pulando nas nuvens Seguir historia

B
Brunna Tomaino


Conto retirado de uma cena cotidiana. Tem como protagonista Débora, uma criança criativa e fantástica.


Infantil Todo público.

#pulandoemnuvens #nuvensdealgodao
Cuento corto
0
1081 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Pulando nas nuvens

Débora estava pulando havia mais de 30 min na cama dos pais. A mãe já a alertara do perigo de cair no chão, mas o impulso de voar é mais forte. As crianças quando pulam sentem uma liberdade difícil de descrever, acho que estão expressando como são mais felizes do que nós. Pula, pula, pula. A mãe vira e vai guardar as roupas limpas na gaveta. O pai vira e organiza a mesa para começar a rotina cansativa de estudo pós-labuta. "Cabum!" Débora cai no chão e os pais correm para ver algum machucado ou braço quebrado. A mãe já chega abraçando, como se a perda daquele sorriso fácil passasse diante dos olhos. O pai, tentando ser mais centrado, começa a explicar o perigo da queda, de machucar a cabeça, quebrar algum osso. Fala de forma bem didática que um machucado mais grave pode levar a Débora para o céu e ela nunca mais veria papai e mamãe. Débora então, atenta e sob grandes olhos marejados, agarrando o pescoço da mãe, retruca (como sempre):

- Mas se eu for para o céu eu posso pular nas nuvens.

Mamãe explica, atônita diante da resposta, que ficaria com muita saudade e não poderia ir atrás dela nas nuvens. Débora, então, se desculpa, diz que aprendeu a só poder pular no chão. Os pais, bem, aprenderam a pensar como criança, além das nuvens de algodão. 

13 de Febrero de 2019 a las 17:58 0 Reporte Insertar 1
Fin

Conoce al autor

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~

Historias relacionadas