Misiti Trauma Seguir historia

tosunnie Tosunnie

Completamente imerso em seu desespero, parecia que não haveria nenhuma salvação para si. -Eu vou ser seu trauma Yoongi. Nunca esqueça essa noite. //TW Conteúdo sensível


Fanfiction Celebridades Sólo para mayores de 21 (adultos).

#violência #bts #darkfic #gore #tw
0
467 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Vítima

Qual era a possibilidade de que em uma única noite, toda sua vida fosse perdida?

Não era uma questão sobre viver ou morrer. Isso era tão simples que poderia acontecer a qualquer momento. A ideia era sobre tudo o que possuía ir ao fim; mentalidade ausente, sanidade esvaída, humanidade acabada. Era uma porcentagem grotesca de tal possibilidade, que Yoongi, assim como qualquer homem, nunca pensou que tinha o risco de alguma vez fazer parte em sua vida.

Doce engano masculino seu.

Em apenas uma noite, cinco pessoas fizeram com que fosse parte.


– Eu prefiro atravessar toda cidade sozinho do que com você! – Gritou com o telefone antes de enfiar o aparelho dentro de seu bolso.

Estava tendo aquela discussão faziam minutos. Sua cabeça parecia que explodiria a qualquer momento se ouvisse mais uma vez a voz do noivo. Era seu noivo a apenas uma hora e já estavam vivendo uma das piores brigas de todo o relacionamento.

Quando foi convidado por ele a ir a um dos restaurantes mais caros da cidade, Yoongi já esperava receber uma proposta especial. Não apenas isso, também aguardava uma noite perfeita, onde tomariam champanhe e fariam amor toda madrugada em comemoração. Sua noite ideal só não se realizou por conta de uma notícia que recebeu pouco depois do anel ser colocado em seu dedo.

Seu mais recente noivo, cujo nome era SeokJin, era um policial – uma profissão incomum para alguém com uma aparência tão delicada quanto a sua – e havia sido promovido a delegado.

Ouvir a notícia causou tamanho felicidade em Yoongi. Sabia das dificuldades constantes que SeokJin passava em seu meio de trabalho por diversos fatores, sendo sexualidade ou aparência, imagina-lo em um cargo tão alto era inacreditável. Não conseguiu segurar sua emoção, se levantou na mesa puxando o noivo para um beijo que deixou até os garçons do local constrangidos.

Porém todo clima de felicidade se esvaiu quando SeokJin deu sua segunda novidade; que se fosse promovido, precisaria mudar de cidade.

O orgulho que sentia não diminuiu, apenas não conseguiu prometer que iria junto quando SeokJin segurou sua mão contando como seria incrível o futuro e os aguardava. Yoongi não era alguém que possuía condições de fazer tal mudança tão drasticamente. Ainda estava na faculdade, tinha conseguido mudar para um emprego que fosse realmente digno e não fazia nem um mês que havia pago todas suas dívidas de aluguel. Estava começando a arrumar sua vida, e teria que recomeçar tudo de novo. Nunca duvidou de seus sentimentos, apenas não achava que era o momento ideal para fazerem isso.

Yoongi dizia possibilidades, ainda não tinha rejeitado completamente a proposta, só queria conversar melhor. Não sabia como, mas uma discussão se iniciou, e piorou quando SeokJin soltou um comentário que deixou seu noivo ofendido.

– Fui eu que te ajudei quando você estava quase miserável. Não é como se você fosse capaz de se virar sozinho. – Falou acompanhado de uma ideia de sustentar Yoongi.

Gratidão era algo muito forte que nutria por SeokJin, ele realmente tinha ajudado no início. Por ser mais velho e possuir um emprego, era fácil acolher alguém que era incapaz de ter um almoço e um jantar no mesmo dia. Porém, não era motivo pra ser humilhado daquele jeito. Gritou bem alto que não era dependente de ninguém, e saiu do restaurante.

A briga se estendeu pelo telefone, Yoongi desligou quando SeokJin perguntou onde estava porque iria buscá-lo. Claro que rejeitou unicamente pela raiva que sentia, pois não foi algo muito inteligente a se fazer, afinal acabou se perdendo.

Não estava mais no bairro nobre que se localizava o restaurante. Tinha andando tanto que nem percebeu onde parou, só sabia que era um lugar escuro e aparentemente deserto com prédios fechados e nenhuma placa indicando o local.

Não passava pela sua cabeça, mas naquele momento Yoongi virou uma presa.

Tentou olhar sua localização pelo celular, mas nem mesmo conseguiu sinal para realizar tal ato. Nenhum táxi passava, tampouco um ônibus, só lhe restou tentar descobrir sozinho o caminho de volta.

Desse jeito, não demorou muito até que ficasse mais perdido, e começasse a ouvir passos que não eram os seus.

– Eu nunca te vi por aqui – Ouviu a voz grave se aproximar. Um homem o rodeava, não hesitando em invadir seu espaço pessoal. – Das vezes que vim aqui só encontrei bêbados e prostitutas à beira da morte. O nível parece estar subindo.

Começou a andar mais depressa, com sua cabeça abaixada. Era óbvio que estava assustado, e ficou ainda mais quando o homem impediu sua passagem, ficando em sua frente.

– Vai mesmo me ignorar? – Se já estava o achando intimidador antes, seu coração acelerou quando viu sua face.

Poderia ser considerado atraente pelo conjunto dos lábios grossos e olhos profundos, mas só conseguiu achar assustador. Yoongi não queria pensar no que ele poderia fazer. Seus pensamentos eram ingênuos, só vinha em sua cabeça que poderia ser assaltado ou apanhar.

Pensamentos muito ingênuos.

– Perdão – Respondeu, não queria deixá-lo irritado. – Não queria parecer arrogante, eu só não sabia quem era você. Não que você pareça alguém ruim.

A resposta o fez rir. Sua ideia mudaria bastante em algumas horas.

– Não se preocupe – Passou a mão pelo cabelo de Yoongi. – Eu estou aqui com alguns amigos. Está perdido, não é? Podemos te ajudar.

Saber que haveria mais pessoas, assim como ouvir a palavra "ajuda" o deixou mais calmo. Aceitou segui-lo até onde supostamente seus amigos estavam. Primeiro erro de vários que se sucederiam.

– Aliás, me chamo Namjoon. Guarde esse nome. – Se arrepiou com a fala.

O lugar onde estavam antes era escuro, mas comparado a onde foram parecia ser iluminado pelo sol. Não andaram nem cinco minutos até chegarem, mas Yoongi tão apreensivo como estava transformava qualquer tempo em uma eternidade. Conseguiu respirar melhor quando avistou quatro pessoas encostadas em um carro.

Analisou rapidamente cada um deles. Yoongi não sabia dizer o que pareciam ser, eram tão diferentes um do outro.

– Você foi mais rápido do que eu esperava – Um deles falou.

– Nunca me subestime – Todos riram em sua volta, e Yoongi tentou entender o que aquilo significava. – Então, este aqui é Yoongi. Meu convidado para esta noite – Colocou sua mão no quadril de Yoongi, que não disfarçou seu desconforto com o toque repentino. – Deixe-me apresentar cada um.

Conhecer cada um talvez foi uma das coisas mais perturbadoras que passou, simplesmente porque nunca mais conseguiu esquecer.

– Este é Jimin – Apontou para o homem que parecia ser o mais velho entre eles. Estava com um cigarro na boca e não esbanjou nenhuma reação para Yoongi. Namjoon prosseguiu – Estes são Jungkook e Taehyung.

– Não gosto de como você está segurando ele, Namjoon – O garoto chamado Jungkook falou, e o toque em sua cintura apertou.

Ver os dois perturbou Yoongi. Todos aparentavam estar na casa dos trinta anos, enquanto não dava mais que dezesseis para eles. Também possuíam a pior aparência, roupas vulgares que deixavam seus corpos expostos, e maquiagem exagerada, Yoongi conseguiria enxergar Taehyung a cem metros de distância apenas pela sua cabeleira laranja chamativa.

– E por último – Namjoon ignorou Jungkook, o que pareceu deixá-lo bastante irritado. – Meu mais novo amigo, Hoseok. Guarde bem esses nomes.

Não tinha prestado muita atenção em Hoseok. Ele parecia estar tão nervoso quanto o próprio Yoongi. Deu um sorriso tímido quando foi chamado de amigo, algo que achou de certa forma meigo.

Por ser o único que não parecia um criminoso em potencial, Yoongi se aproximou dele.

– Não sei se confio neles – Sussurrou para Hoseok.

– Meus amigo não te farão mal.

Não sentiu confiança naquelas palavras.

Até porque não existia.

– Vocês poderiam me mostrar um lugar pra pegar um táxi ou um ônibus? – Dessa vez falou um pouco mais alto. Esperava que fosse Hoseok a responder, mas Namjoon puxou mais uma vez sua atenção.

– Sem transporte. Aqui é uma área isolada, mas eu posso te levar pra qualquer lugar que você quiser. Só vou querer algo em troca.

A cada palavra dita, Namjoon se aproximava mais. Yoongi se afastava em passos lentos, até que se viu imprensado contra a parede. Namjoon soube aproveitar bem o espaço limitado pra prendê-lo, no mesmo instante segurou fortemente Yoongi e sua boca não tardou começar a provar a pele leitosa de seu pescoço.

Seus atos eram descontrolados. Desde que viu Yoongi andando sozinho e começou a segui-lo, já brotou em si a vontade insana de lhe tocar. Pensou em agarra-lo no primeiro momento ou começar a se masturbar enquanto o observava. De qualquer forma, o atacaria, assim como fazia agora.

Só não tinha agido antes porque não era egoísta. Dividiria sua presa assim como prometera, afinal, todos mereciam um pouco do sabor que já se mostrava tão viciante.

Ainda nem tinha feito Yoongi sangrar, mas já o considerava uma de suas melhores vítimas.

Sentir os lábios passando por seu pescoço era nojento. Yoongi se debatia para tentar empurra-lo, mas era em vão, não era nem um pouco forte perto dele. O que sentia já era quase desespero, não sabia de onde tirou forças, mas desferiu um soco na barriga de Namjoon. Só teve um segundo pra correr o mais rápido que podia, e fez. Pensou que estaria livre, mas assim que se afastou, dois braços o seguraram.

Jungkook e Taehyung assistiam a cena rindo. Yoongi demorou a assimilar quem o segurava, que no caso era Jimin usando toda sua força. Ele possuía um método diferente, pois quando começou a se mexer na tentativa de se soltar, Jimin não teve a paciência de segurar mais forte. Mandou ficar quieto, e como não foi obedecido, pegou seu cigarro e apagou em sua testa.

Estava certo, isso fez com que ficasse parado.

A chama do tabaco o fez gritar. O primeiro de vários, e nenhum dos cinco imaginava o quanto aqueles gritos seriam marcantes.

A marca minúscula da queimadura extremamente dolorosa logo se formou. Foi algo duplamente desconcertante, pois enquanto sentia a ardência também observou Namjoon se levantando vindo em sua direção.

– O seu soco me deixou excitado. Percebe? – Levou a mão de Yoongi até seu membro levemente enrijecido, que puxou sua mão de volta – Mas eu não gosto de apanhar.

Uma coisa era certa, Namjoon possuía muito mais experiência com socos. Com muita mais intensidade, o rosto de Yoongi foi atingido. Um na esquerda, outro mais forte na direita. Se antes era concedido com beijos, agora sua face recebia violência.

Com um tom avermelhado, suas bochechas ficaram marcadas com os dedos do moreno, já começando a ficar inchado, o que era quase um estimulante pra Namjoon. Nem lembrava o quão grande sua alma animalesca era.

– Eu não sei que tipo de pessoa vocês acharam que eu sou. – Yoongi falou, ainda estava preso, mas virava seu rosto por medo – Mas eu não faço essas coisas. Eu acabei de ficar noivo, por favor, não façam nada comigo.

Sem motivo expos seu lado ainda mais vulnerável. Não queria citar SeokJin pra gerar pena, mas não conseguia tirar sua imagem da cabeça. Não sabia se ele o salvaria, só queria mais que tudo tê-lo ao seu lado.

– Ah eu queria um casalzinho pra passar a noite. – O comentário irônico acompanhado de uma risada veio de Taehyung.

Se não conseguisse causar comoção, que era sua única alternativa, significava que não tinha muito a se fazer.

– Você é exatamente o que eu pensei que era, um pedaço de carne, então não complique as coisas. Vamos fazer essa noite inesquecível – Namjoon acariciou os hematomas de Yoongi que começavam a fazer parte de sua aparência. – Eu vou ser seu trauma, nunca esqueça essa noite.

Foi solto no chão. Jimin, com um ponta pé nas costas, o empurrou para que ficasse mais próximo dos outros. Yoongi não soube dizer quem foi, mas pela brutalidade que suas roupas foram puxadas do seu corpo associou que tivesse sido Namjoon.

Era asqueroso sentir suas partes íntimas roçarem no asfalto sujo da rua, mas não era pior do que ser alvo dos olhares de cinco homens.

Nu, vulnerável, indefeso.

Suas esperanças foram totalmente perdidas. Não fazia sentido continuar nutrindo. Antes era apenas uma pequena prévia, seu inferno começou de verdade a partir dali.

Aprendeu da pior forma possível, literal, o significado de violação. Um círculo foi feito em sua volta, deixando qualquer chance de escapar impossível. Yoongi não teve tempo de analisar todas as faces antes que pudesse reagir a qualquer coisa, começou a receber chutes em diversas partes de seu corpo vindos de Jungkook.

Ninguém havia mandado ele fazer, mas também ninguém o censurou. Jungkook estava drogado, não tinha total consciência dos seus atos, por isso despejava sua raiva através de chutes no corpo frágil. Aquela raiva feita de ciúmes que sentia, Namjoon estava dando atenção demais pra alguém que só queria transar, e isso o enlouquecia.

Mirava seus chutes em sua barriga, pois sabia que machucaria mais, queria continuar até que ele começasse a cuspir sangue. Também acertou seu pênis, isso lhe parecia uma punição necessária, pisou em seus braços diversas vezes, não era atoa que seus gritos e gemidos sôfregos já eram quase uma trilha sonora da noite.

Sua vontade era continuar até que todo corpo de Yoongi estivesse coberto pelas marcas de sua sola. Apenas não realizou porque Jimin o puxou lhe fazendo parar.

– Eu não acho que alguém aqui esteja interessado em foder um cadáver.

– Então se apressem! Vocês estão lentos demais – Jungkook respondeu. Aquela arrogância não era algo que Jimin toleraria em outra situação, só não fez nada porque Jungkook não era alguém qualquer pra tratar como quisesse. As crianças que Namjoon encontravam eram realmente irritantes.

– Com prazer – Jimin respondeu. – Aliás, você se superou Namjoon – Jimin comentou, sabia o quanto o moreno gostava de ouvir aquele tipo de coisa.

– Ele ainda está mais bonito desse jeito – Taehyung não escondia como estava amando aquela situação. Apertou seu membro por cima da calça exageradamente apertada, já se sentia animado apenas por imaginar o que poderiam fazer.

– Foi alguém que eu gostei de machucar – Não o elogiaria, esse foi o máximo que Jungkook disse.

Pequenas coisas enchiam seu ego e aquelas era uma delas. Tinha escolhido alguém ideal pra alimentar seus monstros, Namjoon se deleitava dos comentários doentios. Porém, nem todos pareciam animados.

– Não vai falar nada sobre minha presa, Hoseok? Dessa forma você me deixa ofendido.

Nem mesmo percebeu que conversavam, Hoseok estava paralisado pelo o que estava assistindo. Só queria fugir, fugir e levar Yoongi nos braços. Era um homem grande, não teria tanta dificuldade, a sorte dos outros era que ele era covarde demais pra dar um passo ser sem mandado.

– É muito bonito, Namjoon – Falou, mas Namjoon não achou suficiente ainda. Todos os encaravam, esperando algum elogio de qualidade – E... possui os olhos mais lindos que eu já vi.

Jimin riu, Hoseok se considerou estupido por ter dito aquilo.

– Isso me basta. Agora vamos ao que interessa.

Não era uma surpresa saber quem iria primeiro. Namjoon estava sedento, batia seus pés no chão de tanta impaciência pra tocar Yoongi. Sua excitação atingiu um nível que nem lembrava que possuía.

Foi até Yoongi jogado no chão, estava tão belo daquela forma. Se estivesse sozinho com certeza alisaria cada pedaço de sua pele nívea. Nesses segundos não queria estar acompanhado, não podia enrolar tanto. Virou seu corpo o deixando de bruços, levantou os quadris o apoiando pelos joelhos. Não reclamava da visão que consagrava seus olhos, apenas achava que podia melhorar.

– Se você colaborar, posso pensar em ser gentil – Levantou ainda mais a bunda de Yoongi, deixando mais empinada.

Ainda mais humilhante.

Abriu seu zíper, levando suas calças ao chão. Por mais que desejasse, não estimulou seu membro, sabia que Yoongi não estaria excitado e não queria facilitar a penetração.

Se fosse pra ter cuidados não chamaria de abuso.

Posicionou-se, sem dar um simples aviso antes, puxou Yoongi em sua direção entrando dentro do corpo que se contorcia. Foi recebido com um grito rápido.

Era uma reação natural que seu corpo rejeitasse e tentasse expulsa-lo, Namjoon adorava essa sensação pois sabia que significava que a agonia que causava era o dobro. Não tardou até estocar Yoongi com toda força que tinha.

Aquele era o pior som que já tinha escutado em toda sua vida; os suspiros de prazer de Namjoon ao tocar seu corpo.

Já tinha feito aquilo incontáveis vezes, sexo não era algo novo, mesmo que aquela violência não pudesse ser considerada sexo, tampouco era novidade servir de passivo pra alguém, mas nunca tinha se sentido daquela forma antes. Tinha a sensação de que seu interior poderia ser rasgado a qualquer momento, como se navalhas tivessem sendo enfiadas em seu ânus, e era pior do que se podia imaginar.

Em certo momento Namjoon fez algo diferente, Yoongi não conseguiu identificar, mas sua dor duplicou. Em um reflexo tentou se afastar, mas foi puxado pelos cabelos de volta. Por estar de quatro sua posição facilitava pra que piorasse, sua coluna estalou e acreditava que alguma costela pudesse ter se descolado.

– Lembre-se, colabore.

Essa ordem passava pela sua cabeça, Yoongi com toda força que tinha tentava obedecer. Assim acabaria mais rápido, sofreria menos, porém não parecia ser algo que era capaz de fazer.

Uma das coisas que mais causava angústia era seu campo de visão. Em qualquer direção que olhasse veria alguém esperando pra fazer a mesma coisa consigo. Era uma fileira da tortura.

O único que não passava tal mensagem era Hoseok. Tentava desviar seu olhar constantemente para que Yoongi não se sentisse tão desconfortável, um ato quase completamente inútil. Yoongi não notou, para ele continuava sendo alguém terrível que estava ansioso pra poder se tornar mais se tornar ainda nojento.

Não conseguiu pensar quando tempo passou sendo feito de objeto sexual para Namjoon. O tempo não era contado no inferno, mas seus movimentos foram diminuindo até que Yoongi fosse empurrado, e Namjoon se levantou ficando a sua frente.

O moreno levou sua mão até seu membro, já estava próximo de chegar ao seu ápice, bastou alguns movimentos rápidos para gozar em cima de Yoongi.

Duas sensações, o sêmen de Namjoon em seu tronco, e o mesmo junto com o sangue escorrendo pelas suas nádegas.

Estava machucado, sujo com os vestígios de outra pessoa no meio de suas pernas. Quem iria querer tocar alguém assim? Yoongi foi se arrastando, moveu-se centímetros, tinha o pensamento acreditou que tinha chegado ao fim, até que outra silhueta aparecesse em sua frente.

Isso não lhe deu alívio de forma alguma, o contrário na verdade.

– Você é tão lindo – Taehyung disse. – Mal vejo a hora de ser o responsável pelos seus gritos.

Não era como se alguém ali fosse provido de humanidade, mas de todos, Taehyung foi o que mais esqueceu que estava lidando com um ser humano. Isso não se tratava de sentimentos, e sim de corpo. Taehyung esqueceu que Yoongi era feito de carne e osso, e que além de se machucar, também podia quebrar.

Pela perna, Yoongi foi puxado até um carro onde estava encostado, causando muitos arranhões em sua pele.

Era fácil explicar seu estado, estava drogado. O garoto de dezesseis anos estava alucinado, em seus olhos havia uma galáxia inteira, a grande estrela era Yoongi.

Taehyung o colocou encostado no carro, pelo menos era o que achava. O empurrou tão forte contra o capô que a cabeça de Yoongi foi direto para o retrovisor. No vidro uma leve rachadura apareceu, mas em sua testa, o ferimento fez sangue espirrar.

Ficou zonzo, mas não era como se pudesse se dar ao luxo de dar atenção ao machucado. Enquanto o líquido se espalhava pelo seu rosto, Taehyung segurou as pernas de Yoongi, as abrindo o máximo que conseguia, podendo assim até romper um nervo, o penetrando em seguida.

Gritou pelo sangue que entrava em seus olhos, e pela violência que Taehyung usava.

Era difícil compará-lo a Namjoon, nenhum era pior que o outro, ambos estavam deixando sequelas incuráveis.

As costas de Yoongi estava sendo servida como banquete para Taehyung, que não poupava mordidas nas diferentes áreas, uma foi tão forte que quase acreditou que teria arrancado um pedaço da pele. Não apenas isso, suas mãos também faziam um bom trabalho em molesta-lo, principalmente quando apertou o pênis alheio até que ficasse roxo.

Quando Yoongi tinha chegado naquela noite, percebeu que Taehyung estava perto de Jungkook com seus braços entrelaçados. A realidade que os dois sempre estavam juntos, e não se separariam nem em um momento como aquele.

Se virou encarando o amigo, sorrindo para ele. Jungkook entendeu o recado e se juntou a Taehyung.

A posição de Yoongi foi trocada, foi virado bruscamente, ficando de frente para Taehyung.

– Olhe esse rostinho, parece que estava numa guerra – Acariciou o rosto de Yoongi, que não sentiu os toques. Estava sofrendo tanto que sentiu-se incapaz de receber algo suave. – Me diz Yoongi, você já sentiu dois paus dentro de você?

Começou a negar com a cabeça incontáveis vezes, iria dizer que não mas perdeu essa oportunidade quando Taehyung calou sua boca com a própria. Foi a pior coisa que Yoongi já sentiu encostando em seus lábios.

Não retribuiu o "beijo", mas foi obrigado a abrir a boca e dar passagem a língua asquerosa de Taehyung, que se deliciou com o gosto do sangue misturado. Aquele era um toque que sempre considerou íntimo demais, dar a qualquer um não era algo que nem mesmo prostitutas faziam. Se bem que Yoongi já estava bem abaixo delas.

Tentou se afastar dele, e isso serviu que ficasse desconcentrado e não percebesse quando foi levantado. Em suas costas não sentiu mais o metal gelado do carro, e sim o corpo de outra pessoa.

Jungkook o pressionou contra Taehyung, deixando Yoongi preso no meio dos dois que começaram a viola-los juntos.

Esperava que doesse, mas no momento em que Jungkook abriu suas nádegas e ao mesmo tempo enfiou todo seu membro junto com Taehyung, Yoongi teve certeza que rasgaria no meio.

Seus gritos já não eram capazes de representar toda dor que sentia. O fato de estarem dessincronizados feria ainda mais Yoongi, que movia pra cima e para baixo desordenadamente.

Assim como o amigo, Jungkook também perdera a noção de que não se tratava de um boneco, estava tão imerso no prazer que as estocadas estavam proporcionando. Abria as pernas de Yoongi como se o mesmo possuísse uma flexibilidade de borracha, queria conseguir mais fundo dessa forma. Conseguiu um estalo alto que passou despercebido. Sua perna na região do fêmur foi quebrada, deslocada, ou algo foi torcido, mas quem se importava com isso? Nada realmente mudou com aquela fratura, com exceção das lágrimas se intensificando.

– Essa é a melhor visão da noite. Acelerem – A fala de Namjoon foi ouvida como uma ordem. Jungkook já estava animado, e só ficou ainda mais ao ver o show que estava proporcionando.

Começaram a usar mais força, os deixando mais rápidos. Taehyung foi o primeiro a se desfazer dentro de Yoongi, e não demorou até Jungkook repetir o ato. Assim que ambos estavam satisfeitos, soltaram Yoongi que não conseguiu se manter em pé, como o esperado. Preferia dessa forma, levantado sentiria o líquido escorrendo do seu interior, e seu corpo sujo e machucados que já passavam de dezenas ficariam ainda mais exposto.

Ficar caído tinha virado a sua coisa favorita naquela noite. Yoongi morria menos daquela forma, e esperava continuar assim, porém mais uma vez foi puxado pelos demônios sedentos de sua dor.

– Acho que está na hora de você fazer alguma coisa. – Namjoon jogou Yoongi para Hoseok como se fosse um objeto sem valor – Fique à vontade pra fazer o que quiser, acho que já percebeu que é um bom pedaço de carne.

Alguma coisa incluía fugir? Essa era a única coisa que Hoseok desejava. Tinha ficado parado à noite toda, e não sabia se era capaz de mudar isso.

– Desculpe Namjoon, mas eu prefiro não fazer nada. Como Jimin.

– Quem disse que eu não vou fazer nada? – Jimin se aproximou puxando Yoongi dos braços de Hoseok – Se estava esperando então podemos fazer isso juntos.

A posição que Yoongi foi colocado, para alguém em seu estado, não poderia ter sido mais desconfortável. Estava de pé, mas seu tronco inclinado para frente, abaixado da forma que ficasse da mesma altura da virilha de Jimin.

– Eu não ficaria excitado com... um cara. – Iria dizer abuso, mas teve medo de usar aquela palavra.

– Se esse é o problema, vai ser fácil ajudar – Namjoon necessitou apenas de um estalo de dedos. Olhou para Taehyung que prontamente foi até Hoseok, se ajoelhando em sua frente.

Sem cerimônia, o garoto abaixou as calças de Hoseok, que se assustou com a exposição. Iria reagir, empurra-lo pra longe, mas Taehyung foi mais rápido abocanhando seu membro. O gemido constrangedor que saiu soltou fez Jimin e Namjoon se entreolharem, satisfeito em corroer a ética de alguém que até então era tão direito.

Hoseok não sabia dizer o que fazia se sentir mais culpado, se era o ato de pedofilia, afinal aquela criança era quinze anos mais nova, ou por ser apenas a introdução de algo pior que estava vindo. Sentiu vergonha por ter ficado duro tão rápido naqueles lábios.

– Até que não foi difícil – Taehyung disse assim que se afastou do falo – Mas tudo bem, não é como se alguém não ficasse comigo.

O jeito como sorria adoravelmente cada vez que falava era encantador. Estava longe de parecer terrível como realmente era, Hoseok não recusaria continuar observando aquela falsa beleza, era sua forma de fugir do inevitável, mas logo foi empurrado para perto de Yoongi.

Ver sua entrada retalhada daquele jeito não era nem um pouco convidativo. Yoongi já tinha fixado a ideia de ficar parado e calado pra evitar um ferimento a mais. Era quase como ignorar, pena que Hoseok estragou esse plano, já que não era capaz de ignorar um furo em si.

Dessa vez Namjoon não teve paciência para ajudá-lo.

– Te falta incentivo – Namjoon buscou um canivete que estava em seu bolso, se aproximando encostando em Yoongi, aquele toque o deixou apavorado com razão – Se você não tocar em Yoongi, a lâmina vai.

– Como assim?

– Simples.

Com um único golpe, e em uma das únicas áreas que não estava roxa, Namjoon enterrou o canivete em Yoongi, atingindo uma costela.

Parado e calado? Parecia até piada.

Seu corpo inteiro se contorceu com a dor do corte. Hoseok tentou pressionar a área com a intenção de impedir que mais sangue saísse, falhando por causa de sua tremedeira, que deixou tudo inútil.

– Você ainda não começou? Precisa de mais incentivo.

Analisou o corpo a sua disposição, chegou à conclusão que não havia lugar melhor do que seu rosto. Ao segurar aquela face e ver seu olhar de clemência, teve certeza.

Com ainda mais precisão, segurou seu rosto enfiando a faca em sua bochecha.

Jungkook fechou os olhos de tão assustado.

O grito dizendo "não" de Hoseok foi em sincronia com o de Yoongi. Este se questionava como era possível ainda estar consciente, queria desaparecer mesmo que fosse apenas mentalmente.

– Por favor, pare – Suplicou.

– Você gosta dos olhos dele, não é? – Namjoon abriu as pálpebras de Yoongi com os dedos – Eu não tenho medo de arranca-las.

– Eu faço, juro. – Disse por fim, era o que Namjoon queria ouvir.

Tentou ao máximo ser delicado, o que era bastante difícil para alguém sem experiência nenhuma. Ficou segundos parado para que Yoongi se acostumasse com a invasão, seus movimentos também começaram lentos, e continuariam se não fosse por Jimin, que assim como os outros, deixava a situação mais violenta possível.

Jimin continuava a frente de Yoongi. E foi direto na ordem que deu.

– Eu realmente não ligo pro quanto você deve está agonizando agora. É melhor que você chupe direito, ou seu rosto vai ficar ainda mais desfigurado. – Assim que terminou, a boca de Yoongi foi invadida pelo falo de Jimin.

Não precisou fazer muita coisa, Jimin segurava seus cabelos controlando a situação. Ele não escondia seu prazer, e nem o quanto gostava de deixar alguém submisso daquela forma. Yoongi com aquela aparência apodrecida também contribuía para esse prazer.

Jimin gostava de machucar suas vítimas, talvez mais do que o "sexo".

Os movimentos dele influenciavam diretamente Hoseok. Jimin o puxava rápido, o que acelerava suas estocadas. Odiava aquilo cada vez mais, sussurrou um "me perdoe" mil vezes para Yoongi, que não escutou nenhuma vez.

Quando foi preenchido tanto na frente quanto atrás, Yoongi acabou batendo seu rosto no chão. Hoseok tinha enojado os outros quando largaram o corpo como se não tivesse vida, mas foi inevitável não fazer a mesma coisa. Quando gozou só queria se afastar, era melhor do que ficar obrigando-o aquilo. Jimin no caso, apenas gostou da visão que estava tendo.

– Você se superou, Namjoon – Jimin o elogiou.

Se Yoongi fosse um sadomasoquista, e sentisse prazer em conviver em tamanha podridão, estaria orgulhoso de si por ter conseguido satisfazer cinco sádicos de uma vez.

Não seria fácil de esquecer, isso cabia a todos.

Aquela noite talvez fosse um castigo para que aprendesse sobre temer. Continuou vivo, mas tudo foi ao fim.

Suas roupas, possivelmente as coisas mais esquecidas da noite, foram buscadas por Namjoon pra buscar a carteira de Yoongi.

Oh, no fim seus medos faziam sentido, apanhar e ser roubado.

– Tome Jimin. – Entregou o dinheiro que pegou da carteira. – Compre algo pro nosso filho.

– Terei que fazer a mesma coisa com você se continuar a usar "nosso" – Se referia ao que fez com Yoongi.

Ambos começaram a rir, como poderiam fazer isso quando Yoongi morria jogado no meio da rua?

– Bem, eu vou precisar ir. Ainda tenho coisas pra fazer – Namjoon anunciou, buscando Jungkook e Taehyung, colando o braço pelo ombros deles.

Não demoraria pra amanhecer, Jimin apenas acenou com a cabeça, indo em uma direção oposta, como se tivesse sido mais uma madrugada comum em sua vida.

– Vamos deixá-lo aqui? Ele não vai resistir por muito tempo. – Hoseok gritou, ele não poderia ser o único a achar aquilo desumano.

– Se quiser, leve pra casa. – Jungkook respondeu – Ou chame uma ambulância, mas não esqueça que não é algo muito inteligente para um criminoso. – Ser chamado disso foi um soco em sua consciência.

Deixá-lo morrer, ou seguir seus amigos e irem embora? Hoseok era o único que ficou confuso com aquela decisão.

– Espera – Taehyung chamou atenção de todos. Por um segundo esperou que ele tivesse sentido pena e quisesse ajudar. Hoseok se decepcionou, foi algo bem oposto. – Será que Yoongi entraria em coma se fosse violado por cinco pessoas ao mesmo tempo?

Namjoon e Jimin se encararam. Jungkook nada negaria ao melhor amigo. Hoseok arregalou os olhos voltando a ficar apavorado.

Para a maioria, parecia uma boa ideia.

14 de Junio de 2019 a las 01:07 0 Reporte Insertar 0
Leer el siguiente capítulo Perdão

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~

¿Estás disfrutando la lectura?

¡Hey! Todavía hay 4 otros capítulos en esta historia.
Para seguir leyendo, por favor regístrate o inicia sesión. ¡Gratis!

Ingresa con Facebook Ingresa con Twitter

o usa la forma tradicional de iniciar sesión

Historias relacionadas