Um Namoradinho Encrenqueiro Seguir historia

noveluas Taynara C

Jeon Jeongguk não era muito bom quando o assunto era controlar sua raiva ou o seu ciúme, mas o bolinho Park Jimin estava disposto a ajudar acalmar os ânimos do namoradinho.


Fanfiction Bandas/Cantantes Sólo para mayores de 18.

#boyxboy #boys-love #yaoi #kookmin #park-jimin #jeon-jungkook #jikook #bangtan-boys #bts
4
4702 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Meu iaiá, meu ioiô

Eram três da tarde de quinta-feira, os alunos do ensino médio terminavam a revisão do vestibular e começavam a se dispersar; no terceiro ano D, o marrento Jungkook, ao invés de ter anotado algo passado pelo professor de biologia, apenas encarou por quase cinquenta minutos seguidos, o doce rapaz Taehyung, que ousou falar com seu namorado durante o intervalo. Jung não é a melhor pessoa em controlar seus sentimentos negativos, constantemente tendo problemas com a direção por arrumar brigas e discussões, durante as aulas.

Ele e Jimin, do terceiro A, namoram a quase oito meses e desde então, ele tenta controlar mais o seu temperamento, porém teve um grande aumento nos motivos pelos quais brigar; já que Jimin é considerado um tesouro do colégio e é assediado por meninas e meninos, quase diariamente, recebendo chocolates, bilhetes no armário e mensagens de texto misteriosas.

Dessa vez não foi nada do tipo, o pobre Taehyung apenas precisava de algumas informações do Park, por conta do clube de literatura que participavam; mas, seu erro foi ser simpático demais, na visão do namorado encrenqueiro de Jimin. Sendo os dois da mesma sala, Jeon passou a maior parte da manhã e da tarde, segurando seu lápis mais firme do que o necessário e lançando olhares furtivos ao outro, que muito inocente, não percebera nada.

Park já esperava há algum tempo na saída do local, quando um Jeon emburradinho apareceu descendo a rampa; mais do que acostumado, o menor já abriu seu melhor sorriso e se preparou para ficar na ponta dos pés e dar um beijinho que talvez desamarrasse a cara do mais novo.

— Oi meu amorzinho!

— Oi.

— Oras, que grosseria é essa?

— Não é nada, me deixa.

— Kookie, olha pra mim, o que tínhamos combinado?

Jungkook o olhou ainda de cara amarrada e como quem diz “lá vem você, com essa história”, revirou os olhos, mas acaba cedendo.

— "Controle de raiva", eu deveria respirar vinte vezes e pensar em coisas tranquilas – A voz soou tão entediada quanto pretendia.

— Isso mesmo, eu acho que você não fez isso, seja lá qual for o motivo

— Qual você acha que é o motivo Jimin?

— Ã-ã?? Eu!! – Sua risada fez com que os olhos se fechassem e as bochechas levantassem.

O sorriso do Park era de longe, a maior fraqueza do nosso encrenqueiro, sempre era muito difícil resistir ou não dar uma leve derretida. Se puseram a caminhar em direção a casa de Jeon, enquanto Jimin seguia com o assunto “controle de raiva”.

— Amor, eu acho que a gente devia mesmo ir naquela aula de yoga, vai ser muito bom pra você!

— Pelo amor de deus, eu respiro cem vezes se quiser, mas não me leva na yoga.

— Para de ser preconceituoso, é uma prática maravilhosa.

— Jimin! Minha mãe faz yoga, como eu vou entrar lá e fazer ginástica com a minha MÃE.

— Oras e o que tem? E não é ginástica, é um estilo de vida!! — disse com as mãos no ar como se apresentasse um slogan.

A discussão sobre ir ou não à uma aula de yoga, durou mais alguns minutos, até que Jimin mencionou o clube de literatura, dizendo que o colega Taehyung também faz yoga e meditação, e está sempre muito zen.

— Ah, mas não é possível — disse o mais novo, parando de repente.

— O quê, o quê?

— Nem me fala desse aí.

— Do Taehy-

— É!!

Jimin, esperto e escaldado pelo ciúminho frequente, já se recordou do intervalo de mais cedo, onde trocou não mais que meias palavras com o Kim e percebeu enfim, o real motivo do burro amarrado do namorado.

— Aaaaa, agora eu entendi!

— Entendeu o quê?

— ‘Cê tá com ciúmes do Kim!! — Ria com gosto, agarrando o braço do mais novo.

— Nem vem, não tô não.

— Pode negar, o universo já sabe amor.

— Você e esse papo Jimin, olha vou te dizer viu!!

— Continue duvidando das forças do cosmos Jeon Jungkook, um dia ele te pega. — Apertou o passo, deixando um Jeon confuso e ligeiramente preocupado.

— Ei! Me espera!

— Mas me diz, amor, porque ficou com ciúme dele? Nem me mandou bilhete ou tentou pegar meu telefone!

— Sei lá, ele é atirado, sempre com aquele sorrisão quadrado pra cima de você.

— Ah, até que é fofo, mas nem liga pra ele Kookie...

Park terminou a frase despreocupadamente, sem perceber a tempestade que se formou sobre o namorado, com trovões, relâmpagos e rajadas de vento, logo após a palavra “fofo”. Só percebeu a besteira, quando o passo de Jeon ficou difícil de acompanhar e seu comentário não obteve resposta.

— Não!! Amor, é óbvio que seu sorriso de coelinho é muito mais fofo e lindo, e maravilhoso! Me espera!! — disse enquanto as pernas curtas tentavam dar as mesmas passadas largas do maior.

Depois de uma breve corrida, Park consegue alcançar o mais alto, em frente a quitanda do senhor Choi; ainda ofegante, usa o corpo grande do namorado para se apoiar e controlar a respiração.

— Nossa, me mata, mas não me faz correr! Acho que vou morrer!

Jungkook, compadecido da falta de fôlego do amado, oferece as costas para que o menor suba e tenha uma folga da caminhada; como numa cena de novela, sem falar nada e nem melhorar a expressão, apenas guia Jimin até suas costas arqueadas e o faz subir.

— Aí meu deus! Aaaa — gritou quando foi levantado, agarrando o pescoço do outro, com medo do tombo.

Jimin que não é bobo nem nada, já aproveita da situação, para se redimir das palavras impensadas; sabendo do fraco que o maior tem por palavras sussurrados ao pé do ouvido, tratou de recordar algumas bem baratas para dizer.

— Sabe que você é o amor da minha vida? Minha privada entupida e cheia de bolinhas coloridas?

Jeon manteve a pose, mas não foi possível evitar uma risadinha, diante de frase tão brega.

— Você é luz, você é luz!! É raio, estrela e luar! Manhã de sol!! MEU IAIÁ MEU IOIÔ!!! — cantou, abrindo os braços e os levantando para o céu, como se fosse o próprio Wando.

A essa altura, Jungkook não podia controlar o riso e quase se esquecia do aborrecimento do dia; afinal, mesmo com o temperamento estourado, encontrar um pequeno bolinho, chamado Park Jimin, o deixou mais apto a rápidas recuperações de humor. Até chegarem em casa, o mais velho ainda poderia desenterrar três ou quatro músicas não muito boas para dizer o quanto prefere o Jeon a qualquer outro mocinho disponível.

11 de Noviembre de 2018 a las 02:20 0 Reporte Insertar 1
Leer el siguiente capítulo Sábado de Yoga

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~

¿Estás disfrutando la lectura?

¡Hey! Todavía hay 2 otros capítulos en esta historia.
Para seguir leyendo, por favor regístrate o inicia sesión. ¡Gratis!

Ingresa con Facebook Ingresa con Twitter

o usa la forma tradicional de iniciar sesión