Vínculo Seguir historia

vanychan734

Keith era uma das pessoas com quem Shiro mais se importava e, certamente, eles eram bons amigos. Mas quando Shiro reflete sobre o papel do outro em sua vida, percebe que paladino negro era muito mais do que um amigo.


Fanfiction Caricaturas No para niños menores de 13.

#espacedaddyapaixonado #un #pós-s7 #s8nuncaexistiu #fanficsotaconda #fluffy #amizade #Mattéomelhoramigo #sheith #voltron
Cuento corto
4
3.7mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Capítulo Único - Vínculo

NOTAS INICIAIS: 

OLAAAR! Considerem que uma autora de férias está tendo surtos criativos com o novo OTP, então essa fic é resultado de mais um desses surtos quando li a expressão “melhor amigo” um dia. Tudo é culpa do Matt rsrsrs.

Arte da capa por impendingexodus no tumblr. MEU ESPACE DADDY APAIXONADO É LINDO!

Título é crédito do Arthur, obrigada Bolinho! Fic dedicada a vc <3

Fanfic pós-s7 e #s8nuncaexistiu

---------------------------------------------


Não era uma completa surpresa para Shiro saber que estava apaixonado por Keith, porém, a forma com que soube disso o assustou um pouco.

Sendo sincero consigo mesmo, ele jamais desconfiaria de seus sentimentos se alguém não o questionasse abertamente sobre isso ou, ao menos, que alguém o fizesse refletir sobre o que sentia em relação ao paladino negro.

Tudo começou por causa de Matt. Há anos ele e Shiro tinham uma amizade alegre, com mútuo respeito e admiração e, apesar do tempo separados no espaço, Shiro sentia um imenso carinho quando pensava no Holt. Era algo comum de amigos, simples e fácil, por isso ele o recebeu de braços abertos no hangar de pouso no Garrison quando Matt retornou para a Terra.

Matt tinha um sorriso destemido no rosto, muito semelhante ao de Katie quando fazia uma descoberta cientifica, e Shiro se animava em ver o antigo companheiro de equipe seguro e saudável à frente.

- Shiro! Quanto tempo!

- É bom te ver de novo, amigo.

- Claro. Onde estão meus pais? – ele perguntou olhando ao redor, constatando a pouca movimentação de oficiais ali.

- No hospital com Katie – Shiro respondeu se afastando e os guiando para fora – Os paladinos precisaram de cuidados médicos depois de sua última batalha, mas os médicos já disseram que seus quadros são estáveis. Eles ficarão bem.

A última parte, Shiro repetia mais para si mesmo. Do cockpit de Atlas, Shiro teve plena visão dos cinco leões caindo na atmosfera após o confronto com o robô-fera de Haggar e ele se lembrava do pânico que sentiu por pensar que os havia perdido na queda. Nos últimos anos, Voltron tinha se tornado a sua família e se ver novamente sem isso era um tanto quanto desesperador. Por esse motivo, Shiro acompanhou de perto os diagnósticos de cada um dos paladinos e os visitava sempre que tinha algum espaço livre na agenda entre as papeladas, conferências com superiores e líderes mundiais e mais papeladas.

Shiro levou Matt ao hospital em que Pidge e os outros paladinos estavam internados, enquanto conversavam sutilmente sobre os avanços que ele havia feito em nome da Coalização. Mais três mundos haviam aderido à Aliança e isso era fundamental para o combate contra os reminiscentes Senhores da Guerra galras. Eles bateram à porta do quarto de Katie, vendo Sam e Collen se levantarem ansiosos para abraçarem o primogênito enquanto a paladina verde estava sentada na cama sorrindo para eles.

- Matt! Shiro! – cumprimentou alegre.

- Olá, Pidge – Shiro acenou da porta, sorrindo de volta.

- Oh, garoto, eu estava tão preocupada com você! – Collen repreendeu Matt e depois voltou a sufocá-lo em seu abraço – Eu nunca mais vou deixá-lo viajar para o espaço.

- Mãe! – Matt tentou refutar, mas a carranca da matriarca o fez se calar e engolir a seco ao som dos risos de Pidge.

- Querida, estive pensando num castigo para nosso filho – Sam disse, um pouco menos severo – Um ano sem vídeo-game parece bom?

Os olhos de Collen brilharam enquanto um sorriso perverso adornava seus lábios, ela fitou Matt, que tinha a expressão chorosa, e assentiu.

- É perfeito, amor – todos sentiam a aura vingativa da mulher, o que fez Shiro e Pidge rirem mais.

- Mas... Pidge... – Matt tentou formular uma resposta, porém foi cortado pela mais nova.

- Eu também estou de castigo, dois anos sem vídeo-game – falou emburrada.

- Oh... hum, isso parece justo então – Matt sorriu e foi em direção à cama para abraçar a irmã.

- Bem, isso quer dizer que o meu melhor amigo não está autorizado a beber uma cerveja mais tarde comigo, certo? – Shiro ainda tentou salvá-lo, mas Collen negou com um movimento de cabeça e depois o fitou séria.

- A sua sorte, Takashi Shirogane, é que você não decidiu fugir, do contrário estaria de castigo junto com eles – Collen falou severa – Você também é da família, caso tenha se esquecido – ela cruzou os braços, e Sam assentiu à fala colocando sua mão na cintura da esposa.

Shiro sentiu um calor familiar se espalhar pelo peito. Há muito tempo os Holt haviam praticamente o adotado assim que seus avós faleceram no Japão e era bom sentir que ele ainda pertencia àquela família de gênios. Shiro sorriu para eles.

- Bem, eu suponho que você terá que ver Matt apenas num jantar em família – Sam proferiu com ternura.

Collen concordou com um aceno e completou o marido:

- Um jantar amanhã às 19h00 para comemorar a alta de Katie do hospital, hun? Você ainda gosta de macarrão com queijo, Shiro?

- É claro, isso soa muito bem – ele respondeu, feliz por ela lembrar de tal detalhe.

- Espere – Matt falou estridente, atraindo os olhares de todos – Melhor amigo?

Shiro olhou para ele confuso.

- Sim, Matt. Melhor amigo.

- Quer dizer que eu fui promovido ao meu antigo cargo? – ele sorriu para Pidge – Ouviu isso? Somos melhores amigos – Matt apontou de si mesmo para Shiro, enquanto a irmã ria dele e da expressão confusa de Shiro.

- Eu pensei que nós fossemos melhores amigos, Matt – Shiro falou com um vinco entre as sobrancelhas.

- Oh, não ligue para o Matt, Shiro – Pidge respondeu risonha – Ele só estava com ciúmes de Keith.

- Keith? – Shiro arregalou o olhar, não entendendo a lógica dos Holt’s – Bem, Keith é...

Shiro travou. Ele não sabia o que dizer sobre o paladino negro. Era verdade que Keith era uma das pessoas com quem Shiro mais se importava e, certamente, eles eram bons amigos. Porém, só amigo era um título muito raso tendo em vista a importância que o homem exercia em sua vida, afinal, quisnack, ele já o havia ressuscitado!

Shiro apertou a boca numa linha fina, reconsiderando a questão: quem era Keith para ele?

O capitão de Atlas sabia definir os papeis de cada um em sua vida: Sam e Collen como pais adotivos, Matt como melhor amigo, Pidge como uma irmã mais nova, Iverson como um tio distante, Veronica e a equipe de Atlas como colegas de trabalho, Lance e Hunk como amigos próximos, princesa Allura e Coran como parentes adotivos e Keith como... melhor amigo? Não!

Olhando para Matt, Shiro tinha ciência de quais sentimentos estavam envolvidos em sua classificação, amizade, confiança, lealdade... e tudo isso também estava entorno de seu vínculo com Keith, contudo, havia mais. Era mais intenso, profundo até, e a última vez que teve esse laço tão forte com alguém foi com...

Adam.

A consciência desse fato o fez se arrepiar.

Comparar Keith Adam era um tanto quanto chocante, principalmente levando em consideração as implicações que tal pensamento continha. Adam e ele eram noivos, eles eventualmente iriam se casar se Kerberos não tivesse tido interferência Galra, e pensar Keith no mesmo patamar que o seu ex implicava que ele via Keith como um companheiro para toda a vida também, pelo menos um pouco. E, certamente, a ideia de tê-lo como seu marido não era ruim...

- Não importa mais – Matt voltou a se pronunciar animado, cortando a linha de raciocínio de Shiro – Keith perdeu o título de melhor amigo, que nunca devia ter deixado de ser meu! – ele levantou os polegares animado, e o capitão de Atlas o fitou estupefato.

Com a recente descoberta de seus possíveis sentimentos, dizer que Keith ocupou o lugar de “melhor amigo”, destronando Matt, parecia errado. Shiro não conseguia identificar ao certo em qual momento o garotinho que o tinha como mentor havia crescido e se tornado o seu salvador. Mas isso era o que de fato tornou o vínculo deles tão indestrutível, dado que ambos viveram aventuras juntos que nenhuma outra pessoa seria capaz de repetir consigo – e vice-versa – e isso era uma certeza que fazia as bochechas de Shiro esquentarem.

Cada vez que ele precisou de Keith, fosse salvando a sua vida ou então oferecendo-o um sorriso envergonhado, o mais novo estivera ali ao seu lado. E Shiro não conseguia mais imaginar como seria sua vida sem ele dali em diante, principalmente porque Keith já era uma figura central, um pilar que lhe dava sustentação.

- Shiro? – Pidge perguntou, estranhando seu silêncio momentâneo.

- Eu... preciso ir – ele falou, olhando para o final do corredor do hospital – Eu vou visitar os outros paladinos.

Pidge riu maliciosa.

Claro, dê oi ao Keith por mim.

Matt tinha uma expressão descontente, mas assim que Pidge a viu, ela o cotovelou e o fez se despedir de verdade de Shiro.

- Ah, ok! Até mais, melhor amigo, vejo você amanhã!

O antigo paladino negro acenou em despedida rapidamente para todos e depois caminhou para o quarto ocupado por Keith e sua família Blade¹. Suas mãos estavam suando e a boca estava seca com a perspectiva de se encontrar com o menor, mesmo que fosse um adormecido Keith que não poderia vir a rejeitá-lo.

Você é meu irmão.

Shiro estremeceu com a lembrança. Cogitar uma possível rejeição futura era intrínseco ao processo de se ver apaixonado pelo antigo pupilo, ainda mais considerando que Shiro havia cuidado dele como um irmão mais velho por grande parte de seu tempo juntos... ainda assim, pensar em Keith agora trazia não só o sentimento de orgulho à tona, mas o de admiração também. Depois que ambos se tornaram paladinos, mas principalmente após Keith assumir o controle e comando de Black, Shiro o via como um igual. Os dois estavam finalmente no mesmo nível, sem nenhuma relação de poder entre si. Ao menos, era dessa forma que ele os via. Mas o irmão proferido por Keith em sua batalha na plataforma de clonagem o deixava inseguro. Não era como se isso não fosse esperado dada a natureza do relacionamento deles, porém Shiro nunca quis que Keith o tivesse como alguém num nível a cima dele porque, no fundo, Shiro havia visto tanto potencial em Keith que ela sabia que o garoto rebelde viria a superá-lo no futuro; e isso se concretizou quando ele o salvou diversas vezes desde então.

Do Garrison.

Dos animais alienígenas de um planeta inóspito.

Dos druidas.

De Haggar.

Da Morte.

Shiro sorriu com o pensamento ao entrar no quarto. Krolia estava sentada na cabeceira da cama de Keih, acariciando o cabelo dele com tanto zelo que doía assistir. Kolivan e alguns Blades estavam espalhados ao redor e o olharam neutros, ao passo que Krolia sorriu para si e o convidou para entrar com um meneio de cabeça.

- Como ele está?

Estável – ela rosnou a palavra.

Era frustrante para todos ouvir sempre as mesmas respostas dos médicos. “Ele vai ficar bem”, “Ele está estável”, “Ele é forte, vai dar tudo certo”. Se Shiro já se sentia irritado quando ouvia as falas prontas, sequer conseguia imaginar o estado de espírito de Krolia. Ela era muito transparente nesse sentido, sua aparência demonstrava muito bem a garra e força Galra, capaz de fazer até mesmo alguns Blades como Kolivan tremerem diante de si, por isso Shiro e os demais eram cuidadosos em acompanhar suas conversas com os médicos já que ninguém queria um acidente, como um médico voando pelos corredores, no hospital.

Shiro se aproximou da cama e se sentou na beirada próximo à perna sem gesso de Keith. Ele olhou para o mais novo e observou todos os curativos e roxos distribuídos em seu corpo, sabendo que o mais novo iria odiar o vestido hospitalar que estava vestindo quando acordasse. E a imagem dele emburrado fez Shiro rir, atraindo os olhos violetas de Krolia.

- Do que você está rindo, Shiro?

Todos os outros, incluindo os Blades, se referiam a ele como Capitão Shirogane agora, mas os mais íntimos mantinham o chamado comum. Krolia, no entanto, não era alguém com quem ele tivesse tanta intimidade para chamá-lo dessa forma e isso o intrigava, embora nunca a questionasse o motivo.

- Quando ele acordar, vai odiar permanecer no hospital com essa roupa.

A expressão compenetrada dela suavizou enquanto levantava um dos cantos da boca, em um meio sorriso que – Deus – lembrava tanto Keith. Shiro voltou a olhá-lo e se demorou na expressão plena, refletindo se era assim que ele dormiria todos os dias...

Esta seria uma visão matinal muito agradável e bonita, com certeza.

Se ver apaixonado pelo menino que ajudara a criar era um clichê que Shiro jamais teria acreditado viver, mas olhando para o adormecido Keith, ele sabia que não havia outro mundo, universo e realidade em que Keith não fosse o seu parceiro ideal.

Eu amo você!

A voz sofrida ainda era nítida e presente em suas lembranças. A batalha deles não era algo que se orgulhava – considerando que o tinha ferido física e emocionalmente no confronto – mas o fato de Keith ter se mantido firme, lutado consigo para trazê-lo de volta e realmente o vencido era muito mais do que Shiro já havia sonhado sobre o futuro dele no passado.

A cicatriz roxa no rosto alvo era só mais uma lembrança daquele dia e Shiro teve que reprimir a vontade de tocá-la, uma vez que eles não estavam sozinhos e tal contato era muito particular. Shiro sentiu os olhos de Krolia o perscrutando e então a olhou de volta a tempo de ver o sorriso mordaz.

- Krolia?

- Keith já lhe contou sobre as visões que o abismo quântico nos oferecia?

Ele piscou, tentando se lembrar de alguma conversa sobre o período em que Keith ficou com a mãe, porém eles não tiveram tempo realmente para que tais fatos fossem explicitados com toda a confusão criada por Haggar. Então, em resposta, Shiro negou à pergunta com um movimento da cabeça.

O sorriso dela não diminuiu.

- Interessante.

- O que é interessante?... hm, senhora?

Krolia deu de ombros, se curvando sobre Keith para beijar a têmpora dele.

- A amizade de vocês dois evoluiu muito, Shiro – ela sorriu, mais terna dessa vez, como se sua fala trouxesse uma mensagem sublimar que ele deveria interpretar.

- A nossa amizade, ou melhor Keith, tem sido a minha salvação durante os últimos anos – confessou – Uma vez ele me disse que a sua vida teria sido muito diferente se não fosse por mim, mas a verdade é que se não fosse por ele eu nem estaria mais vivo.

Krolia ronronou satisfeita, surpreendendo a todos.

- É bom saber que você o reconhece como um igual, Shiro.

- Não teria como ser diferente... – antes que Shiro completasse sua sentença, seu ipad apitou com um chamado da equipe de Atlas – Eu preciso ir, me avise quando ele acordar...

Shiro não precisava pedir por aquele aviso, mas ainda assim o fazia. Ele gostava de demonstrar que se importava com Keith, independentemente de seu estado, e pelo olhar de Krolia, ele sentia que deveria continuar.

No dia seguinte, o jantar nos Holt’s foi nostálgico. Shiro se sentou em seu lugar de sempre, deu alguns pedaços de macarrão para BaeBae quando Collen não estava olhando, riu com as péssimas piadas de Matt e Sam, lavou a louça por Collen e conversou com ela sobre as plantas que brotavam no jardim, ganhando uma muda de alguma espécie para colocar como decoração em sua cabine de Atlas. Ao final, Shiro foi convidado a dormir na casa, mas recusou o convite dizendo que iria para o hospital averiguar o quadro dos amigos.

- Puff!! – Pidge riu debochada, o que fez as bochechas de Shiro esquentarem e Collen a repreender.

- Mocinha!

- Eu...

- Desculpe, Shiro! – Katie se corrigiu, com um sorriso envergonhado – É que você é pior que Lance!

- No que eu sou pior que Lance? – ele estava ligeiramente confuso.

- Você está, matematicamente falando, 100% apaixonado pelo Ninja Mullet² e ele também é, matematicamente falando, 100% apaixonado por você! Não precisa dizer que vai visitar seus amigos quando na verdade está indo ver seu namorado!

Shiro abriu a boca em horror, sentindo até mesmo as pontas de suas orelhas vermelhas com a vergonha. Oh, quisnack, ninguém havia lhe contado que as irmãs mais novas tinham a função de envergonhar os irmãos mais velhos.

- Ignore-a, cara – Matt falou, passando o braço por seu ombro – Ela só está sendo chata. Além disso, você e Keith só são amigos, certo? – ele inflou o peito para defendê-lo.

- E-Eu... K-Keith e e-eu...

Pidge começou a gargalhar e Matt o olhou espantado.

- Você está apaixonado pelo Keith?!

- Hã... sim? Isso é um problema?

- Não! – Matt negou ávido – Bem, na verdade – ele desfez o abraço e tocou seu queixo pensativo – isso faz muito sentido....

Shiro cobriu o rosto com ambas as mãos, escondendo a vermelhidão em seu rosto. Ele erroneamente havia pensado que estava sendo discreto. Ao menos, sua paixão tinha sido descoberta há pouco tempo por si mesmo, mas as percepções de Pidge e – oh, ainda havia o resto da equipe – eram mais sofisticadas.

- Eu disse, seu idiota! Droga, nós devíamos ter apostado isso – Pidge murmurou.

Matt e Shiro a olharam indignados.

- Sua...! – Matt falou.

Katie, em toda sua maturidade de paladina verde, mostrou a língua para o irmão e Matt, como um oficial maturo da Coalização, a respondeu gritando “mãe!”. Shiro aproveitou a discussão entre os três para se despedir de Sam e fugir da casa, ainda morrendo de vergonha dos Holt’s.

A viagem até o hospital foi preenchida por sorrisos felizes e involuntários, que eram o resultado clássico de um tolo apaixonado como Shiro.

Como eu não percebi que o amava antes?

A questão era pertinente porque concebê-los de outra forma, com outro cunho que não o romântico, era simplesmente ridículo agora! Shiro enxergava isso perfeitamente e não podia estar mais feliz. Keith e ele sempre haviam se entendido e trabalho juntos como se ambos se completassem, por isso a ideia de ser qualquer-coisa-que-ele-quisesse-que-eles-fossem dali em diante não o assustava; pelo contrário, isso era como uma conquista grandiosa prestes a se realizar. E ao entrar no quarto do paladino negro, vendo seu peito subir e descer num ritmo calmo e constante, Shiro teve certeza de que seu lugar era ali ao lado de Keith.

Não importasse o quê ou quem, Shiro sempre estaria com ele, assim como Keith havia feito tantas vezes consigo.


------------------------------------------

NOTAS FINAIS:

 

¹ Normalmente eu escrevo Espada de Marmora e me refiro aos membros como “Espadas”, mas eu não gosto dessa nomeação, então vou manter as referências em inglês de agora em diante.

² Ninja Mullet foi como a VA da Pidge, BEX, chamou o Keith quando ele encontrou o Shiro no Ep 1 no snapchat dela com a legenda “Ninja Mullet finds his true love”. CANON É ISSO, AMORESSSS. De agora em diante, minhas Pidge’s irão se referir ao Keith assim.

Eu espero que tenham gostado, essa fic foi uma delicinha de se escrever <3

6 de Enero de 2019 a las 19:45 1 Reporte Insertar 123
Fin

Conoce al autor

Vany-chan 734 Fada do Fluffy e maluca dos angst. Luto pelo fim dos leitores fantasmas, por SasuSaku e por ShiIta, meus OTPs! "KakaSaku - Uma Chance para Nós" não será repostada aqui até ter sido devidamente betada, assim como "O Caminho que Trilhamos".

Comenta algo

Publica!
Minara Hitsugaya Minara Hitsugaya
Amei, esta sempre perfeita, só gostaruabde uma continuação. . .
9 de Septiembre de 2019 a las 23:18
~