Três dias com o Sr. Arrogante Seguir historia

aoimoon Aoi Moon

Sasuke é um cantor que deseja apenas alguns dias como uma pessoa normal. Hinata, uma guia de turismo que apenas deseja livrar-se de um cliente problemático. Serão só 3 dias, mas quando uma celebridade está entediada, tudo pode acontecer!


Fanfiction Anime/Manga No para niños menores de 13.

#naruto #comédia #sasuhina #universoalternativo #258
3
643 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Primeiro Dia: Sexta Feira

"Sasuke kun, aishiteiruuuuu!"

O grito carregado de sotaque forte era uma das poucas coisas distinguíveis entre o coro de berros apaixonados da multidão de garotas que se espremia, tirava fotos, filmava, empurrava os seguranças e lotava o aeroporto internacional de Inchón em Seul.

Naquela manhã, havia chegado à Coréia ninguém menos que StarDust, a boyband mais famosa de toda a Ásia. Um grupo de altos e belos rapazes japoneses que estava fazendo muito sucesso dentro e fora de seu país, causando verdadeiros alvoroços por onde quer que passassem. Além dos atributos físicos, que foram decisivos para alcançarem os corações de milhares de fãs apaixonadas, os rapazes também eram extremamente habilidosos com os vocais e com a dança, apesar da pouca idade, entre 21 e 22 anos. A StarDust iria passar o fim de semana na Coréia do Sul para algumas entrevistas e um fanmeeting. Dariam autógrafos, tirariam fotos com as fãs e fariam uma pequena apresentação para o fã clube.

O caçula, Uzumaki Naruto, o era o carisma do grupo e um dos membros mais populares. Sempre rindo e contando piadas, o rapaz loiro de olhos azuis exalava simpatia. Sua personalidade enérgica dava o toque de despojamento ao StarDust. Com uma voz vibrante e aguda era um dos vocais principais e dava às músicas uma vitalidade sem igual.

O garoto de pele clara, olhos e cabelos densamente negros era Uchiha Sasuke. Dono de um ar misterioso e um senso de humor sarcástico. Entre as fãs era conhecido como o "príncipe" do grupo. Sua voz profunda e sedutora tinha um ar provocante que conquistava até mesmo as mulheres mais velhas.

O mais velho dos rapazes, Shimura Sai, era também o principal dançarino do grupo. Foi descoberto depois de participar de um campeonato nacional de B-boys. Seus movimentos enérgicos e precisos lhe garantiam sempre a linha de frente das coreografias e sua voz de timbre médio, os vocais de base das músicas.

O líder era Nara Shikamaru. Um jovem chamado de gênio por alguns dos 'entendidos' do meio musical. Possuía um talento sem igual para composição e produção musical e era constantemente apontado como um futuro produtor de sucesso, coisa que os outros membros discordavam, principalmente pela famosa preguiça sem precedentes do garoto.

Inuzuka Kiba era o outro membro carismático do grupo. Ao lado de Naruto, ele fazia a alegria das fãs sempre falando besteiras e provocando risos nas pessoas ao redor. Era o rapper do grupo com seu timbre agradável e rápida dicção. Era a personificação do termo wannabe black. Mesmo sendo japonês adorava imitar o estilo dos rappers negros americanos com seus bonés de aba reta e roupas largas.

"Kiba kuuuuunnnnnnn, casa comigo!"

"Narutoooooooo, você é lindo!"


ooO-Ooo.ooO-Ooo.ooO-Ooo.ooO-Ooo.ooO-Ooo.ooO-Ooo.ooO

"Muito obrigada por passearem conosco! Nós da Sunny Place Tur, desejamos a todos uma boa viagem de retorno ao Japão." A jovem guia de turismo desejava com um sorriso agradável nos lábios enquanto o grupo de turistas desembarcava do ônibus em direção ao aeroporto.

A doce Hyuuga Hinata era a guia de turismo mais requisitada da agência Sunny Place. Ela conhecia todos os pontos turísticos de Seul, suas histórias e curiosidades. E, por ser filha de imigrantes japoneses na Coréia, era fluente nos idiomas de ambos os países e também em inglês. Como se não bastasse ser competente, a moça também era alvo das atenções masculinas por onde passava. A pele alva contrastava com os longos cabelos azul índigo que emolduravam o rosto delicado. Hinata possuía lindos e raros olhos perolados, típicos da sua família e um corpo de fazer inveja em muitas celebridades. Era magra, porém possuía curvas bem definidas. Pernas longas, cintura delgada, seios fartos e quadris arredondados.

Mudou-se para Seul com seus pais e a irmã caçula, quando ainda era criança. Seu pai, Hyuuga Hiashi, era um dos herdeiros de uma grande empresa exportadora de vinhos que, devido a vários desentendimentos com seu irmão gêmeo e também herdeiro, Hyuuga Hizashi, decidiu vender suas ações e começar tudo do zero no país vizinho.

Infelizmente, devido a um acidente de carro, Hinata viu-se sozinha no mundo com a irmã, Hanabi. Naquele tempo havia a possibilidade de retornarem ao Japão para viverem com o tio e o primo, o jovem Neji, um ano mais velho que Hinata. Porém, a primogênita, mesmo só tendo 15 anos, decidiu que continuaria a cuidar por si só da irmã que, na época, tinha 10 anos. Mesmo não se lembrando dos detalhes, sabia que seu pai e o tio não tinham uma boa relação. Lembrava-se que os dois não se falavam muito e, apesar de viverem na mesma cidade, praticamente só se encontravam nas reuniões de família. Do primo Hinata tinha apenas boas recordações. Estavam sempre juntos, brincando e se divertindo. Ele sempre a defendia quando uma criança maior resolvia implicar com ela e dizia que iria protegê-la para sempre.

Após a morte dos pais, Hinata vendeu a empresa, fez algumas transações financeiras e aplicou o dinheiro que consegui. Os sócios coreanos de seu pai lhe elogiaram muito pelas medidas tomadas a fim de proteger o seu futuro e o de Hanabi. Sempre lhe diziam que, se seu pai estivesse vivo, teria muito orgulho da filha inteligente que criou. Foram tempos difíceis, mas as duas conseguiram atravessá-los ilesas.

Por ser uma aluna exemplar e possuir altas médias, Hinata havia conquistado uma bolsa de estudos em uma das melhores universidades da Coréia do Sul, onde estudara turismo durante 4 anos. Formada, começou a trabalhar na agência de turismo para complementar a pensão que seus pais haviam lhe deixado.

Enquanto terminava de conferir a lista dos passageiros que haviam ido embora, uma agitação não muito longe de onde estava lhe chamou a atenção.

"Parece que outro grupo de celebridades chegou por aqui." O motorista do ônibus disse percebendo o interesse da garota.

"Ah! Então é melhor sairmos daqui o mais rápido o possível. Antes que as fãs lotem tudo e nos atrasem. Temos outro grupo de turistas para essa tarde." Hinata disse em um tom motivador.

Antes de entrar no ônibus a garota lançou um olhar em direção à multidão e pode ver os 5 rapazes de relance. Eram altos e usavam roupas estilosas. Como estavam todos de óculos escuros e a multidão ao redor era muito densa, a garota não soube dizer quem eram.


ooO-Ooo.ooO-Ooo.ooO-Ooo.ooO-Ooo.ooO-Ooo.ooO-Ooo.ooO

"... e então após as gravações do último álbum nós decidimos que seria bom se cada integrantes tivesse uma faixa solo..." Shikamaru falava a mais de 10 minutos sobre a produção do último CD do grupo.

A StarDust estava realizando uma entrevista coletiva no auditório do luxuoso hotel onde estavam hospedados. Como líder, o garoto Nara era o porta-voz de todos, cabendo ao resto do grupo apenas responder às perguntas feitas diretamente a eles. Situação que para Sasuke era um alívio, mas para outros, como Naruto e Kiba, era uma tortura maior que bambu molhado embaixo da unha. A entrevista estava se estendendo mais do que deveria e a óbvia expressão de tédio de Sasuke aumentava cada vez que uma pergunta nova era feita.

'Sasuke, melhore essa cara ou teremos problemas outra vez.' Um bilhete vindo do empresário do grupo chegou às mãos de Sasuke. Hatake Kakashi era um homem alto, magro de cabelos grisalhos que também já havia tido seus dias de ídolo. Na adolescência fora integrante de um grupo de rapazes pertencente à mesma empresa dona da StarDust e, atualmente, era o manager do grupo. Apesar de todo o seu esforço para orientar a conduta dos rapazes, ele nunca conseguia fazer Sasuke manter uma expressão simpática durante mais de 10 minutos.

'Que saco!' Sasuke pensou amassando discretamente o papel e arrumando a postura. Foi então que uma jornalista resolveu lhe fazer uma pergunta. Inicialmente feita em coreano e em seguida cochichada em japonês pela tradutora:

"Sasuke san, em uma enquete, você foi eleito a celebridade com quem os coreanos mais gostariam de fazer um piquenique no primeiro dia de primavera. O que acha disso?"

Mas, quê?! Que diabo de enquete era essa?! A vontade real de Sasuke era dizer que isso aquilo era ridículo e que as pessoas deveriam encontrar algo mais produtivo para fazer do que ficar imaginando inutilidades com pessoas com as quais elas nunca estariam, mas tinha plena consciência de que não poderia dizer o que realmente pensava. Respirou fundo, lembrou-se das aulas de interpretação, fez uma expressão 'gentil' e disse:

"Sinto-me extremamente honrado."

A pergunta seguinte foi dirigida a Naruto e assim a coletiva seguiu. Muito mais tediosa e longa do que Sasuke gostaria. Foi obrigado a responder mais 5 ou 6 perguntas, posar para mais umas mil fotos e lutar contra si mesmo para não levantar e sair correndo quando teve que responder qual seu tipo ideal de garota.

"Aaaargh! Eu odeio essas entrevistas. A gente nunca pode falar, mas o Shikamaru fala igual o homem da cobra! Muito injusto." Naruto comentou na volta ao quarto do hotel.

"Pois se dependesse de mim você poderia responder todas as perguntas. Não fui eu quem pediu para ser o líder. 3 horas de coletiva... Meu, que coisa mais problemática!" Shikamaru retrucou enquanto se atirava em uma poltrona qualquer."

"Ok, ok, rapazes. Vocês ficarão livres o resto do dia e amanhã pela manhã terão outra entrevista e, aí sim, começaremos o fanmeeting. No domingo teremos um showcase para o fã clube e voltaremos para o Japão no início da noite." Kakashi disse lendo a agenda do grupo para a estada na Coréia.

''Então teremos o resto do dia livre hoje?" Sai perguntou sem muita emoção na voz. Sua falta de carisma e excesso de sinceridade o tornavam o membro menos popular do grupo.

"Sim, mas não podem sair do hotel. Seria um caos se um de vocês fosse reconhecido na rua e uma multidão de garotas histéricas resolvesse correr atrás." Kakashi advertiu e, perto dali, Sasuke protestou internamente. Não estava com vontade alguma de ficar trancado o dia inteiro. Olhou ao redor conferindo se mais alguém estava tão insatisfeito quanto ele com a proibição.

"Bom, para mim tanto faz! Queria mesmo fazer umas compras pela internet." Kiba comentou enquanto pegava o notebook e se jogava no sofá. Nem perderia tempo perguntando algo para Shikamaru, pois sabia que ele passaria o resto do dia dormindo ou jogando algum rpg online. Sair com Sai seria uma péssima ideia. Ele certamente arrumaria alguma confusão na rua e teriam que sair aos socos com algum desconhecido. Foi então que olhou para o lado e viu Naruto, aquele a quem Sasuke chamava de melhor amigo, sua última esperança de apoio, rindo feito um idiota de algum programa humorístico que passava na TV.

"AUHSIuhsiUHSIuhsiUHSIUh Cara! Coreanos são um barato mesmo! Eu não entendo quase nada do que eles falam, mas tô quase me mijando de rir." Sasuke torceu o rosto em uma expressão desaprovadora. Estava sozinho. Kakashi, percebendo as intenções do moreno, bateu em seu ombro e disse:

"Parece que você está sozinho. Então nem pense em sair daqui, Sasuke kun." Advertiu imitando a forma com que as fãs chamavam o Uchiha antes de ir para o seu próprio quarto.

Ótimo! Passaria o resto do dia preso no quarto com 4 criaturas que não pareciam viver no mesmo mundo que ele... e nem havia dado três da tarde ainda! Tinha que sair dali ou ficaria doido, ou pior, idiota. Caminhou discretamente até a porta e constatou sua tese de mundos diferentes: nenhum dos companheiros de grupo sequer percebeu sua movimentação. O Uchiha pegou um par de óculos escuros qualquer e saiu do quarto sem que ninguém o notasse. Atravessou o corredor até alcançar as escadas de emergência e as usou para descer até o hall de entrada do hotel. Seguindo por uma área menos movimentada, o Uchiha rapidamente chegou à saída e à desejada liberdade.

Do lado de fora estava estacionado um grande ônibus de turismo com várias inscrições amarelas em coreano e as palavras SUNNY PLACE TUR destacadas em inglês. Na frente do ônibus, uma jovem muito bonita vestida com um tailleur azul sorria e distribuía chapeis no mesmo tom para um grupo de pessoas. Sasuke rapidamente entendeu que aquele era um grupo de passeio turístico e, sem dúvida alguma, a sua passagem para sair dali o mais rápido o possível. Discretamente o garoto se aproximou do grupo, na maior cara de pau, pegou um chapeuzinho com a guia como se fosse um dos clientes, entrou e sentou no fundo do ônibus.

"Êee... São vinte pessoas nesse grupo! Pensei que eram apenas dezenove... Tudo bem! Quando voltarmos para a agência, eu corrijo o relatório final." Hinata comentava seu 'erro' consigo mesma quando constatou que havia uma pessoa a mais do que ela estava esperando.

Entrando no ônibus, a guia turística pegou o microfone e disse com um tom de voz gentil e animado:

"Senhoras e senhores, Anyóng haseyo! Hoje abriremos nosso roteiro pela capital coreana com um passeio ao longo do rio Han. Seguiremos até os palácios antigos, onde daremos uma atenção especial ao relicário da dinastia Josón e ao jardim HuWon. Faremos uma pausa em um restaurante típico para o jantar e então encerraremos com uma visita à Torre de Seul no centro da cidade, de onde é possível ter uma visão panorâmica de toda a capital. Eu serei sua guia nesta tarde. Meu nome é Hyuuga Hinata e desejo a todos um bom passeio."


ooO-Ooo.ooO-Ooo.ooO-Ooo.ooO-Ooo.ooO-Ooo.ooO-Ooo.ooO

"Dezenove chapeuzinhos. Ãh... Não eram vinte?!" Hinata coçou a cabeça com a caneta depois de conferir o número de chapéus devolvidos. Será que havia contado errado antes? Tudo bem, quando chegasse poderia conferir na reserva, afinal, quantas pessoas eram no grupo daquela tarde.

Depois de deixar os clientes de volta ao hotel, Hinata e o motorista estavam voltando à agência para entregar o relatório do passeio, devolver o ônibus e cumprir todos os procedimentos de fim de expediente.

"Ajósshi, vou conferir o interior do ônibus e fechar tudo." O motorista assentiu e acendeu as luzes internas para a Hyuuga.

"Hum... dessa vez parece que ninguém esqueceu nada..." Hinata conferia os bancos e os bagageiros de cada assento para saber se havia ficado algum pertence de algum cliente. Quando estava perto da metade do veículo avistou, perto dos últimos lugares, o chapeuzinho azul que faltava caído no chão. A garota caminhou até o lugar e abaixou-se para pegá-lo quando sentiu uma presença ao seu lado. Virou-se e viu a silhueta de um homem dormindo no banco do ônibus.

"Cho – chogiyo!" A morena o cutucava cautelosa. O rapaz virou-se lentamente ainda sonolento e os dois ficaram se entreolhando durante alguns instantes...


ooO-Ooo.ooO-Ooo.ooO-Ooo.ooO-Ooo.ooO-Ooo.ooO-Ooo.ooO

A sala do gerente da agência Sunny Place era um lugar amplo com um aspecto bem formal. Paredes brancas, carpete preto no chão, armários ao fundo e uma mesa cheia de documentos no centro de tudo. A frente da mesa havia cadeiras para os possíveis clientes conversarem e trocar idéias com o gerente. A garota Hyuuga estava nervosa. Não dizia nada, mas também não parava de se mover. Caminhava em círculos dentro do escritório. Freqüentemente lançava olhares irritados para o rapaz de cabelos negros a sua frente. Sasuke, por sua vez, parecia completamente alheio ao fato de ter invadido um grupo particular e causado transtornos para aquela pobre moça.

Sasuke a observou durante um tempo. Como passara a tarde toda em sua companhia já reparara como ela era bonita. Tinha uma beleza suave e delicada. Poderia olhar para ela o dia todo e não enjoaria do seu rosto... Subitamente um barulho de porta abrindo tirou o jovem de seus pensamentos. Um homem de estatura média e um pouco acima do peso havia chegado.

Ele e a guia turística conversaram durante alguns instantes em um coreano rápido e fluente. Diabo de língua! Sasuke havia passado 2 anos de sua vida estudando e ainda não conseguia entender quase nada. Pode deduzir que Hinata explicava o que havia ocorrido e o motivo pelo qual ele estava sentado naquela sala. O homem, que o Uchiha concluiu ser o gerente, se aproximou de Sasuke, sentou-se a sua frente e com um japonês cheio de sotaque disse calmamente.

"Não sei se você tem noção do que fez, mas nós poderíamos denunciá-lo para a polícia. Para evitar essa situação tão desagradável vamos fazer o seguinte: Pague o passeio e estará livre."

Sasuke ouviu as palavras do tal gerente se segurando para não explodir em gargalhadas por conta daquele sotaque estranho. Sem dizer nada, tirou a carteira do bolso e de lá um talão de cheques. Preencheu e entregou para o gerente coreano.

"Isso é o suficiente para pagar o passeio e... eu vou querer contratar os serviços dela como guia particular por tempo integral nesse fim de semana." O Uchiha dizia sem expressão enquanto o jovem gerente parecia surpreso com a quantidade de dígitos do cheque. Hinata, que estava ao lado do chefe começou:

"Não trabalho como guia particular para nin..."

"Fechado!" O gerente interrompeu. "E seja gentil e faça tudo o que nosso cliente pedir, Hyuuga!" Cortou a garota que com uma expressão incrédula não conseguia espaço para protestar.

Depois de encaminhar todas as formalidades, na saída da agência, Hinata virou-se e disse tentando parecer o mais simpática o possível e tentando esconder o contragosto em sua voz:

"Então lhe apresentarei a cidade a partir de amanhã. Meu nome é Hyuuga Hinata, mas acho que isso o senhor já sabe, senhor..." Ela esperava que Sasuke completasse.

"Uchiha. Uchiha Sasuke." Ele disse polidamente, mas sem excesso de simpatia.

"Então Uchiha san, deixe-me chamar um táxi par..." A garota começou quando foi interrompida

"Não, não! A noite é uma criança. Ainda são 9 horas e ouvi falar que Seul ferve durante a madrugada." Percebendo a expressão de protesto da garota ele logo cortou. "Guia em período integral, esqueceu? Isso inclui noites e madrugadas." Depois de analisar Hinata de cima a baixo ele disse:

"E pelo visto nossa primeira parada é em uma loja de departamentos."

"C-como assim?" Hinata perguntou confusa.

"Vamos comprar roupas para você e para mim, é claro. Eu não apareço em público vestindo qualquer coisa e, se você vai andar comigo, que esteja bonita. Não sou o tipo de cara que anda com barangas a tira colo." Disse enquanto recebia uma expressão indignada de Hinata.

"Ah! Relaxa! Não faz essa cara. Não te chamei de feia. É que tenho padrões altos." O ídolo disse com um tom sarcástico enquanto dava as costas e saia andando na frente de Hinata.


ooO-Ooo.ooO-Ooo.ooO-Ooo.ooO-Ooo.ooO-Ooo.ooO-Ooo.ooO

"A-acho que podemos ir então..." Hinata disse encabulada com toda aquela situação.

Sasuke havia feito sua guia turística particular levá-lo à uma grande loja de departamentos que funcionava 24 horas no centro de Seul. Lá, sem dizer nada, o ídolo passeou entre os manequins femininos e escolheu, ele mesmo, um vestido preto de veludo curto com mangas longas e um grande decote na parte detrás que deixava uma boa quantidade de pele exposta. Um par de sapatos de salto alto vermelhos e um elegante conjunto de jóias em pérola. Chamou as vendedoras e fez um sinal para elas, apontando para o cabelo e o rosto de Hinata que, sem entender nada, foi levada pelas duas moças a uma sala reservada.

Enquanto a moça recebia cuidados estéticos, Sasuke também escolhia roupas para sí. Escolheu uma camisa branca, gravata preta e um colete preto bem ajustado ao corpo. Uma calça social com caimento exato do corpo e, para completar o estilo, tênis de dança brancos no estilo rapper americano. Vestiu-se e enquanto estava escolhendo um brinco de brilhante cheio de atitude, a atendente trouxe Hinata de volta.

Aquele vestido era algo que ela nunca usaria de livre escolha, mas que lhe caiu como se tivesse sido feito sob medida. O modelo justo ao corpo deixava suas fartas curvas bem mais acentuadas. Apesar das mangas longas, era um vestido bem curto que expunha as longas pernas da garota. A fenda das costas dava o toque sensual final. O sapato vermelho deixava toda a produção mais moderna e tornava Hinata uma figura impossível de ignorar. Sasuke ficou durante alguns instantes observando-a sem fala. Seu longo cabelo estava preso em um coque no alto da cabeça e sua farta franja fora posta de lado, dando um ar mais maduro a sua imagem. Os belos olhos perolados estavam bem marcados com uma maquiagem escura que os destacava ainda mais e os lábios bem desenhados receberam um suave batom cor de rosa. Brincos de pérola davam um ar requintado à produção. Tudo estava em harmonia, ela estava linda.

Sasuke a observou impressionado durante algum tempo. Apesar da piadinha mais cedo sobre ela ser feia, sabia que a moça era o tipo capaz de deixar várias das modelos que conheceu se contorcendo de inveja, porém com toda aquela produção chegou a pensar que ela era a mulher mais bonita que já viu. Disfarçou e disse tentando não transparecer a surpresa:

"Hum... Olha só! Até que você não é de se jogar fora." A garota corou.

Na saída da loja, um carro preto de modelo esportivo que aparentava ser muito caro, os aguardava. Hinata o olhou surpresa.

"Excelente essa loja! Até um serviço de aluguel que carros eles conseguiram para mim. Bom... considerando que sou um cliente VVIP." Sasuke elogiou jogando a chave para cima e pegando no ar.

"Quem é você? Filho de algum milionário?" Hinata perguntou chocada. Sasuke a olhou de volta sem entender.

"Não sabe quem eu sou?" Diante de um aceno negativo da garota, ele sorriu de lado e disse:

"Melhor assim."


ooO-Ooo.ooO-Ooo.ooO-Ooo.ooO-Ooo.ooO-Ooo.ooO-Ooo.ooO

"Não, não e não!" A Hyuuga disse bloqueando a passagem do Uchiha com o corpo.

Hinata e Sasuke estavam parados em frente à casa da guia turística em um bairro antigo de Seul. A maior parte das casas tinha uma arquitetura antiga: Muros baixos, jardim ao redor da casa, coberturas feitas com telhas escuras e arredondadas.

O relógio estava marcando por volta de três da manhã. Sasuke havia dito que contratara Hinata em período integral e se recusava a sair do lado da moça. Esta, por sua vez, imaginou que dando um "cansaço" em seu cliente conseguiria se livrar dele. Não foi bem o que aconteceu.

"Por que não?" Ele cruzou os braços enquanto perguntava.

"Porque isso não faz sentido! Você não pode passar a noite na minha casa." Hinata dizia com o rosto vermelho.

"Por quê? Você é casada?" Sasuke cruzou os braços e perguntou levantando uma das sobrancelhas, como se esta fosse a conversa mais normal do mundo.

"N-não... mas é q-que..." A garota corou violentamente antes de ver o rapaz continuar a caminhar e dizer:

"Então não tem impedimentos!" Hinata mais uma vez pulou na frente do rapaz e disse extremamente vermelha:

"E-eu não posso deixar um homem entrar na minha casa a essa hora e ainda por cima passar a noite lá! O que os vizinhos vão pensar de mim?!"

"Ai, ai... Vão pensar de você o mesmo que pensam de todo japonês: Que somos um povo pervertido. Você é muito coreana, sabia? Agora deixa de puritanismo que isso não faz parte da nossa cultura." Disse enquanto passava em baixo do braço esquerdo de Hinata e finalmente alcançava o portão.

A segurança das ruas de Seul permitia às irmãs japonesas manterem um hábito típico de seu país: não trancar a porta de entrada da casa. O que, por sua vez, permitiu ao rapaz entrar na residência com a maior folga do mundo.

Definitivamente seria um longo fim de semana...


ooO-Ooo.ooO-Ooo.ooO-Ooo.ooO-Ooo.ooO-Ooo.ooO-Ooo.ooO

Vocabulário:

COREANO:
Anyóg haseyo - Cumprimento coreano equivalente a 'Olá, como você está?'
Ajósshi - Senhor, tio, forma de tratamento para um homem mais velho
Chogiyo - Com licença!

JAPONÊS:
Aishiteiru - Literalmente 'Eu te amo' em japonês

Notas da autora:

Yo, people~~

Hoje resolvi postar a história queune tds as minhas paixões: sasuhina, japão, coreia, kpop, doramas e fics LOL Espero que gostem^^
Foi publicada pela primeira vez em 2014, mas é um rascunho antigo (talvez de 2008/9) Só tive coragem de postá-la após ver RTN. Pq? Porque eu tinha um medo enorme de postar a história e ficar com aquela sensação de "meu deus... estou arregaçando a personalidade do Sasuke", mas após ver o último filme me senti bem mais à vontade para terminá-la e mostrar para vcs^^

O Sasuke que aparece aqui, não é o nosso rabugento favorito, e sim o Charasuke. Aquele playboy metido a gostosão que pega td mundo em RTN. (e que eu particularmente acho hilário) Bom, o título é inspirado no filme "100 dias com o senhor arrogante", mas a história é bem diferente.

Bjos e espero que gostem^^

13 de Marzo de 2019 a las 23:14 0 Reporte Insertar 0
Leer el siguiente capítulo Segundo Dia: Sábado

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~

¿Estás disfrutando la lectura?

¡Hey! Todavía hay 3 otros capítulos en esta historia.
Para seguir leyendo, por favor regístrate o inicia sesión. ¡Gratis!

Ingresa con Facebook Ingresa con Twitter

o usa la forma tradicional de iniciar sesión