Dance For You Seguir historia

raylanny Raylanny Alves

Hipnotizado. Essa era a palavra que poderia descrever o estado de Shisui naquele momento e tudo que ele conseguia ver além de si mesmo naquela sala era o corpo de Itachi se movendo de uma forma extremamente sexy e provocante. Claro que já havia visto o amado dançar várias vezes, tanto nas aulas quanto em peças ou musicais, mas em nenhuma das outras vezes ele estava tão libertino quanto naquele momento e tinha a plena certeza de que estava babando ao observá-lo só de ver o sorriso satisfeito que ele dirigia a si.



Fanfiction Anime/Manga Sólo para mayores de 18. © 2018 Os personagens não me pertencem, mas o enredo sim. Os direitos autorais da fanart pertencem a Uchiha Voodoo.

#incesto #universo-alternativo #itashi #queenbee #shiita #SuiIta #ShisuIta #ItaShisui #ItaSui #itachi #shisui #naruto #pwp
Cuento corto
7
4959 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Capítulo Único

NOTAS: Acharam mesmo que eu não iria postar fic ShiIta no aniversario do Shisui? Mas é claro que eu não iria perder a oportunidade de enaltecer do meu princeso no aniversario dele hahaha. Bom, essa fic participa do desafio #QueenBee da Celi Luna lá do Facebook e ele consiste em utilizar uma musica da Beyoncé no plot. A musica que eu usei foi "Dance For You" e eu recomendo que escutem durante a leitura. Era pra eu ter postado ontem (dia 19/10), mas como a minha beta e marida lindíssima @Marcelajackson passou o dia ocupada, só deu pra postar agora e muito obrigada por ficar até tarde betando pra mim amor <3.

Enfim, feliz aniversario para o meu princeso e boa leitura para vocês <3


.....................................................................................


Haviam chegado em casa depois de um longo dia de trabalho e apesar de ser o aniversário do maior nenhum dos dois havia conseguido tirar o dia de folga para comemorar. Aquele era o primeiro aniversário que passavam casados e Itachi achava que a data deveria ser comemorada da forma devidamente correta, mas não havia tido tempo nem mesmo para comprar um presente. Os ensaios do novo musical no qual estava estreando como ator principal estava tornando o tempo que passavam juntos praticamente restrito aos fins de semana já que a carga horária de Shisui na empresa também não ficava muito atrás da sua.

— Eu vou tomar banho primeiro, se importa? — perguntou Itachi ao maior que havia acabado de entrar no quarto.

— Não anata, pode ir — sorriu compreensivo.

Ainda no quarto, Itachi começou a se despir sob a supervisão dos olhos atentos do outro e não conseguiu conter um pequeno sorriso ladino ao se dar conta de que ele ainda o olhava com a mesma devoção que tinha quando eram apenas namorados. Poderia desistir do banho por hora e simplesmente pular nos braços do marido como desejava fazer há dias, mas precisava de tempo para pensar em algo que tornasse o restante daquele dia especial, então entrou no banheiro antes que o maior decidisse atacá-lo.

Seu banho não demorou mais do que dez minutos e não foi surpresa alguma para Itachi não ter encontrado nenhum sinal de Shisui no quarto. Sabia exatamente onde o marido estava e isso o fez suspirar exasperado enquanto ia até o closet. Vestiu uma boxer e um hobby preto, não se dando ao trabalho de arrumar os cabelos antes de sair do quarto e seguir pelo corredor até o escritório. Como imaginado, Shisui estava lá. Ele parecia distraído ao telefone, sentado atrás da grande mesa de madeira, mas assim que percebeu a presença do marido no cômodo não se demorou muito e logo a ligação foi encerrada.

— Trabalho? — perguntou fechando a porta do escritório e seguindo na direção do maior.

— Não, era o meu pai. Ele ligou para me desejar feliz aniversário.

— Hum… Como foi na empresa? — perguntou ao se sentar em uma das poltronas que ficavam de frente para o amado.

— Fizeram uma pequena confraternização para mim. Estou com uma sacola de presentes no carro — riu — Acredita que até o Sasuke se lembrou?

— Isso é mesmo impressionante... — sorriu sem graça — Me desculpe por não ter preparado algo especial.

Sem falar nada, Shisui apenas deu a volta na mesa e Itachi o seguiu com o olhar.

— Não se preocupe com isso — disse erguendo o rosto alheio antes de deixar um beijo casto nos lábios finos — Agora me diga como foi o seu dia.

— Começamos a ensaiar as coreografias da peça hoje.

— Mesmo? — animou-se — Quero assistir a um dos ensaios para te ver dançar assim que possível.

— Você nunca muda — disse ao ver toda a animação do marido.

— Sabe que adoro te ver dançar.

Shisui sempre gostou de acompanhar suas aulas de dança na adolescência e nunca se cansava de dizer o quanto adorava vê-lo dançar. Durante toda a sua trajetória para se tornar ator, o primo certamente foi a pessoa que mais o apoiou e incentivou, mas desta vez Itachi notou uma coisa que nunca havia percebido antes. Que apesar do marido sempre lhe dizer o quanto ama o ver dançando, o mais novo nunca havia feito dançado somente para ele e que isso talvez isso fosse um bom jeito de recompensá-lo.

Decidido, Itachi se levantou dando a volta na mesa e não tardou a abrir o Youtube no computador, aumentando ao máximo o volume do aparelho. Optou pela música “Dance for You” da Beyoncé e deixou que o anúncio de trinta segundos seguisse para que tivesse tempo de se preparar antes que a música começasse.

— O que está fazendo? — perguntou assim que Itachi passou por si, desfazendo o coque alto que prendia seu cabelo.

— Estou lhe dando o seu presente —  respondeu como se fosse algo óbvio — Então apenas sente-se e assista.

— Está bem — disse se encostando a mesa antes de continuar a analisar os movimentos do marido.

Shisui observou Itachi se sentar de costas para si na pequena mesa de centro que ficava a alguns metros de onde estava, e um sorriso ladino brotou de seus lábios assim que a música começou a tocar.


I just wanna show you how much I appreciate you

(Eu só quero te mostrar o quanto eu te admiro)


Itachi deslizou as mãos pela lateral de seu corpo até que as mesmas se infiltraram em sua madeixas, virando de lado com um olhar desafiador assim que uma nova frase da música se iniciava, mas assim que o ritmo acelerou a sequência de seus movimentos mudou. O menor abria e fechava as pernas ainda de costas para o marido, movendo-se de forma insinuante sobre o móvel que naquele momento conseguia causar extrema inveja ao maior. Shisui sabia que ele havia entrado em um personagem e que seu único objetivo era seduzi-lo ainda mais do que o normal.


Wanna show you how much I value what you say

(Quero te mostrar o quanto eu valorizo o que você diz)


Itachi levantou virando-se para o marido e colocou uma das pernas em cima da mesinha de centro, com o claro intuito de provocar ainda mais o maior, que afrouxou a gravata devido a ansiedade. O mais novo caminhou até a poltrona em que estava sentado anteriormente, ficando ainda de pé e para continuar sua performance. As mãos do menor continuavam a passear pelo próprio corpo e seus quadris se mexiam no ritmo da música. Caras e bocas eram direcionadas ao maior e Itachi teve certeza de ter visto o queixo de Shisui ir a baixo assim que se inclinou sobre a poltrona, empinando os quadris o máximo que podia e da forma mais sensual possível.


Loving you is really all that's on my mind

And I can't help but to think about it day and night

(Amar você é o que realmente está sempre na minha cabeça

E eu não consigo evitar de pensar nisso dia e noite)


Hipnotizado. Essa era a palavra que poderia descrever o estado de Shisui naquele momento e tudo que ele conseguia ver além de si mesmo naquela sala era o corpo de Itachi se movendo de uma forma extremamente sexy e provocante. Claro que já havia visto o amado dançar várias vezes, tanto nas aulas quanto em peças ou musicais, mas em nenhuma das outras vezes ele estava tão libertino quanto naquele momento e tinha a plena certeza de que estava babando ao observá-lo só de ver o sorriso satisfeito que ele dirigia a si.


Tonight I'm gonna dance for you

Tonight I'm gonna put my body on your body

Boy I like it when you watch me, ah

Tonight it's going down

(Hoje à noite eu vou dançar pra você

Hoje à noite eu vou colocar meu corpo no seu corpo

Garoto, eu adoro quando você me assiste

Hoje à noite vai ser demais)


Como em câmera lenta, Shisui acompanhou os movimentos do marido enquanto o mesmo voltava a caminhar em sua direção. Conseguia ver as pernas torneadas do amado escaparem pela brecha do hobby que já caia em um de seus ombros. A cada passo que ele dava seu coração parecia querer sair pela sua boca e por um momento cogitou a possibilidade de ir até ele e despi-lo de uma vez por todas, mas não queria interromper o seu pequeno show particular, então se contentou em apenas apreciar.

Já de frente para o maior, Itachi dedilhou a gravata já afrouxada, terminando de desfazer o nó para enfim tirá-la do pescoço alheio. O cabelo desalinhado pela dança lhe deixava com uma aparência selvagem e aquele roupão preto o ajudava a emanar luxúria. Shisui sentiu os lábios do amado roçarem de leve sobre sua bochecha e engoliu a seco assim que um dos joelhos dele se posicionou perigosamente entre suas pernas, fazendo-o perceber o quanto já estava duro sem nem mesmo ser tocado.

O mais velho observou as mãos curiosas do marido passaram por seu abdômen e logo voltarem aos seus ombros, incentivando-o a se desencostar da mesa para que seu blazer fosse retirado e jogado em algum lugar qualquer do escritório. Notou que Itachi também já estava excitado e um arrepio prazeroso percorreu sua espinha seguido de um arfar deleitoso.

Enquanto isso, o mais novo achava engraçado a forma como conseguia fazer o marido perder o controle tão facilmente. Sabia que Shisui adorava ser provocado com joguinhos e foi tendo isso em mente que permitiu que a mão alheia entrasse pela brecha do hobby e arranhasse de leve sua cintura. Os toques desceram de forma vagarosa até seu membro rijo, afagando-o ainda por cima da roupa íntima e um gemido manhoso escapou de sua garganta assim que uma pequena pressão foi feita no local. Um chupão foi deixado em seu pescoço, e o maior não parecia inclinado a ter piedade de si naquela noite. Sua coxa era apertada sem dó enquanto os dedos alheios dedilhavam a barra de sua boxer, e foi impossível não arfar em deleite quando seu membro foi tocado por dentro da peça. Mas assim que Shisui fez menção de se livrar dela o mais novo teve que resistir a vontade incessante de deixá-lo continuar e se obrigou a segurar o pulso alheio.

— Anata… Por favor  — Shisui sussurrou suplicante, ouvindo um riso baixo vindo do parceiro.

Itachi se encostou ainda mais ao corpo do marido, passando a mãos despudoradamente pela intimidade negligenciada e mordeu o lóbulo de sua orelha. Ouviu um gemido rouco vindo do amado enquanto o mesmo rebolava a procura de mais contato foi o sinal que precisava para parar.


And you know I'll never, ever, eh-ever give you up

(E você sabe que eu nunca vou desistir de você)


— And I wanna say thank you in case I don't thank you enough (E quero dizer obrigada caso eu não tenha agradecido o suficiente) — cantou sob o ouvido do maior que sentiu seus pelos se eriçarem instantaneamente como resposta.

Itachi fez menção de voltar a se afastar para continuar sua performance, mas em um movimento rápido Shisui rapidamente envolveu sua cintura, o prensando contra a madeira da mesa. O menor realmente sabia de todos os seus pontos fracos e não se detinha a usá-los para tirar toda a sua sanidade, mas não iria deixá-lo ganhar o jogo desta vez.

— Acha mesmo que pode me excitar desse jeito e se afastar como se não tivesse feito nada? — perguntou exibindo um sorriso sacana nos lábios.

— Na verdade, eu achei sim. — debochou arrancando um pequeno risinho do maior.

— Hoje não...

Sem cerimônias, Shisui avançou em na direção dos lábios finos tão chamativos, iniciando um beijo luxurioso que foi correspondido avidamente. Sem desfazer o contato, o maior desfez o laço do hobby como já queria ter feito a muito tempo e sem muita dificuldade ou resistência, ergueu o corpo alheio para que o menor pudesse se sentar sobre a mesa.

Itachi instintivamente puxou a camiseta social do marido para fora da calça, não se demorando em começar a desabotoa-la com maestria. Shisui deslizou seus dedos pelo cós da cueca alheia, enquanto sua boca trabalhava avidamente sobre o tórax do amado, que vez ou outra deixava um baixo gemido deleitoso escapar de seus lábios.

— S-Shisui —  chamou ofegante — Aqui não.

Atendendo ao pedido do marido, o mais velho o pegou no colo, saindo do escritório e o carregando até o quarto. Todo o percurso foi feito entre beijos e sem saber muito bem como, Itachi já não vestia mais seu hobby quando Shisui o depositou com delicadeza na cama.

Shisui se deixou tombar sobre o corpo do amado e Itachi abriu um pouco as pernas dando espaço para que o parceiro se ajeitasse ali. O mais velho voltou a atacar os lábios que tanto desejava e um beijo selvagem foi iniciado. As línguas brigavam por espaço em meio ao ósculo e o menor não se importou em entregar a dominância para o amado depois de um pouco mais de insistência do mesmo. De forma desajeitada, Itachi se livrou da camiseta social do marido, que riu entre o ósculo devido a pressa do amante. Seus dedos se infiltraram nos fios negros do menor, puxando-os para aprofundar ainda mais o beijo. Logo a falta de ar se fez presente e uma mordida forte foi usada para encerrar o ósculo.

Shisui desceu suas carícias para o pescoço do amado, chupando e beijando a pele imaculada com avidez antes de se afastar para observar o local que agora tinha um tom avermelhado.. Por causa do trabalho de Itachi como ator, Shisui sempre evitava deixar marcas visíveis ou muito fortes no corpo do companheiro, mas desta vez decidiu que também não iria se conter e mesmo que tivesse que ouvi-lo reclamar, sabia que valeria a pena.

Não satisfeito, o uchiha mais velho seguiu em uma trilha de beijos até a clavícula do amado, depositando ali uma mordida dolorosa. Seguiu em direção os mamilos do marido, deixando mais algumas boas marcas por seu peitoral e o mesmo gemeu em deleite assim que passou a sugar um dos botões rosados com avidez, enquanto uma de suas mãos apertava o outro, fazendo movimentos circulares vez ou outra. Itachi rebolou procurando se aliviar da forma que podia naquelas circunstâncias e o maior fez o mesmo, pressionando suas intimidades em um gesto que fez ambos gemerem deleitosos.

Com agilidade, Itachi empurrou o marido para o lado e montou sobre ele deixando uma perna de cada lado de seu corpo, logo voltando a rebolar sobre o membro totalmente rígido do amado. Shisui levou suas mãos até os quadris do menor, incentivando-o a continuar o que estava fazendo. Seus olhos percorreram todo o peitoral alheio, subindo para os lábios vermelhos e inchados devido aos beijos afoitos que trocaram. Seus cabelos cabelos caiam de por seus ombros de forma desordenada, contrastando perfeitamente com seu rosto, que se contorcia em uma expressão de prazer sempre que um novo gemido abandonava seus lábios. Ele exalava luxúria e tudo o que Shisui queria era tomá-lo para si o quanto antes.

As unhas de Itachi deslizavam livremente pelo tórax do amado, deixando um rastro de linhas vermelhas que não iriam sumir nem tão cedo, arrancando um gemido sôfrego de Shisui. Ele amava isso e acreditava que todas as marcas deixadas em si pelo amado serviam como uma pequena lembrança das noites prazerosas que tinha, além de ser um demonstração clara de possessividade.

Puxando o amado pelos cabelos, Shisui voltou a juntar seu lábios em um beijo afobado que não demorou muito a se findar. As mãos do mais velho vagaram até as nádegas de Itachi, deixando a peça íntima que ainda permanecia em seu corpo e cravando suas unhas ali.

Itachi gemeu em protesto quando as mãos do marido o obrigaram a parar de rebolar, mas antes que pudesse reclamar seu corpo foi puxado para cima deixando seu membro a apenas alguns centímetros da boca do amado.

— ‘Tachi, se livra disso — ditou puxando a boxer do amado para baixo.

Itachi saiu de cima do amado, se livrando da peça agilmente e a jogando em um lugar qualquer antes de voltar a montar sobre o marido. Shisui depositou beijos ternos entre suas coxas, seguindo uma trilha de beijos vagarosos até sua intimidade que a muito tempo implorava por atenção.

O maior iniciou uma punheta lenta e lambeu todo o comprimento da intimidade pulsante a sua frente, antes de rodear a glande com a língua, capturando uma pequena gota de pré-gozo que havia ali em provocação.

— Shisui, me chupa de uma vez —  ordenou impaciente.

— Não seja um marido mal educado…

— Anata... — gemeu — P-por favor!

Shisui levou as mãos ao traseiro do marido, o erguendo para que ficasse de joelhos sobre seu rosto. Deixou uma mordida forte em uma das nádegas fartas antes de separar as bandas e puxar o corpo acima de si para baixo.

— Depois...

— Shisui...  — gemeu de forma necessitada.

Com isso, o maior não tardou a rodar sua língua pela entrada pulsante de Itachi, ouvindo um gemido deleitoso do mesmo. Shisui sentiu o marido estremecer em seus lábios, voltando a gemer um pouco mais alto do que antes e isso apenas o incentivou a continuar repetindo o ato. Itachi começou a rebolar sob os lábios do marido, gemendo seu nome de forma desconexa em alguns momentos e o maior sentiu seu membro vibrar de forma dolorida dentro da calça. Shisui começou a forçar sua língua em uma penetração ritmada, beijando de forma obscena o local tão sensível, fazendo os gemidos do outro ficarem cada vez mais altos e sôfregos. Para o mais velho ter o marido gemendo de forma tão despudorada era algo indescritivelmente excitante. Poder ver o tão centrado, Itachi Uchiha, que todos conheciam não conseguir formular uma simples frase, mesmo que sua vida dependesse disso, enchia o seu ego.

Itachi começou a pressionar seu corpo ainda mais para baixo, clamando em um pedido mudo por mais e sendo prontamente atendido. Shisui direcionou seu dedo indicador aos lábios, chupando de forma breve antes de  levá-lo ao ânus do mais novo, começando a penetrá-lo aos poucos. Um vai e vem ritmado foi iniciado e o mais velho se pôs a observar o marido que começou a rebolar mais rápido sob seu dedo. Itachi levou uma de suas mãos até o seu membro visando se aliviar de uma vez por todas, mas foi impedido pelo marido que usou sua mão livre para prender seus pulsos.

— Nem pense nisso — disse fazendo Itachi bufar em frustração — Calma passarinho, eu vou te dar algo melhor que isso.

Sem cerimônias, o maior empurrou o corpo do marido alguns centímetros para trás, deixando sua boca próxima a ereção pulsante do mesmo. Itachi observava a cena abaixo de si em expectativa e o maior não demorou em começar a engolir o membro do amante com gula, iniciando um vai e vem lento e torturante. Suas mãos voltaram as nádegas do marido, deslizando novamente entre as bandas até a pequena entrada, fazendo o menor gemer acima de si assim que o primeiro dedo foi inserido.

Itachi segurou os fios curtos do amado, puxando-os com força em reflexo e Shisui gemeu lânguido assim que ele começou a impor seu próprio ritmo, fudendo a sua boca sem se importar com nada além do próprio prazer. Um segundo dedo foi inserido e Itachi precisou se apoiar sobre a cabeceira da cama para se manter de joelhos. Espasmos se espalharam por seu corpo, anunciando que o ápice de seu prazer logo viria e percebendo isso, Shisui se pôs a procurar pelo ponto de prazer do amado. Itachi se arremeteu para dentro da boca marido com força assim que ele passou a estimular sua próstata com afinco e não foi preciso mais do que algumas investidas para que gozasse na boca alheia.

Itachi se retirou da sua boca do amante ainda ofegante e o observou engolir sua essência, limpando os cantos da boca antes de tirá-lo de cima de si. Shisui se levantou da cama e andou até a cômoda enquanto Itachi ainda se encontrava perdido em seu nirvana de pós-orgasmo, percebendo a movimentação repentina do marido apenas quando o mesmo voltou para a cama com um pacote de camisinha e um pote de lubrificante.

— Vem aqui, passarinho — chamou tirando sua própria calça, ficando apenas de boxer.

Sem objeções, o menor engatinhou com dificuldade até a beira da cama e Shisui o beijou rápido, fazendo-o sentir o gosto característico de seu próprio esperma que ainda se fazia presente na boca alheia. Itachi se levantou, ficando frente a frente com o marido.

— Eu faço isso — disse pegando a camisinha da mão do maior, recebendo um olhar malicioso como resposta.

— À vontade.

Shisui observou o amado se ajoelhar aos seus pés e tirar sua cueca, lambendo os lábios em desejo ao encarar seu membro que já expelia pré-gozo. Itachi lhe direcionou um olhar devasso e iniciou uma punheta ritmada em seu membro antes de levar dois de seus dedos a boca. O maior estremeceu ao observar a cena a sua frente e tinha certeza que poderia gozar apenas vendo a forma devassa com que Itachi chupava os próprios dedos. Mesmo depois de vários anos de namoro e já estando casados, Shisui  não conseguia entender como o parceiro ainda tinha o poder de tirá-lo do eixo um simples ato.

Assim que seus dedos abandonaram sua boca, Itachi se pôs a lamber toda a extensão do membro alheio, rodeando a glande com a língua de forma torturante. Impaciente, o maior agarrou os fios longos do marido para tomar controle de seus movimentos, o obrigando a enfim colocar de vez sua intimidade na boca, iniciando um vai e vem rápido e prazeroso. Shisui jogou a cabeça para trás em deleite e fechou os olhos para aproveitar a sensação, mas o vibrar das cordas vocais do parceiro sobre o seu membro o fez voltar a abri-los. Itachi movia os dois dedos chupados anteriormente em seu interior com rapidez, gemendo sem pudor algum com seu membro ainda na boca. Os olhos ônix o encararam, transparecendo toda a luxúria que os rodeava naquele momento e isso foi o estopim para levar qualquer resquício de sua sanidade que lhe restava.

— Itachi… — afastou o marido, fazendo o olhar interrogativo — Chega.

Entendendo o recado, o menor tirou os dedos de dentro gemendo lânguido. O pacote da camisinha foi aberto e Itachi o levou aos lábios, logo fazendo-a deslizar pelo membro do marido. Shisui esperou até que o preservativo estivesse devidamente colocado, não dando nem um segundo a mais para o marido que foi puxado pelos cabelos e obrigado a ficar em pé. Um beijo afobado foi iniciado e o mais velho guiou o amado em direção a cama, o empurrando sobre ela assim que chegaram à beira da mesma. Shisui capturou a mãos de Itachi e chupou os dedos antes usados por ele na preparação de sua entrada de forma obscena, gemendo em deleite ao sentir o gosto do marido de tal forma.

— Você sabe o que acontece quando você me provoca assim, não sabe, anata? — perguntou depositando um pequeno selo na mão do amado antes de se afastar para pegar o lubrificante.

— Talvez... —  respondeu abrindo as pernas em um convite explícito ao maior, que sorriu pela audácia do marido antes de despejar uma boa quantidade do produto na entrada do mesmo.

— Depois não se arrependa.

Shisui se posicionou entre as pernas do amado erguendo suas pernas para que ficasse ainda mais exposto e o invadiu de uma só vez. Um gemido doloroso deixou os lábios Itachi pela invasão brusca e o maior arfou ao sentir o aperto das paredes internas do parceiro tentando avidamente expulsá-lo de dentro de si. Os movimentos começaram lentos, mas logo se tornaram frenéticos e necessitados. Os gemidos de ambos já haviam se tornado audíveis e o suor já começava a banhar ambos os corpos. Shisui, mordeu a perna do amado que agora pousava em seu ombro em uma tentativa falha de abafar um gemido alto e estapeou com força a coxa do marido, que arfou em aprovação.

— Fica de quatro, agora — rosnou e sem objeções, Itachi se colocou de quatro no centro da cama, empinando o quadril o máximo que podia, observando Shisui logo voltar a se posicionar atrás de si — Você é uma delícia Sr. Uchiha. 

O maior roçou seu membro na entrada já dilatada, antes de voltar a invadi-lo com rapidez, fazendo Itachi gemer em deleite. O quadril de Shisui ondulou habilmente, fazendo com que a cabeça de seu pênis roçasse torturantemente a próstata do menor, fazendo-o gritar de prazer. As investidas ficaram lentas e Shisui se deleitou com a frustração do menor que começou a rebolar, incitando o próprio prazer.

Já não aguentando mais, o maior puxou Itachi pelos cabelos fazendo com que suas costas ficassem encostadas em seu peito e acelerou ainda mais o ritmo das estocadas. Suas mãos apertavam com força os quadris do marido e tinha certeza de que a marca de seus dedos ficariam no local. O mais novo jogou a cabeça para trás e levou uma das mãos para o seu membro, mas logo Shisui a segurou, o impedindo de continuar.

— Você vai gozar apenas comigo entrando fundo em você.

— S-Shisui… — gemeu jogando a cabeça para trás, tendo o pescoço mordido pelo marido.

— Goza pra mim, ‘Tachi… — sussurrou próximo ao ouvido alheio, logo voltando a acelerar o ritmo de suas estocadas.

Ambos os corpos chocavam-se com brutalidade e gemidos de ambas as partes ecoavam pelo quarto negro. Itachi já perdia o ar, gemendo arrastado enquanto o marido acertava continuamente seu ponto de prazer. Com um gemido rouco, o mais novo se derramou em seu próprio abdômen, ouvindo Shisui urrar de prazer ao se derramar depois de mais algumas estocadas. O mais velho ficou parado por um tempo, ainda se recuperando do pós-orgasmo e assim que sua respiração voltou ao normal ele se retirou de seu interior, jogando-se ao seu lado na cama logo depois de retirar o preservativo e jogá-lo em algum lugar do quarto. Estavam exaustos, mas ainda assim um sorriso singelo adornava ambos os rostos, mostrando a satisfação que sentiam após a noite incrível que tiveram.

Shisui puxou o marido para perto de si e o aconchegou em seus braços, logo puxando o cobertor para cobri-los confortavelmente.

— Feliz aniversário — disse abraçando o maior com carinho — E mais uma vez eu quero dizer que sinto muito por não poder ter preparado nada. E obrigada por sempre me apoiar, além de ser o melhor companheiro que alguém poderia ter.

— Obrigado — beijou o amado com ternura — Eu amo você e o melhor presente que eu poderia ganhar já dorme comigo todas as noites, além de carregar uma aliança com o meu nome no dedo. Eu gosto de qualquer coisa que venha de você, então não precisa se preocupar — disse aconchegando mais o amado em seus braços —, apenas continue ao meu lado, para sempre.

— Mesmo que você não me quisesse ao seu lado para sempre, saiba que se livrar de mim se tornou impossível a partir do momento em que nos casamos  — debochou arrancando uma risadinha do amado — E eu também amo você.

— Fico feliz por isso, Anata.

Um silêncio reconfortante pairou pelo cômodo enquanto o mais velho se punha a afagar carinhosamente os cabelos do marido, que não demorou a pegar no sono.

Shisui ainda passou um tempo observando o amado ressoando entre seus braços e sorriu apaixonado para a cena. Aquele havia sido o melhor aniversário da sua vida e já se via ansioso para comemorar o próximo. Talvez devesse culpar Itachi no dia seguinte por ser a única pessoa no mundo que se via ansiosa para ficar mais velha, mas certamente não se lembraria de nada que não fosse a noite maravilhosa que tiveram, até que seu aniversário do próximo ano chegasse. 

20 de Octubre de 2018 a las 06:48 0 Reporte Insertar 3
Fin

Conoce al autor

Raylanny Alves Estudante de arquitetura, amante incondicional de Uchihas e fã de Star Wars, com funcionamento a base de Toddynho e música vinte e quatro horas por dia. Tenho 18 anos e me tornei escritora por ter uma imaginação fértil demais e precisar compartilhar isso com o mundo. Bem vindo ao lado Raylannystico da força 🌈

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~