetite, mas ela não se importava de comer bem depois.


Quando reconheceu a figura alta chegando em frente ao portão, se agitou assim como seu coração e se aproximou dos pais, apenas para dizer o que estava imaginando desde a noite anterior.


“Ele chegou.”


Seus pés quase se moviam por vontade própria enquanto abria a porta e se aproximava dele.


Chanyeol sorriu largo e retirou os fones que usava, os guardando em seguida ao ver sua namorada.


― Desculpa pelo atraso, demorei muito? ― Ele perguntou enquanto entrava.


― Não, nem se preocupe. ― Jongdae deu de ombros. ― A comida pelo menos já está pronta. ― Comentou.


― Ótimo, estou com fome. ― Ele murmurou e assim que se aproximou o suficiente, lhe deu um selinho. ― Senti sua falta.


― Eu também. ― A moça disse envergonhada, já constrangida ao pensar na possibilidade de seus tios estarem vendo aquela cena.


Era seu primeiro namorado, a primeira vez que ele ia até sua casa para conhecer não só apenas seus pais como tinha sido antes, agora iria conhecer realmente todos os membros de sua família e estava um pouco nervosa com isso.


Seu irmão mais velho, Minseok iria ver seu namorado e ainda estava um pouco receosa quanto a reação dele.


― Olá, eu sou a tia da Jong. ― Uma moça disse enquanto se aproximava quando a porta foi aberta e eles entraram. ― Kim Junhe


― E eu sou o tio dessa princesinha. ― Um homem disse e também cumprimentou o garoto. ― Kim Wonsik.


― Muito prazer, Park Chanyeol. ― Ele se apresentou.


Conforme ia caminhando pela casa, conhecia mais um parente dela e continuava repetindo seu nome.


― Channie! ― A mãe dela gritou ao velo e os dois riram.


A senhora era muito atrapalhada para decorar e lembrar nomes como Jongdae já havia lhe explicado, então o chamava dessa forma curta já que tinha gravado mais fácil e o garoto não se incomodava.


Cumprimentou o pai dela de longe, pois ele estava um pouco ocupado com os preparativos finais do almoço e cuidando para que tudo saísse bem, o Park ainda lembrava da primeira vez que o conheceu e de como suas mãos tremeram quando o senhor Junmyeon lhe cumprimentou com um aperto de mão e logo um largo sorriso.


― Você está com fome? Comeu alguma coisa quando acordou, antes de vir para cá? ― SeYeon lhe enchia de perguntas, logo após findarem o abraço. ― O almoço já está sendo servido, Jong me contou que não tem se alimentado bem.


― Mamãe. ― Jongdae disse baixinho.


― Concordei com ela quando sugeriu que você deveria levar uma marmita para casa, já que sobrará muita comida. ― A mãe continuou a divagar e Chanyeol encarou a namorada.


Estava bobo ao ver como a moça se preocupava com o bem estar dele, tanto que não conseguia evitar de também ficar com as bochechas coradas com toda a atenção que recebia da mãe dela, a mando da própria.


Terminou de conhecer os parentes e se sentou ao lado da moça, logo após pegar um prato servido pela sogra. Comeram enquanto conversavam sobre vários assuntos, Chanyeol sabia que aquele era um ótimo jeito para ajudar com a vergonha que ela sentia e que ajudava a moça a relaxar.


Ainda faltava algumas semanas para que completassem dois meses juntos, mas o Park já conhecia vários detalhes dela somente por observa-la e ouvi-la, sem ainda não perceber como Jongdae ficava feliz com as coisas que dizia para ele seja contando sobre o último episódio de algum dorama que viu ou lhe explicando algo sobre um dos livros que estava lendo.


Sempre tentava prestar atenção em tudo.


Após terminarem a refeição ― Onde não comeram muito, para desaprovação da mamãe Kim ―, estavam os dois aproveitando a sobremesa.


― Está mesmo satisfeito? ― Jongdae perguntou enquanto enchia sua boca com o doce.


― Estou sim, meu amor, eu já comi bastante. ― Chanyeol sorriu e ela concordou.


Ouviu sua mãe lhe chamando para ver algo e a moça apenas seguiu seu chamado, dizendo para o namorado que logo voltava para o seu lado.


Foi o bastante para logo ouvir a senhora perguntar o motivo de ela não ter trazido Chanyeol junto, e a Kim suspirou. Quando estava pegando os doces para ela e o namorado, seu irmão conversou um pouco com ela e disse que a garota deveria ser mais carinhosa com o Park e não deixar ele de lado como parecia fazer em alguns momentos.


Até havia pensado em tentar explicar a situação, mas apenas respirou fundo e assentiu, estava tímida demais para ter mais contato com Chanyeol e por isso parecia estar afastada dele, tinha medo dos parentes falarem alguma coisa e isso a deixava extremamente tímida com quase todo o seu rosto vermelho. Por isso só estava trocando beijinhos com ele, quando ninguém estava por perto.


― Tudo bem? ― Chanyeol perguntou baixinho enquanto ela estava sentada em seu colo, na sala de estar enquanto todos ainda se encontravam na cozinha ou no pátio dos fundos da residência.


― Eu gosto de você, mas não consigo demonstrar isso com pessoas por perto. ― Jongdae começou murmurando. ― Sabe disso, não é?


― Claro que eu sei e está tudo bem, eu sei que você é tímida e não me importo com isso. ― Chanyeol sorriu. ― Só de estar do seu lado, já está bom para mim.


― Idiota. ― Jongdae também sorriu.


Pelo menos, sentia que com o Park podia ser ela mesma ali. Sem fingir alguma coisa, sem esconder algo ou até dizer alguma mentirinha… Ela era apenas a Jong que todos conheciam e que agora ele estava tendo a chance de conhecer melhor, sem medo ou receios.


― Quero ‘te dar uma coisa. ― Ele se afastou por um momento.


― O que? ― A moça continuou de costas para ele, um pouco vidrada no programa que passava na televisão.


― Como nós acabamos ignorando o aniversário de primeiro mês, eu resolvi anotar para não me esquecer dessa vez, mas não consegui me controlar e quis trazer hoje mesmo. ― Chanyeol botou a caixinha na frente dela e a moça abriu a boca surpresa.


― Isso é…


― Alianças, para firmarmos o compromisso. ― O Park a encarou. ― Eu realmente gosto de você, Dae e quero ser seu namorado.


― Você já fez o pedido, Chan… ― Jongdae riu. ― E eu já sou sua namorada.


― Eu sei, só queria dizer agora com as alianças. ― Ele deu de ombros e também riu.


Depois de uma pequena confusãodela sobre em qual das mãos colocaria o anel e com a ajuda dele, agora ela estava admirando a peça em seu dedo anelar da mão direita.


― Ele é mesmo lindo, você escolheu muito bem. ― A Kim murmurou.


― Só pensei em você na hora, sabia que iria gostar dele. ― Chanyeol ficou feliz ao ver que havia acertado, sabia que a moça gostava mais de coisas simples e delicadas.


― Eu amei. ― Ela disse de forma espontânea.


― Isso é ótimo, depois vamos mostrar aos seus pais. ― O Park observou a forma como a garota lhe encarou. ― Depois dos outros parentes irem embora, claro.


― Obrigada, acho que meu rosto iria explodir de vergonha se eles começassem a me encher de perguntas. ― Jongdae disse dramática, levando as mãos até as bochechas e ele riu. ― Não ria, seu palhaço!


― Seu rosto ficaria parecendo um tomate! ― Ele percebeu e começou a rir mais.


― Chan! ― Ela revirou os olhos, tentando não rir ao ouvir aquele som que lhe deixava tão bem.


― Está bem, está bem, eu paro. ― Chanyeol fingiu secar seus olhos e a abraçou, puxando a moça para seus braços. ― Não se preocupe, eu lhe protejo… Minha tomatinho.


― Ai meu Deus! ― Jongdae resmungou e correspondeu o carinho dele, também o abraçando e deitando a cabeça contra seu peito.

27 de Agosto de 2019 a las 07:03 0 Reporte Insertar 0
Fin

Conoce al autor

Anna Luisa 💕💕 Sou a kiefan do spirit 💕 💕• Ficwriter • 💕 ••EXO-L•• 💕

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~