Crônicas da Criação e do Mundo Seguir historia

deodiegolimaa Diego Lima

Sete deuses, sete criações e o mundo. No início tudo era vazio e sem forma, o poder que habitava sobre a imensidão escura se tornou a personificação de sete deuses responsáveis por criar o mundo. Contentes com suas criações, andavam sobre toda a face da Terra admirando seus próprios feitos. Viviam entre suas criações que se mostravam imperfeitas, mas o que os poderosos deuses não conseguiam ver é que suas mentes eram o maior perigo para todos.


Fantasía Todo público.

#as7 #os7 #cronicas #ccm #cronicascriacaomundo #criação #deuses #setecriações #mundo #criaçãodomundo #cronocasdacriação
0
3.5mil VISITAS
En progreso - Nuevo capítulo Cada 15 días
tiempo de lectura
AA Compartir

As Sete Criações

No princípio tudo era sem vida, vazio e sem forma. Quem reinava sobre toda aquela imensidão escura era o silêncio, que se fazia absoluto em toda parte e lugar, que outrora, seria o berço da criação das sete divindades responsáveis pela criação do universo e de conceber a vida humana. Mesmo sendo reais, lendas carregam várias histórias sobre suas origens ainda desconhecida, a mais famosa é que eles eram a própria escuridão do universo, vagavam através do silêncio habitando entre o vazio presente em cada centímetro do lugar que chamavam de casa. Segundo a lenda, tomaram a forma de seres divinos apenas com o poder de seus pensamentos, suas vontades tornavam-se reais sem que movesse um dedo.

Mesmo sendo divindades poderosas, quando suas vontades tomaram forma transformando-os em pequenos deuses, eram apenas crianças que não sabiam de suas reais capacidades. Como toda criança, precisavam aprender, crescer para evoluir, cada milênio que se passava ficavam mais fortes. Conseguiram controlar totalmente todas as habilidades em suas novas formas. Mesmo alcançando seus objetivos, sendo poderes extraordinários personificados, ainda estavam insatisfeitos e vagaram por milhares de anos até encontrar novos propósitos para seus gloriosos poderes.

Os sete Deuses reuniram-se para falar sobre uma criação, um lugar onde poderiam habitar, uma criação que iria adorá-los, oferecer sacrifícios, admirar a grandeza dos sete. Essa nova criação mostraria a beleza de seus poderes e seria dependente dos criadores, que iriam oferecer o novo mundo, dar direito e deveres, conceber milagres, entregar dádivas para que nada faltasse nesse novo lugar, que viria ser povoado por milhões de seres criados pelos deuses para exaltá-los.

O deus Éthan vagou pela escuridão e viu tudo sem forma, então criou uma esfera de tamanho imensurável que a chamou de Terra, sobre ela criou a mais linda pintura que a chamou de céu. Estava orgulhoso pelo seu belo e grandiosos trabalho, pois esse era o início de tudo o que viria depois. Chamou seus irmãos para que contemplassem aquela beleza, comemoraram a primeira etapa vagando por todos os cantos da Terra. Sendo assim, a próxima criação demorou alguns séculos para ser feita.

Após os sete deuses alcançarem os quatro cantos da Terra, Meniór sentiu a necessidade de criar a Luz, separando das trevas. Chamou a luz de dia e a noite de trevas. Criou o sol para levar a sua luz e aquecer, com o nascer do sol contemplavam as cores claras do dia e a pintura que se formava através das criações. Quando o sol se pôs, a lua iluminava a Terra com milhões de pontinhos brilhantes pelo céu que o chamaram de estrelas. Ficaram contemplando toda essa beleza por mais alguns anos.

Inaá ficou orgulhosa de seus irmãos e enquanto admirava a criação pensou no que iria criar para a Terra. Depois de ter vagado pela grandiosa Terra e ter contemplado a luz separada em dia e noite, Inaá criou sobre a terra a parte das águas, chamou de oceanos, lagos e rios. Separou da terra a grande porção de água que havia criado. Levou seus irmãos até o monte Carmelo para mostrar o que havia criado e regozijaram juntos com a beleza do mar que parecia não ter fim, era como se o céu fosse atraído pelas águas e encostavam um no outro no que parecia ser o fim do mundo.

Caminharam por toda a parte que havia água parabenizando a Irmã Inaá pela sua bela criação. Depois de alguns dias Domitila sentia falta de mais cores em sua nova casa, então ordenou que árvores e plantas surgissem sobre toda a superfície da Terra, criando uma diversidade muito grande das espécies de flores, com as mais diversas cores e árvores de vários tamanhos. Toda árvore que crescia era frutífera, cada uma em seu determinado tempo, criando também as estações para que pudessem contar o tempo, ver ele passar para que apreciasse tudo em um determinado tempo, tornando os momentos mais intensos porque sabiam que iria acabar. Eram imortais e não eram mais refém do tempo, agora controlavam e contavam, estava nas mãos de Domitila.

Por algum tempo achavam que tudo estava perfeito daquela forma, que a criação estava perfeita e completa. Mas Arcanjo não estava contente, queria ter uma parcela de ajuda com a criação em conjunto, então passou muitos anos criando várias espécies de animais para que habitassem a Terra. Assim foi feito, espalhou a sua criação por todos os lugares do mundo, criou espécies diferentes para habitat diferentes e assim a Terra foi povoada pelos animais. Átila vendo os animais caminhando sobre todas as partes da Terra criou animais que viviam nos mares, oceanos e rios, animais que reinariam sobre as superfícies da água assim como os animais terrestres. Junto com os animais marinhos criou as aves que voavam sobre a terra e o mar para que houvesse um equilíbrio nos elementos naturais e no reino dos animais.

O deus Hidar era o mais sábio dentre os sete, esperou que todos os seus irmãos tornassem realidade as suas imaginações, criando a Terra. Após cada um dos seis ter cumprido, terminando o que havia prometido criar, Hidar reuniu a todos e disse que faria a última criação. Assim criou com suas próprias mãos seres racionais, dotados de inteligência, carregando em sua face a semelhança dos sete irmãos. Esses novos seres iriam reinar sobre tudo o que havia sobre a terra, em cima da terra e debaixo da terra, seriam responsáveis por cuidar da casa dos deuses e dominar sobre qualquer animal. Foi a criação mais perfeita e frágil, foi concebida através das mãos e não de apenas pensamentos, carregava consigo a dádiva do sopro da vida e seus olhos enxergavam a beleza da criação sem que houvesse destruição. Suas mãos foram as primeiras a tocar o que apenas foi tocado pelos bondosos irmãos que se orgulhavam de tudo o que fizeram.

A criação se multiplicou e se espalhou por toda a Terra, criando povoados e nações, vivendo por muito tempo sem que houvesse mau algum naquele lugar criado para que a paz reinasse. Os olhos que tudo enxergavam, desviaram a atenção porque acharam que tudo estava perfeito. Quando as sete divindades, responsáveis pela criação, caminharam entre sua criação viram que ela se mostrava imperfeita aos olhos dos sábios que tudo criaram. Onde era para reinar a paz, habitava a guerra, em vez de cuidar da Terra e dominar os animais, estavam destruindo tudo e matando todos.

Os corpos que pareciam ser tão frágeis eram apenas receptáculos para o verdadeiro poder que se fazia presente dentro dos sete seres, que um dia foi apenas um e sua vontade se concretizou tornando-se não apenas o único, mas sete poderosos deuses. Em um dia os humanos o adoravam e exaltavam, no outro já haviam esquecido de quem os criou. Levou centenas de anos até que os sete percebessem que havia algo errado, não apenas com os humanos, mas também com suas próprias mentes.

4 de Junio de 2019 a las 17:27 0 Reporte Insertar 0
Continuará… Nuevo capítulo Cada 15 días.

Conoce al autor

Diego Lima Expresse o que sente e irá entender o que vive.

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~