I can't make you love me Seguir historia

bloodycherryx Cherry Schmidt

Izuku amava Katsuki. Katsuki não. Ele não poderia ser para Katsuki o que Kirishima era. Ele era o melhor amigo. O melhor amigo estupidamente apaixonado que fazia qualquer coisa pelo outro.


Fanfiction Anime/Manga No para niños menores de 13.

#bakugou #angst #kiribaku #bnha #midoriya #kirishima #bakudeku
Cuento corto
2
3.6mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

if you don't.

Izuku se sentia derrotado. De novo. Pelo mesmo motivo.

Fechou a porta do quarto atrás de si, recostando-se a ela. Sentia o corpo inteiro gelado, como se acabasse de sair de um banho frio. Talvez fosse a falta do calor que Katsuki emanava cada vez que o esverdeado chegava perto. Quase perto o suficiente para que o loiro finalmente o deixasse entrar. Mas quão perto era o suficiente? O quanto que Midoriya precisaria demonstrar e se doar para que seus sentimentos finalmente fossem correspondidos?


Mas a culpa era sua, afinal. Conhecia Bakugou desde sempre e sabia exatamente como a cabeça do loiro trabalhava. Ele havia se apaixonado perdidamente pelo amigo, e já imaginava que aquilo não iria acabar bem para si desde o início.


Não sabia muito bem como havia começado. Foi algo que nutriu com o tempo, em algum momento durante esses 17 anos, vendo-o crescer e amadurecer a cada dia, sua admiração havia se transformado em algo muito mais forte. Algo que o consumia por dentro, deixando suas pernas bambas e sua garganta seca a cada pequena interação que tinham, por menor que fosse. Sabia muito bem que Katsuki não fazia a mínima ideia de como lidar com algo assim. Já era um trabalho enorme para o mais velho lidar com seus próprios sentimentos, Midoriya não tinha o direito de jogar os seus assim para ele.


Sorriu fraco pensando no quão fodido estava. Desencostou-se da porta e tirou a camiseta branca amarrotada, jogando-a em algum canto qualquer do quarto. O Kacchan não tem culpa, pensou ele consigo. Izuku sabia muito bem que Bakugou não tinha obrigação nenhuma em corresponder nada, afinal, não era como se o loiro tivesse feito Deku se apaixonar de propósito. Mas mesmo tendo plena consciência disso, seu peito ainda se apertava cada vez que imaginava o outro com Kirishima.


Todas os olhares que trocavam nas aulas, os momentos que Katsuki falava de Eijirou, como se o ruivo fosse a única pessoa de sua vida. As escapadas noturnas para irem até a praia, ou as inúmeras vezes que Midoriya acobertava os dois para que pudessem matar aula juntos. A cada dia ele morria um pouco por dentro, guardando todo o amor que sentia para si.


Não podia atrapalhar os amigos. Eles estavam felizes juntos. Izuku jamais se perdoaria caso Katsuki soubesse como o esverdeado se sentia. Ele devia tentar ficar feliz por eles. Não é assim que o amor funciona? Se a pessoa que você ama está feliz, então você deveria estar feliz por ela. Midoriya se odiava um pouco mais todas as vezes que pensava em quão egoísta era por querer que Bakugou dirigisse toda essa atenção e afeto a ele. Só um pouco seria o suficiente, pensava o baixinho.


Entrou de baixo do chuveiro esperando que a água levasse embora todas aquelas sensações ruins. Ele não queria mais se sentir daquele jeito. Doía. Doía demais. E ele estava cansado. Como que algo tão puro como o amor podia fazer um estrago daqueles? Como que aquele sentimento tão belo podia fazer com que Izuku se machucasse tanto? Não era para ser assim. Pensava em todos os filmes idiotas e clichês que havia assistido durante a vida. Onde estava o seu final feliz? Quando que seria a sua vez de ser amado também?


Saiu do chuveiro, secando-se lentamente. Sua pele ardia por ter tomado banho quente demais e ele só conseguia pensar que aquela dor era melhor do que a que sentia dentro do peito. Havia participado de inúmeras batalhas, e nada que vilão nenhum fizesse iria doer tanto quanto não poder ter Bakugou para si.


Já tinha tentado de várias formas esquecer as sensações que o maior o trazia. Perdeu a conta de quantas bocas havia beijado no ano tentando desesperadamente fazer com que alguém lhe desse algo o suficiente para que seus sentimentos por Bakugou fossem deixados de lado. E se sentia horrível por isso. Ninguém poderia lhe dar o que ele realmente queria.


Sentou-se na beirada da cama, encarando o porta-retrato em seu criado mudo. Era uma foto dele e de Katsuki, uma das poucas em que o loiro não tinha tentado fazer Midoriya engolir o próprio celular. Sorriu com a memória, fitando os olhos vermelhos que o encaravam pelo papel. Mordeu o lábio inferior tentando segurar as lágrimas que ameaçavam cair, não iria chorar de novo por aquilo. Sabia que se começasse, não iria parar tão cedo. Não queria passar mais uma noite chorando baixinho enquanto o motivo de seu pranto dormia na cama ao lado.


Estava tão distraído com seus próprios pensamentos que quase não percebeu quando Kirishima e Bakugou adentraram o quarto, rindo baixinho de algo que o ruivo havia dito. Midoriya limpou os olhos rapidamente, dando um sorriso para os amigos. Sentiu a garganta apertar ao ver os dois tão próximos um do outro, como se tivessem um mundo próprio que ninguém do lado de fora conseguiria entrar. Bakugou deu um leve aceno de cabeça para o esverdeado e Kirishima sorriu para ele, aquele sorriso que já o havia confortado inúmeras vezes antes, mas que agora só conseguia fazer com que Deku se sentisse pior.


Deku não sentia raiva de Kirishima, muito menos o culpava por algo. Como poderia? O único culpado daquela situação toda era ele mesmo. Ele havia se metido nisso e agora estava se afogando em tudo que guardou durante os anos. Midoriya nunca seria o suficiente para Katsuki. E Kirishima o fazia tão feliz. Era nítido a influência que a presença de Eijiro tinha na vida do loiro. Izuku conhecia Bakugou desde seus 2 anos, eram melhores amigos, e mesmo assim nunca havia conseguido fazer com que ele se abrisse do jeito que o ruivo conseguia. Mesmo sendo uma das poucas pessoas que Bakugou confiava de verdade, não era o bastante. Nunca seria. Ele não poderia ser para Katsuki o que Kirishima era. Ele era o melhor amigo. O melhor amigo estupidamente apaixonado que fazia qualquer coisa pelo outro. Até mesmo ajudá-lo em sua vida amorosa.


Por Deus, quando que ele havia se tornado tão patético? Praticamente se arrastando pelo chão por Bakugou. Havia jogado o pouco de orgulho que tinha no lixo simplesmente para poder ter um pouco da atenção do amigo. Shinso sempre dizia que Deku colocava todo mundo em primeiro lugar e esquecia de si mesmo, mas ele sabia muito bem que quando se tratava de um certo loiro explosivo as coisas realmente saiam do controle.


Observou Kirishima sair sorridente, deixando Bakugou sozinho no quarto com Midoriya. O loiro jogou-se na cama, tirando a camiseta preta que usava e a colocando em cima da cadeira. Izuku suspirou baixinho e deitou-se em sua própria cama, virando de costas para Bakugou. Ficaram um tempo em silêncio, Midoriya não queria que o outro percebesse seu estado. Sabia que Katsuki faria perguntas e não queria nenhum um pouco respondê-las. Escutou o amigo ajeitando-se atrás de si, provavelmente se preparando para dormir.


—Deku? –A voz calma e grossa quase fez com que o coração do esverdeado pulasse para fora do peito. Não sabia muito bem o que dizer, apenas soltou um ‘oi’ sussurrado, continuando sem olhar para Bakugou. —Ele disse sim.


E então Midoriya chorou. Baixinho. Sem que Katsuki percebesse. Igual ele fazia todas as noites desde que descobrira que estava apaixonado pelo melhor amigo.

6 de Enero de 2019 a las 17:26 0 Reporte Insertar 5
Fin

Conoce al autor

Cherry Schmidt Animes, visualkei, series e geek stuff. KiriBaku, TodoDeku e SasuNaru enthusiast. Todas as histórias postadas aqui também se encontram no meu perfil to Spirit.

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~

Historias relacionadas