Memórias Póstumas De Grelle Sutcliff Seguir historia

yuzistein Yuzi Stein

Em um futuro distante Grell guarda uma lembrança, uma lembrança do seu passado triste, doloroso e cruel.


Cuento Sólo para mayores de 18.

#LGBT-Yaoi-Kuroshitsuji-BlackButler-GrellSutcliff-Relacionamento-Abusivo
Cuento corto
0
4.5mil VISITAS
En progreso
tiempo de lectura
AA Compartir

Joias

-Guardado dentro de você, ninguém roubará de mim a jóia mais preciosa dos Phantomhive.-Disse Undertaker finalizando as últimas saturas de uma cabeça ruiva.

Eu não sei como, não sei por onde e muito menos sei quando começou. Eu me sentia estranha, eu sentia algo dentro de mim, mas eu nunca soube o que exatamente era. Passei tempos e tempos com essa estranheza que acabei por me acostumando com aquilo, era como se ele nunca esteve ali, mas ele sempre esteve.

Eu também não sabia dizer como ou quando eu fui parar naquela floresta rodeada de matos bem verdes, campos floridos e animais. Eu estava longe do casarão dos Phantomhive, estava longe do departamento e eu estava longe de William, muito longe. Eu também não sei dizer quando ou como eu conheci um homem, um homem cujo era um demônio. Demônio muito sedutor ou até mais que o Sebastian, Undertaker e William juntos.

Também eu não sabia dizer quando ou como fiquei tão próxima e íntima desse demônio cuja aparência tão bela, de pele clara, olhos vermelhos e brilhantes, dono de cabelos longos e tão negros quanto o seu coração que fora queimado pelas chamas do inferno. Apenas lembro dos seus lábios declarando doces mentiras, jurando amor a qual não acreditei que pode cair e me apaixonar, afinal, demônios não amam, não é mesmo? Isso é mais do que óbvio.

As lembranças que tenho são pequenas, mas é o suficiente para mim. Lembro-me dos lábios daquele demônio beijando o meu corpo, lembro-me de suas grandes mãos e suas unhas negras acariciando e apertando o meu corpo no ato de luxúria enquanto ele dizia que estávamos amando, lembro-me dele me prometer o céu, a terra e as estrelas para me fazer feliz. Eu nunca percebi que todo esse tempo eu estava em meio a uma hipnose, ele me hipnotizava e me controlava igual as minhas bonecas de costura e eu obedecia como um cachorro igual o phantomhive.

O demônio cujo nome era Hew prometia coisas românticas e fantasiosas, ele também prometia coisas subliminares para mim, ele me controlava de uma forma que nem eu mesma tinha controle sobre mim. Ele me controlava como se estivesse roubando algo de mim, algo eu não deveria ter.

-Querida, eu quero te dá o mundo, quero que seja dona de tudo.-Falava ele novamente coisas fantasiosas a qual na época não entendia seus significados. Estávamos deitados nus em um campo a noite e os nossos corpos sendo iluminados pela luz prateada da lua, nossas roupas estavam espalhadas pelo chão verde do campo florido.

-Você me prometeu isso tantas vezes.-Disse sorrindo, boba, olhando para ele como se vê um príncipe. Como fui tola.

-Dessa vez irei cumprir, mas é necessário sua ajuda, afinal, para ter o mundo é necessário um esforço e merecimento, não é mesmo?-Disse ele sorrindo e vi nos seus olhos vermelhos vivo um brilho, um brilho estranho, o seu sorriso nunca foi sincero, sempre foram irônicos e controladores.

-Claro. Mas qual ajuda você necessita?-O questionei ainda receosa.

-Que roube a foice do Shinigami Undertaker.-Respondeu ele desfazendo o sorriso e olhando intensamente e sério para mim.

-Mas para o que você quer a foice dele?-O questionei estranhando o pedido e ele me beijou me calando e me fazendo esquecer as dúvidas que rondavam minha mente.

-Se fizer isso, o mundo será somente seu.-Respondeu ele abrindo um sorriso doce mas sempre com aquele brilho estranho em seu olhar.

E mais uma vez obedeci suas ordens. Quando me vi eu estava na funerária do Undertaker, não lembro exatamente como fiz ou o que eu fiz, apenas lembro-me do meu corpo nu com o dele dormindo profundamente e eu roubando sua foice "chave"*. Depois desse ocorrido lembro-me de me ver presa, perdida em minha própria consciência, tendo em mãos a foice de Undertaker.

Eu perdi tudo, perdi a mim mesma, perdi o juízo, o amor próprio e minha dignidade. Eu destruí tudo, matei pessoas sem necessidades, destruí cidades, destruí famílias e destruí a mim mesma. Eu estava cega de poder, eu estava pensando que eles queriam me destruir enquanto eles queriam me libertar da prisão que o Hew criou para mim. Eu lutei contra tudo e todos. Lutei contra Sebastian, contra William, contra o Undertaker e até mesmo contra o Ronald e lutei contra aqueles que um dia foram meus amigos.

Lembro-me apenas de um golpe, de um simples golpe e a foice cair da minha mão, lembro-me da dor fina e agonizante da foice entrando e dilacerando no meu corpo enquanto o sangue jorrava abundante dos meus lábios, lembro-me de Hew se aproximar de mim enquanto se transformava em um ser terrível, um ser que nunca vi em toda minha vida como Shinigami ou como mortal, seu corpo era todo deformado e grande e ele parecia uma fusão de diversos animais e era assustador. Apenas lembro-me dele com suas longas e pontiagudas unhas negras rasgando a carne da minha cabeça e arrancando algo que já me acostumei e que sentia falta naquele momento.

-Isto não te pertence demônio!-Gritou Undertaker que até então me acolhia em seu colo enquanto eu via meus cinematic e um cinematic desconhecido sair do meu corpo.

-Este cinematic, é do Ciel!-Gritou Sebastian surpreso e Undertaker correu para cima de Hew com sua foice a qual desviou e Sebastian segurou seus braços por trás evitando qualquer mobilização enquanto os gêmeos se aproximavam de mim.

-Você nunca foi meu irmão, meu irmão não está vivo. Você não passa de uma boneca controlada por esses cinematics que o Undertaker criou.-Disse Ciel o caolho.

-Bizarre ou não, sempre serei seu irmão, sempre serei amado e lembrado por ti. Confesse, "vovô" é deveras inteligente, não é mesmo?-Perguntou cínico o irmão.

Enquanto a luta rolava e os irmãos discutiam, eu apenas chorava, chorava por que meu fim estava próximo e ninguém se importava o suficiente para me amparar ou para me dizer adeus, eu estava no mesmo estado deplorável de morte, idêntico a de Madame Red que foi ignorada, traída e rejeitada por tudo e por todos.

Hew já estava morto, não sabia como ou quando mataram ele, apenas vi seu rosto morto contorcido de dor olhando diretamente para mim, enquanto Sebastian, Undertaker e William brigavam por uma alma. Que diferença faz? Que diferença tem entre eu e uma alma? A diferença é que eu era uma Shinigami e shinigamis não morrem, então, porque sinto que estou próxima do fim?

Minhas últimas lembranças foram de um Undertaker e Sebastian feridos, e de Ronald gritando desesperadamente "Senpai" repetidas vezes, enquanto Eric me erguia fazendo eu vomitar e perder mais sangue, na tentativa de me salvar.
Salvação que nunca tive e que foi tarde demais para ter. Tudo foi tarde, tarde demais para evitar, tarde demais para salvar, tarde demais para consertar.

Agora estou em um futuro distante, muito distante, lembrando, tendo memórias despedaçadas e difíceis de juntar. Minhas memórias póstumas.



24 de Octubre de 2018 a las 16:17 0 Reporte Insertar 0
Continuará…

Conoce al autor

Yuzi Stein Hi, I'm YuziStein and welcome to my profile. 💜

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~