My Mermaid? Seguir historia

ya-young1554031536 Ya Young

O que uma tormenta em mar aberto pode trazer ao Lee?


Fanfiction Anime/Manga No para niños menores de 13.

#yaoi #sereia #naruto #leegaa #gaalee
Cuento corto
0
3.6mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

One Shot

À noite no mar Galeon era a melhor obra de arte daqueles sete reinos, além da beleza de suas águas em degrade o céu se confundia com o mar, quantos mistérios não se esconde naquelas águas? Quantas criaturas são sustentadas por aquele imenso mar?

Rock Lee o marujo solitário que viaja por todos os reinos o maior explorador daquele infinito mar, passa seus dias entre comércios pequenos entre os reinos e uma exploração sem fim.

Lee navegava em direção a Evier sua cidade natal, falta apenas uma noite para entregar o pedido ao rei e suas adoráveis filhas, o oceano já lhe fazia falta mesmo antes de deixá-lo, cresceu vendo seu pai apaixonado pelos mistérios escondidos abaixo da superfície de Galeon.

A noite estrelada encobria a tempestade vinda do norte, seu pequeno barco foi atingido em cheio por uma forte tormenta, Lee manuseava sozinho as velas e nós, tentando mudar o timão para fugir daquela tormenta. Sua tentativa foi em vão seu barco foi atingido em cheio e acabou por virar a poucos quilômetros da costa de Evier.

– Acorde, acorde. - Lee abriu os olhos encontrando um par de olhos verde jade. – Esta bem? - a voz suave, cabelos compridos e em um tom que ele nunca viu, nem em todos os reinos banhados por Galeon, rosto de pele branca.

Com certeza ele tinha chego aos céus e estava diante de um anjo, Lee desceu os olhos notando o corpo desnudo a sua frente, Lee levantou num pulo retirando o casaco e cobrindo o corpo a sua frente ele estava tão ruborizado e um pouco zonzo que não notara que o ser é um homem.

– Esta melhor meu pequeno anjo? - o pequeno ser o olhou curioso. – Sou Rock Lee e você como se chama?

– Gaara.

Lee sorriu e meio sem jeito encarava a beleza de ser a sua frente, desviou os olhos notando estar em uma praia ao leste de Evier, estendeu a mão para Gaara mais não teve resposta.

– Eu te acompanho até sua moradia.

– Eu vou ficar mais um pouco aqui eu acabei me machucando depois daquela tormenta. - Gaara não mentia estava com a perna machucada, mas omitia o fato de como se machucou de verdade.

– Eu te levo até sua hospedaria, depois você chama um medico...

– Não sou de Evier e nem conheço ninguém lá, eu sou...

– Estava em um navio também? Venha para minha casa depois eu mesmo te levo ao seu reino, seja onde for.

Nada alem de um silencio entre os dois, Lee pegou o corpo machucado no colo, leve a moça era muito leve, caminhou pela praia até chegar as primeiras construções de Evier, por onde passasse os dois chamavam a atenção Lee por ser um herói solitário para algumas crianças que gostavam muito do rapaz e Gaara por sua beleza exótica e por estar sendo carregado nos braços do Rock Lee.

As crianças começaram a acompanhar os dois pela cidade, as moças sorriam e cochichavam à medida que Lee se aproximava, os rapazes o cumprimentaram, os mais velhos se orgulhavam dele.

– Chegamos. - disse parando em frente a uma casa pequena, Gaara dormia em seu colo. Ajeitou o pequeno corpo e abriu com pouca dificuldade a porta. – Seja bem vinda a minha casa. - sussurrou no ouvido de Gaara.

Subiu as escadas do pequeno sobrado, entrando em seu quarto e deitando o ser ali em sua cama, caminhou até o banheiro ligando a pequena banheira para encher, voltou ao quarto abrindo a janela, olhou o horizonte sua segunda casa brilhava recebendo os raios de sol. Virou-se olhando Gaara dormindo profundamente, pegou o corpo novamente e caminhou com ele até o pequeno banheiro, a água quente da banheira podia ajudar com os ferimentos.

Nem retirou o casaco não queria passar por pervertido diante da moça em sua banheira, saiu do banheiro e foi trocar de roupa enquanto tirava a camisa pode ouvir barulhos de algo se debatendo na água.

Gaara se debatia dentro daquela superfície lisa tentando sair a todo custo de dentro da água, já Lee ficou estático ao notar a enorme calda ligada ao corpo de Gaara, uma calda no mesmo tom vermelho dos longos cabelos da sereia a sua frente. Tantas lendas ouviu de seu pai sobre as criaturas misteriosas que habitam Galeon e uma está se debatendo em sua banheira.

– Calma eu te ajudo só fica calma, por favor. - Lee segurou a mão de Gaara o acalmando.

Respirou fundo pegando a enorme sereia em seu colo e a colocando em sua cama, Lee pegou uma camiseta e vestiu no ser encantado a sua frente, seu cérebro ainda processava todas aquelas novidades, nem em todos os seus sonhos no mar poderia encontrar um ser tão lindo que o encarava de volta com um semblante de medo.

– Não se preocupe eu não vou te machucar, vou busca uma pomada para o seu machucado e algo para comermos, você come só peixe?

Obteve um balançar de cabeça em confirmação, Lee saiu feliz para suas compras.

Gaara sentiu a dor de sua transformação, ele é novo com essas coisas só saiu de seu lar, pois se apaixonou por Lee, via sempre o rapaz navegando sozinho cantando musicas incompletas, ou apenas observando as estrelas quando o vento e o mar se acalmavam.

Dói aquilo machuca bastante ele tinha consciência disso, ouvira sobre transformações feitas por outras sereias e tritões, ele mesmo sabendo de como é desconfortável arriscou tudo para salvar seu amado que morreria afogado no mar que tanto conhecia que tanto amava.

Gaara não conseguia nem ouvir seus próprios pensamentos com toda aquela agitação em seu coração, respirou fundo tentando se manter de pé e caminhar para longe dali. Não era tão simples usar aquelas pernas sem uso, e muito ruins, o pequeno tritão só queria fugir, já salvará mesmo Lee não se iludiria com um romance de fadas.

Foi ao chão quando se levantou da cama, sangrava, ardia, queimava o machucado em suas novas pernas.

– Como podem gostar tanto destas coisas?

Gaara olhou pelo quarto do rapaz tentando achar algo que o ajudasse a se levantar, só conseguiu pensar no pano em cima de onde estava, virou o corpo tentando se agarrar ao seu alvo. Lee apareceu na hora o amparando, e o levantando do chão.

– Venha fique aqui, vou fazer algo pra comer depois te levo de volta ao mar. - o ruivo não entendeu o sentido daquilo, Lee não gostou de ver ele? Ou já tinha outro em seu coração?

A mistura de sentimentos dentro do ruivo não aguentou ficar só ali, Gaara puxou o corpo do mais velho com força sobre o seu, um beijo necessitado, ele se agarrava como podia ao corpo do outro. Lee se mantinha calmo tão calmo que perecia embriagado com toda aquela necessidade do corpo abaixo do seu.

– Calma vai acabar se machucando assim. – Lee disse ao se soltar, notou Gaara chorando, e um volume estranho roçando com o seu volume.

Levantou-se, olhando melhor o corpo deitado em sua cama, um garoto? Gaara é um sereio? Perguntas ele tinha muitas perguntas mais primeiro precisava tomar um ar.

– Fique aqui eu vou preparar algo para comemos, mas antes uma roupa para você. - Lee estendeu uma camisa.

Rock Lee fechou a porta atrás de si, sentando no chão do corredor e respirando fundo, sua sereia e um menino ruivo dos olhos cor de Jade, se levantou e foi pra cozinha, a fome já se instalava em seu estomago.

– Sereio? Sereia? O que você é meu pequeno anjo?

– Sou um tritão. - a voz doce e serena de Gaara ecoaram pela cozinha. – Não se preocupe comigo eu vou embora agora.

Lee não pensou duas vezes, segurou o rapaz juntando seus corpos, só de estar assim seu corpo se sentia bem, Lee não era o cara de pegar todas as garotas, ele se sentia vivo só com o seu mar, e Gaara o deixava assim notou isso no primeiro instante que seus olhos se encontraram.

– Eu ainda não entendi tudo, me deixe passar um tempo ao seu lado, não vou te machucar, só quero entender isso. - o ruivo se afundou em seu peito e um sorriso bobo se formou em seus lábios.

Após o jantar os dois dividiam a única cama que tinha naquela casa, Rock Lee segurava firme o corpo colado ao seu, a brisa vinda do mar refrescava o cômodo,

Gaara levantou um pouco a cabeça observando o corpo do outro sendo iluminado por uma lua cheia.

– Adeus, meu amado, que eu ainda possa te ver nas águas de Galeon. – disse acariciando o rosto sereno de seu amado. Gaara ia se levantar quando os olhos negros de Lee se abriram o encarando.

Rock Lee sentou na cama encaixando o corpo do menor a frente do seu, só o fato de ouvi-lo se despedir já causou uma tormenta em seus sentimentos novos, inalou o cheiro da nuca e mordeu apele branca do mais novo, Gaara sentiu o corpo se arrepiar.

As mãos firmes e fortes de Lee começaram a desabotoar os botões da camisa, exibindo mais daquela pele branca, a boca sugava, mordia e beijava aquele pequeno ser o marcando em tom vermelho.

Lee acariciou os fios compridos do cabelo ruivo, segurando firme e puxando para o lado dando aceso a boca de Gaara, um beijo calmo como o mar. Os corpos se unirão ainda mais, as mãos fortes de Lee percorrerão o corpo de Gaara descendo até seu anus, seu dedo brincava com a pequena entrada, excitando ambos os corpos.

– Seja meu para sempre, aqui e no mar? - foi a única coisa de Rock Lee disse, antes de afundar um dedo na intimidade do tritão.

Gaara só conseguiu se agarrar mais ao corpo do mais velho, sentindo o ardor e prazer em sua intimidade, tudo novo para o pequeno tritão apaixonado, mais um dedo e as unhas se afundarão no peito de Lee.

Lee empurrou o corpo do ruivo contra a macies do colchão, podia sentir a intimidade apertando seus dedos, queria senti seu membro dentro do mais novo, sem muita paciência foi se afundando em Gaara que segurava firme as cobertas e abafava o som de dor mordendo o tecido da camisa.

– Me perdoe por te machucar meu pequeno anjo. - sussurrou no ouvido do tritão.

Levantou os quadris de Gaara deixando ele de quatro na cama, retirou a camisa de sua boca, sussurrando novamente um “me deixe te ouvir”, começou com estocadas lentas para ambos se acostumarem a novidade, depois de um tempo já não se aguentava mais, a voz doce de Gaara ecoava por tudo lhe arrepiando o corpo e alma, sua voz saia rouca.

Os corpos suados e o cheiro de gozo no ar perderam as contas de quantas vezes fizeram durante a madrugada sem fim. Ao amanhecer do dia seguinte Rock Lee se surpreendeu em ver seu pequeno vestindo uma camisa no mesmo tom que seu cabelos, com os cabelos meio presos e solto formando um coque. Gaara tentava usar a cozinha, mas só havia bagunça para todo lado, Lee se encostou na parede admirando seu pequeno anjo, seu tritão, sua obra mais linda da natureza.

The End ❤

1 de Abril de 2019 a las 13:11 0 Reporte Insertar 0
Fin

Conoce al autor

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~