Escuta & Zelo Seguir historia

vanychan734 Vany-chan 734

Adam foi seu primeiro amor e juntos viveram muitas experiências boas, por isso Shiro sempre o escutara no passado. Então, quando Adam o procurou para falar sobre Keith assim que paladinos retornaram para a Terra, Shiro decidiu ouvi-lo mais uma vez.


Fanfiction Caricaturas No para niños menores de 13.

#Shadam #Adashi #Sheith-Implícito #Adam-Cupido #término #amizade #s7 #vld #voltron
Cuento corto
1
3.7mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Capítulo Único - Escuta e Zelo

NOTAS INICIAIS:

OLAAAR! Eu terminei essa one às 5h22 exatamente. Isso, de madrugada, por que? PORQUE EU SOU MALUCA. Eu tive um surto esses dias e parei tudo para escrever. A ideia inicial era ser uma one com Adam e Keith conversando sobre Shiro, mas conforme eu escrevia se tornou uma one sobre Adam e Shiro conversando sobre Keith.

~Eu sinto que perdi o controle das minhas fics~

De qualquer maneira, eu gosto de AdaShi/ShaDam, embora o OTP Supremo seja Sheith. Como gostar do Adam? Tenham headcanons e leiam fics que ele não seja um puto chato, como esta aqui. Para ajudar vocês a compreenderem meu Adam: eu o imagino arrogante, cético, humor ácido, bem estilo professorzinho (organizado, fala certinho, ar de “sou eu quem sabe, escute quieto”), apaixonadíssimo pelo Shiro, direto (joga as verdade na cara, o que pode soar ainda mais arrogante e tbm grosseiro), ciúmes do Keith em 99% (mas se dão bem pq o 1% é ele sabendo que Keith nunca machucaria Shiro e sempre que o boy precisasse estaria lá), odeia Matt Holt porque fica roubando seu homi às sexta para jogos de RPG e pizza (Adam aproveita às sextas para corrigir provas). É isto, agora que estão familiarizados, espero que gostem <3

FANFIC SHEITH, Adam aqui é cupido. Não se enganem. 

            Arte da capa por @felidadae e edição por Sr.Artie. Obrigada, Bolinho!

---------------------------------------------------------------------

 

- Takashi?

Keith e Shiro pararam de falar assim que ouviram a voz conhecida, que atraiu seus olhares para a porta do salão comum. Ambos se surpreenderam ao encontrar Adam encostado no batente, de modo que o tenente do Garrison identificou o desconforto mutuo presente entre os diversos sentimentos refletidos em suas íris cristalinas.

Adam vestia roupas civis largas, assim como uma tipoia para segurar o braço esquerdo ferido de sua batalha contra os Galras. Shiro soube por Iverson que mesmo ejetando de seu caça, a explosão foi capaz de atingir o lado esquerdo do ex-noivo e também enviar alguns destroços em sua direção. Agora, por causa da Guerra, Adam tinha o corpo mutilado, cheio de cicatrizes como Shiro, além de estar cego de um olho. Shiro tinha ido à UTI visitá-lo duas vezes e em ambas Adam estava desacordado pela morfina. Depois disso, Shiro decidiu parar de vê-lo porque o machucava saber que a vinda dos Galras à Terra era em partes sua culpa e que tudo que havia acontecido com o outro era uma consequência de suas ações. Então, encontrá-lo agora desperto e aparentemente bem, fazia seu coração dar um solavanco.

Para Keith, sua relação com Adam ainda era um assunto complicado. Eles tinham uma amizade saudável – embora ciumenta – por causa de Shiro no passado, mas Kerberos deixou muitas marcas nos três para que não houvessem ressentimentos. Keith ainda se lembrava de como Adam insistiu em fazer um funeral em homenagem a Shiro sem dá-lo ouvidos sobre as mentiras do Garrison e como a partir daquele dia ele decidiu exclui-lo de sua vida.

Adam, por sua vez, via os dois à frente como se estivesse em um dejá vu, embora as aparências estivessem diferentes das quais se lembrava. Na verdade, os três estavam mudados, mas a aproximação e familiaridade entre eles era a mesma de antigamente e podia ser sentida por qualquer observador, o que fez Adam também notar a mão de Keith sobreposta a de Shiro. O mais novo corou diante de seu olhar e se afastou ligeiramente do outro, enquanto Adam arqueava uma sobrancelha de modo questionador.

- Estou interrompendo alguma coisa?

A pergunta foi natural, mas os três arregalaram os olhos com o quão nostálgica ela realmente era. No passado, Adam sempre os encontrava conspirando juntos ou em alguma conversa amigável, momentos em que ele não era essencial para o rumo das coisas na vida de Shiro. Claro, os três saiam juntos muitas vezes, Shiro praticamente havia adotado Keith e, por consequência, Adam teve que se acostumar com a presença constante do menino, ainda que ele não estivesse presente de verdade em certos momentos. O que provocou seu ciúmes e, enquanto estavam noivos, a relação de Shiro com Keith se tornou um tópico de diversas discussões entre eles porque apesar de todas as promessas que Shiro havia lhe feito sobre seu caráter fraternal, Adam via agora que ele estava certo mais uma vez em ter desconfiado daquele laço.  

- Adam...? – Shiro perguntou baixinho, meio envergonhado, meio esperançoso, com a mesma suavidade que o tenente era acostumado antes de Kerberos.

- Eu vou deixar vocês conversarem a sós – Keith falou, se prontificando a sair do quarto – Vejo você depois, Shiro.

- Keith! – Shiro chamou.

Ao invés de ouvi-lo, o mais novo seguiu em direção a porta com as bochechas ainda vermelhas. Adam se deslocou apenas o suficiente para que ele passasse e ambos se encararam por alguns instantes.

- Keith – cumprimentou com um meneio de cabeça.

- Adam – respondeu sustentando seu olhar.

O paladino negro saiu e logo em seguida Adam fitou Shiro de modo acusatório.

- Então, você vai me contar o que foi que acabou de acontecer ou serei obrigado a interrogar o jovem Holt atrás de informações?

Agora eram as bochechas de Shiro que estavam vermelhas, destacando a cicatriz em seu nariz.

- Eu não sei do que está falando... – respondeu coçando o pescoço.

Adam bufou, revirando o olho.

- Takashi, eu te conheço e já te disse uma vez, você é um péssimo mentiroso – ele falou amigável, caminhando para mais perto do outro.

Shiro riu e depois o olhou terno.

- Você não mudou... Matt ainda teria medo de você.

Adam ergueu o canto direito de sua boca, num sorriso zombeteiro.

- Algumas coisas nunca mudam... como meu carinho por você.

Shiro o fitou pesaroso, realmente arrependido de como o relacionamento deles terminou.

- Você estava certo. Kerberos foi um erro... – falou amargurado.

- Não, eu não estava – Adam interrompeu – Olhe para tudo isso – gesticulou ao redor, se referindo à tecnologia alteana fundida à terráquea – A Terra está tendo uma chance de lutar agora e ambos sabemos que eventualmente os Galras iriam nos encontrar. Voltron, você e os paladinos estão nos dando uma chance de vencer...

- A que custo? – Shiro murmurou, dedilhando o rosto queimado de Adam.

Ele uniu sua mão a de Shiro e apertou, sentindo seu coração pulsar forte ao reconhecer aquele olhar amoroso que tanto amou no passado.

- Isso não foi sua culpa, Takashi. Sabe disso. Não pude te impedir de ir a Kerberos, mas estou orgulhoso por tudo que conquistou lá em cima. Você não tem ideia de como eu fiquei feliz em saber que você estava vivo... – Adam sussurrou, levando sua mão a acariciar a bochecha de Shiro, que suspirou.

- Nenhum de nós imaginava o que Kerberos iria se tornar...

- Realmente não havia como prever uma abdução alienígena, mas eu sempre cogitei os efeitos negativos de Kerberos – Adam o cortou, frio – E eu tive que fazer exatamente o que eu não queria. Eu te enterrei, Takashi! Tem noção do quão difícil foi velar um caixão sem corpo?! – Shiro enrijeceu seus músculos com a voz irritada e amargurada dele – Eu pensei que tivesse morrido! E tive que seguir em frente por aquele garoto!

Shiro o olhou machucado, mas Adam continuou despejando suas verdades.

- Keith não teve ninguém desde que o pai morreu e você abandonou a nós dois se arriscando no espaço.

- Adam... – Shiro tentou falar, a voz começando a ficar irritadiça.

O paladino esperava ouvir as reclamações dele, mas colocar Keith no meio era um golpe baixo. Baixo demais para Adam, e Shiro estava impressionado por constatar tal mudança.

- Eu queria me casar com você! Eu realmente queria, Takashi – o olhar sóbrio fez o coração de Shiro falhar uma batida – Mas eu me sentia rejeitado pela sua obsessão em pilotar.

- Era meu sonho, Adam – Shiro falou defensivo.

- Takashi – Adam usou o tom profissional de reprimenda, fazendo Shiro se lembrar das discussões pré-Kerberos e se irritar ainda mais – Eu sei. Não estou falando isso para brigarmos, quero explicar uma coisa já que você não tem condições suficientes para distinguir os cenários à frente.

Shiro franziu o cenho, mas permaneceu em silêncio, e Adam soltou um suspiro audível.

- Naquela época meu maior medo era perder você e acabei perdendo-o de qualquer forma. Para sua missão, para os Galras e, especialmente, para Keith.

- O que? – Shiro se afastou confuso.

- Takashi, quão importante eu sou pra você?

Shiro o olhou embasbacado. Antes de terminarem por definitivo, Adam havia lhe feito a mesma pergunta, com o mesmo tom de voz amargurado e o mesmo olhar investigador. Shiro não foi capaz de responder ao questionamento com propriedade na época e agora percebia que nunca poderia respondê-lo com a profundidade que Adam desejava. O tenente esperou pacientemente por uma resposta e o simples bufar de Shiro fez seu ombros e olhos caírem.

- Eu nunca fui a pessoa certa para você.

Shiro engoliu a sentença em silêncio. No fundo, ele sabia que aquilo não era verdade. Adam foi sua pessoa favorita em todo o mundo por grande parte da vida, mas quando sua doença começou a se espalhar o namoro deles tendeu a outro rumo, um que Shiro desaprovou várias vezes. Olhando para o homem à frente, na ala comunitária da Guarnição, Shiro lembrou-se do tempo que viveram juntos e sorriu.

- Você foi. Eu não o teria proposto se não fosse, Adam.

Ele levantou os olhos úmidos para Shiro e sorriu com tristeza.

- Bom – engoliu a seco e pousou sua mão no tríceps de Shiro, apertando levemente – Mas nós terminamos por um motivo. As estrelas são sua casa, Takashi; foi um erro pensar que você ficaria comigo na Terra...

- “Pés no chão” você costumava dizer – Shiro falou risonho, coçando o pescoço com a mão alteana.

- É... seus pés nunca pertenceram no chão. Foi uma ilusão pensar que você seria feliz aqui, seu idiota – Adam falou zombeteiro, e Shiro riu divertido – Eu não posso segui-lo no espaço, mas alguém pode e vai – o olhar caramelo sóbrio capturou toda a atenção de Shiro – Ele nunca desistiu de você. Sabe disso, certo?

Shiro engoliu a seco, desviando o olhar.

- Aquele garoto ama você, Takashi! – Adam expôs apontando para a porta pela qual Keith passou.

- Ele é como...

- Não diga “irmão”! – Adam brigou – Já tivemos essa conversa diversas vezes! – resmungou desgostoso, olhando para seu anelar que ainda tinha a marca de Sol de sua aliança – Nunca lhe contei isso, porque não cabia a mim falar sobre, mas o modo como ele te olhava e ainda olha é o modo de alguém que faria tudo por você. Qualquer coisa. Em qualquer momento.

- Nós salvamos um ao outro... – Shiro tentou justificar incomodado pelo rumo da conversa.

- Então por que é tão difícil aceitar que ele está apaixonado por você?! – Adam grunhiu.

- Porque ele me chamou de irmão! – Shiro rugiu exasperado, se afastando de Adam – OK?! É isso que eu sou para ele...

- Oh, você é realmente um idiota – Adam falou com desgosto, atraindo o olhar irritado de Shiro – O que? Se bem me lembro fui eu quem deu nosso primeiro passo, porque você estava tendo uma crise de pânico gay...

- Adam!

- Takashi!

Shiro cruzou os braços descontente, apertando a boca numa linha fina.

- Keith não é...

- Ele já te contou porquê nós não conversamos mais após alguns meses de Kerberos?

Shiro negou e se sentou num dos sofás da sala, exausto demais para ter aquela conversa em pé. Adam se sentou ao lado dele, pacífico.

- Depois que os noticiários divulgaram o erro de piloto e suas mortes, eu não consegui continuar minha aula. Um dos meus alunos viu a notícia em seu datapad e espalhou para os outros, eles ficaram alucinados e eu não consegui parar de tremer. Nós nunca nos escondemos no Garrison, então era óbvio que eles sabiam ou ao menos desconfiavam do nosso relacionamento e quando um me perguntou se aquilo era verdade, eu apenas chorei em silencio e os abandonei – Adam confessou com tristeza, e Shiro abaixou a cabeça envergonhado enquanto entrelaçava os dedos de suas mãos.

- Eu sinto muito pelo que você passou, Adam.

Adam o olhou tristonho, mas assentiu e continuou a falar.

– Eventualmente, eu fui até Iverson questioná-lo sobre o que ocorreu e acabei repreendido por meu comportamento “infantil”... naquele momento eu pensei em Keith. Embora a notícia me machucasse, ela não era uma completa surpresa, mas e para ele? – a voz de Adam tinha uma carga nostálgica, como se viajasse no tempo – Ele não aceitou em momento algum o “erro de piloto” e, agora sabemos que estava certo, mas na época Keith era só mais uma criança desamparada que negava a morte de alguém querido. Eu era a última pessoa que restava para ele, então assumi meu papel. Iverson estava certo, era um adulto e deveria agir como um, então me aproximei novamente de Keith para ampará-lo e comecei a planejar o teu velório. Ele tentou me convencer inúmeras vezes a desistir, conspirando contra a Guarnição, dizendo que você estava vivo, mas o que eu deveria fazer? Dar razão a um garoto de dezessete anos enlutado ou dá-lo uma chance de simbolicamente se despedir?

- Pelo que eu conheço de Keith, ele não gostou muito da sua escolha – Shiro pontuou divertido, embora sua tentativa de brincadeira não tenha surtido efeito em Adam.

- Oh, sério? – bufou – Keith ficou transtornado. Ele não ia mais às aulas, não falava com as assistentes do Garrison e só me respondia sobre o que era essencial. Mesmo assim, pensei que ele iria ao velório... eu queria que ele estivesse ao meu lado, mas eu nunca mais o vi depois de uma discussão intensa entre nós, três dias antes da cerimônia. Tentei procurá-lo, mas Keith desapareceu sem rastros.

- Ele foi para o deserto. Seu pai tinha uma velha cabana lá – Shiro falou, preenchendo o relato do outro.

- Você sabia disso, eu não. Mas duvido que ter conhecimento dessa cabana mudaria alguma coisa na época, Keith não confiava no Garrison e eu não podia lidar com ele da mesma forma que você o fazia.

- Tenho certeza que você fez o seu melhor.

- Meu melhor não assegurou a tua vida – Adam falou sério e Shiro se arrepiou – Mas Keith sim...

- Não estou entendendo o que você quer com essa conversa...

- Ok, idiota, serei bem claro: Keith ama você e, pelo que vi mais cedo, estou lhe dizendo que você o ama de volta. Entendeu?

Shiro estava com o rosto em chamas. Ele era um homem adulto que viveu uma Guerra no espaço, mas Adam sempre o fazia se envergonhar por comportamentos ou sentimentos inadequados com seu tom profissional e repreensivo.

- Como pode afirmar isso?!

- Porque eu conheço a devoção daqueles olhos violetas! E até esse momento você não negou estar apaixonado por ele!

Shiro arregalou seu olhar e abriu a boca embasbacado. Demorou alguns longos segundos para que finalmente cedesse às falas de Adam e abaixasse seus ombros de modo derrotado perante o olhar analítico.Ter seu ex dizendo-o que ele estava apaixonado pelo garoto que no passado havia sido um tema constante em suas brigas era no mínimo irônico.

- E você está bem com isso?

A pergunta sussurrada tinha um misto de vergonha, culpa e insegurança. Adam o fitou chocado de início, mas logo em seguida se lembrou de que quem estava à frente era Shiro. Seu Shiro. E mesmo que estivesse perdidamente apaixonado, Adam sabia que ele ainda seria respeitoso consigo. Ainda mais porque a pessoa pela qual se apaixonara era alguém que havia prometido nunca olhar dessa forma.

- Seria mentira dizer que gosto ou aprovo 100%, mas definitivamente não estou surpreso.

Shiro ergueu os olhos para sustentar seu olhar e ficou em silêncio. Adam o fitava contemplativo também, organizando um discurso que melhor expressasse sua opinião sobre aquele romance... inconveniente.

- Se não fosse por ele, você não estaria vivo, e não estou me referindo à primeira vez em que caiu na Terra. Eu ouvi alguns rumores pela Guarnição, então sei que ele realmente salvou sua bunda algumas vezes – Adam sorriu, diante da expressão semi orgulhosa de Shiro – Nunca fui o fã número um de Keith, você sabe – Adam riu lembrando-se das discussões – Esse era o papel do Holt, mas de qualquer forma, Keith trouxe você de volta e sou grato a ele por isso. Só existe uma pessoa nesse universo que o ama mais do que eu, Takashi, e ela é Keith. Com todo meu coração, eu quero que você seja feliz... e quem melhor do que eu para dizer que vocês serão felizes juntos? Eu conheço vocês dois.

- Houve momentos em que pensei que poderíamos tentar novamente... – Shiro confessou emocionado.

- Não poderíamos, sabe disso. Não fui eu quem o resgatou e salvou. Não fui eu quem viveu com você durante esses anos. E também não fui eu quem o ajudou com seus dramas particulares, pré e pós Kerberos... porque eu sei que você reclamava de mim para ele.

Shiro riu, embora suas bochechas ficassem vermelhas de novo. O que apenas confirmou a teoria de Adam.

- Nós tínhamos planos... – Shiro defendeu.

- Você pensou em algum desses planos enquanto estava no espaço? Você pensou em mim?

Adam estava verdadeiramente interessado naquela resposta. Apesar do medo e ansiedade que brotava em seu estômago, ele queria saber em que ponto havia perdido Shiro para Keith.

- Sim – Shiro afirmou convicto – No começo, quando fui sequestrado, tudo que pensava era em como você estava certo. Se eu não tivesse ido a Kerberos, Sam e Matt também não estariam em perigo... – Adam poderia jurar que seu coração se partiu com a confissão. Nunca havia sido sua intenção fazer Shiro se culpar pelos eventos desastrosos posteriores a Kerberos – Mas quando fui para... era um tipo de coliseu – Shiro franziu a sobrancelha e estremeceu, de modo que Adam tocou suas costas e fez círculos carinhosos nelas, esperando pela continuação do relato – fui jogado em uma cela com vários outros, estava apavorado e só desejava retornar para os seus braços, ouvir sua voz calmante, sentir seus pés frios debaixo da coberta e beber o seu chá de alecrim adocicado.

- Você ainda se lembra disso... – Adam pontuou derretido.

- Eu lembro de tudo – Shiro disse, olhando em seus olhos para que não restasse nenhuma dúvida do quão importante ele tinha sido.

- Em que momento isso mudou? – Adam sussurrou, voltando a acariciar as costas largas.

- Não sei dizer em que momento com certeza, mas... conforme as lutas iam e vinham, eu me sentia cada vez menos humano. Os druidas faziam experimentos em mim, me torturavam... – a voz de Shiro tremulou, e Adam se aproximou mais dele para ampará-lo – eu tinha medo de que eles descobrissem a Terra, que descobrissem você, então eu me forcei a parar de pensar...e em algum momento não lembrava mais como era seu rosto.

Adam sentiu como se tivesse levado um soco poderoso da mão alteana de Shiro.

- A familiaridade, a sensação de ter alguém, os gostos e momentos compartilhados ainda existiam, embora. Minhas memórias ficaram bagunçadas por muito tempo, mas quando... – Shiro evitou a palavra “morri”, repensando – estive preso no Leão Negro, eu pude acessá-las. Nós realmente funcionávamos, Adam... – Shiro sorriu doce, e Adam o respondeu com outro sorriso.

- E quando Keith roubou meu lugar?

Shiro riu com diversão, ele sabia que essa era realmente a forma como Adam via Keith. A pergunta não era uma brincadeira ou exagero, era só Adam.

- Quando eu retornei para o meu corpo... bem, o corpo do clone, na verdade, eu adquiri as lembranças dele. Kuron certamente estava apaixonado por Keith e era difícil não ser afetado por aquelas emoções quando ele tinha acabado de me reviver – Adam levantou as sobrancelhas, chocado – Sim, eu sei, esquisito... – Shiro riu envergonhado – Desde então eu me sinto confuso sobre ele...

Adam assentiu, franzindo o cenho. Shiro esperou, sabendo que o companheiro iria formular alguma questão em instantes.

- Primeiro: por que havia um clone? Segundo: por que ele era apaixonado por Keith... ou esta é a sua percepção? Terceiro: O que há para estar confuso?

Shiro sorriu educado e ponderou.

- Eu fui clonado porque Haggar pensou em usá-lo como uma arma contra os paladinos. O que foi eficaz já que ele ficou aproximadamente um ano vivendo com eles – Adam franziu o cenho, e Shiro decidiu continuar – Ele não pensava que era um clone, agia e sentia como eu na maioria das vezes. Algumas particularidades e modos de analisar situações eram diferentes, mas o clone era convincente e Keith não esteve por perto depois de um tempo para notar que havia algo errado. Todos pensaram que eu havia sido capturado mais uma vez e presumiram que as minhas mudanças, na verdade as mudanças dele, eram por isso.

- Continue – Adam anuiu.

- Respondendo à segunda pergunta, não se trata da minha percepção. O clone era apaixonado por Keith. Como te disse antes, pela sua segurança e a da Terra, parei de pensar sobre. Além do esquecimento natural, o poder dos druidas mexiam e embaralhavam minhas memórias, então era como se o clone não soubesse da sua existência. Então, se apaixonar por Keith foi natural... ele era a única pessoa que o clone se sentia confortável e cada vez mais próximo... – Shiro divagou, lembrando-se de como o clone tentara lutar contra o controle de Haggar, não querendo ferir Keith na instalação de clonagem.

Adam limpou a garganta, chamando a atenção de Shiro, que coçou o pescoço envergonhado.

- Por último, estou confuso porque não sei se estou apaixonado por Keith porque realmente sou ou se estou apaixonado por Keith porque Kuron era e de alguma forma esses sentimentos ainda estão aqui dentro desse corpo.

Adam ponderou, cético, por minutos em silêncio.

- Isso importa? – ele questionou depois de um tempo.

- O que?

- Importa saber de onde esses sentimentos vieram?

Shiro não soube verdadeiramente o que responder.

- Takashi, eu tenho certeza de que aquele garoto amaria qualquer versão sua. Clone ou não – e antes que Shiro o questionasse sobre isso, Adam justificou – Eu sei disso porque eu amaria qualquer versão sua. Inclusive o cabelo branco combina com você... está mais sexy que o normal – Adam piscou, flertando apenas para fazer Shiro corar.

- Você realmente acha isso...?

- Sobre o cabelo? Com certeza, assim que pus os olhos em você tive vontade de sentar...

- ADAM! – Shiro gritou, cobrindo os olhos com a mão alteana – Eu estava me referindo a Keith!

Adam riu, provocativo. Ele sabia daquilo, mas era sempre engraçado ver o desastre gay Shirogane e por isso não resistiu a provocá-lo.

- Takashi, se os sentimentos estão aí, por que não vivê-los? Qualquer um que tiver um pouco de sua atenção pode se considerar sortudo, posso dizer por experiência própria. Seu único defeito é se doar demais e esquecer dos próprios limites, mas tenho certeza de que Keith irá conseguir colocá-lo na linha, assim como eu fiz no passado. Não há nada em você que não valha a pena, física e emocionalmente falando.

Shiro estava prestes a chorar nesse momento, mas ele sabia que se cedesse a elas agora, não conseguiria parar e ainda não era o momento para terminar aquele diálogo, por isso enxugou seus olhos com a mão humana e voltou a olhar Adam, cheio de carinho.

- Você foi meu primeiro amor – Shiro fungou, embora tentasse manter sua postura séria.

Adam sorriu abertamente para ele e tombou a cabeça para o lado. Seu coração batia apressado, repleto de amor e adoração por Shiro, e por esse motivo levou a mão ao pescoço dele e o puxou para encontrar sua boca. Foi um beijo doce, lento, cheio de mágoas e ao mesmo tempo perdão. Ambos sabiam que aquela era a última vez que iriam sentir o sabor um do outro e estavam satisfeitos com isso. Não podia ser diferente de qualquer maneira, esse era o final que mereciam.

Eles se separaram devagar, encostando as testas uma na outra e mantendo os olhos fechados.

- Você também foi meu primeiro amor. Mas seu coração é dele agora.

- Obrigado, Adam. Por tudo.

- O mesmo, Takashi.

Shiro riu um pouquinho, com o queixo tremendo pela emoção.

- É melhor você não me chamar desse jeito a partir de agora, então. Keith é um pouco possessivo, instinto Galra ou qualquer coisa assim...

- Oh... – Adam abriu seus olhos e havia um desafiador em suas íris mel – Aquele garoto vai ter que se acostumar, porque para mim você vai ser sempre Takashi.

Shiro sorriu feliz. Ele não podia esperar nada diferente de Adam.

--------------------------------------------------------------------

 

NOTAS FINAIS:

EU AMO O ADAM. Não deveria porque o coitado só teve 20 seg de tela, em 15 tava tendo DR e em 5 tava morrendo, mas eu gosto de pensar que ele era bom, afinal, foi namorado do Shiro. Então eu sou meio que uma bomba de headcanon sobre eles. Como foi o primeiro encontro, como foi o pedido de namoro, como era a vivencia no Garrison, os trejeitos e etc.

Dois headcanons aqui que poderiam ser muito explorados: O fato de Shiro nunca ter falado sobre Adam enquanto estavam no espaço e mesmo depois na Terra ter sido porque os druidas bagunçaram sua mente. E que o afastamento [NOM-SENSE e inexplicável] de Shiro e Keith foi porque Shiro não sabia reconhecer com certeza quais sentimentos eram seus e quais não, já que suas memorias foram fundidas às de Kuron, e além dele ser uma bagunça, tomar uma atitude em relação a Keith teria que ser definitiva e ele deveria pensar ~muito~ bem sobre isso antes de magoar o Keith por decisões feitas rápidas demais.

30 de Enero de 2019 a las 22:25 1 Reporte Insertar 1
Fin

Conoce al autor

Vany-chan 734 Fada do Fluffy e maluca dos angst. Luto pelo fim dos leitores fantasmas, por SasuSaku e por ShiIta, meus OTPs! "KakaSaku - Uma Chance para Nós" não será repostada aqui até ter sido devidamente betada, assim como "O Caminho que Trilhamos".

Comenta algo

Publica!
Minara Hitsugaya Minara Hitsugaya
Eu não consigo gostar de Adam, Keith presiçou de ajuda, de alguém, foi abandonado, aguentou a expulsão sozinho, Adam sequer o procurou, pelo contrário, foi um dos primeiros contra ele, se Adam gostasse mesmo de Shiro, teria cuidado de Keith porque sabia o quanto o noivo amava o garoto e o protegia. . . Amei ao menos a história
10 de Septiembre de 2019 a las 08:31
~