Cravo maldito Seguir historia

dani-cg1537632206 Dani Caruso Gandra

O conto narra o destino de Verfogt, um garoto de 14 anos, cuja vida era condenada e condenável.


Cuento Todo público.

#destino #submundo #cravomaldito #hallowink
Cuento corto
4
4628 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

A dor na face

Verfogt tinha 14 anos quando, pela primeira vez, viu aquele cravo crescer bem na ponta de seu nariz. Doía dormir de bruços. E sempre à meia-noite, o cravo se impunha de um jeito que permanecia tão grande no decorrer dos dias, motivo este que a família de Verfogt o escondia das visitas pela vergonha que o menino causava. Mas além da vergonha, aquele cravo era assustador.

Verfogt sabia que talvez aquela dor que sentia na face poderia durar até o dia de sua morte, porque dela não se livrava, e nunca soube como o cravo tinha surgido bem no meio do seu nariz.

Como estava de férias do colégio, não precisava ter que aturar o bullying dos colegas de classe, então passava a maior parte de seu tempo brincando com aranhas que colecionava.

A companhia

Aquele cravo continuava crescendo, e dentro de Verfogt uma esmagadora vontade de assumi-lo, sem nenhum complexo. Sua família trabalhava fora e quase não ficava em casa, e quando se reuniam, o tempo passava bem depressa.

Verfogt se sentia sozinho e já não suportava isso, assim, decidiu dar uma volta pelas redondezas de seu bairro e encontrar alguém para trocar uma ideia.

Na vizinhança, Verfogt era praticamente um desconhecido, já que raramente saía de casa, a não ser quando o ônibus da escola ia buscá-lo e trazê-lo.

Ao caminhar pelas ruas, ele percebeu que ninguém reparava tanto nele, principalmente em seu cravo escandaloso. E isso fez com que ficasse mais confortável, então, entrou num bar, comprou uma garrafa de coca-cola e saiu.

Uma mulher que estava sentada nesse local foi atrás de Verfogt. Por trás dele, cutucou suas costas, como se o conhecesse. Ele se virou e viu que ela também tinha um cravo bem grande na ponta do nariz.

Nenhum espanto lhe ocorreu, os dois começaram a caminhar juntos, e a mulher parecia conduzir o caminho. Tudo o que Verfogt dizia a ela não parecia novidade, era como se ambos vivessem quase a mesma vida.

📷

Créditos da imagem: Hernán Carracedol (Para o Desafio do Halloween)

O destino

De repente, Verfogt percebeu que estava dentro de uma sala escura, e que ali só havia ele e aquela mulher. Assim que entraram, ela pediu que ele a aguardasse por um instante. Verfogt fez sinal de positivo com a cabeça.

O lugar era escuro, mas ainda dava para enxergar alguma coisa. Como ele era um menino curioso, não permenceu parado, mas andando por lá. Observou que havia poucos móveis, apenas um sofá marrom rasgado, uma mesinha de centro espelhada sem nenhum objeto por cima e uma foto bem antiga de um cara velho que tinha no lugar do nariz um sebo enorme.

Estranhou aquilo, e soltou um "ai, credo"! A mulher retornou e o pegou pela mão dizendo a ele para não ter medo, pois estava prestes a descobrir algo que mudaria o seu destino.

Verfogt não conteve a lágrima fria que escorria pelo rosto, disse que queria ir embora dali, mas a mulher o convenceu a entrar em outra sala. Ao mesmo tempo em que ele estava curioso para saber o que iria encontrar, também sentia uma angústia.

Na outra sala, o homem da foto sorriu para ele e lhe disse:

- Você foi escolhido para condenar aqueles que estão no submundo, por isso, esse cravo em seu nariz, para lembrá-lo de quem vive nesse estado de impurezas.

Verfogt não queria condenar ninguém, somente se livrar daquele cravo maldito. Mas depois que ouviu tudo que o homem lhe disse, perguntou como faria para condenar as pessoas do submundo.

O homem continuou:

- Isso acontece naturalmente... Sempre quando alguém merece ser condenado, o seu cravo cresce.

Verfogt também indagou ao homem para onde iam os condenados e se seu nariz passaria a ser um sebo gigante como o dele.

- Eles ficam presos em masmorras astrais. E o seu nariz, meu caro rapaz, crescerá até o dia que você não conseguirá mais respirar.

Verfogt agora tinha certeza de que estava marcado até a sua morte.

************************************************************************

17 de Octubre de 2018 a las 13:20 25 Reporte Insertar 6
Fin

Conoce al autor

Dani Caruso Gandra Eu escrevo por prazer e também trabalho com isso. Sempre tive facilidade para transpor o pensamento para o papel, digamos assim... Desde pequena, escrevo; na escola escrevia muitos poemas e até os doava para as amigas presentearem os namorados com eles; hoje me atrevo a escrever contos e histórias mais longas de diferentes gêneros. Vem + por aqui, aguardem e sejam bem-vindos! :-D

Comenta algo

Publica!
Inkspired Brasil Inkspired Brasil
Olá, tudo bem? Que história inusitada e original. Levantou um ponto muito interessante, as vezes nossas anomalias têm um motivo além do que imaginamos e o sofrimento por escondê-las doí mais que aceitar. Ficou claro em toda a curta narrativa que pelo garoto Verfogt nem ligava tanto assim, para o cravo em seu nariz, como sua família e sua bolha social. Isso é de mais… ^^ Temos algumas observações ao longo da narrativa: Tem alguns erros de pontuações em toda ela, como por exemplo o uso exagerado das vírgulas. Tem uma dica bem legal: quando estiver em dúvida, leia a frase toda e, sempre que houver pausa na leitura, pontue. Outro ponto a ser observado é o uso de muitas palavras em repetição, não é um erro, contudo isso pode atrasar a leitura. A mesma coisa se aplica para o uso exagerado de advérbios terminados em “mente”. Aconselhamos uma revisão. Bom sobre o tema Halloween, foi okay, todavia o uso da imagem na história ficou um pouco a desejar, na leitura não conseguimos visualizá-la. O final foi realmente surpreendente e de tirar o folego, literalmente hahaha. Parabéns pela história! Esperamos que tenha se divertido no desafio, depois nos fale o que achou dele. ^^ Beijinhos :*
27 de Diciembre de 2018 a las 18:39
Karimy Karimy
Olá, autora! Tudo certo? Bom, acredito que não seja muita surpresa para a maioria das pessoas que conhecem um pouco do meu trabalho que amo terror, horror, suspense e sci_fi! Então a primeira coisa que quero dizer é que a ideia da história é muito bacana. Você introduziu vários elementos que a enriqueceram, como o curioso fato de os habitantes da cidade não se importarem tanto com o cravo dele, mas os familiares esconderem-no, além do fato de as crianças caçoarem dele (muito provável por serem crianças ainda e não entenderem a implicação do cravo). Fiquei imaginando que, talvez, a família pudesse escondê-lo justamente por medo, e as pessoas da cidade serem indiferentes a ele e ao cravo por já terem visto figuras como ele circulando por lá ou até soubessem ou imaginassem o que o cravo significa. A história está muito bem escrita. Encontrei alguns erros, mas nada que fosse grave ou tirasse a compreensão (até porque o meu foco estava mais na história, a curiosidade me pegou!). Eu confesso que, diferente do que vi aqui nos comentários, não fiquei esperando por um final feliz. Eu gostei muito, muito mesmo deste final, mas acredito que faltaram algumas coisas no decorrer do conto e no próprio final para que ele tivesse um efeito mais forte, explicador e assustador. Você introduziu muitas coisas ao longo do texto que poderiam ter sido usadas como base para um desenrolar menos "freado", e a história ficou reduzida demais, sendo que possui uma boa base e estrutura para melhor utilização desses elementos. De qualquer forma, entendo bem que, muitas vezes, os finais são os mais difíceis e maravilhosos casos de amor e ódio que existem para um escritor e leitor. Sofro há anos desse mal! Parabéns, autora. A história está bacana e espero poder ler outras coisas suas. Bjs!
17 de Noviembre de 2018 a las 18:36

  • Dani Caruso Gandra Dani Caruso Gandra
    Oiê, Karimy! O seu comentário também me enriqueceu muito, agradeço de coração. Vou bolar sim mais algumas histórias inusitadas e assustadoras. Bjs. 29 de Noviembre de 2018 a las 08:09
Sparkoll M Sparkoll M
Wow, eu amei ler isso É totalmente diferente do que eu pensei comecei a ler, e isso é ótimo, pqp Vc tem mto talento, eu amei ser tão envolvente ❤️
12 de Noviembre de 2018 a las 18:32

Lumii U. Lumii U.
Eu jurava que o cravo era uma metáfora! Eu também jurava que o final seria outro haha eu gosto desses enredos que surpreendem muito a gente, porque a quebra de expectativa é sempre divertida.
12 de Noviembre de 2018 a las 08:36

Yasu Wada Yasu Wada
O final foi totalmente diferente do que eu imaginava, pensei que ele de algum modo se veria livre do cravo e teria um final de certo modo "feliz". Foi bem interessante essa quebra de expectativa. Gostei bastante da história, parabéns pela participação do desafio.
12 de Noviembre de 2018 a las 06:41

  • Dani Caruso Gandra Dani Caruso Gandra
    Obrigada, Yasu! Vou me aprimorar cada vez mais! ;-) 15 de Noviembre de 2018 a las 09:43
Sr.  Artie Sr. Artie
Eu comecei a ler achando que a história seria sobre algum menino de 14 anos que morreu e virou um fantasma louco (?), mas a quebra de expectativa foi boa porque o que a história tinha para me oferecer era bem melhor e mais inusitado do que o básico que eu havia pensando. Também não estava esperando esse final, eu achi que ele iria morrer, mas outra vez fui surpreendido. Eu adorei a história, obrigado
11 de Noviembre de 2018 a las 23:17

  • Dani Caruso Gandra Dani Caruso Gandra
    Que bom, Sr. Artie! Fico lisonjeada que tenha gostado! 15 de Noviembre de 2018 a las 09:43
Mori Katsu Mori Katsu
Eu esperava um final diferente, um que ele consegue se livrar do cravo. Isso me fez lembrar do tempo da escola, quando eu tinha cravos e achava tão horríveis quanto uma verruga de bruxa.
7 de Noviembre de 2018 a las 12:00

  • Dani Caruso Gandra Dani Caruso Gandra
    Quando comecei a escrever até pensei nisso... Obrigada pelo comentário! 15 de Noviembre de 2018 a las 09:46
Katana Kuro Katana Kuro
Confesso que tinha em mente um final diferente, mas gostei bastante até porquê ficou uma estória fora do que a gente comumente encontra em contos curtos que costumam ter um final um muito fechado ou muito aberto, o seu o final fica no limbo dos dois e isso é interessante.
5 de Noviembre de 2018 a las 11:52

Ayzu Saki Ayzu Saki
Achei inusitado, principalmente por esperar outra coisa quando comecei a ler. Por um momento pensei que o cravo fosse uma metáfora, mas me surpreendeu! A narrativa me lembra os contos que lia quando era criança. Gostei bastante.
2 de Noviembre de 2018 a las 14:44

CC C Clark Carbonera
Adoro contos e o seu me lembrou bastante daqueles antigos contos dos Grimm! Mas também não entendi qual a relação da imagem com a história...pode me explicar? Parabéns pelo conto e por participar do desafio.
30 de Octubre de 2018 a las 09:58

  • Dani Caruso Gandra Dani Caruso Gandra
    Oiê! A imagem reflete o mestre com a criatura como um rito de passagem, numa espécie de tradição... 31 de Octubre de 2018 a las 07:07
Kamy Souza Kamy Souza
Wow! Que bela surpresa esse final! Ainda me restaram tantas perguntas que eu gostaria que ele tivesse feito! Queria saber mais sobre a sua família que o escondia, e da sociedade que não só não pareceu se importar com sua aparência, como também tinha outros semelhantes a ele, além de, é claro, como assim ele foi "escolhido"? Achei sua ideia muito criativa! Mas não entendi a ligação com a imagem. Parabéns pela participação no desafio!
28 de Octubre de 2018 a las 20:46

  • Dani Caruso Gandra Dani Caruso Gandra
    Oi, Kamy! Respondi isso no comentário acima, a imagem é simbólica, apenas reflete uma espécie de rito de passagem, uma tradição e o contato entre duas gerações. Espero ter respondido à sua pergunta! Obrigada! 31 de Octubre de 2018 a las 07:11
Nathalia Souza Nathalia Souza
Eu gostei, de verdade. Achei tão inusitado e intrigante, maravilhoso de uma forma bizarra. Gostaria de conhecer mais o nem tão pequeno Verfogt.
22 de Octubre de 2018 a las 13:41

  • Dani Caruso Gandra Dani Caruso Gandra
    Hehehe, que bom, Nathalia! Quem sabe ele encabece ou simplesmente integre outra tenebrosa história... Obrigada pelo comentário! :-) 22 de Octubre de 2018 a las 18:24
Neeca Ashcar Neeca Ashcar
Olá boa tarde, tudo bem? Venho por meio deste comentário como uma das responsáveis pelo desafio “gostosuras ou travessuras?” lhe avisar que está faltando, conforme as regras do desafio, a imagem, distribuída por nós da embaixada para a criação da história, localizada na planilha do desafio. Peço por gentileza que insira no capítulo e dê os créditos devido ao artista. Créditos, localizado na legenda da imagem. Link da planilha: https://docs.google.com/spreadsheets/d/1gYUNYS-iGLMgRzE1_jRfGYm3vhDvvufWmT0PEY8-HbU/edit#gid=530738561 Desde já agradeço. Qualquer dúvida pode questionar-me tanto neste comentário, tanto como nas redes sociais. Beijos :*
19 de Octubre de 2018 a las 15:56

  • Dani Caruso Gandra Dani Caruso Gandra
    Olá, Nicca! Vou tentar colocar, qualquer coisa, cutuco você. Bjs 21 de Octubre de 2018 a las 07:28
~