Quero Leitinho Seguir historia

hachiko Tiny Hachi

Suho é um híbrido que após ser resgatado das ruas por Yixing acabou se apaixonando pelo chinês. Depois de vários anos começou a tentar investir no maior, mas o cara era muito lento e tudo o que entendia era que o coelhinho queria leite.


Fanfiction Bandas/Cantantes Sólo para mayores de 18.

#hibridos #lemon #suho #sulay #lay
Cuento corto
2
3719 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Leitinho do Hyung


A vida de Junmyeon nunca fora um mar de rosas, nasceu em um abrigo para híbridos onde vivia em uma situação precária com outros híbridos. Quando fora adotado por uma mulher que vivia sozinha achou que finalmente iria levar uma vida boa, cheia de mimos e comida, coisas que híbridos de coelho gostam.

Porém estava enganado.

Era maltratado todos os dias por sua dona que insistia em descontar toda sua raiva em cima do próprio hibrido. E mesmo sendo tão maltratado ele ainda amava sua dona, esperava-a todos os dias em frente à porta de sua casa perguntando como havia sido o dia de trabalho e se precisava de alguma coisa, mas ela sempre respondia de mau humor e às vezes empurrava o menor e batia no mesmo por ser tão inconveniente.

Foram vários meses aguentando tudo aquilo, até que sua dona arrumou outro hibrido, deixando assim Junmyeon em uma caixa no meio da rua.

O coelhinho passou algumas semanas vivendo na rua, em meio a vários outros híbridos. Até que um certo dia um “anjo” com covinhas apareceu, perguntando se ele não queria morar consigo, já que esse vivia muito sozinho em um apartamento.

Junmyeon deu um enorme sorriso e aceitou de muito bom grado viver com o chinês.

- Qual seu nome pequeno?- perguntou Yixing.

- Junmyeon- respondeu um tanto baixo.

- Nossa que nome difícil!- o moreno mais alto fez uma expressão um tanto pensativa antes de estralar os dedos e voltar a falar novamente- Já sei! Irei te dar outro nome, para você começar uma vida nova e esquecer sua antiga dona.

O coelhinho levantou seu olhar para o maior em sua frente, vendo o brilho nos olhos do mesmo. Assentiu timidamente com a cabeça.

- Que tal... - parou um pouco para pensar em um nome- ...Suho?

- Suho?- repetiu quase que para si mesmo do que para o outro.

- Sim, acho que combina melhor com você- o chinês sorriu, mostrando sua bela covinha que havia em sua bochecha.

O menor sorriu logo sentindo sua pequenina mão ser envolvida pela do maior.

- Vamos para casa Suho?

[...]

Alguns meses rapidamente se passaram, e —agora— Suho se sentia extremamente grato por Yixing ter o achado naquela noite fria de inverno. O chinês era carinhoso e gentil consigo, gostava de dar carinho e Suho gostava de recebê-lo. Todos os dias quando o mais velho chegava do trabalho era recebido pelo híbrido de braços abertos e um bico infantil nos lábios vermelhos.

 

- Você demorou hoje- reclamou enquanto entrelaçava suas pernas na cintura alheia, uma mania que havia adquirido com o passar do tempo.

 

- Desculpe amor- deu um pequeno beijo na bochecha do híbrido- Hoje eu peguei muito trânsito no caminho.

 

Essa desculpa acabou não colando com o pequeno, que aumentou mais ainda seu bico.

 

- Você poderia colocar aquelas sirenes em cima do carro de policial- disse abrindo os braços como se fosse a melhor ideia do mundo- Aí iam abrir caminho para você!

 

O mais velho soltou uma gargalhada gostosa enquanto ia para a cozinha com o menor em seu colo.

 

- Pequeno, as coisas não funcionam assim- pensou em explicar para o híbrido, mas aqueles olhinhos brilhando em uma confusão fofa o fez desistir da ideia- É difícil conseguir essas sirenes, eu teria que ser policial e passar menos tempo com você.

 

- Ah não!- exclamou o híbrido enquanto se remexia no colo do maior para que esse o colocasse no chão.

 

Assim que os pequenos pezinhos tocaram o chão frio, Suho correu para a cozinha que ficava atrás de uma porta que estranhamente estava fechada. Yixing achou aquilo um tanto estranho então apenas seguiu o menor, e quando adentrou aquele cômodo viu uma bagunça enorme de louça suja, comida no chão e nas paredes, mas algo chamava sua atenção, um pequeno prato repousava em cima do balcão com uma cenoura algumas folhas de alface e chocolate, ao lado repousava um copo de leite que tinha uma cor estranha.

 

- O que é isso?- perguntou para o menor.

 

Suho pegou o prato de cima do balcão e estendeu o mesmo para Yixing com um sorriso tímido nos lábios.

 

- Eu queria fazer alguma coisa para você comer quando chegasse, porque você sempre chega cansado- respondeu- Eu não sabia do que você gostava então eu coloquei o que eu gosto.

 

O maior pegou o prato, porém observou toda aquela bagunça, imaginou o tanto que teria que gastar com uma empregada para limpar tudo aquilo, mas por incrível que pareça estava feliz, observando o prato que mais parecia àqueles brinquedos de massinha. Pegou um dos garfos que estava em cima do balcão, pegou um pedaço da cenoura que estava envolta por chocolate e levou até os lábios, saboreando a mesma.

 

Estava horrível.

 

Mas teria que fingir que estava bom, já que não queria acabar com as esperanças de seu pequeno que o observava com aqueles olhinhos brilhando.

 

- Está m-muito bom- mentiu- Mas acabei de lembrar que cenoura com chocolate e alface não é minha comida favorita- sorriu.

 

Suho fez um bico um tanto decepcionado, abaixando sua cabeça. Yixing agachou-se ficando na altura do híbrido e passou levemente a mão pela sua cabeça, chegando a passar seus dedos pelas orelhas de coelho delicadamente. Ouviu um suspiro e sentiu o menor esfregar mais a cabeça em sua mão para receber mais carinho.

 

- Não fica assim pequeno, com o tempo você aprende a cozinhar- sorriu.

 

Suho continuou com o bico emburrado, mas foi se rendendo ao carinho que era depositado em sua cabeça e orelha. Aproximou-se lentamente, ficando entre os braços do mais velho de um jeito manhoso. 

 

- E você é muito novo para isso também- deixou um beijo sobre o topo da cabeça do menor- Não precisa se preocupar ok? Eu irei trazer comida para nós todos os dias- sorriu. 

 

Afastou o menor levemente apenas para ter certeza que o bico nos lábios finos avia desaparecido. Pegou-o no colo, abraçando as penas do mais novo para que tivesse mais apoio ao segurá-lo.

 

- Eu trouxe aquela comida que você gosta- sorriu quando viu os olhinhos pequenos brilharem.

 

Saiu com o híbrido em seu colo em direção a sala, onde havia deixado as sacolas com comida.

 

 

Assim que terminaram de comer, Suho logo correu até o quarto que dividia com o mais velho, sabendo o que viria a seguir.

 

- Pequeno vem tomar banho- gritou da sala.

 

- Eu não quero tomar banho!- rebateu- Eu estou limpinho!

 

Yixing suspirou pacientemente enquanto se levantava e andava em direção ao quarto, onde sempre encontrava o menor enrolado no meio de suas cobertas, como se estivesse se escondendo.

 

- Você mexeu com comida hoje bebê, precisa tomar banho.

 

Rapidamente pegou o menor no colo enrolado em seus lençóis e andou até o banheiro com o mesmo se debatendo em seus braços. Assim que entrou tratou logo de trancar a porta e esconder a chave.

 

Deixou o menor no chão, e assim que tirou o lençol de seu rosto observou aquele biquinho fofo emburrado. Apertou as bochechas do híbrido.

 

- Vai ser rápido pequeno, eu prometo- sorriu.

 

Começou a tirar os lençóis que cobriam o corpo do menor e logo em seguida as roupas. O corpo pequenino se arrepiou quando sentiu o vento gelado bater contra sua pele. Foi até o chuveiro e ligou o chuveiro na água quente, como sabia que o híbrido gostava. O puxou levemente pela mão e o colocou embaixo do chuveiro.

 

Suho odiava tomar banho, mas adorava a sensação que a água quente causava em si. Ergueu seus bracinhos para que Yixing começasse a passar o sabonete, tomando cuidado com as orelhas do híbrido e seu rabinho que era muito sensível a qualquer toque. 

 

Quando terminou enrolou o menor na toalha e o levou no colo até o quarto, Suho era sempre muito mimado e adorava ficar no colo do maior. Vestiu o pijama no híbrido, que era uma de suas blusas que ficava gigante no corpinho pequeno. Quando finalmente terminou de arrumar Suho para que esse pudesse dormir pode tomar um banho quente antes de se deitar ao lado do mais novo na cama.

 

[...]

 

Alguns anos acabaram se passando, Suho havia crescido muito rápido em tão pouco tempo, isso era uma das vantagens de ser híbrido, amadurecer rapidamente. Mas Yixing acabou não conseguindo acompanhar essa mudança brusca de personalidade de Suho, que agora já estava maior do que seu corpo podia aguentar.

 

- Suho, bebê, você viu minha blusa- perguntou Yixing enquanto adentrava a sala, e pela sua surpresa acabou encontrando a blusa que procurava no corpo do híbrido.

 

- Não vi- respondeu sem ao menos olhar para o maior, não tirando seus olhos de seu celular.

 

- Que engraçado, eu tenho uma blusa muito parecida com essa que você está vestindo- colocou a mão no queixo em uma forma pensativa.

 

Suho tirou seus olhos apenas para observar a blusa que estava vestindo, já que esse mesmo não se lembrava de ter pegado a blusa do mais velho, era um mau costume que teria que acabar.

 

- Ah, nem vi, foi a primeira que peguei- disse simplista.

 

Yixing suspirou fundo, decidindo ficar sem camisa já que estava com muita preguiça de ir procurar outra em seu guarda-roupa. Sentou-se no sofá ao lado de Suho, logo mudando de canal para ver o que havia de interessante passando. Como um costume que tinha começou a acariciar a cabeça do híbrido, vez ou outra acariciando as orelhas que sabiam que eram sensíveis. Assim que começou a dar atenção especial as orelhas do híbrido e ouvir sons manhosos saírem dos lábios cheinhos o menor se afastou rapidamente, com as bochechas vermelhas e encarando o maior que tinha uma expressão de confusão.

 

- O-o que você está f-fazendo?

 

- Carinho ué- disse como se fosse à coisa mais normal do mundo- Você gostava disso quando era menor, porque está se afastando agora?

 

- Porque... Porque... Porque sim! Eu não sou mais criança!

 

O mais velho continuou encarando o híbrido com uma expressão de confusão enquanto ouvia o mesmo dizer os motivos de não querer que esse fizesse mais carinho em si. Dentre os milhares de motivos, um lhe chamou atenção.

 

-... E eu me sinto estranho.

 

- Estranho como?- perguntou curioso- pensei que você gostasse. Você faz até sons fofos enquanto eu acaricio.

 

Suho não tinha certeza, mas sabia que estava corado já que sentia suas bochechas pegarem fogo.

 

- M-mas agora eu me s-sinto estranho!- disse virando o rosto- Vamos mudar de assunto, como foi o trabalho hoje?

 

- Ah a mesma coisa de sempre...

 

Suho observava o mais velho lhe contar mais uma vez como fora o dia de trabalho, sentia seu coração palpitar quando o maior falava algo e esse mesmo começava a rir, mostrando a bela covinha que tinha em sua bochecha, ou quando sentia os lábios secos e passava lentamente a língua sobre eles. O hibrido não sabia ao certo o tempo exato que soubera estar apaixonado por Yixing, apenas havia certeza depois de muitas pesquisas na internet e conversas com seus outros amigos híbridos que sentiam as mesmas coisas com seus donos.

 

Com o passar do tempo acabou dispensando algumas coisas que Yixing fazia para si, como por exemplo, dar banho ou dormir agarradinho ao corpo do mais novo nos dias frios de inverno. Começou a tomar banho sozinho. Exigiu que tivesse um quarto só para si, mesmo que em algumas noites de chuva fosse para debaixo dos lençóis do mais velho.

 

Não sabia o porquê de agir daquela maneira, mesmo no fundo querendo carinho sempre negava. Sua cabeça estava um turbilhão de confusão. Mas foi em um dia que julgara comum que tudo pareceu piorar.

 

Sentia-se extremamente quente, com muito calor, mesmo que estivesse nevando do lado de fora do apartamento. Nada tirava aquele calor insuportável, pensou em ficar apenas de cueca ou tomar um banho gelado, mas nada resolvia. Foi quando as dores começaram.

 

Seu baixo ventre começou a formigar, e uma dor se alastrou por todo seu corpo. Em sua cabeça sabia o que tinha que fazer, mas infelizmente estava sozinho e o maior não poderia ajuda-lo no cio agora. 

 

Deitou na cama que antes dividia com Yixing e sentiu que sua situação só piorou assim que seu olfato captou o cheiro delicioso do mais velho que estava impregnado nos lençóis. Estava perdido em pensamentos quando finalmente ouviu a porta do quarto ser aberta, e logo em seguida a figura do maior adentrar o quarto.

 

- h-hyung... Faz isso p-parar- o menor se contorcia sobre a cama- T-ta doendo m-muito.

 

O mais velho ficou estático e começou a andar apressado de um lado para o outro pelo quarto com as mãos em seus próprios cabelos um tanto nervoso. Ele não sabia o que fazer.

 

- O que eu faço?- perguntou.

 

Suho se levantou, mesmo com a dor que sentia em seu baixo ventre e ficou de joelhos na cama e observando Yixing.

 

- E eu quero leite- disse de uma forma um tanto sensual.

 

O maior rapidamente saiu correndo do quarto. O híbrido ficou confuso e pensou que havia sido algo que disse que acabou afastando o mais velho, pelo visto teria que se virar sozinho novamente. Voltou a se deitar e logo viu Yixing entrar no quarto com um copo de leite em mãos.

 

- Toma- disse estendendo o copo.

 

Suho suspirou fundo.

 

- N-não é esse l-leite h-hyung.

 

- Que tipo de leite? Fala que eu consigo para você.

 

O menor se levantou novamente colocando suas duas mãos sobre o peito de Yixing.

 

- Eu quero o. Seu leite hyung...- disse sentindo suas bochechas quentes

 

O maior ficou observando o híbrido, como se estivesse pensando. Suho pensava que o maior não tivesse entendido e já abria sua boca para explicar, mas foi interrompido pelo mais velho.

 

- Mas eu não sou uma vaca Suho- disse tombando sua cabeça para o lado em uma clara confusão- Ou sou?

 

Suho acharia um tanto fofo a ação de Yixing se não estivesse em uma situação tão complicada. Suspirou fundo, pensando em como explicaria aquela situação para o homem mais lerdo da Terra.

 

Enquanto pensava ele podia ouvir o maior falando "eu produzo leite e não sabia? Poderíamos ter economizado bem".

 

- Eu quero você!- disse já um tanto irritado, sentindo a dor em seu membro desperto aumentar.

 

- Mas eu já sou seu- um pingo de esperança se acendeu no interior do menor- Eu sou seu dono... Não legalmente, mas sou seu dono.

 

Suho suspirou novamente.

 

- Eu quero você me fudendo Yixing!- gritou um tanto irritado e nervoso- Droga! Eu estou no cio, não percebeu?!

 

O menor logo se contorceu novamente. Deitou sobre a cama e começou a acariciar seu membro por cima da cueca que usava. Soltava gemidos baixinhos, e se sentiu mais excitado quando viu Yixing lhe observando. Adentrou sua mão na cueca, assim que tocou em seu membro acabou soltando um gemido mais alto e se contorceu. Começou a fazer movimentos de vai e vem rápidos, rebolando sobre a cama para sentir o roçar dos lençóis em seu rabinho sensível.

 

Estava tão perdido nas sensações novas que sentia que acabou não percebendo a movimentação de Yixing, esse começou a tirar toda a sua roupa, ficando apenas de cueca ao lado da cama. Ouviu seu nome ser chamado, e apenas olhou de soslaio para o chinês que o observava com um brilho um tanto luxurioso nos olhos.

- Você não disse que queria leite bebê?- perguntou com um meio sorriso enquanto abaixava sua cueca, revelando seu membro que já estava desperto.

Suho passou a língua sobre os próprios lábios, salivando com a visão do mais velho acariciando seu membro lentamente. Levantou-se rapidamente, ficando de joelhos sobre a cama, agachou para ficar na altura da cintura do mais velho, segurou o membro alheio pela base e passou lentamente sua língua quente pela glande ouvindo um gemido de aprovação se desprender de modo rouco da garganta de Yixing.

Começou a passar a língua por toda a extensão, dando uma atenção especial para a glande que já expelia pré-gozo. Sentia um acariciar em seus cabelos, como se estivesse o incentivando a fazer aquilo. A cada gemido que o maior soltava o hibrido sentia um repuxar em seu baixo-ventre, seu membro já estava dolorido pedindo por atenção, mas o menor queria apenas se embriagar nos gemidos que eram sussurrados. Queria ouvir mais. E foi com esse pensamento que abocanhou o membro do maior sem aviso prévio, ouvindo um gemido tanto de surpresa quanto de aprovação.

Subia e descia no falo com sua boca, às vezes dava algumas engasgadas, mas nada que o impedia de continuar. Sua língua brincava com a fenda, se deliciando com o gosto que tinha. Seus ouvidos eram apreciados pelos gemidos altos que saiam da boca de Yixing, a mão do mesmo segurava forte nos cabelos do menor, alternando entre fazer carinho e puxar os cabelos castanhos com força.

Quando sentiu que iria se desfazer a qualquer momento, acabou se separando contra gosto. Deitou o menor na cama e subiu em cima do mesmo, logo em seguida tirando a única peça de roupa que cobria o corpo pequeno.

- Agora vamos cuidar de você bebê- disse sorrindo.

Começou deixando beijos molhados pelo corpo frágil, tratando de maltratar a boquinha pequena que o mesmo tinha. Como seu pequeno havia crescido em tão pouco tempo? Agora agradecia a Suho mentalmente pelas vezes que esse negara tomar banho consigo, se tivesse aceitado não sabia se teria controle sobre o próprio corpo.

Separou as pernas do hibrido delicadamente, fazendo o mesmo cobrir o rosto com as mãos em sinal de vergonha. A entrada já escorria lubrificação natural e Yixing se segurava para não meter fundo ali, já que queria dar mais prazer ao menor.

Ficou entre as coxas fartas e passou sua língua pela entrada rosadinha, saboreando a lubrificação que escorria em abundancia. Ouviu o gemido um tanto manhoso, e as mãozinhas logo agarrarem seus cabelos fortemente. Passou mais uma vez a língua naquela região tão sensível e logo tratou de adentrar a mesma.

Suho arqueou as costas gemendo alto, puxou com mais força os cabelos do mais velho enquanto sentia o mesmo simular uma penetração com sua língua. Sem perceber começou a rebolar, querendo mais daquela sensação que fazia seu corpo inteiro se arrepiar e seu baixo ventre contrair. Seus olhos lacrimejavam e já sentia as lágrimas escorrerem pelos cantos. Quando sentiu que seu ápice estava próximo percebeu o maior se afastar e acabou não segurando o resmungo involuntário.

Yixing apenas sorriu, mostrando aquela maldita covinha em sua bochecha.

Sentou-se ao lado do menor, com as costas rentes a cabeceira da cama e bateu levemente em sua coxa, em um claro convite para Suho que não demorou a aceitar.

O menor foi engatinhando para cima de Yixing, e tratou logo de sentar em cima do membro alheio, sentindo ser penetrado conforme descia lentamente. Apoiou suas mãos nos ombros do mais velho e não esperou que a dor passasse para que começasse a subir e descer. Estava tão necessitado que não ligava para a dor que sentia. Uma dor um tanto incomoda, mas que logo foi se dispersando e se tornando em prazer.

O mais velho segurava na cintura de Suho para ajudar esse nos movimentos, mas logo deslizou uma mão até o rabinho peludo que se mexia freneticamente, sabia o tanto que esse era sensível a seus toques, e podia aproveitar daquele momento para acaricia-lo.

- H-hyung... a-assim não...- gemeu manhosamente quando sentiu os toques em seu rabinho felpudo.

Abraçou o pescoço do maior, escondendo seu rosto na curva do pescoço do mesmo, aproveitando para abafar os gemidos que saiam descontrolados de sua boca. Sentiu a outra mão livre de Yixing acariciar suas costas em um carinho singelo.

Aumentou a velocidade conforme a necessidade aumentava em si.

Yixing se virou ainda com Suho em seu colo e deitou no colchão, tendo uma bela visão do hibrido cavalgando em seu membro. Com uma mão ainda acariciava o rabinho branquinho, e com a outra tratou de masturbar o mais novo no mesmo ritmo que esse subia e descia.

- H-hyung... - chamou levando suas pequenas mãozinhas para suas próprias orelhas, tratando de acariciar a área sensível que havia ali.

O corpo pequeno sofria espasmos e Suho achava que a qualquer momento entraria em combustão. Seus olhos já derramavam lágrimas involuntárias, e seu corpo respondia sozinho aos toques carinhosos que eram depositados em seu corpo pelo mais velho.

Não demorou muito para que ambos chegassem ao limite.

O menor caiu sobre o corpo cansado do chinês, tentando normalizar a sua respiração. Yixing continuou com os carinhos nas costas do mais novo, abraçando o mesmo pela cintura e depositando um beijo carinhoso nos lábios finos.

As bochechas do mais novo estavam levemente rosadas, sua respiração ofegante, os cabelos caindo sobre o rosto, os braçinhos procuravam algo para abraçar, os olhos fechados, Yixing achou que nunca havia visto algo tão belo e fofo. Seu coração palpitou forte quando sentiu os bracinhos lhe abraçarem e a cabeça do hibrido repousar sobre o seu peito.

Agora vinha a parte mais difícil: convencer o menor a tomar banho.

19 de Enero de 2019 a las 00:01 0 Reporte Insertar 119
Fin

Conoce al autor

Tiny Hachi Ficwriter #EXO #CHANBAEK

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~