Um estranho no espelho Seguir historia

sweetdrama Ana França

Há um ano atrás, em uma festa de halloween, Sasha Young foi assassinada. Ninguém sabe ao certo o que houve. O principal suspeito, era o ex-namorado de Sasha, Blaze, que foi inocentado por falta de evidências. O tempo passou e as aulas na Universidade Estadual do Iowa parecem normais e até monótonas novamente. Contudo a chegada de uma nova aluna promete abalar as estruturas de todos por ali. Talvez seja apenas uma mera semelhança, mas a presença de Kylie Ross causa espanto em todos que um dia conheceram Sasha. Transferida da UCLA, Kylie Ross, cursa jornalismo. É bonita e inteligente. Ela só tem um problema: é a cópia da falecida Sasha. "Até onde você confiaria no reflexo do espelho?"


Suspenso/Misterio Todo público. © todos reservados a autora

#romance #suspense #halloween #mistério #assassinato #amigos #amizade #presente #segredos #faculdade #universidade #passado #mortes #Iowa
2
3631 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

A noite da tragédia e o presente desastroso

Às luzes negras cobriam o local e a tinta neon fazia a animação de todos os presentes. A festa tinha começado à três horas atrás e estava se encaminhando para o seu auge. Pelo caminho haviam corpos cheios de bebidas e desejos. Alguns com drogas ilícitas e vários se beijavam como se não houvesse amanhã.

O remix de Ed Sheeran inebriava as pessoas com a mistura tentadora de Coca-Cola e rum. Fantasias que resumiam-se em: quanto menos pano melhor, dominavam o local.

O sexy e perigoso de estar em uma festa de halloween era o que excitava a maioria. As máscaras e fantasias tinham o seu próprio charme inegável. Afinal, ao menos uma vez no ano podemos fingir sermos outra pessoa, ou ainda mostrarmos a nossa verdadeira forma.

Mas o que ninguém esperava era que a noite de comemoração acabasse em tragédia.

Um grito alto ressoou a música e fez com que a festa de halloween parasse na fraternidade Delta. Louise Thonks e Kristine Asherbrown correram pelas escadas do local rumo aos quartos com Oliver Young atrás delas.

O grito vinha justamente do quarto de Oliver e ao chegarem a porta se depararam com Blaze Flynn ajoelhado ao lado de um corpo enquanto Alicia Mendes, a dona do grito, tremia compulsivamente ao lado da porta.

—O que aconteceu aqui? —Oliver perguntou aproximando-se mais do corpo que esvaia sangue. —Sasha?!

—Chamem uma ambulância! —Pediu Louise segurando Alicia e a puxando para o lado de fora enquanto vários alunos tentavam espiar o que acontecia lá dentro.

—O que houve? —Questionou Patrick Watson, namorado de Alicia, aproximando-se dela.

—Eu acho que... —Kristine tentava formular uma frase, mas não conseguiu.

—Sasha está morta! — Declarou Alicia chocada com o que acabara de sair da sua boca.

***

Um ano daquele sábado sangrento. Alicia penteava seus cabelos castanhos e encarava o próprio reflexo no espelho. Ela nunca esqueceria aquela data, mas sentia-se mal por não se lembrar daquela noite. A noite em que uma das suas melhores amigas tinha sido brutalmente assassinada.

Ela terminou de ajeitar suas madeixas e caminhou até o armário para pegar um casaco, afinal ainda era inverno. Ela sentou-se na sua cama e calçou uma bota marrom de cano alto e avaliou o seu look no espelho mais uma vez antes de abrir a porta do quarto e ir a cozinha do seu pequeno apartamento. O cheiro de café dominou suas narinas assim que ela pisou no corredor. Ela sorriu minimamente com aquilo.

Caminhou até o balcão da cozinha e encontrou um bilhete sob o mármore da bancada.

"Tive que sair correndo, desculpa! O café está fresco e espero que ainda quente. Nos vemos no almoço. Te amo, baby!

Beijos, Patrick"

Não tinha como não sorrir com um namorado desses. Patrick e Alicia namoravam há três anos já. Pretendiam se casar após a faculdade e no fim do ano passado decidiram morar juntos. Eles dividiam um pequeno apartamento perto do campus da Universidade Estadual de Iowa, que ficava no município de Ames.

Era perto da capital, mas era o longe o suficiente para que seus pais não a incomodassem todos os dias com visitas inconveniente. Ela foi até a cafeteria e verificou que o café que seu namorado havia deixado estava quente ainda. Ela serviu uma caneca e bebeu o líquido. Ela precisaria de muito mais do que uma caneca de café para atravessar aquele dia, mas com esforço conseguiria.

Ela pegou a sua bolsa com os livros que precisaria para a sua aula de história e literatura clássica e saiu do apartamento. Desceu até a garagem e pegou a sua bicicleta.

Alicia era ativa na causa de preservação do meio ambiente e por isso preferia usar a bicicleta para se locomover ao invés de usar o carro. Claro que tudo isso também era uma questão de custo, e o fato dela não ter dinheiro para comprar um carro.

Em meia hora pedalando chegou ao campus da faculdade. Aquele seria um dia difícil de se enfrentar, mas ela tinha que tentar.

Do outro lado do campus uma BMW branca e do último modelo parava no estacionamento dos estudantes. Dele saiu uma garota de cabelos loiros curtos, com uma bela bolsa Louis Vuitton vermelha e um sapato de salto branco scarpin e bico fino.

Os lábios estavam tomados por um tom de vermelho perigoso e os olhos verdes brilhavam no pouco de sol que havia na cidade. Ela trancou o carro e começou a caminhar em direção ao prédio de humanas. Tinha aula de história no primeiro horário. Não que ela gostasse de história, preferia mil vezes os seus casos de biologia, mas sabia quem encontraria lá.

Já na sala de aula, os olhos de Alicia correram o perímetro até encontrar uma garota de cabelos arruivados, Kristine Watson, sua amiga. Ela aproximou-se das últimas carteiras e sentou-se ao lado de Kristine.

—Bom dia. —Disse Alicia, chamando a atenção da amiga, que até o momento estava retina na tela de seu telefone de última geração.

—Bom dia só se for para você. —Respondeu Kris não muito animada. —Hoje faz um ano e ainda parece que ela está presente, sempre.

—Eu sei qual é a sensação, mas Sasha está morta e nós, até a conclusão da faculdade seremos tachadas de "amigas da garota que foi morta". —Respondeu Alicia pegando o seu bloco de anotações na bolsa.

Kris soltou uma leve risada anasalada.

—Acho que algumas de nós querem outro tipo de fama. —Comentou Kristine referindo-se a Louise, que acabava de entrar na sala de aula com sua bolsa vermelha e lábios no mesmo tom. A ex-morena e atual loira caminhou até as amigas e sentou-se na frente de Kris.

—Bom dia meninas! —A animação de Louise era estranha, para dizer o mínimo. —Como foram as férias?

—Ótimas. —Respondeu Alicia, antes que Kris começasse um comentário maldoso a respeito da amiga. —E as suas?

—Soube que andou transando com o Blaze. —Disparou Kris séria. —O que você quer Lou? Pintou o cabelo, só faltou uma lente azul para se esforçar ainda mais para se parecer com a...

—Não sou ela! —Interrompeu Louise. —Você pode achar que o fantasma de Sasha persegue você, mas para mim aquela garota está enterrada a muito tempo. Tenho o direito de seguir a minha vida, assim como Blaze tem direito de seguir com a dele.

—Esse cara é corajoso, afinal, acabou de ser absolvido pelo assassinato da ex-namorada e arranjou outra. ­—Retrucou Kristine com raiva e sarcasmo. —Ou seria você muito burra? Afinal pode estar dormindo com o cara que possivelmente matou uma das suas melhores amigas.

—Chega vocês duas! —Disse Alicia antes que Louise falasse mais alguma coisa. Elas estavam se excedendo e a discussão começava a chamar a atenção de outros alunos presentes na sala. ­— Sasha era nossa amiga e acima de tudo nos mostrou o quanto somos fortes juntas. Vamos parar com essa discussão boba.

—Eu amava a Sasha, não ache que eu não sinto falta dela. —Disse Louise. — Me desculpa Kris.

Kristine revirou os olhos.

—Tudo bem.

Louise não era uma má pessoa, só era apaixonada pelo cara errado e Kristine sabia disso no fundo. Aliás, como Lou, Kris também havia se apaixonado pela pessoa errada e sabia como aquilo funcionava. O professor então entrou na sala e deu início a sua aula de história.

Aquela não era uma aula comum no currículo de Louise, mas ela se esforçava para não perder a amizade de Alicia e Kristine. Ela gostava das garotas e sabia que sua amizade valeria a pena. Louise cursava medicina, Kristine psicologia e Alicia literatura criativa. Sasha costumava cursar medicina com Louise.

A amizade de Sasha e Louise na verdade provinha desde o fim do ensino médio. Onde Sasha já era a abelha rainha. Elas eram grudadas até o primeiro dia de aula na faculdade, quando os olhos das duas encontraram Blaze Flynn. Claro que foi Sasha quem chamou a atenção do rapaz e Louise  ficou para escanteio. Mas após a morte de Sasha, Louise tornou-se muito próxima de Blaze e quase um ano após a morte da amiga ela fisgou o garoto. Ela até sentiu-se mal no começo, mas depois da segunda semana conhecendo os lábios de Flynn ela deixou de se importar.

A aula passou como um borrão para as três amigas. Ao saírem da sala de aula encontraram Travis bebendo água pelo corredor. O rapaz que sempre chamou atenção por onde passava pelos seus olhos verdes e pele morena, vestia uma camisa branca de baixo de um suéter verde musgo. Os seus belos braços malhados se destacavam, assim como a bela bunda que ele carregava atrás. Aquilo era uma bela bunda masculina.

Kristine aproximou-se do amigo e Louise e Alicia vieram atrás.

Os olhos verdes de Patrick encararam Kristine e um sorriso abriu-se em seus lábios.

—Kris!

Ele envolveu a garota em seus braços com um abraço. Kristine sentiu-se em paz naquele abraço. Depois cumprimentou Louise e Alicia da mesma forma. Os quatro estavam juntos na noite que tudo aconteceu. Desde aquele dia Travis se afastou um pouco das amigas, mas com o tempo acabou voltando para o grupo. Ele e Blaze eram os rapazes do grupo, mas como Blaze namorava Sasha não contava muito.

—Como foram as férias? —Questionou Lou.

—Foram boas. — E Travis lembrou-se das noites intensas e perturbadoras que havia tido. Tudo ainda proveniente daquela maldita noite. As imagens do que havia acontecido eram frescas em sua mente e isso o incomodava, principalmente pelo fato de uma de suas amigas não se lembrar. — E a de vocês?

—Cansativas. —Declarou Kris.

—Boas e tranquilas. —Comentou Alicia.

—Radicais. —Disse Lou.

E um celular apitou. Era uma mensagem nova no celular de Alicia, a morena sacou o celular da bolsa e encarou a nova mensagem do namorado, Patrick.

—É o Pat... —Comentou Alicia, mesmo que não precisasse dar satisfação aos seus amigos. Ela observou a mensagem e em seguida respondeu-a. Feito isso encarou os amigos conversando como se estivesse tudo bem com todo mundo. Ela ainda pensava seriamente se todos conseguiram lidar bem com o que houve naquela noite, pois a sua vida havia se tornado um inferno desde então. —Vamos almoçar juntos? —Questionou Alicia interrompendo o outro assunto que Kris e Travis conversavam.

—Ally... —Travis começou a dizer em tom reprovatório, mas foi interrompido por Louise.

—Eu acho que seria uma ótima ideia. —Declarou a nova loira.

­—Ninguém precisa passar por esse dia sozinho... —Comentou Alicia tocando a mão de Travis. —Por favor...

Ele sorriu levemente.

—Tudo bem, almoçaremos todos juntos. —Aceitou Travis. —Até o idiota do Blaze.

—Vocês não moram mais juntos? —Questionou Kris encarando o amigo.

—Não, eu resolvi voltar a morar na fraternidade, o Blaze mora no apartamento sozinho. —Declarou o único homem ali presente. —Foi melhor assim. —Travis suspirou e então voltou seu olhar a Louise. —E você, Lou, soube que está com Blaze.

—É, estamos juntos... Passamos as férias verão juntos. —Declarou Thonks. —Mas parece que só eu que fiquei animada com a novidade. —Dito isso ela sorriu fraco e decidiu se despedir dos amigos.

—Lou, não vá... —Pediu Alicia sendo simpática.

—Não, Ally, eu preciso ir... Tenho aula no prédio de biologia em cinco minutos. —Ela desvencilhou-se do toque das mãos de Alicia e partiu pelo corredor.

—Já foi tarde... —Declarou Kristine, o que fez com que Alicia a mirasse com total desaprovação. —O quê?! Ah Alicia, pelo amor de Deus, nós nos vimos durante as férias, nós ficamos juntas, já ela... Ela estava transando com o ex da morta.

Alicia revirou os olhos e deixou que Travis colocasse um de seus braços sobre o seu ombro, deixando o outro braço sobre o ombro de Kristine.

—Relaxem garotas, Louise sempre foi apaixonada pelo Blaze e até a Sasha sabia disso. —Comentou Travis terminando aquela conversa.

***

Alicia guardou o seu livro dentro da sua bolsa e pegou a sua garrafinha de chá verde. Ela abriu a tampa do recipiente e tomou um gole do líquido. Pegou mais uma vez o celular do seu bolso e viu uma mensagem de Patrick.

"Espero você no refeitório ao lado do prédio C de humanas. Xx Patrick"

Alicia suspirou e digitou apenas um ok ao namorado. Ela continuou a caminhar rumo ao refeitório que o namorado tinha indicado na mensagem. No caso teria que caminhar um bocado até o local, mas não se importava. Ela guardou o celular no bolso do casaco e deu mais um passo em direção a porta principal do prédio de humanas onde estava, mas seu caminho foi interrompido por alguém segurando o seu braço. Os olhos castanhos de Alicia miraram quem a seguraram e a surpresa ficou clara em seu rosto ao encontrar os olhos esverdeados dele.

—O que você está fazendo aqui? ­—Questionou a garota encarando o homem loiro. Seus cabelos agora não eram mais curtos e sim longos e presos em um rabo de cavalo, a barba estava por fazer, mas o olhar continuava o mesmo. Os lábios dele ficaram entre abertos enquanto ele ainda pensava no que dizer a ela, mas Alicia foi mais rápida. —Oliver, o que você está fazendo aqui? Quando voltou?

—Cheguei ontem a noite, começarei o semestre agora. —Declarou o irmão mais velho Young. —É bom ver um rosto amigo depois de tanto tempo.

Ela não conteve um sorriso frágil em seus lábios, soltando o seu braço do seu toque e o abraçando.

—É muito bom revê-lo, Oliv! —Ele correspondeu no ato a ação, inalando o bom perfume de Alicia.

—É, é bom revê-la... O que anda fazendo? —Questionou o rapaz.

—Estudando muito e tentando sobreviver a esse dia. —Declarou a morena e o jovem deixou que uma leve careta se formasse no seu rosto. —Desculpa, não deveria ter...

—Sem problemas. —Ele a interrompeu. —O que aconteceu, aconteceu. Não podemos mudar o passado. — Alicia deixou que um reflexo de tristeza a segurasse e desviou o olhar de Oliver. —Ei, Ali... —As mãos dele seguraram a sua e os olhos dela encararam ele. —E a sua memória?

Eis a pergunta que Alicia evitava há um ano.

***

Louise tirou o seu jaleco e colocou sobre a sua bolsa vermelha enquanto soltava o pequeno coque que ela havia feito com um elástico no seu cabelo. Ela suspirou sozinha e pegou o gloss que havia dentro da sua bolsa e passou sobre os seus lábios. Em seguida decidiu ir em direção ao refeitório. Saiu da sala e caminhou pelo corredor até a parte de fora do prédio, onde encontrou um ar gelado e um moreno, alto, com tatuagens pelo braço e no pescoço. A jaqueta de couro e o cigarro nos lábios.

Ela sorriu minimamente ao encará-lo e caminhou até ele.

—Oi, Blaze. —Ela disse chamando a sua atenção. O rapaz sorriu levemente e tirou o cigarro dos lábios, selando os mesmos com os de Louise em um selinho rápido. —Como você está?

—Péssimo... —Ele resmungou e ela suspirou, sabendo bem o que ele sentia. —E você, como está sobrevivendo a esse dia?

—Falou bem, estou sobrevivendo apenas hoje. —Ela o respondeu desviando o seu olhar dele.

Blaze suspirou alto e tocou a mão da garota.

—Não queria fazer você se sentir mal, mas ainda é muito recente. —Ele declarou e ela apenas assentiu.

—Eu sei, eu também a amava e eu também sinto a falta dela. —Louise declarou fazendo com que o namorado a puxasse para si e a abraçasse.

***

Kristine suspirou e deu um gole no seu café quente. O vento gelado era cortante, mas ela nem se incomodava. Em sua outra mão estava um livro, não era bem a sua leitura favorita, mas era a leitura favorita de Sasha, ou melhor, costumava ser a leitura favorita dela.

O livro em questão era "Orgulho e preconceito" de Jane Austen. Sasha costumava dizer que aquele livro era a relação delas. Kristine sempre julgou a ideia da amiga maluca, mas no fim ela tinha um pouco de razão.

Mais um gole de café e a sua leitura foi interrompida. Seus olhos se levantaram das páginas do livro e encontraram os olhos de Travis.

—O que faz aqui sozinha? —Questionou o seu amigo.

—Estou lendo apenas. —Declarou a ruiva dando de ombros, ela marcou a página na qual tinha parado a leitura e guardou o livro na sua bolsa. Travis estendeu a mão para ela e a mesma a agarrou, levantando-se. —Vai almoçar agora?

—Vou. —Ele respondeu, mas percebeu que a amiga queria dar-lhe uma desculpa para não seguir com ele, por isso ele se adiantou. —E você vai comigo! Está muito magra.

Kristine riu e revirou os olhos antes de engatar o seu braço no de Travis e seguir com ele até o refeitório. O clima estava bem úmido e gelado. Ao que tudo indicava uma tempestade se aproximava nas próximas horas. Kris encolheu-se dentro do seu casaco de couro preto e Travis a puxou mais para si, a ruiva sorriu para o amigo, mas não demorou para que seus olhos encontrassem Louise e Blaze chegando ao refeitório e o sorriso se desfez.

Travis ao notar a ação da amiga a puxou para a outra entrada do refeitório. Eles entraram no local e não demorou para encontrarem o namorado de Alicia, Patrick, sentado em uma mesa sozinho. Os dois se aproximaram do rapaz e sentaram-se na mesma mesa.

***

Alicia suspirou e negou com a cabeça.

—Não quero falar sobre isso agora, Oliver. —Ela o respondeu com um semblante bem mais trágico do que de segundos atrás. —Eu preciso ir. —Ela se desvencilhou dele, mas não se livrou dele, já que o irmão mais velho da sua amiga falecida acompanhou-a na caminhada rumo ao refeitório.

—Ali, me desculpe... —O loiro começou a falar, mas a morena não o deixava terminar a sua sentença.

—Oliver, aquela noite me atormenta e o pior é que eu não me lembro de nada que aconteceu. —Declarou Alicia. —Não quero ter que falar sobre aquela noite.

—Eu sei, nenhum de nós... Me desculpa! —Ele disse segurando o seu braço a impedindo de finalmente entrar no refeitório. Os olhos de Alicia encararam o braço de Oliver e então seus olhos suplicantes. —É só que aconteceram coisas que eu...

—Para, por favor. —Ela pediu e ele suspirou derrotado, soltando-a. — Eu fico feliz em ver você de novo, mas não quero conversar sobre o que houve naquela noite.

—Então você se lembra? —Ele questionou confuso, mas a resposta que conseguiu fez com que ele se sentisse desapontado.

—Não... A última coisa que eu lembro foi que eu e Patrick brigamos no carro antes de entrar na festa e a próxima memória é do dia seguinte. —Ela admitiu em um tom de voz alto, assumindo a si própria aquele maldito pesadelo. —Eu queria muito lembrar, mas eu não consigo. — Oliver soltou um suspiro derrotado e decepcionado. —Por que você voltou? —Alicia questionou intrigada com o surgimento repentino do amigo.

—Porque... Porque eu deixei algumas coisas para trás. —Foi o que ele resumidamente conseguiu responder a Alicia. —Desculpe pela pergunta.

O silêncio pairou por um segundo até que Alicia assentisse e encarasse Oliver com um pouco menos de dúvida e incertezas. Ela soltou um leve sorriso e tocou a mão do rapaz.

—Almoça conosco?

Ele riu e assentiu.

—Almoço...

Os dois viraram-se novamente para o refeitório, mas o seu caminho foi interrompido por uma garota apressada. Ela tinha uma touca preta sobre a cabeça e vestia um coturno preto, uma calça jeans também preta e um casaco grosso verde militar. Alguns livros da pobre garota foram ao chão, fazendo com que ela se abaixasse no ato para pegar os dois livros que estavam no chão.

—Me desculpem. —Disse a garota da touca e isso fez com que Alicia ficasse imóvel. A jovem loira levantou-se e então a morena pode encarar seus olhos azuis e os lábios rosados. Oliver prendeu a respiração e sentiu algumas lágrimas querendo encher seus olhos azuis. —O que foi? Parece que viram um fantasma. —O tom de deboche dela preencheu a frase, mas a novata não sabia era que para Oliver e Alicia ela era de fato um fantasma. Um fantasma de Sasha. —Ei!

—Quem é você? —Questionou Alicia sentindo o corpo todo tremer.

—Sou Kylie Ross e vocês? —Questionou a loira tentando ser simpática com duas pessoas que estavam agindo feito loucas com ela.

—Sasha... —Foi o que Oliver conseguiu pronunciar ao encarar a cópia da sua falecida irmã.

—Não... Kylie, meu nome é Kylie. —Replicou a loira encarando os dois jovens a sua frente. — Vocês estão bem? Parecem realmente que estão vendo uma assombração. — Oliver desviou o olhar da garota e encarou Alicia, que tremia muito enquanto as lágrimas escorriam pelo seu rosto. — A sua namorada parece estar bem mal... —Comentou a garota apertando os seus livros contra o peito. —Olha vocês parecem ser bem gente boa, mas eu preciso...

Antes que a tal Kylie conseguisse terminar a frase, Alicia acabou entrando em colapso por vê-la ali. A morena desmaiou, caindo nos braços de Oliver antes que atingisse o chão.

20 de Enero de 2019 a las 19:56 0 Reporte Insertar 0
Leer el siguiente capítulo Kylie Ross

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~

¿Estás disfrutando la lectura?

¡Hey! Todavía hay 19 otros capítulos en esta historia.
Para seguir leyendo, por favor regístrate o inicia sesión. ¡Gratis!

Ingresa con Facebook Ingresa con Twitter

o usa la forma tradicional de iniciar sesión