Pelos caminhos de Andaluzia - Costa del Sol Seguir historia

laylasan LaylaSan

[ItaSasu] [Universo Alternativo] ~ [08/08] [Continuação da fanfic 'Palavras e Pincéis'] Após conquistarem os prêmios respectivos em suas categorias, Itachi e Sasuke descobriram que Madara os tinha convidado para irem visitá-lo na Espanha, já que queria parabenizá-los por aquelas conquistas importantes. Um ano tinha se passado desde então e o relacionamento entre os irmãos Uchiha continuava firme e forte, e claro, escondido do resto do mundo. Entretanto, quando estivessem com Madara nas terras da Andaluzia, e considerando a forma peculiar do tio de viver a vida, como eles se comportariam sabendo que Madara era um homem que ia além das regras impostas pela sociedade? Além disso, diante das as paisagens exuberantes, das praias paradisíacas de Málaga e de uma boate com um nome bem peculiar, Itachi e Sasuke conseguiriam mesmo conter seus ímpetos?


Fanfiction Anime/Manga Sólo para mayores de 18. © Todos os direitos reservados

#yaoi #málaga #sexo #lemon #naruto #sasuke #itachi #uchihacest #madara #espanha #fugaku #mikoto #continuação #kaoru #fornicarás #andaluzia
1
4576 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Vamos para a Espanha?

Olá a todos. Essa fanfic é continuação de outra que se chama 'Palavras e Pincéis', e que é necessária a leitura antes de continuar por aqui. Por isso se ainda não leu 'Palavras e Pincéis' seria melhor não começar essa ainda.

----------------------------------------------------------------------------------------

Um sorriso de satisfação surgiu no rosto de Sasuke quando ele abriu o catalogo anexado em um e-mail enviado por Madara diretamente da Espanha. Apesar de gostar muito da época mais fria do ano ele estava um tanto estressado – o que não era nenhuma novidade -, e a ideia de estar em um lugar mágico como Málaga fez com que ele se sentisse animado mesmo sabendo do calor que enfrentaria no verão.

 

A época quente já tinha praticamente atingido o Japão, aquela era uma manhã abafada de junho, mas existia uma diferença clara entre estar no final da primavera em sua cidade natal trabalhando ou estar de férias numa das cidades mais bonitas da Andaluzia na companhia do tio mais liberal que alguém poderia ter e do amor de sua vida.

 

Fofo, não é? O relacionamento de Sasuke e Itachi tinha evoluído tanto desde a viagem que agora eles estavam praticamente sob o mesmo teto. Um ano se passara desde o cruzeiro que mudou suas vidas e rendeu prêmios e reconhecimento quase mundial e desde então eles permaneceram juntos, fortalecendo seus laços e permanecendo escondidos do mundo com uma naturalidade tão grande que às vezes eles próprios duvidavam se tinham alguma relação amorosa.

 

Tirando o fato de que praticamente moravam juntos agora. Itachi passava uma semana no apartamento de Sasuke e vice-versa, e quando brigavam ficavam dois dias sem se ver apenas pra poeira baixar e o orgulho ser colocado de lado. Fora isso estavam sempre grudados, e apesar disso o relacionamento não parecia desgastado mesmo se tratando de dois Uchiha.

 

Eles tinham seu próprio orgulho, então não seria absurdo imaginar que brigariam vez ou outra, mas ainda assim tudo ia bem, a sua maneira. Aquele dia, por exemplo, Itachi não estava lá, mas era por conta da entrega final de um livro, então passaria boa parte do tempo com Kakashi revisando o capítulo final e o epílogo antes de se liberar para mais umas férias depois de um ano.

 

O que era curioso por sinal, considerando que da última vez que Itachi e Sasuke saíram de férias eles terminaram em um cruzeiro, engalfinhados na cama transando sem se importar com mais nada, além de esse relacionamento explosivo ter rendido um desenho de Itachi completamente nu que Sasuke pelo menos teve a decência de pintar numa tela com roupa antes de expor numa galeria e ganhar o maior prêmio de artes do Japão e que lhe rendeu míseros quinze milhões de ienes. Claro que as roupas vieram mais por conta do ciúme do que pelo pudor.

 

Por muito tempo ele se perguntou se ainda venceria a competição caso os jurados descobrissem que aquele quadro nasceu de uma noite na cabine do navio onde Sasuke decidiu recriar uma cena do Titanic desenhando Itachi completamente nu e que rendeu horas depois uma das transas mais quentes que eles tiveram naquela viagem.

 

Ele riu de si mesmo com o pensamento antes de encaminhar o e-mail para Itachi. As coisas para ele estavam tranquilas naquelas semanas já que há pouco tempo tinha acontecido a última exposição e até então Sasuke não tinha recebido mais nenhum pedido, considerando os que ele ignorou depois de ter anunciado que só voltaria a pintar novamente depois do verão.

 

Ele respondeu os e-mails depois de algum tempo dizendo que estava temporariamente indisponível, mas com a insistência de alguns ele acabou apenas descartando parte das mensagens eletrônicas antes de se permitir entrar de férias oficialmente.

 

E antes mesmo de o verão chegar Madara tinha entrado em contato com eles novamente, avisando sobre a viagem para Málaga que eles, obviamente, aceitaram ir. O tio também não sabia sobre o relacionamento deles, mas ambos decidiram contar apenas quando estivessem com ele já que seria melhor lidar com qualquer tipo de reação pessoalmente. Não que eles realmente imaginassem que ele reagiria de forma negativa.

 

Sendo assim, decidiram que iriam para Málaga ainda em junho e estavam apenas esperando o término do último livro de Itachi para ele poder ir. O encontro com Kakashi se daria no próprio apartamento de Itachi e ele o recepcionou perto das dez horas da manhã.

 

- Você dormiu direito? – O editor questionou.

- Dormi pouco, na verdade. Passei parte da noite revisando o final. Não sei o motivo, mas me pareceu ruim a forma que o livro terminou.

 

Kakashi se sentou em frente à Itachi e leu o arquivo final que estava no notebook do escritor. Eles estavam no escritório e Itachi serviu um café para ambos enquanto Kakashi continuava centrado no capítulo final. Não era tão difícil na verdade, Itachi tinha finalizado tudo com último capítulo e um epílogo, mas conhecendo-o há tanto tempo Kakashi não se surpreendia mais com o hábito do Uchiha de duvidar de algumas coisas que escrevia.

 

- O que não gostou? – Ele perguntou minutos depois. – Fica mais fácil ver pelo seu ponto de vista antes de eu dar a minha opinião.

- Eu não sei bem. Na verdade eu gosto da história e de como as coisas se desenvolveram, mas fico pensando no quanto é saudável prolongar sagas. Eu sei que eles são o casal de policiais que me rendeu os melhores livros e prêmios, mas não parece demais?

 

Kakashi ficou em silêncio por algum tempo. Aquele era o terceiro livro da saga que incluía os policiais que lhe fizeram alcançar o sucesso, mas Itachi sentia como se estivesse exagerando de alguma forma em focar nos livros que os incluíssem, apesar de nesse um ano passado ele ter escrito também um livro independente e um tanto distante do foco policial que tanto gostava de trabalhar.

 

- Eu achei fantástico. – Kakashi trocou um olhar com o escritor. – Sério Itachi, eu consigo entender os seus medos, mas acredite em mim, esse final ficou incrível. Tudo bem você ter receios, se quiser a gente pode trabalhar outros temas, ou mesmo o tema policial, mas com outros focos e assim vai variando um pouco já que você acha que as coisas estão cansativas com eles.

- Não acho cansativas, mas tenho medo de forçar situações onde não seja mais possível continuar.

- Mas não acredita que essa é a mágica da escrita? Acredito que diferente desses seriados que vemos por aí onde existe uma base sólida que é obrigada a ser seguida, você pode variar quando se trata de escrita.

- Mas eles também têm a própria base. Ou algo assim.

- Ainda assim, o que nós temos de manter são os detalhes. Eles são policiais do departamento de homicídios, passaram por situações marcantes que vez ou outra calha de vir à tona e são um casal. É isso que você tem. Mas pode construir o que quiser em volta que vai continuar sendo a saga deles. Não é absurdo, é natural.

- Eu entendo o que quer dizer, mas acho que te dou razão quando diz que podemos variar em outros temas. Por mais que eu goste deles também gostei de escrever com o foco na medicina e sem incluir tanto a polícia como aconteceu em ‘O Anestesista’.

- Pode tentar quando quiser. Sei que vai sair de férias agora e acho ótimo já que o lançamento vai ficar para depois que você voltar, mas se quiser pensar em alguma coisa e me mandar a gente pode discutir quando você voltar.

 

Itachi tinha um carinho especial por Kakashi. Depois de dez anos ele ainda continuava acompanhando o Uchiha em sua jornada pelas palavras e por isso Itachi estava considerando aquele um ano especial. Ele tinha começado a escrever com dezoito anos e agora aos vinte e oito era grato por ter chegado até ali e isso certamente incluía a presença de seu editor e amigo.

 

Itachi costumava contar praticamente tudo para ele e a única coisa a qual Kakashi não sabia era sobre o relacionamento dele com Sasuke, mas isso era algo maior que os irmãos mantinham em segredo então não era como se pesasse absurdamente sobre os ombros de algum dos dois.

 

O importante era que Itachi seria sempre grato por ter Kakashi em sua vida e isso era algo que ele não deixava de enfatizar. Ainda que fosse um homem seguro que sabia exatamente quais decisões tomar, ele tinha um emprego, de certa forma, delicado e precisava da ajuda de alguém de fora para conseguir lidar com as adversidades que sua profissão tinha por consequência.

 

E apesar de não admitir em voz alta, Itachi sabia que já teria ficado louco sem a presença de Kakashi ali.

 

Por isso eles se despediram naquele dia depois de algumas horas em que passaram conversando sobre quaisquer outras coisas que não envolvessem seu trabalho e depois de ter que ouvir Kakashi falar sobre a Espanha e todos os lugares interessantes onde Itachi poderia ir.

 

- Se quiser eu ainda tenho uns presentes iguais àquele que te dei para o cruzeiro.

Itachi revirou os olhos e riu. – Obrigado, mas considerando que aquilo não serviu para nada e que vai ser constrangedor passar com aquelas coisas no aeroporto, eu dispenso.

 

Itachi mentia tão bem que ele quase podia acreditar nas próprias palavras. Se aquele lubrificante e as camisinhas não estivessem no meio de suas roupas a situação dele e de Sasuke teria ficado mais resistente, com o perdão da piada pífia. Ainda assim, Kakashi não precisava saber de tudo e aquele era um dos detalhes que certamente ficaria guardado nas lembranças de Itachi.

 

Quando ele foi embora o Uchiha conseguiu olhar o e-mail que Sasuke tinha enviado. O mais novo estava a caminho de lá e Itachi aproveitou para dar uma olhada no catálogo que Madara tinha mandado, além de pesquisar um pouco sobre o lugar onde o tio morava atualmente.

 

Madara morava em Málaga, uma cidade ao sul da Espanha pertencente à comunidade autônoma da Andaluzia, região que pela constituição do país tinha suas leis próprias e um representante como se fosse um segundo país dentro da própria Espanha. Além disso, na própria província de Málaga ficava a região turística conhecida como Costa del Sol.

 

Madara relatara brevemente sobre ser uma das regiões mais visitadas no sul da Espanha e que tinha milhares de praias e muito sol por quase todo o ano. Além de tudo, Málaga era a cidade onde Pablo Picasso nascera e Itachi pode imaginar o tamanho do sorriso que nasceu no rosto de Sasuke quando ele descobriu que o tio morava lá.

 

As fotos eram tão tentadoras que por um momento Itachi se imaginou em um daqueles lugares. Ele se perdeu ali olhando tudo que sequer se deu conta do momento em que Sasuke chegou e o ficou encarando da soleira da porta do escritório com os braços cruzados e um sorriso no rosto que só aparecia quando se tratava do irmão mais velho.

 

- Tá tudo bem aí?

O escritor lhe dispensou um sorriso e o chamou com um gesto. – Eu fiquei aqui pesquisando sobre onde o tio Madara mora e acabei me perdendo nos pensamentos.

- É incrível, eu sei. – Sasuke se aproximou. – Dá até vontade de largar tudo e ir morar lá.

- Nem me fale. Aposto que o tio Madara não quer nem saber de voltar pra cá.

- E também não ia encher o nosso saco só porque a gente tá junto.

 

Isso era o que mais deixava eles atiçados com a viagem. Esse detalhe sobre Madara e seu jeito de ver e viver a vida era como um abraço acolhedor para Itachi e Sasuke que tanto tinham que esconder sobre suas vidas pessoais, então estar longe do Japão, mais uma vez, parecia a resposta que eles precisavam para relaxar um pouco.


Sasuke deu a volta na mesa e parou ao lado de Itachi.

 

- O que o Kakashi disse sobre o seu livro?

- Que ficou bom. Não tem nada que precise mudar e ele vai anunciar o lançamento para quando eu voltar de viagem.

Sasuke franziu o cenho. - Não quero pensar na volta ainda.

 

Ao passo em que disse isso, Sasuke fechou os olhos por um momento quando sentiu os lábios cálidos tocarem seu pescoço. Não fazia tanto tempo que vira Itachi, mas não dispensava um carinho vindo do outro em nenhuma circunstância.

 

- Nem eu. Ficamos mal-acostumados com essa coisa de tirar férias.

- Claro. – Sasuke o fitou depois de um beijo rápido. – A última vez que a gente saiu de férias voltou namorando daquele cruzeiro.

 

Itachi riu e o puxou pela mão para fora do escritório.

 

Durante aquele ano transcorrido Sasuke descobriu e teve a chance de ver todos os desenhos que fizera de Itachi desde que era mais novo. O mais velho guardava uma pasta com todas as datas em que os desenhos foram feitos, e um dos últimos da lista tinha sido o que Sasuke fizera no cruzeiro.

 

O de verdade, em que Itachi estava pelado. O quadro não pudera pegar com Sasuke por conta da galeria que ficou com ele – ainda mais depois de ter ganhado o Premium Imperiale, mas o mais novo tinha se encarregado de pintar outro exatamente igual em algum momento quando o mais velho fora dormir em seu apartamento e que estava agora exposto no escritório de Itachi.

 

Como esse tinha roupas ele não precisava se preocupar em escondê-lo de alguma visita.

 

- Pelo menos dessa vez a gente não vai viajar cheio de problemas.

Sasuke sorriu de maneira travessa. - E eu não vou precisar te beijar a força já que você não vai ter motivos para resistir.

 

Itachi o fitou de forma suspeita, mas Sasuke apenas riu e o puxou para o sofá. Afinal de contas, nunca era tarde para matar a saudade.

8 de Noviembre de 2018 a las 14:51 0 Reporte Insertar 0
Leer el siguiente capítulo Bem-vindos à Andaluzia

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~

¿Estás disfrutando la lectura?

¡Hey! Todavía hay 7 otros capítulos en esta historia.
Para seguir leyendo, por favor regístrate o inicia sesión. ¡Gratis!

Ingresa con Facebook Ingresa con Twitter

o usa la forma tradicional de iniciar sesión