Sinto, muito Seguir historia

v.alcantara Vinícius de Alcântara

''Olhos alheios me julgam como impassível; Não fazem ideia do que sinto, se é que pensam que sinto; As vezes até eu duvido se sinto.''


Poesía Todo público.
Cuento corto
11
4778 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Sinto, muito

Além da mediunidade,

além da sensibilidade;

Eu vejo o que ninguém mais vê.
                                                                                                 

Olhos alheios me julgam como impassível;
Não fazem ideia do que sinto,

Se é que pensam que sinto;
As vezes até eu duvido se sinto.
                                                                        

Mas, sinto, muito.
Sinto muito por não querer sentir.
O medo sempre falou mais alto
E a dúvida e a desconfiança sempre fizeram parte de mim;
Eu sou um pedacinho de cada dano que já sofri. 

15 de Octubre de 2018 a las 23:33 0 Reporte Insertar 12
Fin

Conoce al autor

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~