Mother Seguir historia

sophiagrayson Sophia Grayson

Ser mãe é difícil, não importa o século. Mas para Usagi Tsukino; recém coroada, Neo Queen Serenity tem mais dificuldade ainda em criar sua prole. Só basta Mamoru Chiba - Neo King Endymion - cuidar dessas duas.


Fanfiction Anime/Manga Todo público.

#drama #familia #fluffy #sailor-moon
Cuento corto
0
1854 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Capítulo Único

Era um dia calmo e ensolarado na recém fundada Tóquio de Crystal. Os ventos variam as árvores, a grama anteriormente aparada balançava seus fios, espalhando o perfume das belas e raras rosas pelo grandioso Palácio de Cristal.

A nova rainha Serenity admirava sua herdeira no berço esculpido em madeira maciça, que balançava levemente. Registrava as jovens feições, tentando descobrir as semelhanças entre ela e seu marido.

O bebê ressonava, seu vestidinho, cheio de babados e perolas, um pouco curto revelava parte de sua frauda branca. Uma das gordinhas mãos descansava na barriguinha, enquanto a outra estava na boca. Os fios exóticos rosados, se espalhavam no minúsculo travesseiro.

A rainha estava de joelhos e seu vestido branco cobria todo o chão, não se importando com a poltrona próxima ou se iria sujar sua vestimenta. No lado tinha uma pilha de brinquedos e pelúcias.

Era uma das poucas vezes que se via livre de suas Sailors Guardiãs e poderia agir como uma mulher normal que era antes de assumir o trono.

Um barulho no jardim que dava para o quarto do neném, provavelmente feito por alguma desavença da princesa de Marte com seu noivo Nicholas, acordou a pequena. Que lançou um berreiro alto.

Usagi se levantou assustada, indo à janela verificar o ocorrido. Visualizou a Sailor Marte, que fez uma reverência pedindo desculpas atrapalhada. Seu pânico cresceu assim que sua filha começou a chorar.

Pegou no colo desajeitada, pois eram as raras vezes que tinha segurado em um bebê. Mesmo que quisesse, não a deixariam por ser desastrada. Até mesmo a sua filha, pessoas fora de sua grandiosa família, dificultava o contato das duas, claro que isso era combatido pelas sua amigas e marido.

Tentou ninar em vão. Pegou a chupeta que estava largada no berço.

Será que se a desse a menina se acalmaria?

Com uma mãozada, a pequena lançou-o no chão. A jovem mãe caminhou de um lado a outro, cantando uma música aleatória em sua língua natal, japonês.

Olhou para o piso de porcelana e recolheu o Tuxedo Kamen de pelúcia. Na época da Sailor Moon, sua filha vinda do futuro adorava a pelúcia.

Nada. O berro cresceu, junto com a apreensão de Serenity. Vasculhou o longo quarto e encontrou uma mamadeira que Minako tinha deixado horas antes em cima de uma bancada.

- Será que está com fome? – cantou para a pequena, na tentativa de esconder seu medo.

A mamadeira teve o mesmo destino da chupeta, só que derramou o leite por todo o lugar, sujando o seu vestidinho e o da rainha.

Serenity começou a lacrimejar, ruindo por dentro. Pegou seu cetro fazendo-o brilhar levemente. Nada.

A pôs na bancada e averiguou se o desespero estava relacionado a frauda suja. Limpíssima.

A rainha deixou suas lágrimas caírem, sua ansiedade a dominou por completo. Não sabia mais o que fazer. Era uma péssima mãe, sabia disso, pois nem sequer conseguia acalmar sua pequena. Imagine nos outros desafios no futuro? Iria fracassar. Colocou a mão no peito doida.

Agora eram as duas a chorar.

- Mamo-chan! – gritou para seu marido, alto o suficiente para que a escutasse de onde estivesse – Sou horrível, muito, ela com certeza vai me odiar no futuro e vai fugir para minha mãe – soluçou – Não consigo fazê-la parar de chorar, não a alegro em nada – Colocou-a no berço, se jogando no chão com as mãos nos olhos – Não sei o que ela quer – gritou, percebendo outra coisa em meio a sua mente nublada – Como vou poder governar um reino pelos próximos milênios dessa forma, se não sou responsável como mãe, imagine em um reinado! Mamo-chan!!!

O leonino passava calmamente nos corredores do palácio, resolvendo uma coisa e outra, gentil como sempre, perguntava como estava todos no reino e se tinha acontecido algo. Cumprimentou os seguranças e as Sailors que passavam apressadamente, também resolvendo seus próprios problemas, que mesmo na era de paz, o tinham.

Os cabelos arrepiaram quando escutou sua amada chama-lo berrando. Suspirou, passou as mãos nos cabelos negros, retirou sua máscara que adornava suas safiras levemente puxadas. Abandonou seu cetro em um dos corredores, seguindo para o quarto de sua filha.

Mais e mais ouvia as incertezas de sua rainha, não tinha mudado em nada durante os anos. Chorosa como sempre, se achando um fracasso que não era.

Fez uma rosa vermelha aparecer em suas mãos. Dava passos cada vez mais largos, para abater a distância.

- Mamo-chan!!! Me ajude!!! – sua voz trilhava mais distâncias, chamando atenção das princesas guerreiras e dos soldados – Não presto para nada!!! Sou um fracasso!!!

Adentrou no quarto, Usagi nem percebeu sua chegada, gritando ainda mais. Prendeu a rosa nos cabelos albinos, finalmente tendo a atenção necessária.

- Fracasso? – sua voz rouca e calma cortou o desespero que se formava no ambiente – Você sabe que não – deu um rápido cafuné na esposa, que aos poucos parou com o choro – Será que tenho te relembrar do quanto eis corajosa, de suas conquistas e que sempre se superou, seguindo em frente, lutando pelo o que acreditava? – foi até o berço de sua prole, retirando suas luvas brancas, deixando-as estendida entre as barras de madeira, pegando jeitoso sua filha, sorrindo. Novamente fez uma rosa vermelha aparecer.

Chamando a atenção da menina, que admirada parou o berreiro, rindo pegando a rosa e a chacoalhando.

- Não vai ser fácil – retornou até a esposa, que já estava mais calma, encarando-o admirada por tamanha destreza – E se fosse, não seria tão lindo como é. Criar uma pessoa sempre será complicado. Mas você vai conseguir se superar como sempre - ajudou-a se levantar, limpando suas lágrimas – Eis uma boa mãe, nunca pense o contrário, não se deixe levar por essa ansiedade – passou um braço nos ombros da amada, enquanto o outro carregava o bebê.

Levou suas duas preciosidades pelos corredores do palácio, seu olhar passou pelo redor e viu as fiéis guerreiras preocupadas, Júpiter quase indo até eles. Fez um rápido gesto. “Está tudo bem agora”.

A Sailor Vênus, amparou as amigas, dando a privacidade que a família precisava. Rei ao longe tentou encrencar com o noivo, pois achava que fora tudo culpa dele. Makoto separou os dois dando um sermão.

A paz retornou ao lugar.

11 de Junio de 2019 a las 22:04 2 Reporte Insertar 1
Fin

Conoce al autor

Sophia Grayson Só uma garota que gosta de escrever.

Comenta algo

Publica!
Sakura Angeli Sakura Angeli
Isso é tão fofo e tocante para mim (não sei se lembra do meu primeiro comentário no outro site) q eu nem sei como fazer um comentário longo bonitinho e decente. Jesus, Usagi e Mamoru são um casal fofíssimo! E a Chibiusa torna tudo ainda mais lindo :3 Amei a história!
12 de Junio de 2019 a las 22:54

  • Sophia Grayson Sophia Grayson
    Me lembro sim, querida. Um dos mais bonitos que tinha recebido na época. Uma pena que se foi por causa das pessoas não me deixarem em paz. Parece que não pode ver uma pessoa "feliz" que já querem que sofra e tenha um ataque de ansiedade ;-; Ah, só de estar aqui me deixa muito feliz, não se preocupe tanto :) SIM <3 Adoro Mamoru e Usagi, foi tipo, meu casal da infância :3 Small Lady sempre fofa para deixar isso mais bonito <3 Obrigada querida! Beijos! 13 de Junio de 2019 a las 04:10
~