Preso a Você Seguir historia

teffychan Steffanie Pinheiro

Literalmente presos um ao outro, Naruto e Sasuke precisam conviver na mesma casa por dois dias. Mas não se trata apenas de morarem juntos. Tudo que um precisa fazer, o outro precisa estar junto. Desde as refeições quanto dormirem no mesmo lugar, dentre outras coisas mais constrangedoras. E toda essa proximidade começa a aflorar sentimentos que os dois nem sabiam que tinham.


Fanfiction Anime/Manga Sólo para mayores de 18. © Todos os direitos reservados

#romance #yaoi #naruto #sasuke #comédia #homossexualidade #uzumaki #nudez #uchiha
Cuento corto
14
3260 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Capítulo Único – O Jutsu Mais Embaraçoso de Todos

Notas Iniciais:

* História postada também no Nyah! Fanfiction;

*História baseada no episódio 194 de Naruto Shippuden.


______________________________


Eles já não aguentavam mais isso. Não aguentavam nem aquele dia terminar, como poderiam passar dois dias daquele jeito? Não tinha como isso acontecer, era impossível!

Graças ao Jutsu peculiar que os atingiu durante a missão daquele dia, Naruto e Sasuke estavam literalmente presos um ao outro. Suas mãos estavam grudadas em uma espécie de bola de borracha estranha que, de acordo com o chefe da vila onde cumpriram a missão, iria se desfazer sozinha em dois ou três dias. Mas eles não podiam ficar grudados daquele jeito durante esse tempo todo! Tentaram de tudo para se separar. Correram em direções opostas. Correram na direção de uma rocha, chocando a bola de borracha contra ela. Tentaram bater na bola de borracha. Até se jogaram de uma cachoeira na esperança dos rochedos arrebentá-la, mas o resultado foi catastrófico. Não tinha outro jeito. Teriam que esperar passar dois dias para que ela se desfizesse sozinha e conviver até lá.

— Por que eu tenho que ficar preso justamente com você? Bem que poderia ter sido uma pessoa mais legal — Naruto reclamou pela terceira vez desde que chegaram a casa dele. Obviamente não tinha como cada um ir para sua casa, então, depois de uma rápida discussão, decidiram que Sasuke ficaria “hospedado” na casa de Naruto até o efeito do Jutsu passar.

— Eu que o diga — Sasuke respondeu — Mas preferia não ficar preso a ninguém — ele se jogou em um canto do sofá, o único espaço que não estava coberto de embalagens vazias de comida, consequentemente arrastando Naruto para perto pelo braço grudado ao seu. O garoto tropeçou em uma caixa de leite vazia jogada no chão durante o processo e caiu esparramado em cima dele.

— Ei, seu cretino, o que está fazendo?

— Sentando — Sasuke respondeu o óbvio — Se queria fazer o mesmo, por que não sentou em outro lugar ao invés de se jogar em cima de mim?

— Eu não me joguei em cima de você, seu imbecil, foi você quem me puxou! — Naruto endireitou-se para poder encará-lo, as pernas ao redor das de Sasuke enquanto apoiava a mão livre em seu ombro.

— Pare de ficar me culpando pelas coisas que acontecem graças a esse Jutsu estranho que está nos prendendo um ao outro — ele ergueu a mão presa, consequentemente levantando a mão de Naruto junto — E então? Até quando pretende ficar sentado no meu colo?

— Cala a boca, eu já ia sair — Naruto se levantou. Na verdade tinha se esquecido completamente disso.

— Isso só aconteceu porque esse era o único assento que não está coberto de lixo. Você deveria limpar esse lugar de vez em quando, sabia?

— A casa é minha e você só vai ficar aqui até o efeito desse Jutsu idiota passar. Então não tente me dar ordens! — Naruto exclamou, rumando para outro cômodo e arrastando o garoto consigo.

— Ei, onde está indo?

— Vou jantar. Estou faminto — ele arrastou Sasuke até a cozinha e começou a revirar a dispensa, embora fosse difícil fazer isso com uma mão só — Você também deve estar com fome, não é? Só tem ramen com molho de ostra. Eu comi o último com missô ontem.

— Está dizendo que só tem ramen aqui? Você realmente só come isso?

— Bom, é gostoso e bem prático de fazer — Naruto explicou.

— Não é possível que você só viva disso — Sasuke resmungou, dirigindo-se até a geladeira e arrastando o garoto junto. Estava praticamente vazia. Tinha uma caixa de leite com cheiro esquisito, ovos e alguns legumes na última prateleira — Tem mais comida aqui. Por que você não cozinha de vez em quando?

— Da última vez que eu tentei não deu muito certo — Naruto coçou atrás da cabeça com a mão livre. Sasuke podia imaginar o resultado. Ele provavelmente quase ateou fogo na própria casa ou algo assim.

— Bom, ainda dá para usar isso — Sasuke pegou os legumes no fundo da geladeira.

— Ei, o que pretende fazer com isso?

— Eu não estou a fim de comer ramen.

— Francamente, você é exigente demais. Quer escolher até o que vai comer — Naruto reclamou — Tudo isso porque você não quis que fôssemos para a sua casa.

— Acho que você não iria gostar de lá. É grande demais para uma pessoa só.

Sasuke deu uma rápida olhada em volta. Pensando bem, aquela era a primeira vez que tinha ido até a casa de Naruto. Nunca teve motivo para ir até lá até hoje. O lugar era bastante diferente da sua casa. Um apartamento pequeno e simples, porém bastante prático para uma pessoa só.

Não gostava de admitir, mas se sentia solitário às vezes naquela casa enorme. O Jutsu que o prendia a Naruto era incômodo, mas também fazia com que Sasuke tivesse uma pessoa ao seu lado.

— Ei, o que está olhando? — Naruto percebeu que ele olhava ao redor com curiosidade.

— Que você deveria limpar a casa de vez em quando — ele disfarçou. Começou a remexer no armário — Onde estão os talheres?

— Você é muito intrometido — Naruto abriu uma gaveta e Sasuke pegou uma faca, começando descascar as cenouras com dificuldade, visto que só podia usar uma das mãos.

— Que droga, é como se eu tivesse apenas um braço — Sasuke reclamou quando arrancou um pedaço grande demais da cenoura.

— Tem certeza de que não quer comer ramen?

— Não, eu já disse que não quero. Vou terminar isso, você vai ver.

E ele de fato terminou. Com muita dificuldade, mas conseguiu descascar e cortar os legumes e a carne, tudo usando apenas uma das mãos. Cerca de uma hora depois a comida estava pronta.

— Até que o cheiro está bom — Naruto se aproximou da panela. Não aguentou esperar e acabou comendo o ramen com molho de ostras, mas ainda não estava satisfeito — O que é isso que você fez afinal?

— Arroz com curry. Não dava para fazer muita coisa com os ingredientes que tinha.

— Nossa, desculpa se eu não tenho comida em casa — Naruto falou ofendido — Aliás, não se esqueça de que você está comendo a minha comida.

— Vou repor seu estoque depois se isso te incomoda tanto — Sasuke resmungou, pegando um prato e puxando Naruto para perto. No fim das contas o amigo resolveu comer também. Conseguiram pegar o curry com alguma dificuldade e foram para a sala.

Naruto encarava a comida, levemente desconfiado enquanto Sasuke jantava. O cheiro realmente estava bom, mas ainda relutava em comer alguma coisa feita por ele. E se Sasuke tivesse colocado alguma coisa no prato dele sem que Naruto percebesse? E se o sabor fosse tão ruim quanto o humor do companheiro de time? Céus, isso seria o fim!

— Eu não coloquei veneno se é isso que está pensando — Sasuke interrompeu seus pensamentos — Você me viu cozinhando o tempo todo, não foi?

— Cala a boca — Naruto resmungou. Respirou fundo e provou a comida. Estava melhor do que ele esperava — Uau… até que você cozinha bem — ele continuou comendo sem medo.

— Você também podia aprender. Tinha ingredientes aqui e tudo.

— Ei, idiota, não podia simplesmente dizer “obrigado”? Não sabe reconhecer um elogio? — Naruto reclamou. Bom, Sasuke provavelmente já estava acostumado a ouvir elogios. Não era exatamente novidade para ele — Onde aprendeu a cozinhar assim?

— Eu moro sozinho, tive que aprender a me virar — ele lembrou — Você deveria fazer o mesmo ao invés de viver só de ramen.

— Parece até que você está preocupado comigo — Naruto riu. Para sua surpresa, aquele simples comentário conseguiu deixar Sasuke embaraçado — O que foi? Ei, por que desviou o rosto?

— Não importa. Se já terminou, é melhor irmos dormir…

— Ainda não — Naruto interrompeu — Ainda estou imundo depois de rolar pelo chão tantas vezes depois daquela missão. Você também está, por sinal. Eu preciso de um banho.

— O que?! — Sasuke recuou um passo, mas não fez nenhuma diferença, pois Naruto avançou em sua direção, já que continuavam grudados — Você só pode estar brincando! Não tem como você tomar banho com a gente assim.

— Claro que tem. É só você vir comigo.

Naruto foi até o quarto e pegou algumas mudas de roupas, rumando para o banheiro em seguida, ignorando os protestos de Sasuke enquanto arrastava o garoto junto com ele. E quando fechou a porta do banheiro finalmente chegou a um ponto que não dava mais para ignorar.

— Não tem como você tomar banho desse jeito, Naruto. Nossos braços continuam grudados, será que não percebe?

— É, mas… você vai ter que entrar comigo. Não tem outro jeito.

— Eu não vou fazer isso!

— Ah, qual é! Nós já fizemos xixi juntos, não precisa ficar assim — Naruto riu, dando tapinhas nas costas do amigo como se isso pudesse consolá-lo.

— Nem me lembre disso! — Sasuke sentiu um arrepio ao recordar da ocasião — Realmente não dá para fazer isso. Não tem nem como tirar nossas roupas com as nossas mãos grudadas assim.

— Ah, isso é verdade — Naruto teve que concordar. Encarou o garoto e a si mesmo por alguns instantes. Em seguida abriu o próprio casaco e tentou tirá-lo, sem sucesso. Suspirou, parecendo triste com algo, e rasgou o próprio casaco, junto com a manga para removê-lo — Bom, problema resolvido. Sua vez.

— O que? — Sasuke afastou-se dele. Não funcionou de novo — Eu não vou rasgar minhas roupas só porque você quer tomar banho.

— Deixe de ser teimoso. Eu te arranjo outra camisa depois.

Eles travaram uma pequena luta dentro do banheiro, que envolvia mais chutes do que outra coisa, visto que seus braços estavam presos. Ate que Sasuke precisou se abaixar para não bater contra a pia. Naruto aproveitou a chance e o segurou pela gola da camisa. Em situações assim ele geralmente daria um soco no garoto, mas, como sua outra mão estava presa à dele e seu objetivo era outro, ele simplesmente puxou o tecido com mais força, rasgando a camisa de Sasuke ao meio.

— Naruto! Mas que droga você pensa que está fazendo?! — dessa vez ele avançou contra o garoto até Naruto bater com a cabeça contra a parede oposta.

— Foi mal. Mas era a única forma de tirar a sua camisa.

— Você não tirou, você rasgou minhas roupas!

— Não seja exagerado, você continua com sua bermuda intacta, não é? — Naruto lembrou. Pela cara que o garoto fez, parecia ter pensado que Naruto pretendia rasgar todas as roupas dele, então apressou-se em acrescentar — Eu não vou rasgar sua bermuda! Dá para tirar normalmente, não é? Olha — ele retirou a própria calça, junto com a roupa de baixo, com certa dificuldade, pois usava apenas uma das mãos.

— Não preciso de demonstração — Sasuke virou o rosto. Não podia acreditar que tinha se metido em uma situação tão constrangedora. Entendia que Naruto quisesse tomar uma ducha, na verdade ele também queria, mas na situação em que estavam, um simples banho se tornava algo bem complicado e terrivelmente embaraçoso.

— Anda Sasuke. Vamos acabar logo com isso — Naruto chamou, arrastando-o para dentro do boxe.

— Espera, seu idiota! — Sasuke tirou a bermuda o mais rápido que conseguiu com apenas uma das mãos livre.

— Quer ajuda aí? — Naruto esticou a mão para tirar a cueca que o garoto usava, mas Sasuke a afastou com um tapa.

— Não toque em mim, seu pervertido — ele terminou de se despir e seguiu Naruto para dentro do boxe, suspirando derrotado. Quanto mais rápido terminassem com isso, melhor.

Não tinha como fazerem isso ao mesmo tempo, então deixou que Naruto tomasse banho primeiro, já que ele estava reclamando tanto. Apenas recostou-se à parede e cuidou para manter o máximo de distância que aquele boxe apertado permitia, principalmente da sua mão que estava grudada à dele. E quando se passaram alguns minutos Sasuke percebeu que estava tudo calmo demais. As coisas nunca ficavam calmas quando Naruto estava por perto.

Voltou a prestar atenção no companheiro de time e notou que ele lhe lançava olhares mal disfarçados ocasionalmente, espiando o que não devia.

— Ei, Naruto! Pare de ficar olhando!

— Ah, foi mal, foi mal — ele riu sem graça — Eu só… queria saber o tamanho.

— O que?! Para quê você quer saber uma coisa dessas? — Sasuke exclamou. Naruto moveu os lábios, mas nenhum som saiu. Ele apenas corou em resposta — Ah, esquece. Se já terminou, então saia — ele puxou Naruto pela mão presa à dele e entrou no chuveiro.

Já era irritante conviver com Naruto durante os treinos e missões, mas isso? Ter que morar na casa dele temporariamente, ficar preso a ele o tempo todo, até tomar banho juntos… estava sendo uma verdadeira tortura! O que Sasuke tinha feito para merecer isso?

Isso sem contar as incontáveis vezes em que se esbarravam, ou um deles era arrastado pelo chão enquanto o outro corria, ou quando tropeçavam e caíam um em cima do outro. Não tinha como viverem assim durante mais dois dias.

— Seu cabelo parece estar mais comprido — Naruto reparou.

— É porque está molhado — ele respondeu — É sério que você ainda está me espiando?

— Não é como se eu tivesse escolha — Naruto tentou se defender — O que você quer que eu faça, feche os olhos?

— Seria uma boa opção.

— Não sabia que você era tão tímido — Naruto riu, mas seguiu a sugestão dele. Sabia que discutir com o garoto sobre aquilo não daria em nada.

Alguns minutos depois eles finalmente terminaram. Mal conseguiram se enxugar, vestiram apenas a parte inferior das roupas visto que as camisas foram destruídas.

— Sasuke — Naruto chamou — Eu… estou me sentindo um pouco estranho.

— Por que você inventou de rasgar nossas roupas e agora estamos grudados e seminus?

— Não. Eu estou com calor.

— O que? — Sasuke virou-se para encará-lo — Mas você acabou de tomar banho!

— Por isso que é estranho! — Naruto exclamou — Mas é diferente de quando está muito quente e a gente simplesmente liga o ventilador e passa. Eu não sei explicar… parece que está calor dentro de mim.

— Eu não sei o que dizer sobre isso. Talvez você esteja doente, ou com febre. Já se sentiu assim antes?

— Não, é a primeira vez — os olhos de Naruto esquadrinharam o corpo do garoto quase que involuntariamente.

— Ei, já mandei você parar de ficar me olhando desse jeito! — Sasuke recuou um passo, mas apenas esticou o braço de Naruto em sua direção — Você não está doente coisa nenhuma. Só está inventando desculpas para ficar me olhando com essa cara de pervertido.

— Não estou inventando! — Naruto se aproximou dele — Estou mesmo me sentindo estranho. E piora quando chego perto de você.

— Bem, então não chegue perto de mim.

— Como vou fazer isso? Estamos presos um ao outro, lembra? — Naruto ergueu a mão que estava presa à de Sasuke, gesticulando também com a outra. Acabou relando a mão livre em seu abdômen quando a abaixou, fazendo ele retesar o corpo — Hã… desculpa, foi sem querer.

— Naruto… por acabo você comeu aquele ramen com molho de ostras? — Sasuke desviou o olhar.

— Comi, eu te disse que estava faminto, lembra? — ele respondeu, sem entender o que isso tinha a ver com a situação atual — Ah, mas preciso admitir que o curry que você fez estava mais gostoso.

— Seu idiota. Ostras são afrodisíacas. O Kakashi nos contou uma vez, estava naquele livro estúpido que ele sempre está lendo — Sasuke lembrou — Você já tinha comido alguma coisa com ostras antes?

— Não, nunca.

— Isso explica porque você está confuso — Sasuke suspirou — Você só está se sentindo assim por causa disso.

— O que eu faço para essa sensação passar? Está muito quente, Sasuke.

Sasuke passou a mão livre pelos cabelos molhados, sem saber o que responder. Sabia o que precisava ser feito, mas não podia contar para Naruto, não naquela situação. Não enquanto estavam literalmente presos um ao outro. Mas, por outro lado, se Naruto continuasse assim, poderia se tornar um enorme problema para ele.

— Eu não sei. Tente tomar outro banho gelado, talvez isso passe.

— Isso não vai funcionar, Sasuke. Eu disse que só piora quando chego perto de você, e não tem como eu tomar banho longe de você com nossas mãos presas assim — Naruto sentia a respiração acelerar. Avançou um passo na direção do garoto, que recuou por instinto, mas não adiantou. O espaço tinha acabado e Sasuke sentiu as costas se chocarem contra a parede fria do banheiro. Esticou a mão livre para empurrar Naruto para longe de si, mas o garoto foi mais rápido, esticando a mão quase ao mesmo tempo, prendendo-o contra a parede e inclinando o rosto para perto até beijá-lo.

Naruto mal podia acreditar que estava fazendo aquilo por vontade própria. Ele estava sempre brigando com Sasuke, competindo com ele em todo tipo de coisas, e agora lá estava ele, beijando seu amigo e rival. Já o tinha beijado antes, porém de forma acidental, então foi algo rápido. Decidiu aproveitar que Sasuke ainda não tinha recuado nem batido nele para experimentar o que mais dava para fazer além de beijar. Puxou de volta a mão livre que antes o encurralava contra a parede. Sasuke não quebrou o contato mesmo assim. Talvez estivesse em choque, talvez estivesse gostando, era difícil saber.

Segurou Sasuke pelo queixo em uma tentativa de aprofundar o beijo. Ainda era um pouco desajeitado, mas sentia que estava ficando bom nisso. Deslizou então a mão pelo corpo dele, segurando-o pelo ombro e descendo um pouco mais, tocando-lhe no tórax. Percebeu o quanto o coração do garoto estava acelerado, tanto ou mais do que o dele. Notou também como a pele dele era macia e gostosa de tocar. E o fato de ainda estar úmida devido ao banho recente parecia melhorar ainda mais aquela sensação. Quanto mais Naruto acariciava o corpo dele, mais queria continuar fazendo aquilo. Lamentou por um instante que nunca tivesse acontecido nenhum acidente que tivesse resultado nisso, mas estava contente em poder fazê-lo agora.

Por que continuava fazendo isso? Por que continuava beijando o garoto ao invés de empurrá-lo para longe? Naruto já tinha afastado a mão que o prendia contra a parede, Sasuke poderia afastá-lo de si, então por que se permitia continuar sendo beijando? Não, não era isso… na verdade ele estava correspondendo ao beijo. E já era a segunda vez que beijava Naruto naquele dia. Tinha beijado o garoto mais cedo quando pularam de uma cachoeira em uma tentativa fracassada de libertarem suas mãos, mas aquilo tinha sido um acidente. Mas era diferente dessa vez. Naruto tinha tomado a iniciativa de beija-lo e Sasuke simplesmente não conseguia afastar o garoto e si. Detestava admitir, mas tinha se acostumado a beijar Naruto. Já conhecia o gosto dele. Será que isso tinha alguma coisa a ver com aquela situação?

Não, sem chance. Beijá-lo era uma coisa, mas o arrepio que sentiu na espinha quando a mão de Naruto desceu um pouco mais, alisando seu abdômen era um claro sinal de que estavam indo longe demais. Ele tocou Naruto nas costas, pretendendo afastá-lo de si, e então lembrou que o garoto não estava usando camisa para que pudesse puxá-lo para longe. Subiu então a mão livre, arranhando Naruto inconscientemente devido às sensações até então desconhecidas que Naruto causava em seu corpo, até alcançar sua nuca. Por um instante cogitou abraça-lo e puxa-lo para mais e perto e depois sentiu-se idiota por desejar algo assim. Agarrou Naruto pelos cabelos e finalmente conseguiu puxar o garoto para longe de si.

— Por que fez isso? — Sasuke perguntou ofegante, limpando um filete de saliva do canto da boca com as costas da mão — Por que me beijou?

— Eu… — Naruto não sabia o que responder. Por que tinha feito isso? O que quer que estivesse causando aquele calor dentro dele tinha cessado, mas não podia dizer isso a Sasuke. O garoto pensaria que Naruto só o estava usando. Mas também sabia que não teria feito isso com outra pessoa além dele — Eu só… tive vontade.

— Teve vontade? — Sasuke repetiu amargo. Pelo jeito Naruto escolheu as palavras erradas — Então quer dizer que você sai beijando as pessoas por aí quando te dá vontade?

— Não, não foi isso que eu quis dizer! — Naruto exclamou, pensando em como explicar que não o estava usando, e sim o que sentia por ele. Embora nem Naruto soubesse nomear o que exatamente sentia pelo garoto — Eu não teria feito isso com outra pessoa. Tive vontade porque foi com você, Sasuke.

— Não tente inventar desculpas. Você teria feito isso com qualquer pessoa.

— Já disse que não! — Naruto repetiu — Por que está reclamando tanto? Não é como se fosse a primeira vez que isso acontece, você já me beijou antes…

— Eu não te beijei, foi você quem me beijou! Ou nós nos beijamos, eu não sei… enfim, foram acidentes — ele virou-se para encarar Naruto — Mas não foi um acidente dessa vez. E você fez mais do que apenas me beijar — o garoto acusou. Não tinha como Naruto negar. Se Sasuke não o tivesse afastado, não sabia o que mais poderia ter feito — Você só fez isso porque ficou todo animadinho por causa daquele molho de ostras afrodisíaco. Teria feito com qualquer um, apenas aconteceu de ser eu quem estava por perto.

— Ei, isso não é verdade! O que você acha que eu sou, um pervertido?

— Sim, é isso que eu acho. E acho também que você me deve uma camisa nova, já que rasgou a minha — caminhou a passos rápidos para fora do banheiro, arrastando Naruto junto. Andou aleatoriamente pela casa por alguns segundos até que encontrou o quarto — Toda essa confusão me deixou exausto, eu preciso dormir. Não queria ter que dividir a cama com você, mas…

— Não tem jeito, continuamos presos um ao outro — Naruto ergueu a mão que continuava grudada à do companheiro de time — Sei que a cama é pequena, mas acho que cabemos os dois aqui.

— É, não tem jeito mesmo — Sasuke suspirou derrotado.

A cama era menor do que parecia e eles precisavam ficar muito perto um do outro para que coubessem os dois ali. Sasuke deitou-se na ponta por “questões de segurança”. Aparentemente pensava que Naruto poderia ataca-lo durante a noite e seria difícil se livrar dele se dormisse no canto. Naruto não podia culpa-lo. Ainda estava tentando entender o que tinha acontecido com ele para beijar Sasuke tão de repente. Talvez fosse efeito do molho de ostra, como o próprio Sasuke falou, mas Naruto achava que havia algo mais do que isso. Mas que droga, por que era tão lento para entender as coisas?

Lembrou-se das outras vezes em que o beijou por acidente. Foi constrangedor, mas não foi ruim. E o que tinha feito hoje estava longe de ter sido desconfortável. Pelo contrário, Naruto tinha gostado bastante da experiência. Mas estava pensando apenas em si mesmo. Não sabia como Sasuke se sentia em relação a isso.

— Desculpa — Naruto murmurou — Por ter te beijado sem pedir primeiro.

— Deixa pra lá. Mas vou te dar o troco quando nossas mãos estiverem livres, não se esqueça disso — Sasuke virou para o canto.

Naruto odiava quando ele dizia isso.



~~~~~X~~~~~X~~~~~



O dia seguinte não foi muito melhor. Para começar, Naruto estava abraçando o garoto quando acordaram. A mão de Naruto, que continuava presa à de Sasuke, o envolvia pelo peito desnudo, visto que ambos continuavam sem camisa desde ontem. Não que Naruto se importasse em emprestar uma roupa para ele, mas simplesmente não conseguiriam vestir nada com as mãos grudadas daquele jeito.

Demorou um bom tempo para convencer Sasuke de que não tinha feito aquilo de propósito. E então passaram para o segundo problema do dia: Como comparecer ao treinamento diário naquelas condições. Duvidavam muito que conseguiriam fazer alguma coisa, pois não conseguiam usar os sinais de mãos. E a ideia de andar pela vila seminus e presos um ao outro também não era muito convidativa. Decidiram encarar o desafio e foram mesmo assim, atraindo vários olhares curiosos.

Assim como imaginaram, não adiantava de nada participar do treinamento naquelas condições. Não conseguiam moldar o chakra, nem fazer sinais de mãos. A falta de sincronia em seus movimentos atrapalhava até mesmo a mira dos dois quando lançavam Kunais e Shurikens. E a tensão entre eles estava maior do que de costume devido ao ocorrido na noite passada. Por fim, Kakashi decidiu liberá-los mais cedo naquele dia e suspendeu os treinos até que Naruto e Sasuke voltassem ao normal.

Por um lado aquilo era um alívio, não precisariam andar pela rua daquele jeito na frente de outras pessoas. Mas por outro significava que teriam que passar mais tempo a sós. Coisas simples do dia a dia agora se provavam tarefas impossíveis e constrangedoras demais para serem realizadas. Se um deles queria ir ao banheiro o outro precisava ir junto; se estavam com fome precisavam colaborar para fazer a comida, pois Naruto não sabia cozinhar, mas Sasuke também não sabia onde ficavam os talheres e panelas da casa. Ele deu um jeito de se livrar do resto do ramen com molho de ostra que tinha sobrado. Felizmente ainda tinha curry.

Não conversaram muito durante o resto do dia, ambos tentando evitar mencionar o incidente de ontem. O problema maior foi quando anoiteceu e eles precisaram tomar banho de novo. Adiaram isso até o último instante, deixando para se banhar antes de irem dormir. Na verdade ainda tinham dúvidas se precisavam mesmo fazer isso. Mas era ridículo ficar evitando. Se Naruto quisesse fazer alguma coisa com Sasuke, já teria feito há muito tempo, eles passaram o dia inteiro literalmente grudados um no outro. Então decidiram encarar o desafio.

— Ainda não acredito que você jogou meu ramen fora — Naruto reclamou pelo que devia ser a quinta vez. Falava sobre coisas aleatórias em uma tentativa de desviar a atenção do momento constrangedor que estavam vivenciando. Tomar banho juntos novamente depois do incidente do dia anterior não seria uma tarefa fácil.

— Pela última vez, não queria correr o risco de acontecer a mesma coisa de ontem.

— Mas eu comprei aquele ramen na promoção…

— Supera isso, Naruto. Supera! — Sasuke exclamou cansado. Até entendia o que o garoto estava tentando amenizar a situação em que se encontravam, mas só estava conseguindo irritá-lo — Não ouse me tocar de novo, ouviu bem? — ele avisou enquanto se despia — Ou corto seu braço fora para me livrar de você de uma vez.

— Já disse que não vou fazer aquilo de novo! — Naruto repetiu pela terceira vez desde que entraram no banheiro — Anda, vamos acabar logo com isso.

Sasuke tomou banho primeiro dessa vez, evitando ao máximo mover o braço que estava preso ao de Naruto. Encarou o garoto de soslaio e viu que Naruto não o estava espiando dessa vez. Tinha virado o rosto para o outro lado e estava anormalmente quieto. Talvez fosse o peso da culpa. Ou talvez Naruto já tivesse visto bem mais do que devia, por isso não precisava olhar de novo. E quando se deu conta, percebeu que era ele quem estava espiando Naruto dessa vez. Sentiu o rosto queimar ao perceber isso e desviou o olhar. Por que raios estava espiando Naruto? Bem, não importa. Naruto o tinha espiado primeiro, então Sasuke tinha o direito de fazer o mesmo com ele, mesmo sem saber o porquê dessa vontade súbita.

Ele trocou de lugar com Naruto no chuveiro, que dessa vez realmente não fez nada além de se banhar. Naruto encarou-o uma ou duas vezes, mas apenas o rosto, como se quisesse se certificar de que estava tudo bem com Sasuke. Felizmente não tinha percebido que tinha sido espiado também.

Demoraram mais do que de costume para conseguir se vestir usando apenas uma das mãos, ainda que só pudessem colocar a parte inferior da roupa na situação em que estavam.

Era curioso o modo como estavam vivendo agora. Na noite anterior Sasuke ficou desconfortável por ser obrigado a passar o dia inteiro sem camisa enquanto estava preso a Naruto, até dormir com ele na mesma cama daquele jeito e vê-lo assim também. Agora parecia diferente. Ainda era desconcertante, mas tinha se acostumado. Do mesmo jeito que se acostumou a beijá-lo. A situação era sempre embaraçosa, mas aconteceu tantas vezes que ele simplesmente se acostumou a passar essa vergonha.

Também trocaram de lugar na cama quando foram dormir e Sasuke deitou no canto dessa vez. Ainda dizia que cortaria a mão de Naruto fora se ele fizesse alguma coisa, mas o garoto encarava isso como um sinal de que ele o havia perdoado pelo beijo roubado. Talvez tivesse até desistido daquela história de se vingar quando suas mãos se soltassem.

Até parece.



~~~~~X~~~~~X~~~~~



— Naruto… Naruto, acorda!

— Hm… eu não aguento mais comer…

— Acorda logo, idiota!

Naruto sentia seu corpo ser sacudido e abriu os olhos com certa relutância. Esfregou os olhos, demorando um pouco para entender o motivo da presença de Sasuke em sua cama. E então se lembrou do Jutsu que prendia sua mão à do garoto, impossibilitando-os de fazer qualquer coisa sozinhos.

— O que foi, Sasuke? Ainda não amanheceu — ele disse sonolento — Quer ir ao banheiro?

— Não, seu estúpido. Será que não percebeu?

— O que?

—Como acha que está coçando os olhos? — ele perguntou, sentando-se na cama e levantando uma das mãos. Naruto levantou a outra mão, agora totalmente desperto. Não estava mais preso ao garoto — Eu fiquei com sede e acordei. Quando vi já estávamos assim.

— Estamos livres — Naruto murmurou, encarando as duas mãos e movendo-as como bem desejasse — Estamos livres, Sasuke! — ele sentou-se também e abraçou Sasuke em um impulso de tanta alegria que sentia. Sentiu o corpo dele retesar e lembrou tardiamente que tinha prometido não fazer nada com ele de novo. Mas aquilo não contava, não é? Quer dizer, era apenas um abraço em um momento de felicidade. É claro que sentir a pele macia e quente do garoto contra a sua fazia com que Naruto tivesse outro tipo de pensamentos que eram difíceis de explicar, mas não era motivo para fazer um escândalo, era?

Provavelmente não era mesmo. Não quando ele sentiu as mãos de Sasuke deslizarem por suas costas, acariciando sua pele e subindo até chegar ao pescoço. Ele apoiou a cabeça no ombro de Naruto e sussurrou ao pé do ouvido:

— Ei, Naruto. Daquela vez que você me beijou… realmente foi apenas porque te deu vontade? Ou foi por causa do molho de ostra afrodisíaco?

— Acho que o molho de ostras deu um empurrãozinho para eu fazer uma coisa que queria há muito tempo — Naruto confessou — Eu tive vontade de te beijar, mas foi porque era você, Sasuke. Eu não teria feito isso com outra pessoa. Droga, eu detesto admitir isso, mas… parece que gosto de você.

— Era tudo que eu precisava ouvir — Sasuke desfez o abraço e empurrou Naruto de volta para a cama. Antes que pudesse perguntar o que raios ele estava fazendo, Sasuke deitou-se em cima dele, posicionando cada perna ao redor de Naruto. Encarou os olhos azuis surpresos por um instante, também surpreso consigo mesmo pelo que estava prestes a fazer. Mas não precisava mais se conter. Não depois do que Naruto disse. Inclinou o corpo na direção de Naruto até selar seus lábios com os dele.

Naruto ofegou, surpreso com as ações do garoto. Segurou os braços dele, na intenção de afastá-lo, mas não conseguiu fazê-lo. Em seguida apoiou as mãos em seu peito, ainda pretendendo empurrar Sasuke para longe, mas o contato direto com a pele sedosa do rapaz o impediu de fazer isso também. Quando se deu conta, já estava abraçando Sasuke de novo e correspondendo ao beijo ainda por cima.

Era curioso estar em cima de Naruto. Dava uma sensação de controle e poder que Sasuke tinha gostado bastante, não podia negar isso. Mas também precisava tomar a iniciativa em fazer uma das coisas que ele menos gostava: Falar sobre os sentimentos das pessoas. Mas Naruto não podia conversar agora, o que era ótimo. Naruto deixou escapar um gemido baixo quando Sasuke decidiu ousar um pouco mais e enfiou a língua em sua garganta. Não importava quantos beijos acidentais já teve com Naruto, aquilo era novidade. E ele estava torcendo para que tivesse feito direito.

Parecia ter acertado, visto que os gemidos que Naruto deixava escapar pareciam bastante prazerosos. Sasuke ainda não sabia fazer aquilo direito, apenas roçava a língua contra a de Naruto. Parecia estar se saindo bem. Sentiu Naruto deslizar as mãos por suas costas até abraça-lo com força pelo quadril. Isso sem falar que o contato entre seus corpos não estava ajudando em nada para manter a sanidade mental dos dois. O roçar ocasional de seu peito nu contra o de Naruto servia como estímulo para continuar. Ele podia sentir o coração disparado do garoto batendo contra o seu em perfeita sincronia.

Suas mãos não estavam mais grudadas uma a outra, então podiam se tocar com mais liberdade. Naruto percorria as costas do garoto com ambas as mãos, uma delas agarrando-o pelos cabelos negros enquanto a outra voltava a descer. Passou o dedo pela coluna de Sasuke o ouviu ofegar. Não sabia se aquilo era algum tipo de protesto ou se ele tinha gostado, apenas sentiu o garoto puxar seus cabelos com mais força.

E, para sua infelicidade, Sasuke quebrou o contato entre seus lábios. A respiração de ambos estava descompassada. Naruto pensou em perguntar se ele realmente não tinha gostado daquilo, mas Sasuke falou primeiro:

— Isso foi pelo beijo que você me roubou ontem.

— O que? — Naruto arregalou os olhos — O que você exatamente você fez então? Pegou de volta?

— Pode chamar assim se quiser.

— Não acredito que você fez isso só por causa de um beijo roubado — Naruto exclamou incrédulo, fazendo menção de se levantar — Então essa é a sua ideia de vingança?

— Não, não é — Sasuke o empurrou de volta para a cama — Não foi “só” um beijo roubado. O jeito como você agiu ontem… parecia estar me usando apenas para satisfazer os desejos do seu corpo — ele desviou o olhar. Assim com Naruto pensou, ele tinha chegado a conclusão errada e ficou magoado. Era difícil para Naruto explicar o que tinha acontecido naquela situação, mas devia ter se expressado melhor — Eu não sabia que você gostava de mim. Isso explica muita coisa.

— É, bom… eu disse que não teria feito aquelas coisas com outra pessoa que não fosse você, não disse? — Naruto lembrou, aliviado por Sasuke finalmente ter entendido o que aconteceu.

— Sim, você disse, e isso é ótimo. Mas não significa que não vou te dar o troco pelo que aconteceu.

— O que?! — Naruto exclamou pasmo — Mas você acabou de fazer isso!

— Não fiz não. Eu apenas “peguei o beijo de volta”, como você mesmo disse — Sasuke sorriu, aproximando seu rosto do de Naruto — E, sabe Naruto… eu sou muito vingativo — o sorriso dele se alargou, tornando-se maldoso. Se o que ele fez antes era apenas para “pegar de volta”, Naruto não podia imaginar o que ele poderia fazer para se vingar.

Teve que descobrir por conta própria. Pensou que Sasuke iria beijá-lo de novo quando ele se aproximou, mas o garoto desviou o rosto e mordeu o lóbulo de sua orelha, um pouco forte demais.

— E, só para constar… eu também te amo — Sasuke sussurrou no ouvido que tinha acabado de morder. Sentia o rosto queimar por admitir isso e se recusava a encarar Naruto enquanto estivesse corado daquele jeito — Por isso fiquei tão irritado ontem. E também foi por isso que fiquei tão desconfortável em ter que dormir com você, e tomar banho e todas aquelas outras coisas enquanto estávamos presos um ao outro, sem poder fazer nada. Mas acho que agora não faz mais diferença.

— Sasuke… — Naruto murmurou, mal acreditando no que o garoto dizia. Também estava frustrado em não poder fazer nada, mas tinha demorado para perceber o motivo. Parece que Sasuke foi mais rápido do que ele — Bem… podemos fazer o que quisermos agora — Naruto o abraçou, mas Sasuke desvencilhou-se dele, erguendo os dois braços do garoto acima da cabeça e o segurando com uma das mãos.

— Nada disso. Eu posso fazer o que quiser — Sasuke corrigiu — Eu disse que me vingaria de você, não disse?

Ele não deu tempo para Naruto responder. Voltou a beijar o garoto, que logo desistiu de protestar. Mordeu o lábio inferior de Naruto, arrancando-lhe um gemido, antes de adentrar sua boca com a língua. Não estava mais hesitante como minutos atrás. Agora conseguia até arrancar suspiros de Naruto enquanto enroscava sua língua com a dele. Parece que quanto mais se beijava, mais experiência se adquiria com isso, e Sasuke fez uma nota mental para fazer isso mais vezes.

Mas poderia fazer isso mais tarde, afinal, tinha outros planos para agora. Quebrou o contato entre eles e voltou a mordiscar sua orelha enquanto acariciava o peito de Naruto com a mão livre.

Desceu mais um pouco, agora chupando seu pescoço e distribuindo algumas mordidas ocasionais em sua pele. Naruto começou a notar que Sasuke gostava de morder, era maior parte das coisas que ele fazia. Qual era o nome que se dava para isso mesmo? Fetiche? Aquilo poderia se tornar um problema, seria difícil explicar se alguém visse.

Essa preocupação esvaiu-se de sua mente quando o garoto mordiscou seu pescoço novamente, chupando o mesmo local em seguida com mais intensidade do que das outras vezes, consequentemente fazendo com que ele gemesse mais alto também. Naruto se contorceu embaixo dele, sentindo o peito desnudo roçar contra o de Sasuke, tentando soltar os braços.

— Que droga, Sasuke… isso vai ficar marcado.

— Essa é a ideia — ele riu, passando a língua do pescoço até a clavícula para então morder a outra orelha, arrancando outro gemido do garoto.

— Agora entendi a sua ideia de vingança — Naruto murmurou, sentindo o atrito do abdômen do garoto contra o seu enquanto ele se mexia. Sasuke provavelmente estava fazendo de propósito — Me solta. Desse jeito eu não posso fazer nada.

— Não — ele negou, deslizando a mão até o tórax de Naruto — Você pode fazer isso depois se quiser, não me importo em revezar, mas hoje não — desceu a mão, acariciando o abdômen e voltando a subir, apenas para provocar Naruto — Além do mais, eu também estou usando apenas um braço. É como se ainda estivéssemos presos por aquele Jutsu.

— É como se você estivesse preso. Eu não posso usar nenhuma das mãos!

— Por isso se chama vingança — Sasuke explicou, voltando a beijá-lo.

Naquele dia Naruto aprendeu duas coisas: A primeira era que Sasuke era completamente imprevisível em todos os aspectos. Sentimentos, atitudes, na forma de pensar e até em gostos peculiares; E a segunda era que precisava ter muito cuidado sobre como deveria agir e falar quando estivesse diante dele. Uchihas eram mais vingativos do que ele pensava.

17 de Abril de 2019 a las 04:36 5 Reporte Insertar 125
Fin

Conoce al autor

Comenta algo

Publica!
Netuno Chase Netuno Chase
Aaaah quero mais, outra one mostrando a vingança do Narutoo
10 de Julio de 2019 a las 14:28

  • Steffanie Pinheiro Steffanie Pinheiro
    Oii! Que bom que gostou da história! <3 Eu escrevi uma segunda parte sim, está no meu perfil =) Kissus e obrigada pelo review *-* 10 de Julio de 2019 a las 16:32
minzinea a minzinea a
aaa
28 de Abril de 2019 a las 16:34

~