Uchiha-kun, você é gay? Seguir historia

karinlima Ana Karine

Ninguém sabia sobre a vida amorosa de Sasuke, nem sua opção sexual. Mas estava claro pra todos que ele não gostava de garotas, já que nunca ninguém viu ele se relacionando amorosamente com uma. Na verdade ele sempre rejeitava todas as declarações de amor. O problema é que Sasuke Uchiha também não gostava de garotos.


Fanfiction Anime/Manga Sólo para mayores de 18.

#naruto #sasusaku #NamoroSecreto
4
4633 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Uchiha - kun, você é gay?

Uchiha-kun você é gay?


 — Uchiha-kun você é gay?

Foi o que gritou em alto em bom som e em meio ao refeitório do colégio a jovem garota Samui.

Foi ai que a boato surgiu.

Muito pouco se sabia sobre a vida pessoal do jovem Uchiha Sasuke, conhecido pela beleza extraordinária e o sorriso molhador de calcinhas, o garoto era alvo de praticamente todas as garotas da escola, até as comprometidas queriam tirar uma casquinha dele. Entretanto, ninguém nunca soube ou viu o jovem Uchiha com alguma garota, e quando ele negou o 3º pedido de namoro daquele dia, umas das mais bonitas da escola diga-se de passagem—, que ela indignada fez a pergunta que era a única explicação para ter sido rejeitada.

Então as coisas não ficaram fáceis para ele. Seus amigos o olhavam torto, e nenhum garoto se trocava perto dele. Não que ele preferisse o contrário, ele tava muito bem obrigado.

Só que aquela situação estava sendo uma tortura. 

Todos só pensavam que ele era Gay! Ninguém nunca pensou, por um momento que ele já tivesse alguém que gostasse? Que ele já tivesse uma namorada?

Mas ora essa, se era esse o caso, porque ele não falava?

Era simples, chegava para todo mundo e falava, com todo aquele jeito frio e antissocial de ser: —“Então seus inúteis, parem de me amolar com isso que eu sou hétero e tenho uma namorada!”

Pronto! Todo mundo feliz e satisfeito!

Exceto... Sua namorada, linda e doce que ia arrancar seu fígado se ele contasse para alguém sobre o relacionamento deles.

E ele presava pela sua saúde.

É, ele o grande Uchiha Sasuke, destaque do time de vôlei, lindo, tesão, bonito e gostosão, tinha medo da namorada.

 

•••

 

— Isso... Vai mais rápido! — Em uma das últimas estocadas de Sasuke eu gozei, ele socou mais umas duas vezes e gozou. Senti o seu corpo cair ao meu lado enquanto tomávamos folego.

Olhei pra ele que sorriu de canto pra mim e me deu um selinho, levantou-se e foi em direção ao banheiro livrar-se da camisinha, enquanto eu fiquei olhando pro teto completamente satisfeita e perdida em pensamentos.

— Você vai ficar pro jantar? Minha mãe deve chegar a qualquer momento, ela vai gostar de te ver — escutei Sasuke perguntar do banheiro. Pelo barulho ele devia 'tá tomando banho. 

— Sim, vai ser legal falar com dona Mikoto, quase não nos vemos! — Respondi me levantando. 

Entrei no banheiro a tempo de vê-lo se enrolar na toalha.

— Já? — Perguntei, ele costuma demorar no banho.

— Sim, só me joguei uma água, e além do mais, não poderia correr o risco de você entrar aqui comigo, não íamos sair tão cedo, te conheço mocinha! — Ele falou, divertido.

— Poxa, só porque eu queria um sexo selvagem debaixo do chuveiro –/— falei fazendo bico.

— Não começa Sakura, minha mãe está para chegar, e você não quer que ela escute seus gritos — Ele falou, erguendo uma sobrancelha.

 Meu bico se intensificou — Eu não grito! 

— Huhum, não grita — Caçoou — Baixo, quando eu tô dentro de você, querida, você perde a cabeça, chego a ficar surdo de tão alto que você geme — Respondeu rindo.

— Sasuke! Isso é mentira! — Digo e saio do quarto bufando.

Idiota, eu não era escandalosa!

— Você também não é silencioso — Digo por fim, fazendo  questão de deixar bem claro.

Ele saiu do banheiro e veio até mim com um sorrisinho divertido no rosto e me abraçou pela cintura.

— Ei, relaxa, tô brincando, eu gosto dos seus gemidos e da altura deles, significa que tô fazendo meu trabalho direito — ele respondeu sorrindo levemente.

— Hum, sei — Fiz um bico — Saia, vou tomar banho, sua mãe deve está chegando, não foi isso que disse? — Falei me desvencilhando de seus braços.

 — Sakura...

— Tá tudo bem Sasuke, vai se arrumar! — Falei sorrindo pra ele.

Estava tudo bem.

Eu ia me vingar depois mesmo.

 

•••

 

Era fácil amar sakura. 

Seu jeito,  seu sorriso,  sua personalidade forte e ao mesmo tempo doce, tudo era atrativo nela, até mesmo sua atração por Harry Potter — ela já havia lido os livros e assistido o filme um zilhão de vezes. 

Era incrível a forma como ela é um livro aberto em certos momentos,  e como em outras vezes em não conseguia saber o que esperar dela. 

Era intrigante e frustrante tê-la ao mesmo tempo que bem perto,  e muito longe. 

Como agora,  onde ela estava sentada ao meu lado,  mas parecia que estava em Narnia. 

Estávamos indo para escola,  saímos bem cedo pois como estava de carro,  pretendíamos dar um volta antes de dar o horário de entrar na aula.

As ruas ainda estavam calmas,  não havia lojas abertas, estávamos indo a um parque pequeno, que se encontrava a alguns quarteirões da escola, lá era bom pra conversar e namorar,  e era sempre gratificante quando tínhamos a oportunidade de estar juntos embaixo das grandes e antigas árvores que lá haviam.  

Seguíamos tranquilamente e Sakura continuava perdida em algum mundo diferente. 

— Sakura — Chamei por seu nome assim que estacionei próximo ao parque,  só que ela não me respondeu. 

— Então Alice,  já matou o Jagodart? Dá um olá aí pro chapeleiro,  e diz pra ele que roubaram o pérola negra de novo viu — Brinquei na esperança que ela me ouvisse.

O que deu certo,  já que ela me deu um tapa no braço. 

— Trouxa —  Ela me xingou. Um doce de pessoa. —  Eu já havia ouvido. 

— Então por que não me respondeu? — perguntei indignado. 

— Queria que se esforçasse mais um pouco, e sério? Alice no País das maravilhas? — Ela perguntou risonha. 

— Sei lá,  você parecia longe,  vai que estava por lá —  Falei e depois deu um beijo estalado em seus lábios. 

— Você é um idiota — ela falou,  mas sorria então eu sabia que ela brincava — Já chegamos no parque! Que hora é agora?

— Cedo — Falei, ainda não era sete horas. 

— Hum,  vamos ficar aqui no carro mesmo? Tá frio. -  ela sugeriu,  o que achei ótimo,  já que eu pretendia ter bastante da sua atenção. 

— Por mim tudo bem, é até melhor,  levando em conta as  ideias que estou tendo agora —  Falei e sorri com as imagens que passaram pela minha cabeça. 

— Ideias? — Ela me olhou desconfiada. 

— Sabe, você é uma péssima namorada, me deixou abandonado o caminho inteiro — Falei fingindo chateação,  ela sempre se derretia com isso.  

— Sasuke,  desculpa,  tava pensando em umas coisas  — falou. 

— Devo me preocupar? 

— Não, é besteira,  é que estamos entrando em semana de provas, estou preocupada, só isso. 

Eu entedia exatamente o que ela estava pensando. Estávamos no último ano do colégial, tinhamos recém completado dezoito anos, e, logo entraríamos na faculdade, teríamos que conseguir um emprego... Muitas coisas.

— Hm,  você vai se sair bem,  ninguém supera você — Falei me aproximando de seu pescoço. Deixei um beijo ali e vi sua pele se arrepiar.  

— É claro,  eu sou muito inteligente —  ela se gabou e eu olhei em seus olhos vendo-os brilharem, divertidos. 

Voltei a beijar seu pescoço e ao mesmo tempo desprendi o meu sinto de segurança.  Me inclinei sobre seu corpo subindo os beijos até seus lábios, levei uma de minhas mãos ao sua nuca e outra a sua cintura, como sabia que ela gostava. A beijei com desejo e ela correspondeu com igual intensidade. Eu já me sentia quente e ofegante e ela não estava diferente. Findei o beijo com uma mordida em seu lábio inferior e fitei seus olhos desejosos. Ela parecia faminta. 

Tomei fôlego e a beijei de novo,  dessa vez com calma,  e ao mesmo tempo que sentia o gosto dos seus lábios, levei minhas mãos ao seu cinto de segurança o soltando. 

Ela se remexeu no banco e eu sabia que não ia demorar muito e ela estaria pronta pra me ter em si. 

— Sasuke...  — Ouvi seu chamado,— que me pareceu mais com um gemido—, quando desprendi de seus lábios e voltei por seu pescoço, minha parte preferida de seu corpo — Sasuke,  estamos no meio da rua. 

— Não tem ninguém na rua, Sakura,  e o vidro do carro está levantado, ninguém vai ver a gente — Falei enquanto chupava seu colo, e descia o zíper do meu casaco que estava em seu corpo,  casaco esse que comprei pra mim só que nem cheguei a usar,  já que ela tomou de conta.  

— Sasuke, é serio — ela falou mais uma vez, mas suas palavras eram contrárias as suas ações já que ela gemeu logo em seguida, quando massageei seus seus seios por cima da camisa ela os empinou em minha direção.  

— Preciso da sua atenção, Sakura.

Tirei meus lábios de sua pele e me afastei o suficiente pra tirar minha própria camiseta. 

Se dando por vencida, coisa que sabia que ia acontecer já que ela não resiste a mim, ela terminou de tirar o casaco e também tirou a blusa que vestia, me dando uma visão privilegiada dos seu seios cobertos pelo sutiã azul escuro. 

Olhei o relógio do carro e vi que já tinha passado algum tempo,  e se quiséssemos chegar na escola no horário e sem sermos vistos juntos, teria que parar por ali ou deixar as preliminares pra outra hora, a primeira opção estava fora de cogitação já que eu estava duro e não tinha como ir a aula assim. Por isso, agarrei sua cintura e a trouxe pra cima de mim, ela deu um gritinho de susto e abriu a boca pra me questionar, mas não deixei que falasse nada e a beijei novamente. Massageei seus dois seios e levantei o sutiã sem o desprender. Parei o beijo e levei meu lábios aos bicos rosados,  não abri mão disso.  

Ela gemeu com o contato e rebolou no meu colo,  me deixando mais excitado e com vontade de me afundar nela o mais rápido possível. 

— Sasuke... — Ela gemeu, e eu sabia que não ia aguentar mais daquela tortura.

Tirei a boca de seus seios e beijei seus lábios levemente. Desci o zíper da saia que ela usava, — o que eu adorei pois ia facilitar já que o espaço era pequeno—, a enrolei e a subi até a cintura,  revelando a calcinha branca que tinha o desenho de várias Pokébolas pequenas.  

Não pude deixar de rir,  era algo tão, Sakura. 

Passei o dedo por cima da calcinha e senti ela úmida,  afastei o tecido e massageei levemente seu clitóris ouvindo ela gemer. 

— Sasuke, anda logo — Ela pediu, e logo eu já estava a atendendo. 

Desabotoei e desci o zíper da minha calça abaixei um pouco junto com a cueca e liberei meu membro,  e Sakura se virou em direção ao porta luvas do carro,  tirando de lá um camisinha, senti as mãos de sakura no meu membro enquanto ela desenrolava o preservativo em mim,  levantou-se um pouco me beijando nos lábios e ajeitou meu membro em sua entrada, descendo forte,  fazendo eu entrar nela de uma vez.  

Gememos juntos. 

Ela se inclinou e encostou a cabeça no meu ombro o mordendo. Beijou meu pescoço e quando chegou ao meu ouvido a ouvir sussurrar : — Me fode.   

Ofeguei com suas palavras mas não me permitir hesitar. Levantei seu quadril pela cintura e comecei a me movimentar, entrando e saindo de seu corpo enquanto ouvia seus gemidos perto dos meus ouvidos.  

Eu sentia ela me apertar cada vez mais, mas acabei diminuindo o ritmo das estocadas e a puxei para olhar em seus olhos.  

Ela se sentou reta e eu estava completamente dentro dela, sentia sua carne me envolver e gemi um pouco alto quando ela rebolou e começou a cavalgar em cima de mim. 

Seus movimentos eram rápidos e já estávamos suados,  sentia que logo gozaria,  mas não ia fazer isso antes dela,  por isso levei minha mão ao seu clitóris e o massageei forte,  no ritmo que ela impunha na sua cavalgada em meu membro.  

Seus gemidos ficaram mais altos e por um momento fiquei com receio de alguém passar e perceber o que fazíamos ali,  mas logo esqueci desse detalhe quando senti ela se apertar ainda mais em torno de mim e logo após cessar seus movimentos enquanto liberava seu gozo.  

Ela parecia sem ar, por isso beijei seu pescoço e continuei a levanta-la e a abaixa lá até sentir meu orgasmo vir e eu me liberar.  

Ficamos abraçados por um tempo até eu olhar novamente no relógio e ver que a aula começaria dentro de 40 minutos. 

— Sakura,  acho melhor irmos,  temos que nos limpar antes de ir.  

Ela suspirou e eu a ajudei a ir pro seu banco. 

Vi ela tirar a calcinha que usava, - mas que na hora apenas foi afastada para o lado,  e jogá-la dentro da mochila,  e pegar outra,  rosa e de renda. 

Ela vestiu rapidamente e arrumou a roupa. Enquanto eu pegava uma toalhinha que carregava na bolsa pra limpá-la e me limpar também. 

Já prontos respirei fundo e liguei o carro. Dei um jeito de emergência livrar da camisinha usada, no caminho.

Voltamos para a escola e dessa vez sakura voltou bem falante,  e me lembrou de levar o carro pra lavar,  por que se itachi chegasse e visse o carro dele cheio de marcas, como estava,  eu provavelmente nunca mais pegaria em um carro até ter o meu. 

A deixei duas quadras antes da escola e ela saiu depois de me dar um beijo. 

Acompanhei ela com o olhar até ela virar a esquina e sorri ao me lembrar da boca suja da minha namorada secreta. 

Demorei uns cinco minutos antes de ligar o carro novamente e ir pra escola. 

O dia hoje tinha começado muito bem pra mim, afinal.  


•••

 

— Olha o que você fez com minha blusa sua imbecil! —Karin gritou depois que eu, sem querer, derramei meu suco de uva favorito, em sua blusa — Agora como vou andar na escola desse jeito? Argh! Você me paga garota!

— Desculpa, foi sem querer — Disse tentando soar tímida e temerosa. Arrependida.

 — Desculpa? Apenas aguarde garota, isso não vai ficar assim — Ela disse, claramente me ameaçando — Vamos Samui, me ajude a dar um jeito nisso. Agora como vou falar com o Sasuke-kun?

“Vai lá, idiota, e pra você é Uchiha-san!” Era o que eu queria ter respondido, mas já chamei atenção demais, para alguém que gosta de passar despercebido;

Resolvi sair do refeitório, e me dirigi a sala de aula. Assim que sentei, senti meu celular vibrar.

Amor: Você tá bem?

Respondi que sim e ele me respondeu com um ok e um emoji de beijo.

Sorri levemente e coloquei o celular em cima da mesa. Tirei o livro de história da mochila pois logo o intervalo terminaria e o professor iria chegar.

Isso logo aconteceu.

Vi Sasuke chegar acompanhando de seus amigos, ele como sempre calado, Naruto tagarelava e Ino ficava jogando charme para o meu namorado. Ela tinha uma paixão platônica por ele, e Sai, o esquisito, tinha um penhasco pela loira.

A relação deles quatro estava difícil, principalmente com  o surgimento do boato de que Sasuke seria gay.

É o preço que ele estava pagando, por ser fiel a mim e ao nosso relacionamento.  Isso me faz ama-lo ainda mais, entretanto, me faz novamente pensar, que estou sendo egoísta por estar o fazendo passar por isso, apenas por um capricho meu. 

Talvez fosse a hora de parar de se esconder.

•••


A aula passou bem rápido, logo já era a hora da aula de Literatura e provavelmente iria ficar vaga, já que Kakashi-sensei estava doente.

Então era provável que todos ficassem na sala fazendo bagunça. Menos eu, é claro, já que sou bolsista, precisava de bom comportamento.

Senti meu celular vibrar no bolsa da saia jeans, revirei os olhos ao ver que era o meu namorado de novo.

Amor: O que está pensando?

Amor: E não revire os olhos pra mim!

Ri, ele era muito chato.

Eu: Nada, apenas no que vou fazer até a próxima aula! E larga de ser chato, não tem como vc saber se eu revirei os olhos, vc tá longe.

Amor: Eu te conheço muito bem.

Amor: Vai lá pra casa hoje?

Amor: Guar

A mensagem veio incompleta, e eu fiquei sem entender.

Amor: Guarda o

Antes que eu pudesse entender as mensagens e responder, senti meu celular ser tomado das minhas mãos.

Gelei quando olhei pra cima e vi Karin com meu celular na mão, ela sorria maldosa enquanto parecia ler minhas mensagens.

— Olha só, ela tem um namoradinho — Karin zombou.

—  Me devolve o celular, Karin – Falei com a voz desesperada

Isso não podia tá acontecendo. 

— Ah deixa disso, Haruno, compartilha com seus colegas de sala, o seu namoradinho. — A voz soou sarcástica — Oh! Quantas mensagens do "amor" – Ela fez uma pausa, parecendo ler as mensagens, as antigas, as que eu temia que ela lesse – Nossa! Você vai dormir comigo hoje? Uau, que suja!

Ela leu a mensagem em voz alta. Para toda a sala escutar. Eu só senti vontade de sumir. Ou de socar a cara daquela garota.

Escutei a risada do pessoal da sala, e senti minhas bochechas avermelharem.

Escutei Naruto, o idiota amigo do Sasuke, gargalhar, e em seguida falar bem alto:

— Olha só teme, até a esquisitona da sala tem um namorado, e você não! Ah é, você corta pro outro lado – E gargalhou.

Olhei para Sasuke e ele parecia impassível, ele não tirava os olhos de Karin.

— Então, e esse seu namorado? Tem foto dele aqui? —Karin falou e eu gelei de novo.

 Acho que vou desmaiar 

— Deixe-me ver, Ah que pena, protegido por senha! Haha, mas ainda bem, já que provavelmente iria me assustar! A imagem de um Nerd, esquisito, cheio de sarda e com óculos fundo de garrafa não me agradaria! Não mesmo!

Olhei pra Karin sem conseguir acreditar! 

— Consegue imaginar, Samui? Deve ser uma visão de horrores! Argh! — Samui e Karin riram, e aquilo realmente estava me irritando. Ela não iria falar de Sasuke assim.

— Devolve meu celular — Falei calmamente.

— Calma ai Haruno, ainda estamos discutindo esse seu namorado catarrento aqui – Ela falou e sua amiga Samui riu novamente.

— Ele não é nenhum catarrento! Devolve. Meu. Celular.! – falei, já sem paciência.

— Ah não, então como ele é? — Ela perguntou com uma cara zombateira que me deus nos nervos. Eu  realmente queira bater nela, nesse momento.

— Viu?, Catarrento! — E gargalhou, e dessa vez a sala a seguiu.

— Para com isso! Ele não assim, ele é muito bonito! — Me exaltei. E talvez tenha falado o que não devia, mas dane-se. — Ele é incrível, e deixa a maioria desses garotos daqui embaixo dos seus pés! Então pare de falar dele! Você não o conhece! Você só quer chamar atenção, então pare e devolva meu celular!

— Ora sua garota idiota! — Karin parou de falar e olhou para o aparelho em suas mãos — Oh, está vibrando! O seu namorado está ligando Haruno. Será que eu atendo?

Não entre em pânico Sakura, Sasuke não faria isso, faria?

Sim, ele faria.

Meus olhos se esbugalharam quando a ficha caiu! Seu namorado estava ligando! Sasuke estava ligando! Sasuke, que tava a poucos metros de si estava ligando para seu celular! Que tava a com Karin! O que merda ele tava fazendo?

— Vou atender, como você chama ele? Haha Não importa! Alô? Oi amor? – Karin atendeu. Ela realmente atendeu.

Meu olhos automaticamente se viraram em direção a Sasuke, e vi que ele agora olhava pra mim, enquanto mantinha o celular na orelha, enquanto Sai, Naruto e Hinata olhavam pra ele confusos.

— O que você ta fazendo? – Balbuciei, sem sair som algum da minha boca, esperava que ele entendesse.

Acho que entendeu pois eu consegui ler um “desculpa” que saiu pelos lábios dele.

— Devolve o celular pra Sakura — Foi o que Karin ouviu do outro lado da linha, e foi o que as pessoas que estavam próximas a Sasuke escutaram também.

— Anh? Sou eu amor, a Sakura — Escutei Karin dizer, mas eu só conseguia olha para Sasuke.

Ele tava fazendo mesmo isso?

— Karin, devolve o celular para minha namorada! — E ele falou mais alto. E acho que Karin agora entendeu alguma coisa, pois olhei pra ela e ela tirou o celular da orelha e olhou diretamente pra Sasuke.

— Sasuke-kun? Mas o quê? 

— Devolva, não vou pedir novamente! — Sasuke repetiu.

Eu apenas fechei meus olhos e suspirei cansada. Então era isso, agora todos ficariam sabendo do nosso namoro. 

Eu devia ficar com raiva, não deveria? Sasuke decidiu isso sem falar comigo. Mas eu só conseguia ficar aliviada. E até de certo modo feliz. 

Não era o que eu estava pensando antes? De acabar com esse segredo? Sasuke só foi mais rápido.

Abri meus olhos, dei dois passos e fiquem em frete a Karin, estendi a mão e peguei meu celular, ela me devolveu sem resistência, ainda olhava Sasuke, ela estava estática.

Levei o celular até a orelha e suspirei ates de falar —Obrigada! Mas você ficou maluco? 

— Desculpa, foi mais forte do que eu — Escutei ele falando, mas só pelo celular, já que ele tinha diminuído o tom de voz.

— Você é impossível! — Falei fazendo um gesto de negativa, com a cabeça.

— E você tava muito sexy me defendendo — Ele falou e deu um sorrisinho de canto.

Eu só consegui olhar pra ele de boca aberta antes de soltar um “cretino” e desligar.

Antes de acontecer mais alguma coisa, o professor de biologia chegou na dala mandando todos para seus lugares. 

A próxima aula ia começar.

 

•••

 

Sakura provavelmente me mataria pelo que fiz, Mlmas não tinhas mais volta. Não podia deixar ela ser ridicularizada daquela forma, ainda mais por minha causa.

Então agora todo mundo ia ficar sabendo, que Uchiha Sasuke não era gay, e tem uma namorada.

De certa formar isso me beneficiou muito, se eu sair vivo das mãos de minha garota, não terei mais ninguém com dúvida sobre a minha sexualidade.

Isso era muito bom.

Ouvi o sinal do fim das aulas tocarem.

Hoje seria mais um dia que eu iria pegar minhas coisas e sairia da sala e ia para casa, esperar Sakura. Mas as coisas não aconteceram como sempre então, assim que coloquei meus materiais na mochila, disse adeus aos meus amigos — que por incrível que pareça não me bombardearam com perguntas ainda—, e me dirigi a mesa de Sakura que estava guardando seu material.

— Acho que hoje posso te levar  direto para minha casa, não vai ter desculpa — Falei pra ela, Sakura olhou pra mim, suspirou, pegou sua mochila e se levantou da carteira.

— Vamos precisamos conversar mesmo — Ela falou e senti um frio na espinha.

Será que eu ia mudar de status novamente?

De Gay, para hetero.

De comprometido para... Solteiro?

Sakura não ia fazer isso, não é?

°°

Fomos direto para minha casa.

Atravessamos todo o pátio da escola em silencio, sobre os olhares de todos os alunos. Sentia Sakura tensa caminhando a minha frente.

O caminho que percorremos de carro, foi no completo silencio. E isso só fez eu ficar mais nervoso.

Assim que chegamos e frente a porta da minha casa, Sakura a abriu sem cerimônia e foi logo subindo pro meu quarto.

Avistei Ayume na sala, mas apenas acenei com a cabeça pra ela e subi atrás de Sakura. Quando cheguei até ela a vi sentada na minha cama, com o olhar virado para o nada.

Engoli em seco.

— Você está com o semblante de alguém que vai terminar uma relacionamento. Você vai, Sakura? — Perguntei a ela, tentando disfarçar meu temer.

— Sasuke...

— Sakura, sei que não podia ter feito o que fiz, eu nem falei com você antes, só que... — Passei a mãos pelo cabelo, os bagunçando, essa situação estava me dando nos nervos.

Eu não devia ter feito aquilo. Sakura ia resolver, ela sempre resolve, eu não preciso ficar salvando ela, ela não é uma donzela indefesa, ela é forte! Que merda foi que eu fiz? Burro!

— Sasuke, fica quieto.

Foi só ai que percebi que andava de um lado para outro do quarto e que provavelmente meus cabelos estavam completamente bagunçados de tanto que eu passava as mãos por ele. 

— Sasuke,  eu amo você,  e não,  eu não vou terminar.  

Eu senti uma felicidade e um alívio imenso ao ouvir aquilo.

— Só que eu estou pensando seriamente em à gente dar um tempo — Sakura falou e eu tremi. 

— Um tempo? Como assim um tempo? 

Que merda era essa? 

— Você tomou uma decisão sem me consultar, Sasuke, você passou por cima da minha vontade,  eu não queria que as pessoas soubessem da gente, dessa forma.

— Eu já pedi desculpa. 

— Eu sei,  mas não é tão fácil assim, você  vai querer sempre tomar as decisões por mim? 

— Tomar as decisões por você? Você tá se escutando? A último coisa que eu fiz nesse relacionamento foi tomar alguma decisão por você. Por que eu faço todas as suas vontades , Sakura,  faço tudo o que você quer, por que é só isso que eu sei fazer de melhor, viver por você.  Então  não fale algo assim,  não me julgue tão egoísta assim — Desabafei, respirei fundo e abaixei a cabeça não conseguindo olhar em seus olhos.  

Eu provavelmente falei o que não devia.  Mas eu precisava falar aquilo.  

Senti sakura se aproximando de mim,  logo senti o toque da sua mão no meu rosto,  e ela levantou meu olhar me fazendo olhar em pra seu rosto. Ela suspirou, e olhou para o meu rosto


— Era isso que eu queria, Sasuke,  que você falasse o que realmente sentisse, e agora eu sei o quanto eu fui uma péssima namorada. — Eu quis negar com a cabeça, mas ela pós uns dos dedos nos meus lábio, me silenciand. — Eu te amo. E eu quero viver por você, assim como você estava vivendo por mim, e fazendo as minhas vontades. Então, a partir de hoje, para todos os outros, eu sou Sakura Haruno, namorada e amiga de Sasuke Uchiha.

Olhei pra ela atônito,  mas na felicidade me preencheu rapidamente.

Ela sorriu largamente e me beijou.  

E eu automaticamente retribui.  

Havia realmente momentos que eu não conseguia entender, Sakura.  

Momentos como agora, onde acabamos de ter uma discussão e ela simplesmente fala uma dúzia de palavras e me beija,  como se nada tivesse acontecido. 

Ela era assim tão imprevisível. 

E eu a amava com todas as minhas forças.  

— Você deivia ter visto sua cara quando eu disse que queria um tempo. Foi uma boa vingança — Ela falou assim que terminamos o beijo, e ela se afastou, rindo maliciosamente.

— Sakura, do que você está falando? — Questionei confuso. Eu realmente não sabia do que ela falava.

— "Chego a ficar surdo com seus gemidos" — Ela falou tentando imitar minha voz, e, assim que ela proferiu a frase, a ficha caiu. 

— Sakura,  você quase terminou tudo comigo, para se vingar do meu comentário de ontem? — Perguntou, incrédulo.

— Também,  foi gratificante ver você todo desesperado. 

E ela simplesmente riu em seguida.

Inacreditável

Depois dessa,  acho que vou dormir. 

Ou não,  já que A está aqui,  seria uma boa oportunidade para me vingar desse seu teatrinho, que quase me mata do coração.  

Sorri internamente. 

30 de Octubre de 2018 a las 01:06 0 Reporte Insertar 0
Leer el siguiente capítulo Uchiha - Kun, Você não era gay?

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~

¿Estás disfrutando la lectura?

¡Hey! Todavía hay 2 otros capítulos en esta historia.
Para seguir leyendo, por favor regístrate o inicia sesión. ¡Gratis!

Ingresa con Facebook Ingresa con Twitter

o usa la forma tradicional de iniciar sesión