Lobisomens Seguir historia

lumii Lumii U.

Sasuke jamais pensou que se transformaria naquilo que prometera matar. [SasuNaruSasu | UA | Spinoff de “Caçadores”]


Fanfiction Anime/Manga Sólo para mayores de 21 (adultos).

#sasuke-tentando-consertar-a-grande-merda-que-fez #orochimaru-é-nojento #sasuke-também #naruto-lobisomem #final-feliz #sasunarusasu #narusasu #sasunaru
32
4831 VISITAS
En progreso - Nuevo capítulo Cada 15 días
tiempo de lectura
AA Compartir

PARTE 1 ♤ O lobo solitário

Oi, gente! 


Finalmente cheguei com o spinoff de Caçadores 😊Inicialmente seria uma oneshot, porém eu organizei melhor minhas ideias e teremos 4 capítulos, cada um com seus devidos atos. 


Tentei trazer algumas referências do mangá/anime, mas só algumas hahaha


Eu agradeço MUITO todo o feedback que Caçadores teve. Eu esperava algo bem menor, principalmente depois que tive a conta banida do Spirit (onde eu tinha uma quantidade maior de leitores), então foi muito gostoso receber os comentários lindos de vocês e o apoio no facebook/twitter <3 Obrigada MESMO!


Vou responder todos os comentários agora :3


Espero que gostem e acompanhem!


AVISO DE GATILHO

Tortura, violência, leve referência a pedofilia





I

Sasuke encarou o bilhete por longos minutos até realmente compreender o que ele significava por completo. Ele não queria ter compreendido. O cheiro de sangue – seu sangue – inundava o quarto, mas seu corpo não tinha um arranhão. Ele sabia o que isso significava.

De forma automática, levantou-se e caminhou até o banheiro cuja porta fora arrebentada por Naruto no desespero de ajudá-lo. Encarou seu rosto no espelho que havia ali e tudo parecia exatamente igual: seus olhos, seu cabelo, sua pele. Mas ele sabia que nada seria como antes.  Sasuke não era mais humano e era uma questão de tempo – dias – até a lua cheia surgir no céu e completar sua transformação.

Voltou para o quarto e sentou-se na beirada da cama, encarando mais uma vez o bilhete deixado por Naruto.

Seu Naruto.

Ele sabia que tudo teria um fim quando o loiro descobrisse quem realmente era e doía pensar em como o mais novo deveria estar se sentindo, realmente acreditando que Sasuke estava lhe usando e que o mataria assim que possível. Doía pensar que, por um tempo, aquilo foi verdade.

Sasuke encarou a parede da frente e depois a cama banhada em sangue, seus pensamentos em uma espiral perigosa sobre o que tinha se tornado, sobre como seria viver daquela forma, sobre tudo o que sempre acreditou indo por ralo, sobre Naruto, sobre como seu irmão reagiria... Como sua família reagiria.

Vergonha. Escória.

Nunca confie em um ser das sombras.

Ele era um ser das sombras. Seria um, assim que a Lua Cheia surgisse no céu estrelado.

Sasuke se levantou e caminhou até a cozinha. O local continuava na mesma bagunça de sempre, com as coisas porcamente organizadas num jeito muito característico de Naruto.

Naruto e suas extravagâncias. Naruto e suas cores vibrantes em tudo que fosse possível. Caneca laranja, talheres com detalhes em laranja, toalha de mesa laranja, bagunça e bagunça e mais bagunça. Cesto de lixo laranja.

Sasuke inspirou profundamente ao perceber o quão ligado se sentia ao garoto de 23 anos e como a ideia de tê-lo perdido – e ter perdido a sua confiança em todos os aspectos – doía.

Aproximou-se da pia e abriu a gaveta do armário sob ela, retirando o facão de carne que ali havia. Encarou a lâmina de forma determinada.

Uma morte digna, ao menos. Ele merecia aquilo.

Seus pensamentos foram de encontro ao irmão que provavelmente ainda procurava por si. O irmão que cuidou dele e o amou no período mais difícil da sua vida. O irmão que carregava uma cicatriz grotesca no peito por ter se colocado na frente de um wendigo para salvá-lo.

Itachi, aquele que quase morreu para salvá-lo.

Sasuke sentir os olhos encherem de lágrimas ao lembrar do irmão. Queria vê-lo, mas como poderia?

Encarou novamente a lâmina afiada, sabendo que o seu dever seria acabar com aquilo antes que sua transformação se completasse.

Fechou os olhos e segurou o cabo com as duas mãos. Inspirou profundamente, erguendo os braços, pronto para cravar a faca diretamente em seu coração que, ironicamente, batia o mais rápido possível. Era quase como se soubesse que seus batimentos estavam contados.

A primeira lágrima escorreu. Depois disso, todas caíram livremente.

Eu te amo, irmãozinho tolo.

Eu te amo, Sasuke-teme.

Sasuke soluçava.

Nunca confie em um ser das sombras. Nunca confie em um ser das sombras.

Nunca confie em um ser das sombras. Nunca confie em um ser das sombras.

Sasuke largou e caiu de joelhos, o rosto entre as mãos. Ele não conseguiria acabar com aquilo, porque ele não queria.

Ele queria seu irmão.

Ele queria Naruto.

Ele queria viver, mesmo que isso fosse contra tudo o que acreditasse. Porque, naquele curto período de tempo em que esteve com Naruto, ele fora feliz.

II

A falta de perspectiva fez com que permanecesse na casa de Naruto, principalmente porque parte de si queria acreditar que o loiro voltaria.

Ele não voltou.

No terceiro dia, Sasuke tomou uma decisão: Iria atrás dele. Como caçador de criaturas sobrenaturais, ele sabia como procurar. Sabia buscar rastros, evidências, registros que as criaturas deixaram em suas andanças. Mas elas, acostumadas com as perseguições, também sabiam como se esconder.

Além disso, estava em Portland e, apesar da casa ficar em uma área razoavelmente isolada e próxima da mata, isso não tornava mais fácil a busca.

Sasuke passou uma semana e meia procurando por Naruto e foi em uma quarta-feira, véspera de lua cheia, que ele começou a se sentir estranho. A influência do satélite sobre si começou a fazer efeito e ele percebeu que naquele dia não seria possível ir atrás dele. E nem no próximo.

III

O suor escorria pelo seu rosto, costas, pernas. A franja escura estava colada em sua pele, mas ele nem se incomodava em afastá-la. A roupa que vestia parecia pequena e grudava em seu corpo a ponto de Sasuke perder a paciência e tirar a camisa.

Em alguns minutos, a dor começou. Primeiro de forma amena, incomodando a dobra dos dedos, os ombros, o tornozelo. Depois, subindo pelas pernas, coluna e pescoço. Em poucos minutos, Sasuke sentiu vontade de gritar.

Suas pernas já não aguentavam seu peso e ele caiu de joelhos no chão, a dor excruciante e a transformação eminente fazendo seus ossos torcerem-se de uma forma humanamente impossível.

A janela refletia a Lua Cheia em seu ápice do lado de fora. Sasuke não gritou, apesar da dor insuportável. Quando finalmente abriu a boca, ele uivou.

Alto, gutural, animalesco.

IV

Antes mesmo de abrir os olhos, Sasuke já sabia onde estava. Ele conseguiu identificar pelo cheiro forte das plantas, pelo odor de fezes de animais em algum lugar próximo, a brisa característica em seu corpo, assim como os sons. Havia animais por perto e muitos insetos.

Estava deitado na mata.

Abriu os olhos e o mundo parecia mais vivo ao seu redor, mais verde. Sasuke se sentou e admirou tudo o que seus sentidos agora podiam captar, espantando-se principalmente com a sua capacidade auditiva. Conseguia ouvir sons distantes, assim como sons normalmente não captados pelos sentidos humanos.

Era incrível.

Sasuke sorriu com a explosão de natureza ao seu redor até levantar-se do chão e perceber que estava nu. Foi quando a realidade pesou sobre os seus ombros e ele se recordou o porquê tudo tinha mudado tão drasticamente.

Ele era um lobisomem, oficialmente.

A frustração queimou em seu peito e o medo pelo que acontecera após a transformação tomou conta de si. Ele não conseguia recordar nada além da dor dos seus ossos revirando dentro de seu corpo e depois disso tudo era um grande vazio. Era quase como se tivesse dormido a noite inteira.

Cerrou os punhos e sibilou com a dor de ter as unhas perfurando a sua palma. Encarou as garras expostas, agora sujas com seu sangue, percebendo que seu desequilíbrio emocional e o seu medo estavam fazendo seu lado animal aparecer.

Mas que merda, como é que o Naruto controlava isso?

Inspirou profundamente, tentando fazer as garras retornarem e darem lugar a suas unhas, porém isso não aconteceu. O rosnado que saiu de seus lábios foi instintivo, mas fez com que arregalasse os olhos, assustado consigo mesmo.

O que eu me tornei?

Sasuke sentiu o coração bater de forma nervosa no peito e sua respiração se tornou errática. Sem pensar duas vezes, ele saiu correndo em direção a casa que pertencera a Naruto.

Não correu nem 500m antes do lobo surgir e assumir o comando.

V

Sasuke abriu os olhos e achou-se confortavelmente deitado em sua cama – na cama de Naruto – e completamente nu. Encarou o teto laranja sobre si em uma letargia agradável, até se lembrar que não fazia ideia de como tinha chegado ali.

Sentou-se alarmado e encarou a janela destruída do quarto com um misto de medo e preocupação. E se alguém tivesse o visto na forma de lobo? E se ele tivesse encontrado com alguém no caminho e tivesse machucado – ou até matado – um inocente?

Levantou-se e colocou a primeira roupa que encontrou, saindo de casa e observando os arredores. Como sempre, estava calmo e vazio, mas Sasuke não tinha como garantir se encontrou com alguém no caminho que percorreu até chegar ali ou se alguém o viu na sua forma animalesca.

Merda, Naruto. Cadê você?

VI

Era difícil aceitar, mas Sasuke sabia que Naruto não retornaria. Ele quebrou sua confiança ao mentir sobre quem era, ao aceitar a hospitalidade e o cuidado dele aproveitando-se do seu desconhecimento sobre a que família pertencia e por saber que o Uzumaki era um ômega. Ele planejou traí-lo e Naruto não tinha como saber que, naquela altura do campeonato, Sasuke jamais conseguiria fazê-lo.

A ausência do loiro queimava em seu peito de uma forma que ele jamais achou que seria possível. Cada passo da rotina que eles tinham passava por seus pensamentos durante o dia inteiro e doía saber que ele jamais teria isso novamente.

Mas mais do isso, Naruto também era quem poderia ajudá-lo e ensiná-lo como obter controle sobre seus poderes. Como manter a consciência quando se transformava, como controlar a transformação, como conter a fúria que crescia em uma velocidade impressionante e fazia tudo ao seu redor parecer insignificante, como conter a ânsia pela violência.

E Sasuke não tinha mais Naruto, mas sabia que tinha que aprender de alguma forma. Ele não poderia simplesmente continuar sem controle.

Sem pensar duas vezes, comprou correntes e algemas para as noites de lua cheia. Além disso, investiu também em um saco de pancada, mas dispensou as luvas.

A ideia inicial era usar a atividade física para conter a fúria que sentia e que ameaçava despertar a fera dentro de si, mas Sasuke percebeu que aquilo era igualmente útil para aliviar as outras emoções que também traziam o seu desequilíbrio. Medo, raiva, incerteza, saudade... Tudo isso inflamava o lobo, mas com o passar do tempo ele conseguia manter-se humano ao descontar tudo no saco de pancadas. A dor que sentia no nó de seus dedos servindo de prova viva dos seus esforços e do seu autocontrole.

As transformações descontroladas continuaram acontecendo até que, em um dia aparentemente qualquer, ele transformou-se, mas enxergou como o lobo enxergava. Estava consciente na pele da fera.

VII

Sasuke sabia que seu primeiro erro grotesco tinha sido permitir Naruto se aproximar tanto e ter se envolvido com ele, assim como sabia que o segundo foi justamente ter se deixado continuar na zona de conforto e sustentado a mentira inicial que contara ao loiro. O terceiro erro, seguindo a premissa de todos os outros, ele só percebeu tarde demais.

Conforme suas tentativas de autocontrole transformavam-se em sucesso, Sasuke se via cada vez mais tentado a se aventurar na pele do lobo. Divertia-se com as descobertas e com as sensações que estar naquela forma lhe permitia e, quando o dinheiro que Naruto tinha guardado na casa acabou, Sasuke permitiu-se até mesmo caçar e alimentar-se naquela forma. Era mais fácil, rápido e muito mais prático.

Além disso, estar na pele do lobo era não pensar em Naruto ou em Itachi. Era simplesmente existir, na forma mais crua possível. E foi a sua falta de cuidado entre a vida pacata e sem rumo que levava há algumas semanas que fez com que não percebesse que estava sendo observado.

Quando se transformou em lobo naquela noite e saiu de casa calmamente, Sasuke não esperava ser atingido. A fisgada foi rápida, mas seu efeito quase instantâneo. Ele sentiu a fraqueza espalhar-se pelo seu corpo e até mesmo respirar tornou-se difícil. Em um gesto instintivo, ergueu a cabeça e uivou, até sentir outra fisgada. O que foi injetado em si queimava em suas veias e em poucos minutos ele sentiu seu corpo voltando a forma humana.

O chão frio da entrada de sua casa estava em contato com seu corpo nu e ele tentou se erguer, mas a fraqueza parecia tomar cada parte de seu ser. Fez uma nova tentativa, mas a voz rouca atrás de si fez com que congelasse no lugar.

– Não precisa se incomodar em ficar de pé, eu não vou deixa-lo caído no chão nesse estado.

O homem caminhou até parar na sua frente e Sasuke o observou encarar fixamente seu corpo antes de sorrir de forma maliciosa.

– Eu vim aqui para capturar o ômega dos Uzumakis. Jamais pensei que me depararia com Sasuke Uchiha como um lobisomem. – O homem ergueu o pé, esfregando a sola do sapato nas pernas nuas de Sasuke – Que surpresa agradável.

Sasuke rosnou em aviso.

– Orochimaru...

A expressão de nojo que apareceu no rosto da serpente foi logo substituída por um sorriso enviesado.

– Tão pouco tempo e você já está agindo como um animal. Que pena.

Ele ergueu o pé que ainda acariciava o corpo enfraquecido do homem no chão e chutou sua cabeça com força. Sasuke grunhiu com a primeira agressão, mas na segunda sua visão escureceu.

VIII

O tilintar da xícara contra o pires foi a primeira coisa que seus sentidos detectaram. Era um som esporádico e, entre o intervalo entre eles, Sasuke não absorvia mais nada do ambiente.

Depois, veio a dor em três graus diferentes. Tinha o incômodo na sua testa que latejava, mas também tinha a dor lancinante em suas mãos. E tinha um terceiro incômodo que parecia fazer toda a sua corrente sanguínea queimar. E novamente escuridão.

Quando finalmente conseguiu abrir os olhos e erguer a cabeça, sua primeira reação foi gemer de dor e, instintivamente, tentar mexer as mãos na tentativa de aliviá-la. O movimento, porém, fez com que gritasse e automaticamente ficasse imóvel para evitar sentir aquela agonia novamente.

Estava sentado em uma cadeira na cozinha de Naruto. Seus pés estavam presos ao objeto e suas mãos pregadas aos braços da cadeira. Sasuke observou aquilo com os olhos arregalados e seus caninos ficaram proeminentes com o rosnado que soltara antes da fraqueza abatê-lo novamente e fazer com que quase perdesse a consciência.

– Eu não forçaria a transformação se fosse você, Sasuke... Tem muita wolfsbane em seu organismo e você vai acabar se matando.

Ao ouvir o nome da planta, Sasuke parou de tentar se transformar. Como caçador, sabia bem os efeitos da única coisa que conseguia afetar e até mesmo anular o lobo no interior de um lobisomem.

O homem surgiu em seu campo de visão e Sasuke o encarou com a expressão estoica, apesar do coração bater desesperado em seu peito. Orochimaru era o antigo líder de um clã de caçadores conhecidos como Hebi, porém sua violência e as experiências que realizava em seres da sombra foi considerada grotesca e sem propósito pelo Conselho de Caçadores e ele foi deposto. O clã Hebi sofreu uma separação entre os apoiadores de Orochimaru, conhecidos atualmente como Som, e os que se uniram em torno da nova líder, Karin.

A relação entre os Uchihas e os Hebis sempre foi pacífica de modo geral, porém nunca foi amigável. Itachi, Sasuke e até mesmo Shisui já tinham entrado em algumas discussões com Orochimaru na sua época como líder. Porém desde que ele se tornou líder do Som, clã não vinculado ao Conselho, não tiveram mais qualquer contato.

– Orochimaru... Que merda é essa?

O homem sorriu enviesado e aproximou-se do prisioneiro, agachando para poder olhar nos olhos negros.

– Estou apenas fazendo o trabalho que jurei cumprir: Acabar com a ameaça dos seres da sombra. Um trabalho que você também jurou cumprir.

Sasuke o observou com os olhos semicerrados, tentando controlar a raiva e o medo dentro de si enquanto o outro continuava a falar.

– 30 anos de idade, sabe-se lá quantos de carreira... Conhecido como um dos caçadores mais letais. Eu esperava mais de você, sabe? – Ele ergueu a mão, os dedos percorrendo o rosto pálido com certa devoção, antes dele leva-lo até a nuca do homem e agarrá-lo com força pelos fios negros – Lembro de quando você tinha 15 anos e já participava das reuniões do Conselho ao lado de seu irmão. Lembro da sua raiva e do seu desespero. Você aceitaria qualquer coisa para eliminar todos os seres da sombra, para vingar sua família dizimada.

O hálito do homem batia contra seu rosto e a distância mínima entre eles incomodava o mais novo. Orochimaru percebeu o desconforto e aproximou-se mais, uma das mãos ainda segurando-o fortemente pela nuca enquanto a outra cobriu a mão direita de Sasuke e a utilizou como apoio, fazendo-o gemer de dor ao sentir o prego ser ainda mais pressionado contra a sua carne.

– Uma pena que seu irmão impediu nossa conversa de... tomar outros rumos.

Orochimaru voltou a sorrir e lambeu a bochecha do lobisomem antes de soltá-lo. Caminhou até a mesa, erguendo o martelo de bater carne que estava ali. Sasuke arregalou os olhos, mas não teve tempo de ter qualquer reação antes do outro acertar o martelo com força em sua mão direita. O prego, que já estava totalmente afundado em sua carne, não sofreu nenhum impacto, mas o som de seus ossos quebrando reverberou pelos ouvidos de Sasuke juntamente com o grito que ele soltou.

Sua cabeça pendeu para frente e ele arfava descontroladamente. As lágrimas se juntaram em seus olhos e ele sequer teve tempo para se recuperar antes de Orochimaru fazer o mesmo com sua mão esquerda. Dessa vez, seu grito saiu em meio a um rosnado.

– O que... diabos você quer comigo?!

Orochimaru sorriu.

– Você foi dado como morto, Sasuke. Seu irmão encerrou as buscas assim que o número de Wendigos envolvidos foi descoberto. Ninguém procura por você, porque era impossível você não ter sido devorado. Você está morto aos olhos de todos.

A constatação fez os olhos de Sasuke arderem e ele abominar ainda mais o fato de ter levado a mentira por tanto tempo. Perdeu Naruto, causou um sofrimento inenarrável a Itachi e agora estava nessa situação. Tudo por conta do mesmo maldito erro.

– Ou seja – Orochimaru continuou – Você é meu.

Os olhos negros se ergueram ao ouvir o caçador falar.

– O que?

– Eu te tenho a meu bel prazer, como te quis há 15 anos atrás. Seja pra testar esse seu novo corpo e ver o nível de resistência que agora ele possui, seja para o que mais eu quiser. Você é meu.

Ele tornou a se aproximar e apertou a coxa de Sasuke com força, como para constatar o que falava. O Uchiha sentiu asco com o contato, as memórias de sua adolescência e da proposta de Orochimaru reverberando em seus pensamentos. O rosnado que escapou de seus lábios era ameaçador, apesar da fraqueza e da impossibilidade de transformação que a wolfsbane ainda causava em seu organismo.

– Você pode rosnar o quanto quiser, porque não tem poder algum para me parar, lobo solitário.

– Mas eu tenho.

A voz vinda de uma terceira pessoa pegou os dois de surpresa e Orochimaru não teve tempo de reagir antes do conhecido lobo de pelo marrom alaranjado se jogar contra ele, a boca mirando sua garganta e errando apenas por poucos centímetros, porque Orochimaru foi rápido o suficiente para conseguir desviar. O caçador levou a mão ao coldre em sua cintura, porém antes que pudesse pegar a arma outro lobo adentrou a casa e jogou-se contra ele, que não teve qualquer chance.

Orochimaru, líder do Som, morreu em questão de segundos. O sangue escorreu manchando o pelo claro do lobo desconhecido e fazendo uma bagunça no azulejo branco.

Sasuke encarava a cena com o coração batendo descompassado em seu peito. A mistura de alívio, satisfação pelo fim que Orochimaru teve e surpresa por ver o loiro ali estampados em seu rosto.

 Quando Naruto voltou a forma humana, ainda nu, ele o encarou como se visse alguma espécie de miragem.

– N-Naruto... Como me achou?

O loiro olhou para ele e as safiras mostravam um misto de sentimentos muito intensos, principalmente quando ele notou as mãos do Uchiha pregadas a madeira. Ele correu para o quarto e voltou menos de 2 minutos depois, vestido e com um muda de roupas que jogou para o segundo lobo, antes de se ajoelhar na frente de Sasuke.

– Você uivou.

Sasuke o encarou sem entender direito, até se lembrar do uivo instintivo que deu ao ser atingido com wolfsbane pela primeira vez. Naruto tinha os olhos fixo nele e ao perceber que toda a atenção das safiras era para si, Sasuke se deu conta do quão absurda era a saudade que sentia de tê-lo daquela forma, simplesmente olhando para ele.

O momento se tornou embaraçoso para ambos e Naruto desviou o olhar para as mãos do ex-amante.

– Isso aqui vai doer... Muito.

– Eu sei. Faça rápido.

Naruto hesitou, encarando-o com um misto de preocupação e carinho que fez Sasuke se sentir como se tudo estivesse bem. Como se ele não tivesse ferrado com tudo e destruído a confiança de Naruto.

Foi quase como se Naruto ainda fosse seu. Mas não era.

Quando o loiro foi retirar os pregos, Minato apareceu devidamente vestido. Ele era o segundo lobo. Sasuke o encarou sem saber como reagir, sentindo toda a aura forte que emanava do homem.

– Pai, preciso que segure ele.

O alfa se aproximou e segurou seus ombros com força e, quando Naruto retirou os dois pregos – um atrás do outro e sem pausa –, Sasuke gritou a plenos pulmões. Minato soltou seu ombro e seu corpo pendeu para a frente, caindo contra Naruto que o segurou em seus braços.

Ele teria apreciado estar ali, sentindo o cheiro tão característico após meses, se a dor e a sensação da wolfsbane percorrendo seu sistema não estivessem quase nublando seus demais sentidos. De qualquer forma, Naruto lhe afastou em poucos minutos, colocando-o de volta na cadeira.

– Sasuke, você vem conosco.

– O que?

Mas quem respondeu foi Minato.

– Nós não podemos correr o risco de você nos expor ainda mais. E de qualquer forma, eu te transformei. Sou seu alfa e você é minha responsabilidade. Você agora é parte da nossa matilha.

20 de Noviembre de 2018 a las 02:48 4 Reporte Insertar 14
Continuará… Nuevo capítulo Cada 15 días.

Conoce al autor

Lumii U. Desde 2009 escrevendo fanfics no Nyah e Spirit, agora trazendo minhas histórias para cá aos poucos. Shippo muita coisa, então tem fanfic para todos os gostos <3

Comenta algo

Publica!
Luna Luna
Moça continua por favoooooooooor
3 de Marzo de 2019 a las 07:49
Jéssica Wakin Jéssica Wakin
Que fic viu, tô apaixonada Amei essa pegada Winchester, spn e sns junto o que mais eu queria aaaaa ❤️ E que escrita maravilhosaaaa 😍 tô amando ❣️
19 de Noviembre de 2018 a las 23:57
Ellie Blue Ellie Blue
higiiii maria do ceu, crê em deus pai! minina, eu to arrepiada no corpo todo. sua escrita tá uma lindeza, olha a minha cria vindo salvar o dia como sempre. gzuuuuis
19 de Noviembre de 2018 a las 21:44
=>Flor Danii=>=> =>Flor Danii=>=>
amei estava pensando que vc não continuaria,mais fico feliz que prosseguisse. continua pf
19 de Noviembre de 2018 a las 21:01
~