A Crise do Rock Lee Seguir historia

fionaficwriter Fiona Pendragon

Na maior parte do tempo, ele era realmente feliz. Mas, nesse dia, especificamente nesse dia, ele estava triste e frustrado como nunca antes tinha estado. O motivo era simples, mas não deixava de ser doloroso. Em um mês, o convite dizia, Sakura Haruno, a mulher qur ele amava, e Gaara no Sabaku, seu melhor amigo, iam se casar.


Fanfiction Anime/Manga Todo público.

#amor-unilateral #centred-lee #angst #leesaku #gaasaku #naruto
Cuento corto
0
4.5mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Capítulo Único


Não é como se todos não soubessem o que ele sentia. Talvez apenas os dois felizardos nãos soubessem, Lee fazia questão de não demonstrar na frente deles. Desde sempre, Rock Lee nunca foi bom em esconder seus sentimentos. Sorte a dele que seus dois amigos especiais não fossem os melhores em desvendar e reconhecer sentimentos. Ele não gostava de se conter, sua energia era forte e ele gostava de compartilhá-la com seus amigos, fazê-los felizes sendo feliz. Na maior parte do tempo, ele era realmente feliz. Mas, nesse dia, especificamente nesse dia, ele estava triste e frustrado como nunca antes tinha estado. O motivo era simples, mas não deixava de ser doloroso.

Um convite chique havia chegado, cheio de detalhes dourados no papel branco de alta qualidade. Parecia mais uma carta para a realeza e era até de se estranhar que alguém tivesse colocado na caixa de correio e não vindo entregar pessoalmente, parecia precioso demais para aquilo. Além disso, era belíssimo, dentro tinha letras negras bem desenhadas e uma cor levemente rosada nos desenhos da borda do convite. Era um convite de casamento. Mas não qualquer um.

O casamento de Sakura Haruno, a mulher que ele amava, com Gaara no Sabaku, seu melhor amigo de infância, estava se aproximando. Um mês, ele leu e se dispôs a rir, lágrimas ardentes disparavam de seus olhos e desciam pelo seu rosto, enquanto isso, ele continuava a rir. Uma risada dolorosa, porque ele estava sentindo aquilo. Seu coração parecia arder como se tivesse sido cortado com um objeto pontudo e afiado. Sua cabeça doía e esquentava pelo pranto que lhe ocorria.

Aquele era sem dúvida o dia mais triste de toda a sua vida.

Lee tomou um momento para pensar, enquanto algumas lágrimas insistiam em cair e ele começava a se acalmar. Que reação exagerada, Lee. Ele disse a si mesmo, levantando-se do chão do banheiro onde estava e se apoiando sobre a pia. Ele olhou para o seu reflexo no espelho embaçado na parede. Você está sendo patético.

Você já sabia que isso ia acontecer.

E ele sabia mesmo. Era impossível não saber. Lee fazia parte da turma que andava com Sakura, Naruto e Sasuke; os queridinhos da universidade e também do Ensino Médio, ambos nos quais Lee acompanhou-os.

Houve um tempo em que Sasuke e Sakura namoraram, enquanto ainda eram jovens de quinze anos. Não durou muito. Ao menos não para os outros, logo depois disso Naruto e Sasuke começaram a namorar e estavam juntos desde aquele tempo até hoje, por isso muitos nem sequer lembravam do acontecido. O breve namoro de Sasuke e Sakura parecia ter sido em outra vida, na verdade servia apenas para zoar os dois de vez em quando. Para Rock Lee, que tinha a garota de cabelo cor-de-rosa como primeiro amor, tinha durado uma eternidade e as piadas e brincadeiras sobre aquilo ainda o faziam ter lembranças daquele tempo solitário em que ele tinha que observá-los flertando e sorrindo apaixonados a todo momento. As lembranças ainda doíam, mesmo que todos já tivessem esquecido.

Tempos depois, eles estavam no fim do último ano do ensino médio. Exceto por Kiba, Shikamaru e Naruto que tinha repetido, pelos menos Shikamaru tinha sido reprovado por excesso faltas - o que também não era bom mesmo assim. Chouji, Shikamaru e Temari tinham entrado numa espécie de relacionamento à três esquisito. Ino tinha começado a namorar com Sai, um novato esquisitão. Naruto e Sasuke tinham se assumido para os pais e ido morar com Itachi e o namorado maluco dele, Deidara, que tinha explodido o laboratório e a biblioteca da escola há alguns anos. E quanto a Lee, ele finalmente criou coragem para se declarar para Sakura.

Tarde demais.

Gaara tinha voltado. Estava estudando em outra escola e sempre, depois da aula, vinha para frente do Colégio Kitsune e ficava esperando os Trio de Ouro de Konoha sair para que eles pudessem conversar. Gaara era amigo deles, Sasuke, Sakura e Naruto. Lee não gostava dele no início e era bem recíproco. Com o passar do tempo, porém, aquilo mudou. O que era raiva virou afeição e eles se tornaram bons amigos, os melhores. Contavam tudo um para o outro. Até falavam sobre as garotas. Não que houvessem muitas. Para ambos, havia só uma: Sakura. Lee nunca tinha contado para ele, mais por não tocarem no assunto “amor” do que por qualquer outro motivo. Mas Gaara contou. Lee nunca tinha visto o amigo ruivo tão sorridente quanto naquele dia. Gaara convidou ele para uma “Noite dos Garotos” na casa dele. E quando eles foram se deitar, cada um num canto do quarto, Gaara falou.

— Eu… Ai, droga. Eu tô muito feliz, Lee. Sério mesmo. — Gaara exclamou radiando felicidade pelos seus olhos brilhantes.

— Sério mesmo? Nem percebi você dando pulinhos pelo quarto. — Lee disse sarcástico.

— Ora, seu…!

Um travesseiro voou na cara de Lee e eles começaram a rir alto.

— CARALHO, MANO, VOCÊS AINDA TÃO ACORDADOS? VÃO DORMIR, PORRA! — A voz de Temari soou irritada do outro lado da parede.

Os risos aumentaram, mas os meninos logo forçaram-se a parar. Sabiam que irritar Temari não era uma opção. A não ser que quisessem ser mortos ou espancados, que eram coisas que eles não queriam.

Gaara e Lee se encararam de novo. Os olhos brilhantes de Gaara fez com que Lee rolasse os dele, sorrindo para o amigo.

— Tá, conta logo. — Lee ditou balançando os ombros como se não se importasse.

Gaara corou, envergonhado, desviou o olhar.

— A Sakura aceitou sair comigo!!! — O ruivo quase gritou, dando gargalhadas logo depois.

A reação daquele tempo foi ficar em choque. Parabenizar o amigo com um sorriso falso. Deitar. Passar a noite toda sem conseguir pregar os olhos, cansado e triste. E quando chegou em casa, passou o dia dentro do quarto aproveitando os filmes românticos que passavam um atrás do outro. Ah, claro, também haviam lágrimas e posts com frases enigmáticas e tristes no Facebook. Seus amigos chamaram aquela semana de A Crise do Rock Lee, que ficou marcada na história da panelinha.

E era isso. A história da vida amorosa de Rock Lee resumida em alguns poucos parágrafos. Era um pouco triste e patético. Mas o destino parecia querer fazer com que a vida de Lee fosse assim em todo e qualquer aspecto. A única coisa especial nele era a sua animação e energia sem limites. Às vezes até nisso ele falhava. Mas a determinação que seu pai havia-lhe ensinado não deixava com que ele desistisse.

Por isso, naquele momento de queda e dor, ele resolveu apenas sentir tudo o que tinha que sentir e derramar todas as lágrimas que quisesse derramar. Assim, no dia mais feliz da vida das duas pessoas que ele mais amava no mundo, no seu dia mais doloroso e triste, ele iria sorrir e abraçá-los. Elogiar a decoração, como sabia que Sakura iria amar. Ajudar Gaara a vencer o nervosismo e a ouvir seus votos. E então iria ficar em pé no púlpito da igreja, sorrindo como se realmente estivesse tão feliz quanto deveria estar e apoiar seus amigos em seu casamento.

Ele ainda estava mantendo os olhos vermelhos do choro fixos em seu reflexo sem camisa, sem qualquer dignidade, sem sequer piscar. Lee apertou a pia com ambas as mãos, movendo sua cabeça e fazendo seu rosto ficar na horizontal, olhando para o teto. Os olhos fechados fortemente, expressando a dor que sentia. Eu… queria que fosse um sonho. Um pesadelo. Mas não era. Apenas a realidade lhe pregando peças.

No mês seguinte, Rock Lee estava em pé ao lado do noivo, servindo como padrinho de casamento da única mulher que ele alguma vez amou na vida com a pessoa mais importante para ele, seu irmão de coração. Suas duas almas gêmeas se uniam em um só. Enquanto isso, ele assistia a cerimônia com o coração em pedaços e um sorriso em seu rosto. A marcha nupcial começou. Logo a noiva viria.

Lee deixou seu sorriso se desmanchar por um milésimo de segundo. Momentos antes que visse Sakura, a noiva mais linda que ele já teve o prazer de conhecer e admirar. Ele olhou novamente para Gaara, que tinha a perna direita tremendo de nervosismo. Então se recompôs, colocando um sorriso maior. Dessa vez, um sorriso verdadeiro.

4 de Noviembre de 2018 a las 08:32 1 Reporte Insertar 1
Fin

Conoce al autor

Comenta algo

Publica!
Geisa Correia Geisa Correia
Historia perfeita, achei interessante como colocou o Lee como personagem principal é difícil ver historias assim e parabéns esta muito bem escrita
~