O último azul da meia noite Seguir historia

lethwen Vanessa

Larguei a carta sobre o travesseiro com a minha assinatura cor safira. Enquanto isso, meu doce Don Juan, este será o último azul da meia noite.


Cuento Sólo para mayores de 18.

#capítulo-único #original #conto
Cuento corto
2
3499 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Capítulo Único.

O último azul da meia noite

Capítulo Único


Enquanto apreciava a paisagem do seu nada modesto apartamento, vislumbrando a cidade iluminada diante da vitrine que expusera a sacada da cobertura, sorri timidamente diante do meu reflexo no límpido vidro.


Mergulhei os meus lábios no vinho caro, enquanto o som do chuveiro preencheu o quarto levemente enevoado com o vapor. A ideia de agarrar-me no calor do seu corpo parecia sublime.


Larguei a taça de cristal sobre a mesa central da sala. Os meus pés nus acariciaram o assoalho frio enquanto decidi mergulhar nas lembranças das nossas fantasias calorosas. A ideia de acordar o vizinho com a nossa prova de amor me fez sorrir como a pequena garota que você conheceu. As nossas aventuras equiparam-se a um romance jovem.


Mordi o lábio ao sentir o aroma masculino inundar o quarto. As minhas mãos deslizaram sobre a cabeceira da cama, acariciando o lençol perfeitamente arrumado. Com um toque singelo, vesti o meu sobretudo, deixando o vestido justo azul e rendado completamente invisível. 


A nossa química é uma melodia de nota única, uma relação de lobos em pele de cordeiro, e agora encontro-me cálida, levando como única verdade e lembrança o pensamento de que, o nosso pequeno romance efêmero se tornou vital.


Sorri ao sentir o pedaço de papel com caligrafia impecável entre os meus dedos, recordando-me de cada palavra que dediquei a você. Deslizei os meus pés em direção ao salto azul de camurça. O som do baque chamou a sua atenção. Quase senti o seu olhar predatório oculto no vapor quando a água parou de cair.


Provei o doce gosto dos seus lábios, teu odor queimou os meus pulmões, e como obra da mente humana, arquivei cada detalhe que nem mesmo um poetisa poderá explicar.


Olhei para o quarto escuro antes de vislumbrar o céu estrelado, lembrando-me do azul marinho que você passou a exaltar enquanto acariciava a minha pele morna, chamando-me de sua Safira.


Salde-me com o seu sorriso, componha uma melodia que amplie a minha existência imensurável. Apenas me ame.


Larguei a carta sobre o travesseiro com a minha assinatura cor safira.


Enquanto isso, meu doce Don Juan, este será o último azul da meia noite.

— Safira.

11 de Enero de 2019 a las 16:30 2 Reporte Insertar 120
Fin

Conoce al autor

Vanessa Uma garota apaixonada por cada livro que coleciona. Viciada em romances adultos, poesias e poemas. Adoro ler frases e colecioná-las para me inspirar. Sou protecionista dos animais desde que me conheço por gente.

Comenta algo

Publica!
Jenny Blanc Jenny Blanc
nossa me senti dentro do quarto, adorei!
12 de Enero de 2019 a las 17:17

  • Vanessa Vanessa
    Muito obrigada, anjo! 12 de Enero de 2019 a las 17:26
~