The one that got away Seguir historia

luraywriter Luray Armstrong

Grandes amigos há muito tempo, natural que sentimentos cresçam em seus corações. Mas a vida nem sempre é tão boa. Inspirada na música "The one that got away" da Katy Perry Deathfic escrita em 01/2018


Fanfiction Anime/Manga Todo público.

#deathfic #sasunaru
Cuento corto
0
3.8mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Capítulo único

Sasuke observava a boca rosada de Naruto. Não que não estivesse prestando atenção no que ele dizia, porque aquele dobe iria acabar com a raça dele se não prestasse atenção nele naquele dia.

De alguma forma, não se viam há semanas. Faculdade, trabalho e moravam em cidades diferentes, apesar de vizinhas, e isso com certeza não facilitava as coisas para que se vissem. Ele, óbvio, sofria imensamente com isso, mas Naruto era quem mais demonstrava, claro.

Ele ouvia cada palavra que saia daquela boca linda, mas era difícil se concentrar nelas enquanto Naruto estava ali sendo tão lindo e gostoso. Obviamente, pleno em toda sua lerdeza, o loiro não notou que esse era o motivo para o olhar longe e a “cara de bunda” de Sasuke.

-ME DÁ ATENÇÃO, SASUUUUUU. Você fica sumindo o tempo todo por causa de merda de faculdade e quando a gente finalmente se vê tu fica assim!

-Mas eu tô te dando atenção! E não grita comigo.

-Ta, mas presta atenção no que eu vou te dizer direitinho, ta? Não viaja pra longe de mim.

Então, como a criança carente que era, ele se aconchegou nos braços de Sasuke, falando bem mais baixo agora, enquanto divagava sobre as várias coisas bobas da vida.

Não ver a boca dele ajudava, mas o cheiro dele e o aperto em sua cintura definitivamente não.

Enquanto a noite caia, tentava se convencer de que o coração acelerado era apenas impressão sua.

O ódio lhe subia pela veia. Das piores coisas que tinha que passar, aquela era a pior das piores. Ver Naruto beijar outras pessoas sempre lhe machucava, esmagava e mastigava a alma, já cansada de tanto sofrimento.

O pior era não poder cobrar nada do amigo. Não namoravam, não ficavam, ele sequer sabia de seus sentimentos.

Claro que não sabia, com que cara contaria? Como diria?

Era melhor sofrer perto dele, do que longe. Disso Sasuke já sabia.

-PARABÉNS. ESSE É MEU GAROTOOO AAAA MEU MENINO, MEU FILHO, MEU FRUTO, EU QUE CRIEI COM MUITO LEITE NINHO E PORRADA SIM.

Naruto o balançava no ar enquanto gritava aquelas baboseiras. Se Mikoto o escutasse agora, ficaria entre comovida, brava e risonha, ele sabia. Conhecia sua mãe.

Sasuke havia conseguido uma bolsa de intercâmbio para outro país, onde passaria um ano. Mal tivera tempo de pensar no quanto sofreria sem Naruto por perto e ele já estava lhe contando que também havia feito a prova em segredo e passado, então iria com ele.

Sabia que o dobe devia ter estudado muito além do normal para conseguir essa proeza. E tudo por causa dele. Em outros momentos faria o mais novo soltá-lo, iria se afastar, impedir os beijos em seu rosto e o mandar parar de gritar. Não hoje.

Hoje o abraçava mais forte, gritava com ele, e torcia para que um dos beijos em seu rosto encostasse em sua boca.

  • Sasu, deixa eu dormir com você.

Ele definitivamente não estava esperando por isso. Naruto estava em sua cama, de quatro sobre ele, só de pijama, que consistia em uma regata e uma cueca. Okay, Sasuke, pense objetivamente; isso, com certeza, não tem nenhuma conotação sexual.

  • Por que quer dormir comigo? - Ele tentou manter a voz normal ao falar isso, mas ela saiu inevitavelmente rouca.
  • Tô com frio. Muito.
  • Coloca mais roupas então.
  • Não, a gente sempre dormia junto antes. E também não gosto de dormir de calça, e cobertores grossos demais pesam.

Talvez, se não estivesse com sono, ele percebesse que a resposta de Naruto era muito objetiva e clara, apesar de boba, como se houvesse sido ensaiada. Várias vezes. Todavia, cansado demais para isso, ele apenas permitiu que o outro se aconchegasse consigo na cama, logo sentindo os braços fortes o abraçarem por trás. Surpreso ele ficou, claro, mas não que fosse reclamar. Óbvio que não reclamaria.

-Sasu, o que a gente vai fazer quando voltar?

-Voltar pra casa? Nosso país?

-Claro, onde mais?

-Não sei, talvez a gente consiga um emprego ou estágio. Espero terminar a faculdade sem problemas e…

-Não, eu quis dizer a gente. Nós. O que vamos fazer quando voltar?

-Nós? O que acha de morarmos juntos? D ividir a mesma casa e banheiro e vermos um ao outro todo dia hahaha. Isso seria a sua cara.

-Por que não, Sasuke? Agora eu quero! Quero muito morar com você quando a gente voltar, continuar morando, na verdade. E vamos viver juntos, preparar comida um pro outro e seremos amigos pra sempre. Eu e você, sem nem ninguém entres nós.

-Primeiro que eu não quero provar sua comida, Naru. E depois, você ta sendo impru…

-Eu sei o que vai dizer, Sasu. Mas eu quero ficar com você.

...

É isso, Sasuke estava decidido. Era a hora de se declarar para Naruto, dizer a verdade sem se importar com riscos e nenhuma outra bobagem.

E isso não tinha nada a ver com o fato de Gaara, outro amigo de Naruto, estar cada vez mais próximo do loiro e o moreno se sentir ameaçado. É claro que não.

Mesmo naquele outro país, morando com Sasuke, aquele maldito ainda conseguia roubar a atenção de seu amor para si.

Era agora ou nunca, tinha que fazer.

Era uma viagem de duração média até a praia onde queria levar Naruto, para de declarar. Se ia levar um pé na bunda, que fosse com estilo. Em um piquenique romântico na praia, do jeitinho que o loiro bobo parecia gostar de idealizar.

Ele faria, definitivamente. Só tinha que arrumar coragem.

Chuva.

Perfeito, lá se ia seu piquenique na praia com o sol de fundo para fazer o Naruto se apaixonar por si. O mundo não colaborava com ele mesmo.

Como já estavam no caminho quando começou a chover, Naruto decidiu continuar o caminho, repetindo que era só uma chuvinha passageira.

Não era o que parecia.

O barulho da chuva era alto, alguns trovões ao fundo, e mesmo assim Sasuke conseguiu escutar o barulho de deslizamento de terra mais à frente.

Mas Naruto não conseguiu, e ele que estava no volante.

As roupas pretas sempre lhe caíram bem, ele achava. Até chegar a ocasião em que ele deveria usá-las. As lágrimas e soluços saiam aos montes, se misturando ao pranto dos outros presentes no enterro de Naruto.

Eles fecharam o caixão e o carregaram pelo caminho até a cova. Itachi teve que se abaixar para o abraçar e consolar. Humilhante. Então, alguém que ele não se deu bem ao trabalho de olhar empurrou sua cadeira de rodas para acompanhar o caminho, enquanto o irmão segurava sua mão em apoio.

Mesmo que as pedras e terras que caiam tenham batido do seu lado do carro - embora não necessariamente nele - Naruto quem morrera no acidente, pois o carro capotou e… bem, ele não havia escutado mais nada do que seus pais explicaram depois disso. Não importavam os detalhes.

Naruto estava morto. Ele nunca soube como ou o quanto o amava, pois morreu antes disso. Ele nunca terminou a faculdade, nunca aprendeu mandarim como tanto queria, jamais aproveitaria a aposentadoria na Irlanda, ou pularia de paraquedas.

Porque ele morreu.

Sasuke nunca pensara muito, de verdade, no tamanho do amor que sentia por Naruto, até aquele momento.

Até que descobrir que preferia ter morrido no lugar dele, mesmo que isso significasse que ele fosse ficar com Gaara ou qualquer outra pessoa. Mesmo se um dia ele se esquecesse dele, mesmo se não chorasse tanto pela morte dele quanto Sasume chorava agora.

Apenas para que ele pudesse realizar seus sonhos. Apenas que ele sorrisse de novo.

12 de Julio de 2019 a las 19:39 0 Reporte Insertar 0
Fin

Conoce al autor

Luray Armstrong Perfil também disponível no Wattpad. Facebook: Luray Armstrong . SNS ❤ TODOKIRIBAKUDEKU ❤ KageHina ❤ Solangelo/Pernico ❤ Sheith ❤

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~