Maleficent Seguir historia

senhorasolo Elane Santiago

O demônio caminhava pela floresta. Seus longos chifres roçavam nas folhas das árvores, e seu vestido arrastava-se pelo chão. Os lábios rubros possuíam um sorriso dignamente diabólico. Malévola. A fada das trevas.


Fanfiction No para niños menores de 13.

#malévola #maleficent
Cuento corto
1
4576 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Capítulo Único

O demônio caminhava pela floresta. Seus longos chifres roçavam nas folhas das árvores, e seu vestido arrastava-se pelo chão. Os lábios rubros possuíam um sorriso dignamente diabólico. Um corvo voava ao seu redor e assentou-se na ponta do seu cajado, voando em seguida para pousar num dos galhos de uma árvore morta mais à frente.

Ela. Malévola. A fada maldita que, segundo os rumores, gostava de amaldiçoar donzelas e reinos inteiros.

O soldado sobre a árvore observava Malévola a distância. Silenciosamente, retirou a espada da bainha, preparando-se para descer a árvore. A cabeça daquela bruxa deveria valer uma fortuna.

Em sua ambição, o rei consagrá-lo-ia como cavaleiro, dar-lhe-ia terras, vivaria nobre e casaria com uma bela lady da corte. Seria conhecido por todos como o “assassino de Malévola”. Seus inimigos temeriam diante da menção do seu nome.

O corvo voou, passou por sobre a árvore em que estava. Ficou quieto, prendendo a respiração, pois o bichinho de estimação do demônio poderia revelar sua presença. Passado o perigo, respirou fundo, reunindo toda a coragem dentro de si para saltar da árvore e atacar a fada das trevas.

— Eu não faria isso se fosse você. — A voz assustou-o e fê-lo cair da árvore. Levantou-se com dificuldade, deslocou o ombro com a queda. Mas ainda podia lutar com o outro braço. A dor era tremenda, no entanto, ele era um soldado experimentado em guerras.

Viu então a face daquele de quem havia falado com ele. O homem magro, moreno e de pele pálida. Não sabia de onde ele havia surgido.

— Diaval, não assuste o pobre homem. — Surpreendeu-se quando Malévola surgiu ao seu lado. Deu um passo para trás, encarando o olhar demoníaco da fada, que sorria.

— Bruxa! — Avançou com a espada erguida, pronto para transpassá-la. Não se importava mais se tiraria a cabeça dela viva ou depois de morta. Mataria a fada das trevas e usaria seus chifres para decorar sua sala, como um animal empalhado na parede.

No entanto, ela soprou em seu rosto uma fumaça dourada que o deixou paralisado. Começou a rir, uma risada maléfica e arrepiante.

— O que fez comigo?! — Perguntou ele, paralisado, sentindo o corpo estremecer e o sangue borbulhar.

— Vire ovelha. — Moveu o dedo indicador para cima e para baixo. O corpo do soldado transformou-se rapidamente, e ele não era mais um homem e nem se lembrava de haver sido. Agora um bicho, correndo assustado. Malévola olhou para Diaval e disse: — Vire lobo. Devore-o.

2 de Noviembre de 2018 a las 18:49 0 Reporte Insertar 3
Fin

Conoce al autor

Elane Santiago Não sei como vim parar aqui. Só queria viajar na TARDIS ao lado do 8º Doutor, conquistar Westeros com meu sabre de luz, me juntar aos Vingadores depois de ter reunido todas as esferas do dragão e conhecido os Beatles. Mas virei uma escritora fracassada viciada em café.

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~