Pela primeira vez Seguir historia

taeperv Tris H.

a idade de taehyung nunca tinha sido um problema, mas certos desejos o fizeram pensar que sim, a sua idade definitivamente poderia ser O problema.


Fanfiction Bandas/Cantantes Todo público.

#bts #jhope #v #vhope #taeseok #hoseoktop #bangtan-boys #vottom #taehyungbottom #vope #seoktae
2
785 VISITAS
En progreso - Nuevo capítulo Todos los viernes
tiempo de lectura
AA Compartir

第一章

Ando pensando muito em desistir.


Por favor, não me entenda mal. Eu não estou dizendo que quero dar um fim a minha vida não é sobre isso que esse meu pensamento se refere.


Recapitulando: Ando pensando muito em desistir do voto de castidade que eu fiz ao completar quinze anos.


Uma coisa boba mas que ainda sim me encantava e muito. Eu queria tanto me guardar para a minha pessoa amada até que nos casássemos e minha mãe sempre apoiou bastante a minha escolha, vez ou outra fazendo questão de me falar "Ah, meu menino Taehyung, você vai conhecer uma boa moça e ser feliz" isso é claro, se eu não tivesse descoberto anos mais tarde que eu gostava de tudo menos de mulheres. Foi um baque logo no início, principalmente para mim que me achava o cara mais hétero da Coreia inteira, só que não.


Minha mãe surtou quando eu revelei a minha sexualidade em um jantar de Natal, com a família inteira reunida — incluindo as tias chatas que viviam perguntando sobre as minhas "namoradinhas" — em uma conversa simples que resultou em um diálogo mais ou menos assim:


— Taehyung, você já tem vinte e três anos e não tem nenhuma namorada? — Kim Eunbi, minha tia por parte de pai me perguntou e eu a fitei inexpressivo.


— Ah, querida você sabe como o meu Taehyung é um garoto reservado — minha mãe se intrometeu sem me deixar responder.


— Mas assim todos irão pensar que ele é gay, Taeyeon — a tia Eunbi rebateu quase ofendida mas na realidade quem se ofendeu fui eu que até aí não me dei conta do que estava fazendo até ouvir as seguintes palavras saindo da minha boca.


— Mas eu sou gay!


Lembro-me que tia Eunbi foi parar no hospital e minha mãe se engasgou com uma azeitona indo parar no leito ao lado. Foi o Natal mais estranho que a família Kim já teve porém tudo ficou bem no dia seguinte e para a minha total surpresa eles aceitaram com muita normalidade o fato de que eu gostava de bundas e pênis e não de vaginas — como na cabeça deles deveria ser — exceto a tia Eunbi que nunca aceitou as minhas condições até hoje, mas fazer o quê se sempre tem aquele que é do contra na família.


Me senti altamente aliviado, aquilo me sufocava de uma forma enorme e era bom finalmente ser quem eu era sem precisar me esconder de todos, então sim, o melhor dia da minha vida foi quando eu finalmente saí do armário.


Mas eu posso dizer que os próximos dias foram um verdadeiro inferno, eu sabia que nada iria ser fácil e sendo alguém assumidamente homossexual na sociedade eu sofria preconceitos, algumas pessoas me tratavam mal, outras me olhavam de maneira torta mas nunca chegaram a encostar um dedo sequer em mim. Quero dizer, tentar até tentaram mas foi justamente nesse dia que o meu Herói entrou em cena.


Jung Hoseok, apareceu na minha vida praticamente caído de paraquedas e eu nunca soube classificar se isso era bom ou ruim.


Ele me salvou de ser praticamente agredido por um grupo de garotos homofóbicos e eu me senti tão grato por aquilo que na minha cabeça eu tinha a mais pura obrigação de retribuir aquilo que ele tinha feito, de alguma maneira eu precisava o recompensar e foi aí que nós viramos amigos.


E ah, Hoseok era um amigo tão bom e ainda por cima era o meu novo vizinho!


Nós estreitamos tanto os nossos laços afetivos de amizade que depois de um tempo nós nos auto-intitulamos como sendo almas gêmeas um do outro. E aquilo soava tão bom para mim, ser a alma gêmea do Jung.


E os anos foram se passando e eu só queria voltar no tempo.


Quando eu conheci Jung Hoseok, eu tinha vinte e três anos. Agora, eu tenho vinte e oito e a minha idade nunca tinha sido um problema para mim até eu começar a nutrir sentimentos além de amizade por Hoseok, e o problema surgiu porque junto desses sentimentos eu comecei a desejá-lo daquele jeito.


Isso para mim era motivo de histeria e surtos semanais. Como eu poderia pensar em Hoseokdaquele jeito se eu nunca tinha ficado com ninguém daquele jeito?


— Taehyung, por favor, você precisa se acalmar!


— Me acalmar? — perguntei, retórico e quase psicopata — Não tem como, você não entende!


— Então me explica!


Calma, não pensem que eu estou conversando com Hoseok. Lógico que não! Acontece que eu tenho outros amigos além dele e nesse momento, Kim Seokjin, me pedia explicações sobre o meu comportamento estranho dos últimos anos, meses e dias, sentado em posição de índio no meu sofá.


Suspirei e me sentei no espaço vago.


— Eu sou virgem.


Ele franziu o cenho confuso.


— E...? — acho que ele não entendeu — Eu também sou de virgem, você ficou assim porquê o seu signo não bate com o da pessoa amada?


Bati com a mão na minha própria testa, e gesticulei de forma exagerada para ele.


— Não Jin, eu sou virgem — repeti — Virgem, lacrado. Não tem nada a ver com horóscopo.


— Você...? — ele parecia chocado.


— Sou virgem — assenti respondendo a pergunta que ele não fez — Nunca transei com ninguém.


E eu esperava que ele começasse a fazer um show ou a rir de mim e me zoar por eu nunca ter transado com ninguém mas ao contrário disso ele apenas relaxou e me lançou um sorriso desleixado.


— Então era isso que estava te deixando tão esquisito nos últimos tempos? — sorriu e balançou a cabeça de forma negativa — Que besteira.


Franzi o cenho. Ele só iria dizer aquilo?


— Só vai dizer isso? — perguntei, confuso.


— Sim — ele olhou para as unhas — Nossa, você tem um alicate? Preciso cortar minhas unhas urgentemente.


— Jin, por favor, foca no meu problema.


— Que problema? — arqueou uma das sobrancelhas — Não vejo problema algum em ser virgem.


— Mas Jin, eu tenho vinte e oito anos! — praticamente gritei — Vinte e oito.


— E o que tem demais nisso? — ele me olhou de uma forma intensa, e eu pude ver que ele não me julgava — Não vejo problemas em você ser virgem nessa idade, você não precisa fazer as coisas fora do seu tempo só porque todos fazem.


— Mas eu quero fazer isso — suspirei frustrado — Quer dizer, eu quero fazer isso mas não agora.


Jin, estreitou os olhos em minha direção.


— Você 'tá ficando com alguém? — a sua pergunta me pegou de surpresa mas logo ela passou e eu senti minhas bochechas ficarem quentes.


Digamos, que além de um amigo tão bom, Hoseok era um ficante melhor ainda.


Não, as nossas pegações nunca atrapalharam em nada na nossa amizade, muito pelo contrário, mas é claro que até o nosso primeiro beijo acontecer foram necessários vários meses assistindo séries na casa um do outro, uma noite de chuva intensa, um pote de sorvete e um Jung Hoseok, apontando um sujeira na minha boca e limpando com a própria boca dele... Foram bons tempos.


— Sim... — respondi, meio acanhado.


— Com quem?! — exigiu saber.


— Aish Jin, agora você já quer saber demais.


— Me fala agora, seu safado! — deu um tapa na minha cabeça me fazendo soltar um "Ouch" em reclamação. Aquilo tinha doído — Eu conto tudo 'pra você e você não me conta nada.


Revirei os olhos. Seokjin, conseguia ser mais dramático do que eu quando ele queria.


— Tudo bem, eu falo — me rendi e ele comemorou — É com o Hoseok — soltei de uma vez e ele arregalou os olhos.


Entendo perfeitamente a reação dele.


— Mas vocês não são, tipo, os melhores amigos da nação? — perguntou ainda com os olhos arregalados — Como assim vocês estão ficando?


— Ficando, ué.


— Mas vocês são amigos.


— Amigos se beijam — tentei justificar.


— Que mentira — fez cara de nojo — Eu não te beijo.


— Lógico que não — sorri, cínico — Afinal, eu não te beijaria.


— Idiota — resmungou e eu ri mais ainda da cara que ele fez — Mas então como tudo isso começou? — perguntou e eu expliquei como eu e Hoseok, acabamos elevando o nosso nível de amigos que apenas trocavam abraços para amigos que trocavam beijos.


— ... E desde então nós começamos a sair em encontros e nos beijar sempre que podemos — suspiro — Mas eu acho que agora o Hoseok quer mais, entende? Ele pegou na minha bunda um dia desses, coisa que ele nunca tinha feito. Eu acho que ele quer enfiar as coisas dele em certas partes minha.


— Talvez ele só quisesse pegar na sua bunda mesmo — ele falou, mas pelo seu tom de voz eu senti que queria me confortar de algum jeito e tentar tirar as paranoias da minha cabeça, mas não funcionou e ele soube disso pelo olhar que eu lancei a ele — Ou talvez ele estivesse falando de forma implícita "oi, eu quero te comer".


— Você não tá ajudando — choraminguei — Jin, se ele realmente quiser transar comigo eu vou estar perdido! — me deitei no sofá e apoiei minha cabeça em uma das coxas dele.


Senti a mão de Jin, acariciar meu cabelo em um cafuné tão gostosinho que me deixou todo molinho.


— Bom... — Jin, pareceu ponderar um momento antes de continuar falando — Tenta explicar a sua situação para ele, você quer um conselho sincero? É melhor deixá-lo sabendo de antemão do que se deixar levar por um único momento e se arrepender depois.


— Mas... E se ele não quiser mais ficar comigo? — murmurei — E se a nossa amizade ficar estragada?


Jin, apenas sorriu e eu olhei para ele, do jeito que eu estava era engraçado o ângulo em que eu via ele.


— Bom, então você vai descobrir que ele é um verdadeiro babaca — suspirei triste ao ouvi-lo falar aquilo — Eu sei que você não quer que ele seja um babaca, eu também não quero, mas mais do que isso eu também não quero te ver com o coração partido por causa de alguém que só quis te usar.


— Então eu devo contar para ele? — perguntei ainda incerto — Ser sincero sobre tudo?


— Sim, você deve — riu e deixou um leve aperto no meu nariz — Seja sincero.



tudo bem, originalmente isso é uma oneshot mas eu resolvi dividir (:

27 de Julio de 2019 a las 00:39 0 Reporte Insertar 0
Leer el siguiente capítulo 第二章

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~

¿Estás disfrutando la lectura?

¡Hey! Todavía hay 2 otros capítulos en esta historia.
Para seguir leyendo, por favor regístrate o inicia sesión. ¡Gratis!

Ingresa con Facebook Ingresa con Twitter

o usa la forma tradicional de iniciar sesión