Tinha Que Ser Você? Seguir historia

phamamorim Phamela Amorim

Paulina é uma escritora que está sofrendo de bloqueio criativo e estresse,acha que tudo é por não conseguir superar o termino de noivado. Na esperança de conseguir mudar ambos resolve tirar ferias na casa de sua prima Louisa que mora no litoral, mas será muito mais o que irá encontrar lá, um pai viúvo entrará e arrebatará sua vida de um modo que lhe será transformador.


Drama Todo público. © Phamela de Paula Amorim
0
3.4mil VISITAS
En progreso - Nuevo capítulo Todos los domingos
tiempo de lectura
AA Compartir

Bloqueio Criativo

Paulina é uma escritora que está sofrendo de bloqueio criativo desde que terminou seu noivado de quatro anos. Com a pressão de seu editor Tom que quer um novo livro, e de seus amigos que não entendem como ela não consegue seguir em frente, resolve tirar umas ferias de tudo e de todos, com a esperança de que isso a ajude em todos os sentidos.

Parada em um transito que não tinha hora pra andar, resolve ligar para sua prima/irmã Louisa,que mora no litoral. Embora a distância entre as duas seja grande,a amizade e cumplicidade entre elas perdurou por todos esses anos distantes.

-Lou?-Esperou a resposta.-Ainda está a minha espera aquele quartinho?-A ansiedade pela resposta gritava em sua voz.

-Você ainda pergunta, ''Sorvetão''? Assim você me ofende! É logico que está e sempre estará! Quando você chega?

-Final de semana, o mais rápido possível!- Seu rosto se iluminara com a ideia de ir para praia e reencontrar com sua prima.

-Ótimo! Tenho que desligar, saindo para trabalhar! Beijos!

Depois que desligou o telefone, mandou uma mensagem para seu editor, que logo a incentivou a fazer a viagem, também achava que era isso de que ela precisava.

A semana voou, quando se deu conta já estava entrando no avião. Antes de desligar o telefone mandou uma mensagem para Louisa.

''Quando aterrissar eu te aviso :)''

Algumas horas depois, lá estava aquele sol lindo, convidando ela a sorrir e aquele mar que era de um azul tão vivo quanto o céu.

-Era disso que eu precisava!-Pensou em voz alta enquanto mandava a mensagem para Louisa.

Seu telefone tocou minutos depois.

-Sorvetão, me desculpe, não vou poder te buscar, ainda estou presa no trabalho.

-Lou, sem problemas, pego um táxi.- Já sinalizando para um que estava perto.

-Vou te mandar o endereço por mensagem, a chave reserva está embaixo do vaso com um sapo de enfeite, fique a vontade!

-Muito obrigada! Nos vemos mais tarde.

15 min. depois chegou na casa, acomodou suas coisas, descansou um pouco, colocou uma roupa mais leve e foi caminhar na praia que ficava à poucos minutos dali.

Inalando aquele ar puro do entardecer, fincando seus pés descalços na areia, absorvendo aquela energia indescritível, fechou os olhos e guardou aquela sensação com a brisa beijando seu rosto.

No caminho de volta, sem pressa alguma, observou tudo, as casas, as pessoas, os cenários, pequenas coisas que sua vida corrida a muito não lhe permitia desfrutar. Chegando na esquina da casa de Louisa, percebeu uma movimentação estranha, Paulina correu ao ver duas crianças acenando desesperadamente.




4 de Febrero de 2019 a las 23:19 0 Reporte Insertar 119
Leer el siguiente capítulo Primeiro Dia Atribulado

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~

¿Estás disfrutando la lectura?

¡Hey! Todavía hay 4 otros capítulos en esta historia.
Para seguir leyendo, por favor regístrate o inicia sesión. ¡Gratis!

Ingresa con Facebook Ingresa con Twitter

o usa la forma tradicional de iniciar sesión