Sailor Senshi Seguir historia

sophiagrayson Sophia Grayson

Reflexões de uma Sailor, sobre o mundo e elas. O que elas tem de diferente das pessoas normais?


Fanfiction Anime/Manga Todo público.

#drama #sailor-moon
Cuento corto
1
1969 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Capítulo Único

"O que nos fazem ser Sailors? O que nos difere das outras pessoas, igualmente corajosas e heroicas?


O mal que enfrentamos? Os superpoderes? Sermos princesas de planetas da Via Láctea?”


Era uma manhã quente quando a guardiã de Vênus refletia sobre isso. Sendo a líder de todas as garotas, portadora da Espada Sagrada do Milênio de Prata, reforçando assim sua identidade de liderar. Poderia ser considerada – e era – uma pessoa muito avoada, no mundo da Lua, preguiçosa e incompetente como aluna, que se apaixonava por todos os garotos bonitos que via pela frente.

Não poderia deixar de dizer que aquilo não era verdade, pelo contrário, mas, todavia, tinha uma parte responsável, séria, ativa e atenciosa. Se importa muito com suas amigas guerreiras, tanto que pode dar a vida por elas, além de sua princesa e o mundo. De coração partido com seus amores mortos, Kunzite, Kaitou Ace, no qual o último a amaldiçoou, não podendo nunca encontrar um amor verdadeiro.


Era uma parte de sua personalidade que poucos conheciam e que ela escondia, por várias e várias máscaras, para não se machucar ou qualquer outra coisa nessa linha.


Ela pensava no mundo e refletia questões a cima citadas. Muitas vezes fazia isso na insônia na longa noite e durante os períodos de aula.


Então o que as fazem Sailors? Primeira questão a se pensar.


Logo vem os poderes míticos, protegidos por um planeta regente de seu signo. Sim, os signos do zodíaco, cada um tem seu planeta, satélite ou astro. O dela era Vênus, tendo seu signo Libra, um dos protegidos por tal planeta.


Princesas destes então planetas, guerreiras do Milênio Lunar, escolhidas pela Rainha Serenity, que na tragédia, possibilitou a reencarnação das mesmas com o poder do Cristal de Prata, assessorando-as em seus despertares.


Força, beleza, justiça e amor. Sailor bishoujo senshi.


Primeira respondida. Segunda, o que nos disfere das outras pessoas, igualmente corajosas e heroicas?


Heroísmo não é sinônimo de ter poderes. Nunca foi. Elas lutam contra as forças do mal, com grandiosas forças, capazes de destruir todo o universo.

Mas, todavia, não lutavam por todos, já que isso infelizmente não era possível. O mundo está em uma catástrofe mesmo sem os fatores de vilões gigantescos, com guerras em todo canto, mortes, destruição, ruina de uma história, famílias. Preconceitos, intolerância. Cada vez mais as pessoas não aceitam uma as outras.

As pessoas abençoadas que lutam contra isso.


Aquelas que em meio a guerra civil de outros países salvam vidas, são heroínas. Aquelas que enfrentam as barreiras da pobreza e da doença só para manter a vida, são igualmente heroicas, as que em resgates perecem para que outros tenham uma chance.


Aquelas, anônimas com suas palavras de motivação, fazem que o dia escuro de um indivíduo brilhar e ter esperanças. Os livros motivacionais, suas histórias de vida. As pessoas que consideram mais importantes em suas vidas, que com pequenas coisas fazem o dia melhor.


Os soldados em plena guerra, de cabeça erguida para um mundo melhor, para proteger esse mundo. Mesmo que não se tenha paz nesse mundo.


Os que lutam pela natureza e a preservação dela, de seus animais diversos.

Entre outros, a lista seria imensa e impossível de tantas formas e questões de heroísmo.


O que dizer delas e entre outras? Elas são tão heroínas e valentes como as Sailor Senshi.


O mal que enfrentavam eram diferentes, mas igualmente perigosos.

Não eram príncipes, não tinham poderes míticos. Mas são tão fortes quanto.


Estrelas mais brilhantes. Que mudam o mundo, mesmo que só um pouco.

Considerava ainda mais fortes, por não ter tal poder ou Cristal. Era só a força de vontade, o amor pela vida, a devoção pelo trabalho, esperança.


Isso era o que mais diferia entre eles.


Pulou de susto quando seu gato, Ártemis entrou de súbito em no quarto. Fechou o diário com sua tranca, colocando em uma das gavetas de sua pequena cômoda. Sabia que o felino mesmo bisbilhoteiro não iria tocar em um diário com cadeado.


Sorriu. Ártemis a olhou estranho. Talvez por suspeitar da natureza considerada atípica dela e sua expressão séria de reflexão.


Logo deixou para lá, anunciando ansioso que Diana já estava a caminho, surpreendendo-a. Deixou que seu felino externasse tudo para então falar algo. Era boa em dar conselhos, mesmo, como já foi afirmado, não parecendo ser o tipo de sua personalidade.

6 de Junio de 2019 a las 14:26 2 Reporte Insertar 1
Fin

Conoce al autor

Sophia Grayson Só uma garota que gosta de escrever.

Comenta algo

Publica!
Sakura Angeli Sakura Angeli
Olha quem apareceu aqui, Sophia? ^-^ Nossa, essa é uma das suas histórias que eu mais amo. A maneira como a Mina reflete sobre força e coragem tanto das senshi quanto dos guerreiros humanos (soldados de guerra são um exemplo magnífico) é emocionante <3
10 de Junio de 2019 a las 10:27

  • Sophia Grayson Sophia Grayson
    Querida <3 Seja bem vinda <3 Nem imaginei que viria até aqui rs. Obrigada, na época estava com uma inspiração e filosofia e tanto :3 10 de Junio de 2019 a las 10:51
~