Quebrando correntes invisíveis Seguir historia

linest LiNest

Hinata Hyuuga teve vários papeis na vida. Herdeira do clã. Esposa do Hokage. Mãe. Dessa vez ela só vai tentar ser Hinata.


Fanfiction Anime/Manga No para niños menores de 13.

#Pov-da-personagem-feminina #traição #divórcio #kibahina #naruhina #Hinata-X-Naruto #Hinata-X-Kiba #naruto-x-sasuke #narusasu #naruto
Cuento corto
15
5.2mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Protocolos

♤Notas iniciais♤


Essa fic foi escrita como presente para a minha esposa linda, Emily, que não merece nada mais do que o melhor que posso dar.


Avisos: abuso verbal implícito, negligência parental e traição. As opiniões dos personagens não refletem as minhas.


Lembrando que ninguém nessa fic é totalmente culpado, mas o pov é da Hinata e ela tá no direito dela de estar puta. Also recomendo escutarem Thank You, next da Ariana Grande e Without me da Halsey, que influenciaram bastante essa fic.


Tenham uma boa leitura


Arte da capa: @minzoku_1



§§§§§§§§§§×§§§§§§§§§§



Na longa linha de poderosos Hokages de Konoha, vários permaneceram solteiros e quatro tiveram esposas e filhos (e amantes), a crença popular sendo que todos foram felizes - embora às vezes a vida fosse curta. Na longa linha de Hokages de Konoha, ninguém jamais se divorciou.


Até Naruto Uzumaki.


O ninja número um quando se fala sobre imprevisibilidade, Hinata pensa amargamente.



***



"Eu tenho duas metas." Naruto diz em seu primeiro encontro, com dois dedos esticados em v na frente de seu rosto para dar ênfase. Hinata havia ficado aturdida, assustada com o fato de que aquilo estava realmente acontecendo, que a guerra havia acabado e que o céu era mais uma vez azul, que ela estava sentada em uma loja de ramen com o homem dos seus sonhos. “Me tornar Hokage e trazer aquele bastardo Uchiha de volta. Um já foi, falta o último."


O sorriso dele era brilhante, desarmante e perigoso. Ela deveria ter visto o brilho nos olhos azuis pelo o que era: um sinal vermelho. Mas a voz de Naruto continuou, como o canto de uma sereia: "E agora eu estou em um encontro com a garota mais linda de Konoha!", declarou ele, e o elogio simples transformou o rosto de Hinata em um tomate, seus olhos brancos mirando no seu prato de ramen com timidez.


Ela foi tão ingênua.




***



Hinata foi uma boa kunoichi. Não ótima, como Sakura, ou resiliente, como Ino, ou temível, como Tenten, mas ainda assim boa. Capaz. Fazendo valer o salário dela.


E um mundo em paz não precisa de boas kunoichis. Aquele novo mundo precisa de médicos, professores, lojistas e, sim, donas de casa. Então Hinata se permitiu preencher essa lacuna, se afastar da vida como a kunoichi que se dedicou tanto para ser - deixou de lado a vida de um soldado que resistiu à uma grande guerra ninja ao lado de alguns dos maiores shinobis do mundo, que se levantaram para proteger seu futuro marido de uma força maníaca e vilanesca - e agora ela era uma kunoichi aposentada e fora de serviço.


Mas mesmo um mundo em paz ainda tem seus soldados; ainda há boas kunoichis nas forças de segurança de Konoha e, sim, Hinata poderia ser uma delas, mas o Hokage precisa de um lugar para voltar, precisa de alguém para criar seus filhos, e Hinata é muitas coisas, mas ela não é desleal. Alguns dias esse traço de sua personalidade é mais uma maldição do que uma bênção, porque se Naruto acha que a domesticidade é o suficiente para ela, então ele não a conhece. Satisfação está longe de ser o que ela sente, a verdade feia sendo algo que Hinata aprendeu a guardar por detrás do seu sorriso anos atrás.



***



A primeira vez que Sasuke deixou a aldeia foi logo depois de Naruto receber o chapéu de Hokage. Na época, Hinata mal prestou atenção. Ela sabia que ele estava saindo, orbitalmente, do jeito que um civil reconheceria o acontecimento através das notícias que viajam rápido entre os shinobi, especialmente quando ela está ostensivamente namorando o melhor amigo de Sasuke. Eles nunca haviam sido próximos, nem nunca tiveram um bom motivo para interagir um com o outro, então ela não se incomodou com a partida dele.


Quando Sasuke parte pela quarta vez, Hinata presta mais atenção. Naruto lida com o acontecimento com mais pesar, abraçando a partida do homem taciturno como se fosse uma falha pessoal - é o que ele faz sempre que Sasuke se vai, geralmente depois de apenas uma noite ou duas na aldeia, mas o impacto é menor na maioria das vezes. Não dessa. Os ombros de Naruto se inclinam, seus sorrisos se tornam forçados e sua atenção sempre voa um pouco longe demais.


As pequenas pistas acabam se tornando impossíveis de serem ignoradas. Seu papel, ela imagina, é colocar uma tampa na tristeza de seu marido, para equilibrar o desespero dele com a devoção dela. Então Hinata mantém um vaso de flores frescas sobre a mesa no corredor da entrada e aprende a fazer o missô perfeito.


E ela fica grávida.

E ela fica grávida pela segunda vez.


Então tudo parece se encaixar por um tempo e Naruto sorri com orgulho infantil.





Mas nada que é bom realmente dura, de qualquer maneira.




***



Ela vê o fim deles acontecendo em flashes, em etapas. É raro que ela esteja por perto para observar a maneira peculiar com que Sasuke e Naruto interagem ao redor um do outro, mas quando ela vai até a torre do Hokage para levar o almoço para Naruto em uma manhã ensolarada, ela finalmente entende.


Não é nada tão óbvio, mas Hinata sempre teve olhos e sentidos afiados quando se trata de Naruto, então ela vê: o olhar de Naruto permanece em Sasuke por um milissegundo longo demais; a mão de Naruto na parte baixa das costas de Sasuke, o polegar de Sasuke correndo distraidamente ao longo do pescoço de Naruto. A falta de contenção é surpreendente ao mesmo tempo em que não é, não realmente.


Ela se pergunta, voltando para casa, se eles acham que ela é cega, ou se eles acham que estão sendo sutis, ou se eles acham que não há nada errado com isso.


Ou se, simplesmente, eles não se importam.




***



Hinata o amou uma vez, ela lembra, e em algum nível, a seu próprio modo, ele deve tê-la amado também.


As coisas são complicadas, forjadas sem cuidado prévio, com o dever e a política se misturando e moldando um pano de fundo de um casamento conveniente. Naruto é obrigado por dever à sua aldeia, é um dever que ele carrega consigo, tão profundamente e imutável quanto as velhas cicatrizes que nunca curam. E Hinata entende, talvez sempre o tenha, que nada além de uma assinatura em um papel amarelado o ligava ao seu casamento. Nem mesmo, Hinata considera com o coração cansado, seus próprios filhos fazem a diferença.


Por isso surpreende-a que Naruto, pelo menos, tenha a decência de ser aquele que prepara toda a papelada e a aborda pessoalmente. Ela teve um breve lampejo de preocupação de que, como com a maioria dos assuntos relativos à sua vida, ele jogaria o fardo para Shikamaru.


Hinata não tem certeza se o homem loiro está aqui por respeito ou dever. Ela não tem certeza qual opção é pior.


"Sinto muito" Naruto diz a ela, colocando o peso dos papéis em suas mãos estendidas. "Desculpe por ter deixado chegar a esse ponto."


Ele parece culpado e miserável, desamparado diante da tristeza. Isso não é algo que a faz se sentir melhor, vendo-o no limiar da casa que era deles, o lar que ela lutou desesperadamente para tornar um santuário para o menino que nunca pareceu ter um lugar naquela aldeia, que sempre pareceu feliz de um jeito estranho e distante, isolado deles mesmo quando presente fisicamente. A verdade é que aquela casa nunca foi, para Naruto, o que Hinata sonhou e tentou criar, ela chegou tarde demais.


Hinata entende, pois lealdade era uma falha dela também.


E a coisa mais triste de toda aquela situação é que eles não podem voltar no tempo e evitar cometer tais erros. Ao invés de facilitar a vida adulta, todos apenas se jogaram de cabeça esperando que fosse ficar tudo bem, que daria certo porque tanta coisa já tinha dado errado. Foi um acordo coletivo, todos eles seguiram o exemplo impulsivo de Naruto e tentaram conquistar a felicidade ignorando as minúcias menos prazerosas da realidade.


Eles cresceram, mas ainda eram um bando de criança estúpidas, de fato.


A casa está quieta quando Hinata finalmente se senta para ler o contrato de divórcio. As crianças, escondidas em suas camas, não pensam duas vezes sobre Naruto passar a noite em seu escritório agora - ela pensa em como não era justo da sua parte esperar que Naruto deixasse completamente de lado seu dever como líder não oficial do mundo shinobi por causa de sua família, mas nunca foi justo da parte dele se acomodar tão confortavelmente no papel de pai ausente.


Alguém sublinhou com caneta vermelha os lugares em que ela teria que assinar, como se ela fosse uma idiota, Hinata pensa com rancor, mas logo a raiva é apaziguada, talvez fosse apenas para agilizar o processo. A pilha de papéis está cheia de palavras, o tamanho da fonte é pequeno e a maior parte do conteúdo é burocrático. Muito bem então, Hinata respira fundo e limpa a mente como geralmente fazia ao ser mandada em alguma missão. Cláusulas que lhe dão dor de cabeça quando ela as lê é um inimigo pequeno para quem já enfrentou o fim do mundo.



Cláusula n° 1: O contrato de casamento entre o peticionário e o reclamado é encerrado.


Cláusula n° 5: O peticionário deve manter o direito de treinar seus filhos, ou atribuí-los a um mentor apropriado, professor ou instituição de ensino, como bem entender.


Cláusula n° 6: O reclamado deverá manter o direito de instruir seus filhos nas respectivas linhagens de sangue, ou atribuí-los a um mentor ou professor apropriado, caso eles sejam ativados na prole.


Cláusula n° 21: O reclamado não pode, sob nenhuma circunstância, revelar detalhes pessoais e opiniões sobre o que aconteceu na duração do contrato de casamento, com a intenção de difamar o Hokage em exercício.


Cláusula n° 53: O reclamado continuará a servir Konohagakure e seu Hokage fielmente e obedientemente.



É clínico, preciso. Não visava ferir, mas não permitia existir espaço para dúvidas. Ela não sabe para quem é o benefício de tal clareza, para ela ou Sasuke. A subseção intitulada descendência envia um frio vicioso em sua espinha, e ela se pergunta se isso é apenas o jargão legal típico de Shikamaru ou se é como Naruto pensa sobre seus filhos. Descendência. Ele tinha sido um furacão de emoções distorcida, a primeira vez que ela disse que estava grávida - excitação, culpa e preocupação, mas tanto amor e orgulho em seus gestos que quase rasgou o coração dela em dois. Nenhum deles se sentia pronto para ter as crianças, ninguém sabia como criar filhos neste mundo novo, apenas recentemente salvo da destruição total.


Agora Hinata sente o instinto de proteger seus filhos, cuidar deles, esconde-los da fealdade que permitiu penetrar em sua casa; sente como se uma kunai estivesse rasgando-a em cem pedaços. Seu corpo treme com isso e ela finalmente chora. Chora pela inocência deles que será arrancada de forma tão deselegante se ela deixar Naruto ir embora. Se ela deixar ele ficar também.




Houve um dia, uma tarde, antes de Naruto se tornar Hokage, onde eles fizeram um piquenique no topo da cabeça do Yondaime. Hinata ajudou Boruto a encontrar grandes rochas para colocar nas pontas do cobertor e impedir as rajadas do vento de Konoha de levá-lo, e ao fundo Himawari estava sentada nos ombros de Naruto, seus minúsculos pés chutando o peito de seu pai enquanto sua menininha ria com alegria feroz. As crianças tinham adormecido depois que eles almoçaram e Hinata e Naruto tiveram que carregar sua família por todo o caminho do monumento até sua casa. Tudo era fácil então, e Hinata derramou uma lágrima silenciosa após Naruto dormir ao seu lado, a felicidade sendo tanta que transbordava.


Agora Hinata soluça e pergunta para ninguém em que ponto eles foram de uma família para essa coisa fria e vazia?




***




Hiashi, compreensivelmente, não recebe as notícias muito bem. Os Hyuuga são um clã nobre, endurecidos pelas tradições, eles não se afastam de seus deveres e certamente não se divertem com o amor.


"Esta não é uma decisão minha." Hinata diz, porque apesar de suas dificuldades, sua solidão, exaustão e o desejo desesperado de fugir, é a verdade.


Hiashi franze a testa e Hinata olha para seu pai por um momento, com o cabelo grisalho, a coluna curva, rugas profundas. O orgulho Hyuuga que, apesar de tudo, não diminuiu muito desde que ela era uma menina.


"É infantil" diz ele, praticamente gritando na quietude do recinto. "Você não vai assinar esses papéis."


Seu pai não falou com ela assim desde que ela era uma garotinha, petrificada diante da sua voz estrondosa, o tom de comando enquanto a repreendia. Ele raramente gritava, acreditando ser um ato abaixo dele, uma falha mostrar uma demonstração de emoção tão desenfreada diante de seus filhos. Ele achava que isso fosse uma medida disciplinar adequada, e Hinata temia estar na extremidade receptora da raiva e tristeza que o homem taciturno não podia mais esconder com seu habitual desinteresse frio. E ela sabe o que isso significa, quando seu olhar severo mira nela. Esta é outra falha da sua parte. Hyuuga Hinata não poderia nem mesmo ser uma boa esposa para o Hokage.


Hanabi é simpática, pelo menos. Sua irmã lhe entrega uma xícara de chá sem palavras assim que Hiashi a dispensou com um gesto de desprezo.


"Você vai assiná-los de qualquer maneira, não é?" Hanabi pergunta. Hinata focaliza seu olhar no chá, as poucas folhas espalhadas no fundo da xícara. "Você sabe o que vai fazer depois?"


“Ele está sendo generoso. Eu fico com a casa.”


Hanabi cantarola: "E as crianças?"


"Custódia dividida"


"Você vai voltar a trabalhar?"


Hinata não responde. Ela não tinha pensado tão longe. Trabalho, diz Hanabi, como se Hinata apenas fosse acordar no próximo dia para começar a aceitar missões do seu ex-marido. É ridículo, mas não é uma ideia ruim, talvez ela pergunte para Shino se eles precisam de assistência na Academia.


Não seria a pior coisa do mundo, ela imagina, se sentir útil novamente.




***



Kiba é o único do grupo deles que nunca se casou. Ele continua afiado, insistindo para ser colocado em missão após a missão, a maioria de classificação S, e Hinata admira isso - que ele nunca forçou seu espírito inquieto a se encaixar em uma caixa, como muitos deles fizeram depois da guerra.


"Coisas como esposa e crianças não estão nos meus planos." ele admite quando ela dá voz às dúvidas de todos, quebrando uma castanha entre os dentes afiados e cuspindo a casca.

Eles estão sentados na margem do rio, está anoitecendo e a maioria das pessoas já foi para casa, mas as crianças estão com seus respectivos amigos, então Hinata não tem pressa de ir para uma casa vazia e cozinhar o jantar.


Hinata respira fundo: "É uma grande decisão, Kiba-kun. Te admiro por isso."


Depois da guerra, as pessoas estavam em frenesi. Eles sentiram imediatamente, instintivamente, que o único caminho possível para a mudança era trazer crianças ao mundo. Ou essa era só a desculpa mais fácil.


Kiba sorriu divertido, ele tem esse brilho em seus olhos como se estivesse prestes a dizer algo atrevido: "Bem, nem todos temos tanta sorte como você, Hina. Tendo agarrado a chance com o nosso amado Hokage-sama."


Hinata não responde a princípio, acostumada com a ousadia e rudez de Kiba, seu total desrespeito pelas convenções sociais que ditam os tópicos que ele deve e não deve discutir com sua ex-companheira de equipe. Dando de ombros, ela elabora:


"Talvez seja por isso que ele esteja pedindo o divórcio."


Kiba quase engasga com sua castanha e a reação faz com que ela sorria, apesar de tudo.


"Merda. Eu sinto muito, Hina, sobre você e Naruto." Kiba diz após alguns minutos em um silêncio que seria estranho se eles não fossem, bem, eles.


Hinata sorri, achando tal condolência banal, acostumada com uma amargura que se construiu dentro dela por doze anos, o sentimento já uma amiga. Não há nada mais que ela possa dizer que não seja uma admissão sincera de seus triunfos e fracassos.


"Minha família..." ela começa, e Kiba está olhando para ela do jeito que ele fez em sua primeira missão como chuunin - aterrorizado, preocupado, esperançoso; e Hinata pensa em linhagens e maldições. Ela não termina a frase e, em vez disso, deixa que o moreno coloque um braço forte sobre os seus ombros, permite que seu corpo se incline, muito ligeiramente, ao toque dele.


"Isso acontece" Kiba sussurra em seu cabelo, o tom cheio de solidariedade amigável. Hinata se encontra acreditando nele e sente o aperto em seu coração aliviar um pouco.



***



Quando Naruto se muda com Sasuke, toda a vila finge não notar. O Hokage mal passou algum tempo em casa, de qualquer maneira, com todos os seus planos ambiciosos como Nanadaime tornando compreensível ele acampar em seu escritório. Mas agora era menos fácil jogar a responsabilidade no titulo de salvador do mundo.


Ela reconhece as expressões das pessoas quando olham para ela enquanto anda pela rua, reconhece o julgamento como uma lâmina que finca profundamente em sua garganta, a dificuldade de respirar um hábito desde quando ela era uma pirralha tremula e gaguejante. É uma pena. Aquela pobre garota Hyuuga. Ela tem quase quarenta anos e ainda é a maldita pobre garota Hyuuga!




Depois do anúncio da separação, Hinata escuta que Naruto faz um esforço para voltar para o apartamento que divide com Sasuke todas as noites, para estar presente, e Hinata o odeia por isso. O odeia tanto que o ácido em seu estômago ameaça subir seu esofago. O odeia quando percebe que seu próprio filho não poderia fazê-lo voltar para casa, mas o Uchiha sim. Sempre vai. Talvez até mesmo odeie, mesmo que com menos fervor, o fato que Sasuke só volta a morar em Konoha graças a Naruto.


Todos estão ocupados demais para falar sobre isso, ou são leais demais ao Hokage para fofocar sobre ele, mas a verdade é que todos sabiam que isso era inevitável e que ninguém deveria se surpreender se um dia Naruto abandonasse a aldeia para seguir Sasuke, mais uma vez. Sussurros sobre pólos opostos e leis da atração. Sóis e luas. Indra e Ashura.


Hinata está cansada disso.




***




Boruto começa a dormir no apartamento de Naruto e Sasuke e Hinata tenta não deixar isso a afetar. Sasuke concordou em treiná-lo antes que o divórcio deles fosse uma possibilidade - e ao menos agora Boruto pode fazer com que seu pai o note de vez em quando, então Hinata consegue buscar dentro de si paz suficiente para lidar bem com a decisão do seu filho.


Quando Himawari começa a perguntar se ela pode ir também, Hinata concorda, mesmo que tudo dentro dela grite para dizer não. Naruto levou tudo dela sem que nenhum deles percebesse. Ele levou sua juventude. Ele tomou sua independência. E agora ele está levando seus filhos.




Ela sabia que existia uma complexidade por trás do exterior descarado e barulhento do loiro quando se casou com ele, Naruto era o jinchuuriki da aldeia, um órfão, então ela imaginou que havia muitos segredos nas profundezas daqueles olhos azuis que ele nunca lhe revelaria, mas Hinata nunca esperou que Naruto fosse tão ruim na paternidade. Ela nunca esperou perder o sono se perguntando se seus filhos se sentiam amados, do jeito que ela nunca se sentiu. Do jeito que Naruto nunca se sentiu.


Houve vezes em que ela quase implorou para ele apenas abraçar Boruto. Tempos em que ela queria fazer com que seu marido visse a correlação entre a atitude rebelde do seu primogênito e os poucos minutos que Naruto encontrava para cumprir seu papel como pai, a língua que nunca aprendeu a ser afiada coçando para jogar na cara de seu marido todos os seus defeitos para que, talvez assim, ele pudesse ver o que estava fazendo com a família deles toda vez que escolhia trabalhar até mais tarde quando não precisava.




Agora, Hinata apenas espera, pelo bem de Boruto e de Himawari, que Naruto saiba o que está fazendo ao desistir da sua família.




***



Ino faz um arranjo de flores de amendoeira para ela.


“Para desejar esperança no futuro." a amiga explica enquanto Hinata ajeita as delicadas flores no vaso da mesa no corredor de entrada. "Agora, vamos ficar bêbadas."


Elas acabam no mesmo bar onde foi a sua festa de despedida de solteira e Hinata finge não notar. Ino impiedosamente pede uma bandeja de goles de saquê para as duas, sorrindo diante da apreensão da morena porque a loira sabe muito bem que a tolerância ao álcool de Hinata não é das mais fortes. Mas ela não protesta quando cinco copos da bebida são colocados na sua frente, não achando forças suficientes em si para fingir se importar.


No primeiro gole, Hinata se pergunta o que as pessoas vão pensar quando virem a esposa recém-largada do Hokage sentada em um bar barato, mas Hinata percebe que os olhares aqui são menos perceptíveis e ela acha que talvez tenha migrado para a categoria de produtos danificados, e é por isso que ninguém se importa mais.


"Esta é a minha vida agora?" Hinata pergunta e Ino lhe dá um tapa gentil no braço.


"Vai ficar tudo bem" a florista responde. "Você é forte."


Hinata não sabe quando aquela palavra se tornou um substituto para amada.




***




Talvez seja por isso que Hinata se encontra na porta de Kiba, depois. O Inuzuka parece chocado ao vê-la ali naquela hora, mas ela não sente a necessidade de explicar para o ex-companheiro de equipe que as crianças estão com o pai e o seu parceiro enquanto ela o puxa pelo pescoço para juntar seus lábios.




***




Quando Hinata sai de casa para comprar mantimentos na manhã seguinte, ignorando o pulso de dor em sua cabeça e a sensação dormente em seus quadris ao se mover, ela vê Sakura.


Sakura sabia de toda a situação - claro que ela sabia. Ela está bem no meio da tempestade assim como Hinata, no fundo das trincheiras bagunçadas que os quatro fizeram de suas vidas pessoais, mas não igualmente afetada por quaisquer escolhas que os companheiros do Time 7 façam, porque essas são decisões que existem como se fossem suas próprias também. Sakura é parte de Naruto assim como Sasuke e por um longo tempo Hinata se ressentiu dela por isso.


Quando tudo desmorona, Sakura tenta ser, pelo menos, diplomática sobre seus laços com Naruto e Sasuke e sua amizade com Hinata - elas nunca foram próximas, não tendo trocado muitas palavras antes de Ino aparecer na vida da tímida Hyuuga, mas Sakura sempre foi gentil com ela, nunca perdendo a paciência com sua dificuldade em se relacionar com as pessoas; e Hinata sempre apreciou a franqueza de Haruno, uma mudança refrescante diante das mentiras açucaradas que Hinata aprendeu a reconhecer conforme crescia como filha do chefe do clã.


Então apesar da inveja, Hinata sente falta de Sakura mais do que sente de Naruto.


Sakura está parada na frente de uma caixa de maçãs, virando-as na mão, olhos parecendo não ver o que está em sua frente. Hinata apertou os lábios, ela conhece esse sentimento, possivelmente melhor do que ninguém. Essa sempre foi a realidade dela.


Em silêncio, Hinata se aproxima e para ao lado da mulher de cabelos rosados. Ela espera.


"Sinto muito sobre tudo" Sakura finalmente diz depois de escolher dez maçãs grandes e vermelhas, e parece que ela é uma diplomata, falando em nome dos dois homens em suad vidas. "Eu sei que é provavelmente uma situação confusa e difícil, mas você pode me chamar se precisar de alguma coisa, Hina-chan."


Hinata provavelmente não vai. A vida de Sakura é muito emaranhada com a de Sasuke e Naruto e seria estranho pedir qualquer coisa dela além de amabilidades casuais nas manhãs de mercearia.


Hinata ama Sakura, a respeita como uma kunoichi e uma mulher, e preza pela sua amizade, mas sendo uma estrangeira na dinâmica deles, ela nunca entenderá as complexidades do funcionamento interno do Time 7 assim como ela nunca compreendeu, ainda em seus anos de Academia, porque três crianças com graus de habilidade tão destoantes foram colocados na mesma equipe.


Naruto tão pouco pode colocar em palavras o que era o Time 7 nas poucas vezes que Hinata perguntou sobre sua infância. Ela suspeita que Sakura provavelmente não poderia, também - nem Sasuke ou Kakashi. Eles estão todos amarrados juntos em correntes invisiveis. Sarada e a pilha de papéis do divórcio na cômoda de Hinata são prova disso.




As duas se despedem e Hinata se encontra perdida em perguntas para as quais nunca encontraria respostas.


Ela não sabe o que teria feito se Naruto não estivesse em sua vida depois da guerra. Se pergunta se ela teria herdado o clã como sempre foi esperado, ou se aceitaria caso Kiba ou Shino pedissem a ela que carregasse o filho deles por causa de uma linhagem - se pergunta distante se ela teria coragem de casar com Neji pelo bem do nome Hyuuga. Parece ao mesmo tempo um ato íntimo e clínico demais para alguém como ela conseguir lidar, mesmo que hipoteticamente.



***



A última pessoa que ela espera ver à sua porta naquela noite é Sasuke Uchiha.


Ele parece digno, mais alto do que ela e envolto em uma capa de aparência cara que combina com o cabelo habilmente penteado, como sempre. Que filho da puta destruidor de lares hipócrita, insolente e estupidamente aristocrático, é o que Hinata pensa e quase permite que o sorriso de escárnio apareça em seu rosto.


Ela mataria por seus filhos. Ela poderia nivelar uma aldeia durante a noite por eles e nunca teria medo das consequência porque Hinata iria fazer o possível e impossível por Boruto e Himawari. Mas morrer como uma terrorista seria fácil comparado a enfrentar Sasuke.




"Estou convencido" Neji disse a ela, metade de uma vida atrás, "que uma vida inteira com Naruto não lhe traria nada além de solidão."


Na época, ela não tinha dado às suas palavras muita importância, uma vez que foram ditas antes do seu primo morrer e muito antes da chance dela passar uma vida inteira com Naruto existir - essa era uma época quando a fantasia flutuou em rosas e arco-íris ao redor de sua mente, quando Hinata podia descartar a preocupação do Hyuuga mais velho como Neji sendo apenas superprotetor. Mas agora ela compreende que é isso o que ele quis dizer, provavelmente.


Solidão, não porque Naruto ainda não é o mesmo garoto com um coração de ouro que lutou com unhas e dentes pela aceitação das pessoas, que fez as pessoas sentirem que elas importavam; o garoto que poderia encher qualquer lugar com luz e risos, que convencia tantos na beira do precipício que existia na vida algo que valeu a pena. Neji não disse isso para ela porque ele se importava um pouco demais, ele apenas sabia que Naruto já havia encontrado seu lugar ao lado de Sasuke, uma pessoa tão importante para ele que ficava acima de tudo e de todos, e Hinata nunca seria suficiente.




"Sasuke" ela cumprimenta com polidez, mas não faz nenhum movimento para convidá-lo para entrar. Há um momento em que nenhum dos dois diz nada - apenas olham um para o outro, avaliando.


"Eu não o mereço" é Sasuke quem finalmente quebra o silêncio pesado. É surpreendentemente sincero da parte dele, quase infantil. Autoconsciente, também, de uma forma que faz Hinata lembrar de seus anos gastos em missões prolongadas sozinha em busca da aprovação de um homem que há muito deixou de esperar qualquer resultado decente dela.


"Não" responde uniformemente, "Você não o merece."


Hinata sabe o que Sasuke significa para Naruto, e ela pode logicamente raciocinar que ele se esforçou muito em seu caminho para a redenção, mas ele está certo sobre isso e ela não está prestes a tentar convencê-lo do contrário. Ela duvida que o Uchiha espere isso dela, também.


"Mas eu quero dizer obrigado." Sasuke se curva após isso e Hinata aperta o punho com raiva. A coragem daquele homem, a pura arrogância.


Você está aqui para me agradecer ? Pelo o quê? Por roubar meu marido, por expor nossa família ao ostracismo, por colocar eu e meus filhos nessa posição, por...


De repente sua mente fica quieta e todas as acusações cessam, deixando para trás apenas uma exaustão avassaladora. Ela então percebe que talvez seja um mal entendido da sua parte, que Sasuke não está aqui para pedir sua permissão, ou perdão, porque seu marido nunca foi dela para começar; o lugar daquele homem no coração de Naruto há muito antecede o dela. Sasuke, quem sabe disso também, é ao menos gentil o bastante para não esfregar essa verdade na sua cara.


Com a garganta apertada, Hinata consegue responder: "Você não precisa."


"Ele te ama, você sabe." a voz de Sasuke hesita, vacilando na palavra ‘ama’, provavelmente querendo aderir o ‘também’ em sequência, mas ele pensa melhor e não piora o que já está desconfortavelmente ruim. Hinata não responde a isso e Sasuke continua, a voz mais firme. “Ele deseja que você seja feliz, mais do que tudo.”


Hinata sente o coração doer e desvia o olhar dos negros de Sasuke antes que ele veja as lágrimas que ela se nega a derramar em sua frente. O silêncio se estende por um minuto mais longo do que o necessário antes que Sasuke entenda que não existe mais nada a ser dito, se curvando mais uma vez antes de se afastar. Quando ele dá um passo para trás, a luz do poste de rua bate na sua clavícula e Hinata percebe o pingente em volta do seu pescoço; um anel, pendurado em uma corrente simples. Ela se pergunta se Sasuke leu o contrato de divórcio, se ele sabe sobre a cláusula 21.


O Nanadaime Hokage, em seu tempo casado com Hinata Hyuuga, passou incontáveis ​​noites quebrando seu juramento de fidelidade ao lado desse homem, então quão irônico é que seja da boca de Sasuke Uchiha que Hinata escuta que seu ex-marido a amou.


É uma gentileza desnecessária da parte do amante do homem que a abandonou, mas demonstrada de forma tão desajeitada que ela quase acha fofo.


Por um momento, ela considera dizer a ele que cuide de Naruto, só para não deixar que o mesmo vá embora tendo a última palavra, mas esse é um dever que Sasuke já aceitou como seu então ela diz, surpresa quando seus lábios se levantam ligeiramente em um sorriso triste:


“Nunca mais o deixe, seu desgraçado.”


"Você sabe que eu não vou" ele responde e some na noite.




***



Kiba estava certo, ela pensa, lembrando dos braços fortes ao redor da sua cintura nua. A paz fez de todos nós grandes hipócritas.



***



Depois do jantar, Hinata se arrasta para o andar de cima. A quinta escada do topo range como sempre, apesar da leveza do seu passo e a lâmpada no corredor continua queimada desde o mês passado, deixando seu caminho na escuridão; mas sendo uma shinobi e uma Hyuuga, Hinata está familiarizada com a cegueira momentânea e se movimenta com agilidade praticada.


Na privacidade do seu quarto, Hinata alisa os lençóis cuidadosamente dobrados da sua cama e se permite relembrar, um pouco carinhosamente, o desastre ambulante que Naruto é quando o assunto era tarefas domésticas. O shinobi mais poderoso do mundo moderno não conseguia passar roupa ou consertar uma pia com vazamento nem se fosse para salvar sua vida, nem mesmo seus clones de sombra podendo o resgastar nessas horas. Rindo com a nostalgia que a tormenta, ela vasculha a prateleira de cima de sua cômoda até encontrar a velha caneta-tinteiro de sua mãe e então se senta na mesa que Naruto havia comprado para quando precisasse trazer trabalho para casa - até então ele acreditava que nunca poderia negligenciar sua família, que seria diferente de Sarutobi. Sempre confiante que poderia fazer a diferença, sempre ignorando que era tão humano quanto eles.


Hinata faz riscos aleatórios em um pedaço de papel, testando a tinta. Satisfeita, ela puxa a papelada do divórcio. Há doze lugares em que ela precisa assinar e ela rabisca Hinata Hyuuga em cada linha.




***



Ele está colocando um saco grande de ração de cachorro na sua mochila quando ela abre a porta do seu apartamento. Akamaru, obedientemente deitado ao lado do dono ocupado, late alegremente quando a percebe e Kiba olha para cima envergonhado.


"Você sempre foi rápido em fazer as malas." ela observa, um sorriso tímido nos lábios.


Ele sorri de volta para ela, mas é cuidadoso: “É apenas um mês em Iwa. Não preciso de muita coisa, então é fácil deixar tudo pronto para partir.”


Hinata cantarola em resposta, se sentando em uma cadeira, o observando finalizar o que começou. Kiba provavelmente irá sair antes da primeira luz do dia.


"Venha comigo" ele pede após amarrar a última mochila, suas costas viradas para ela, a voz quase um sussurro.


A resposta correta para aquele pedido egoísta e juvenil seria: As crianças tem escola e eu tenho que fazer o almoço, e lembrar Boruto sobre sua lição de casa e levar Himawari para o optometrista. Além de que não estive em campo em quase uma década e isso vai contra, pelo menos, três cláusulas do meu divórcio e-


Mas o que ela responde é: "Tudo bem", e engole a culpa, abafando os pensamentos críticos sobre o quão inconsequente a ideia era, fugir com Kiba usando uma missão dada pelo Hogake como desculpa. Mas pela primeira vez em toda a sua vida, Hinata sente a verdadeira falta de peso nos seus ombros, a liberdade de quebrar o protocolo, de tomar uma decisão pelo puro prazer e bem dela mesma.


E quando Kiba lhe oferece sua mão, ela aceita e não olha para trás.



§§§§§§§§§§×§§§§§§§§§§



◇Notas Finais◇


Hinata é um mulherão da porra. Sim ou sim? Sério, eu lavei a alma ao escrever essa fic, aqui eu dei para a Hinata aquilo que tanto quis ver no canon, a conclusão que pra mim a personagem merecia. Admito que nunca me importei muito com a Hinata antes de ler Boruto e começar a pensar mais e mais sobre a personagem, ajudou que a Emily tenha escrito ela de forma tão cativante na sua fic SasuNaru chamada Retalhos, no final fiz um estudo de personagem femino como presente pra minha esposa empoderada - até porque nada além do melhor para a minha deusa ♡


E foi super divertido escrever a Hinata sem papas na língua, toda a critica sobre o mundo shinobi e Naruto e Sasuke foi natural de desenvolver no pov dela, embora me doa ver a atitude dos personagens como uma grande filha da putagem, sei que é algo humano, e quis mostrar que a Hinata, apesar do rancor justificado, entende NaruSasu porque ela também é humana; tentei mostrar isso equilibrando a Hinata com raiva e a Hinata sempre doce e gentil, não sei se consegui, mas ao menos no final ela também tem a chance de ser feliz. E Hinata Hyuuga mandado um foda-se pra sociedade e fugindo com o Kiba é o que merecemos, mas que o Kishimoto é covarde demais para nos dar.


Espero que tenham gostado.


Comentários e criticas construtivas são sempre bem vindos ♡

See ya~

7 de Abril de 2019 a las 01:44 13 Reporte Insertar 130
Fin

Conoce al autor

LiNest Meu nome é Aline, também conhecida como Linest e eu estou realmente feliz por poder compartilhar meu trabalho com tanta gente agora!!! Você só precisa saber 3 fatos sobre mim: Amo Angst. Sou Nerd. Sou Army.

Comenta algo

Publica!
P. C. Goodys P. C. Goodys
Caí de paraquedas nessa fic, e meu deus! Eu nunca tinha conseguido ver Hina e Kiba como um shipp do tipo OMG, mas vc conseguiu colocar isso na minha cabeça, acabou de me converter em #TeamKiba, Naruto? Qq eu tenho haver Fic 10/10, adorei a Hinata agridoce ♥
16 de Abril de 2019 a las 22:03

  • LiNest LiNest
    Sou uma mulher numa missão que é trazer mais gente pro #TeamKiba sim! E fico feliz de vc ter caído aqui de paraquedas e já ter gostado da minha fic, seja bem vinde ♡ muito obrigada por ler sweet ^-^ 17 de Abril de 2019 a las 14:29
Barthoviche Kyka Barthoviche Kyka
Por todas as Estrelas do GranCannion! Um POV da minha musa! Um final merecido! Ah, como eu odeio o sofrimento dela no mangá 'por uma família feliz'. Negócio é botar o Em o com o Crackento do loirinho, Hinata que viva o que merece por longos e felizes anos! É a primeira vez que vejo a sua escrita e já te amo 😘💕 Obrigada 🙌
14 de Abril de 2019 a las 15:42

  • LiNest LiNest
    Nada mais do que o que minha filha merece, escrever a Hinata sendo feliz é agora uma das minhas missões na vida! E muito obrigada por comentar sweet ♡ fico feliz que tenha gostado tanto :3 14 de Abril de 2019 a las 15:53
Emily C Souza Emily C Souza
[10/4 14:07] emily: O que dizer? Como fazer a alma voltar ao corpo? Como viver depois de ler algo tão incrivel, que, como sou sortuda pra caralho, foi feito pra mim? Estou sem palavras e sem fôlego, precisei de um tempo depois de ler, reler, e absorver tudo o que tem de maravilhoso e verdadeiro nessa história, e agora me sinto pronta pra, pelo menos tentar, colocar em palavras a magnitude dessa história. [10/4 14:16] emily: Primeiro, vamos falar de crescimento. Hinata começa como a girafa tímida e apaixonada pelo menino loiro, barulhento que sonha em ser Hokage, e então ela termina como uma mulher divorciada, com dois filhos, e um possível novo amor. Mas não é de amor que a história trata, ela trata de uma mulher que sonhou a vida inteira em casar, recebeu o glorioso título de esposa do Hokage, mas em troca recebeu a dura verdade jogada na cara: Naruto não a ama. Ele não ama como ela queria ser amada, no fundo ele tinha um carinho enorme e viu nela uma boa esposa para os filhos que ele se sentia obrigado a ter. No fim, Hinata era apenas a cortina que escondia o verdadeiro Naruto, até que chegou um ponto em que ele disse chega, e então ela estava sozinha, sem saber o que fazer, sem saber como as coisas ficaram assim, tendo de ver o ex marido ser o marido de verdade de outra pessoa, um marido que ela nunca teve. O que sobra depois disso? E é aqui que eu queria chegar, pq qnd o futuro que vc sonhou não é como deveria ser, vc se perde, vc não sabe o que fazer pq no fundo, nos nunca pensamos que aquilo poderia dar errado. A partir desse momento, Hinata tem que se redescobrir, agora ela não é mais a herdeira do clã, nem esposa do Hokage, e sua vida não se resume a ser mãe. Quem é Hinata? Nós não sabemos, muito menos ela. O final dessa história não poderia ser melhor pq, depois de tudo o que ela viveu, em doze anos, Hinata larga tudo em prol de se descobrir; longe da aldeia, longe dos filhos, do clã e do ex marido. Ela quer se descobrir e por isso ela vai com o Kiba, um ótimo companheiro para essa nova fase. [10/4 14:20] emily: E esse feminismo puro, lindamente contado, me arrepia. Quer um ato mais imponderado do que vc deixar tudo para trás, sem ter medo das represálias, para se descobrir? Se livrar de amarras, se soltar das correntes que te prendem, e viver? Vamos pensar mais nas kinoiches no mundo do Naruto: muitas delas estão presas em relacionamentos fracassados e problemáticos, muitas vezes como donas de casa ou um troféu de macho, vamos olhar para elas com a nossa desconstrução social e vamos dar a elas o final que elas merecem. Hinata quem deveria ter se divorciado assim que Naruto parou de ir para casa, ela quem deveria ter tomado as rédeas da vida dela, sendo mãe e mesmo assim sendo livre. Mas mesmo que no final quem tenha feito isso seja Naruto, que foi bem filho da puta, ela ainda conseguiu se reerguer e buscar a si mesma. [10/4 14:25] emily: Que mulher. Amor, eu adorei cada palavra. Esse final da Hinata é tão mais digno do que no Cannon, e vc escreveu de forma tão suave o desenvolvimento e crescimento dela... Eu nem tenho palavras, pra dizer a verdade. E eu gostei como vc desenvolveu SNS de acordo com a visão dela, pq ela está certa: ela nunca foi a verdadeira esposa dele, todos nós sabemos que o amor do Naruto é o Sasuke e que eles no Cannon são infelizes por estarem separados. Mas no fim, isso não justifica, pq o Naruto foi atrás dela, ele a pediu em casamento e ainda teve filhos, e até certo ponto, ele esteve presente. No fim, o Naruto montou o circo e a fez acreditar em um casamento que não existia. A Sakura tbm foi afetada, pq o Sasuke tbm a iludiu, então, mesmo a gente odiando esses casais, as mulheres são apenas vítimas, e nós temos que parar de vilanizar elas apenas pq elas "separaram" o nosso casal no Cannon. Elas merecem um desfecho digno. Obrigada por esse espetáculo de história. Estou muito grata. E eu amo você, sua mulherona da porra
10 de Abril de 2019 a las 12:29

  • Emily C Souza Emily C Souza
    o comentário tava bem grande e eu acabei perdendo, então eu mandei do meu cel pro da empresa, por isso tem essa data e meu nome amor 10 de Abril de 2019 a las 12:32
  • Emily C Souza Emily C Souza
    é eu esqueci de dizer; mas eu não sei se eu amo ou odeio O Sasuke, pq, pura merda, ir lá na casa da ex mulher do seu namorado (eu acho), é muita prepotencia e falta de nocao, mesmo que seja (na sua cabeca) por um motivo nobre. 10 de Abril de 2019 a las 12:34
  • Emily C Souza Emily C Souza
    eu ti muito impactada, serio, é vc achando que eu não ia gostar. Como se isso fosse possível 10 de Abril de 2019 a las 12:38
  • LiNest LiNest
    Ai amor to tão orgulhosa dessa fic que tu nem imagina, tipo ela foi minha forma de rever meu relacionamento com a Hinata, foi uma terapia tmb para os sentimentos conflituosos que tenho em relação com NaruHina e o final de Naruto; a verdade é que eles eram todos crianças perdidas após a guerra e, embora eu ache ridiculo todo mundo se casar e ter filho ao mesmo tempo, posso imaginar isso sendo o esperado após uma guerra que quase destruiu o mundo! Quis transmitir isso na fic, que todos pularam de cabeça em relações que apenas não eram as melhores para eles D: e bem, eu amo NaruSasu, mas esse é o POV da Hinata e não dá pra ela ficar de boas após o marido a abandonar pelo ex-inimigo jurado de Konoha né? Ainda assim tentei não fazer disso uma discussão eterna de quem é o culpado de quê aqui; e nossa, siiiim, Sasuke muito cara de pau ao ir na casa da Hinata, mesmo não querendo causar mal lol mas esse é o Sasuke que eu amo imaginar, estupidamente incosequente mesmo quando tenta ser legal kkkkkkkkk e quis mostrar que a Sakura foi afetada, mas ela, diferente da Hinata, meio que esperava isso, porque ela é parte do Time 7 sabe? Mesmo assim concordo contigo, a culpa não é delas pelas escolhas de outros! E Hinata dando o foda-se e resolvendo ir viver a vida um pouco com o Kiba é tudo que merecemos, ela ainda vai manter contato com os filhos, lógico, mas agora ela vai ser Hinata, obrigada, de nada kkkkkkkkkk E EU TO TÃO FELIZ QUE VC TENHA GOSTADO, como é uma fic focada na Hinata e tem um ship hetero, eu não tinha certeza se ia ser muito do teu agrado, mas como tu viu aqui, o meu foco era exclusivamente no empoderamento feminino, coisa que nós duas amamos, e como a deusa linda que tu é, achei que uma fic bem feminista era o presente ideal pra minha esposa ♡ to só muito satisfeita uwu Obrigada por comentar meu bem~ ♡ 10 de Abril de 2019 a las 22:36
Isa Isa
MEU DEUS DO CÉU, que hino de história é essa? Além de ser muito bem escrita, mostra o ponto de vista da Hinata de um jeito tão incrível que me deixou simplesmente sem ar. Que talento do caralho vc tem viu
6 de Abril de 2019 a las 22:13

  • LiNest LiNest
    Ai muito obrigada, já ia te avisar que repostei a fic porque, por algum fucking motivo, o Inkspired não salvou essa budega 😒 MAS AQUI ESTÁ MEU BB! E sim, nada além de empoderamento justo pra Hinata Hyuuga, ela merece. Muito obrigada por comentar uma segunda vez e não ter desistido da fic ♡ see ya sweet 6 de Abril de 2019 a las 22:18
Isa Isa
Gostei da sinopse mas... cadê a fic
6 de Abril de 2019 a las 21:38
Isa Isa
Gostei da sinopse mas... cadê a ficar?
6 de Abril de 2019 a las 21:38
~