Eu a vi em Paris Seguir historia

nancy-scarlett1565632961 Nancy Scarlett-Hayalla

Depois de ter sido traída e humilhada na internet, Helena ficou desiludida com a vida, com os homens e consigo mesma... até que um dia, durante uma viagem à Paris, ela conheceu Ray Acevedo e se tornou a musa inspiradora de um dos seus maiores sucessos.


Fanfiction Bandas/Cantantes No para niños menores de 13.

#Paris-romance-traição-viagem-musica
0
542 VISITAS
En progreso - Nuevo capítulo Cada 10 días
tiempo de lectura
AA Compartir

Capítulo 1

"Como em uma foto de magazine, eu a vi caminhando pelas ruas de Paris..."


Foi numa viagem à Paris, onde tudo começou... ou foi devido a uma postagem no Facebook?!

A mais ou menos uns dois ou três anos, Helena namorava com Luiz, um lutador de kickboxing que ela conheceu na academia.

O engraçado é que Helena não é tipo que frequenta academia e muito menos se envolveria com um lutador de artes marciais. Nada contra, mas Helena era mais do tipo que passaria o dia inteiro numa livraria, biblioteca ou num evento de livros.

Era uma moça culta, estudada, refinada e sofisticada.

Formada em Ciências Contábeis pela Universidade de São Paulo, a USP, com todas as honras, algo já esperado por sua família e amigos. Mesmo sendo de origem humilde, sempre foi esforçada, dedicada e determinada em relação aos estudos e ao trabalho. Não foi à toa que assim que se formou, conseguiu um emprego numa empresa multinacional da moda... fazendo contas, é claro!

E mesmo tendo um titulo de bacharel e ocupando um cargo importante num ótimo emprego, ela tinha muito orgulho de suas origens. Helena Petropoulos era neta de imigrantes gregos, residentes no bairro do Bom Retiro, em São Paulo. Sempre participava das festas tradicionais gregas e quase todo domingo, ia na igreja ortodoxa grega com sua mãe e sua avó (por parte de pai).

A tradição já se começa por ela mesma. Seu nome foi dado por seu pai, Constantinos Petropoulos para homenagear a Rainha Helena de Tróia. Bom, na verdade foi ideia da sua avó, que queria lembrar a força e coragem da mulher grega. Seu nome significa "a reluzente", "a resplandecente". É um nome feminino que teve origem com o grego Heléne, a partir de heláne, que significa "tocha". O termo hélê quer dizer "raio de Sol", fazendo com que o nome tenha este significado.

E realmente, tanto na aparência quanto na alma, Helena era reluzente. Era o raio de sol da casa, da família e se deixar, de toda a comunidade grega. Era a filha mais velha de três irmãos e única menina. Seus irmãos Heitor e Hermes adoravam a irmã, principalmente quando ela os ajudava a sair de encrencas ...

Alguns amigos perguntavam de brincadeira, se Helena era a reencarnação de Athena, a Deusa da Sabedoria, referência ao anime Cavaleiros do Zodíaco, do qual ela e seus irmãos adoravam assistir. Até seus pais entravam na onda!

O maior sonho da mãe de Helena, Dona Sophia, é ver a filha casada na tradicional Igreja Ortodoxa Grega de São Paulo, a mesma onde se batizou e fez primeira comunhão. E ai dela se isso não acontecer...

Além disso, ela gostava e muito de ler. Era uma "rata de biblioteca", ficava pesquisando sobre livros pela internet, tinha crédito na maioria das livrarias, sejam físicas ou on line. Sua estante de livros era maior do que seu guarda - roupa.

"Se você conhecer uma garota que tenha mais livros do que sapatos, case-se com ela!" Era uma frase que Luiz sempre dizia em relação à Helena. Aliás, muitos se perguntavam como duas pessoas tão diferentes se conheceram e namoraram. Foi mais ou menos assim: Helena tem uma amiga de infância, Samantha, que trabalha como personal trainer na academia onde Luiz treina Kickboxing. É professora de Educação Física, especializada em Condicionamento Físico.

Se foi Samantha que apresentou Helena a Luiz?! Não! Sam, para os mais chegados, nem falava muito com Luiz direito, somente o conhecia de vista e o pouco que sabia sobre ele, não era boa coisa.

Luiz era do tipo pegador, queria pegar todas e maioria da mulherada se jogava em cima dele. Bom, ele realmente é o tipo de homem que encanta as mulheres, alto, forte, moreno, olhos verdes... e sabia como e quando jogar o seu charme. Segundo as más línguas, ele já havia saído com a maioria das alunas da academia.

Não foi a toa que Helena ficou fascinada por ele!

Um dia, por insistência de Samantha, Helena foi a academia para uma aula experimental da amiga, e foi fazendo um tour pelo local, que acabou conhecendo Luiz. E ele também não resistiu aos encantos dela: Morena, cabelo liso, comprido e bem tratado, dona de um corpo bem feito e de um sorriso carismático, era para ele o máximo da beleza. E venhamos e concordamos, ela é muito linda!

Helena nunca se permitiu "perder a cabeça" por causa de homem. Já viu muitas meninas estragarem com suas vidas devido aos namoros que tiveram e não queria isso para ela. E também não era do tipo namoradeira. Já teve alguns relacionamentos sérios, ficantes e "casinhos" de momento, mas quando via que a relação não tinha futuro, caía fora. Além disso, sempre se colocou em primeiro lugar.

Luiz e Helena começaram a sair juntos e foi numa dessas saídas que ela contou o quanto gostava de ler. Tanto que quando ele a pediu em namoro, pediu com um livro, em vez de um anel de compromisso. E sempre em época de Natal, dia dos Namorados, aniversário dela ou niver de namoro, ele lhe dava livros.

_ Nossa amiga, ele realmente é muito apaixonado por você! _ Dizia Samantha, toda vez que Helena ganhava um livro de Luiz: _ A ponto de comprar livros para você. Não combina com ele!

_ Ah ele gosta de me agradar! E sabe do que eu gosto... E a gente vai morar junto...

_ O QUE ??? COMO ??? QUANDO ??? ONDE???

_ Calma Sam, uma pergunta de cada vez! _ Pediu Helena espantada e se divertindo com o susto da amiga: _ Já tem um tempo que estamos conversando sobre isso. Ele disse que precisava sair da república...

_ Então ele só quer morar com você para sair da republica?! _ Concluiu Samantha, sem pensar na amiga.

_ Credo Sam, não é assim também! _ Protestou Helena: _ Nós queremos unir o útil ao agradável. Parece que ele e os amigos estão tendo problemas com o dono da casa onde moram. Ele precisa de um lugar para morar e por que não morar comigo?! Já que ele está sempre lá em casa, então que fique de uma vez!

_ Bom se é assim... mas já pensou no que seus pais vão dizer?

_ Sim e é isso que me preocupa... vou ter que pedir aos deuses muita coragem para enfrentar os dois. E pedir a minha vó para rezar por mim!

Dona Constantina, mais conhecida como Vó Tina ou giagiá Tina na comunidade grega, era a matriarca dos Petropoulos e a pessoa a quem Helena mais admirava no mundo. Era uma mulher a frente do seu tempo. Claro, era apegada as tradições e crenças de seu povo, mas sabia ser flexível a certos conceitos da vida, principalmente no que diz respeito ao papel da mulher na sociedade.

Quando a Europa estava sendo devastada pela Segunda Guerra Mundial, ainda menina, Tina fugiu para o Brasil com um grupo de refugiados, depois de perder tudo o pouco que tinha. Ajudou a formar a comunidade grega em São Paulo, se tornando uma espécie de líder comunitária. E mesmo com a idade avançada e sendo mulher, ainda liderava com mãos de ferro.

Helena sempre podia contar o apoio da sua vó. Quando decidiu sair de casa e ir morar sozinha, claro que seus pais foram contra, mas sua vó soube muito bem como contornar a situação. Quando começou a trabalhar e namorar na adolescência, também ficou do lado da neta. E quando o assunto era sexo, sempre dava certos conselhos que deixava Dona Sophia constrangida.

"Na sala ou na cozinha, a mulher deve agir como um cordeiro. Deve ser gentil e prendada. Mas no quarto, principalmente na cama, a mulher deve agir como uma tigresa no cio. Deve ser selvagem e fogosa!" Era o que sua avó sempre lhe dizia.

E Helena sempre seguia os conselhos da giagiá, principalmente o segundo.

14 de Agosto de 2019 a las 13:38 0 Reporte Insertar 0
Leer el siguiente capítulo Capitulo 2

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~

¿Estás disfrutando la lectura?

¡Hey! Todavía hay 9 otros capítulos en esta historia.
Para seguir leyendo, por favor regístrate o inicia sesión. ¡Gratis!

Ingresa con Facebook Ingresa con Twitter

o usa la forma tradicional de iniciar sesión