Promised Eclipse Seguir historia

n4f14

"Duas almas unidas por meio de um fenômeno natural Dois reinos comemoram sua feliz união O sol e a lua se encontram mais uma vez" O ódio de um casamento arranjado fizera o jovem príncipe, Jeon Jungkook odiar aquele que um dia chamou de irmão. A aliança estava feita, em poucos dias estaria rumando ao castelo de seu pretendente. Com o ódio nos olhos, ele faria o de tudo para que a aliança fosse desfeita antes do casamento; mesmo que isso causasse uma segunda tragédia.


Fanfiction Celebridades No para niños menores de 13.
4
4.6mil VISITAS
En progreso - Nuevo capítulo Cada 15 días
tiempo de lectura
AA Compartir

Alliance

    ☾Alliance☼

O medo dominava a pequena sala. As poucas velas que iluminavam o recinto deixavam tudo ainda mais macabro. Mulheres de vestes brancas corriam por todos os lados, gritando por uma banheira com água e toalhas, algumas, e outras ensaguentadas. Gritos as faziam correr cada vez mais, sempre parecendo aumentar uma nota, sempre ficando mais agudo. Em determinado momento, tudo se calou, as mulheres de branco, os gritos... Tudo se silenciou.

O homem barbudo vinha lentamente em sua direção com um sorriso no rosto, os olhos e o rosto vermelhos denunciavam que o mesmo havia chorado. Sua boca se abria e fechava repetidas vezes, mas nenhum som era emitido

Os gritos voltaram, o homem, agora estava tenso, e seu olhar perdido assim como sua fala.

Ele ficara bem, mas precisamos ir. - pela primeira vez ao que pareceram horas, o homem ganhara voz.pela primeira vez. O sorriso triste que sustentava lhe pesava no peito. - Você será um grande rei, Taehyung. O Sul e o Norte estarão em suas mãos.

As janelas se estilhaçaram, flechas eram lançadas adentrando o cômodo - agora escuro. O homem sorriu para algo que estava além de sua visão. Beijou-lhe a testa, e sorriu.

Um copo de água e o olhar preocupado de Hoseok foram os responsáveis por seu ー nada agradável ー despertar. O mais velho tinha seus olhos com o dobro do tamanho, e alguns arranhões avermelhados pelos braços. Taehyung sabia o que aquilo significava: seus pesadelos estavam piorando cada vez mais.

ー Eu... Me desculpe, Hoseok. ー disse sem sequer erguer o olhar para seu tutor. Estava se sentindo mais do que culpado, ele nunca havia ferido Hoseok, e apenas aqueles arranhões foram mais do que suficientes para fazer com tudo começasse a desabar.

O café da manhã fora terrivelmente silencioso ー algo que era deveras prezado pelo Kim, mas que naquele dia em específico estava sendo um grande incômodo. Hoseok estava a sua frente, bebericando sutilmente seu chá, enquanto lia algumas cartas referentes aos reinos vizinhos. O olhar do mais velho queiva sobre o Kim, e este último sabia bem o que o homem estava esperando.

ー Foi o mesmo sonho. ー murmurou. ー O mesmo que os dos outros meses. Eles voltaram, Hoseok. Desde que recebemos a carta, eles voltaram, e piores. ー lágrimas ameaçaram cair, mas foram contidas tão rápido quanto haviam se formado. ー Eu não sei o que fazer.

Ternura estava longe de definir o olhar de seu tutor, mas poderia estar próximo disso. Ele sabia o quanto era difícil para o pequeno, ele tinha responsabilidades demais para um alfa de quinze anos de idade.

O Herdeiro do Sul estava mais do que confuso; ele estava estressado, cansado, desmotivado, entre muitas outras coisas. Os pesadelos pioravam tudo cada vez mais, e não havia nada que pudesse fazer.

ー Está tudo bem, Alteza. Eu tenho a solução para isso, mas preciso que confie em mim como nunca confiou.

A fina garoa banhava as belas rosas do jardim central do palácio, todas estavam com suas pétalas abertas graças a água.

O sorriso do pequeno Jeon não podia iluminar mais ainda o salão. Ele estava feliz. Uma festa seria dada para si, seus tão sonhados treze anos.

"Meninas sonham com festas" , é o que o diriam, mas quem ligava? Seu sorriso animava todos ali presente, e ninguém podia negar tal fato.

ー Está animado, Príncipe Jungkook? ー Yoongi surgira atrás de si sorridente. O Min era seu melhor amigo, e filho do Duque das Terras do Sul, estavam sempre se metendo em encrenca na cozinha do castelo por gostarem de roubar algumas guloseimas antes do jantar.

ー Hyung, sabe que não precisa de tanta formalidade comigo, temos apenas alguns anos de diferença. ー os dentes avantajados formaram mais um sorriso naquela tarde chuvosa de primaveira. E certamente, seria um dos muitos que estavam por vir.

ー Sabe quem virá lhe ver hoje? ー o menear de cabeça do menor servirá como resposta. O mais velho se curvou próximo ao ouvido do pequeno. ー Kim Taehyung, do Reino do Sul.

Sem dúvidas os olhos do menor se iluminaram, assim como duplicaram de tamanho. Seu irmão de outra mãe estaria aqui para o ver, depois de tanto tempo.

Ainda era fresca em sua memória, a cena dos dois correndo pelo jardim do palácio rindo alto, e chamando um pelo outro. O ômega sentia falta do tempo em que o Kim morou consigo. A morte dos pais do garoto fora um baque para todos, e seu pai, como melhor amigo da falecido, o abrigou até completar seus doze anos, e voltar ao seu ー recém reconstruído ー lar.

O Kim não só fora como um irmão para o pequeno, como também alguém em quem se espelhar. Todos os meses enviada uma carta ao mesmo, lhe informando sobre as novidades de sua vida, e sempre desejando que o mesmo o visitasse ー mesmo não obtendo resposta.

Finalmente seu desejo seria realizado após tanto tempo de espera.

O salão principal estava lotado. Vestidos de diversas cores e tamanhos era usados pelas damas; os cavalheiros com inúmeras medalhas expostas, tudo para honrarem seu nome.

ー Jeon Jungkook, sente-se aqui, agora! ー a rainha gritou. Talvez, se não fosse pelo falatório de todos ali presentes, a mesma acabaria por ser o foco naquele momento. O pequeno Jeon não se aqueitava em momento algum, sempre esperando ansiosamente por ele, levantando de minutos em minutos, esperando anunciarem seu nome. ー Jungkook!

Seus olhos esbanjavam inocência, na tentativa de não levar uma bronca de sua progenitora. Falha. O olhar da Rainha, não era nada amigável, e pendia um pouco para o que chamariamos de: intimidador.

ー Desculpe, mamãe. ー um bico surgira em seus lábios rechonchudos, e algumas gotículas de água se formavam na canto de seus olhos.

Ele estava a espera da pessoa mais importante no mundo para si, ele queria poder correr até seus braços, e encher o ambiente com a risada de ambos. Queria passar aquela noite com o Kim, apenas os dois.

ー Kookie, ー o carinhoso apelido dado por sua mãe, fora o suficiente para ter a atenção voltadaca mais velha, visto que raramente o chamava assim. Ao perceber o grande sermão que estava por levar, se acomodou em seu pequeno trono.ー sei que quer ver Taehyung, mas deve se lembrar de que: ele também é um príncipe, e assim como você, tem obriga-

Cornetas ressoaram por todo o salão, as pesadas portas de madeira foram abertas, e junto delas, um homem alto e moreno entrará, se curvando educadamente para todos ali.

Jeon agarrou com força ambos os braços de seu trono. Aquele era o tutor do jovem Kim, o futuro rei do Reino do Sul. Ele estava ali, prestes a entrar, e olhar diretamente nos olhos de jungkook, e sorrir, como sempre faziam quando o mesmo voltava de suas aulas.

ー Príncipe Kim Taehyung, do Reino do Sul. ー seu nome fora anunciado. Todos ali prenderam a respiração.

Os cabelos amendoados estavam mais brilhantes do que nunca, a pele acobreada do rapaz brilhava, os lábios sustentavam um pequeno sorriso. As vestes típicas em amarelo e azul do sul, caiam tão bem em si. A espada presa a lateral de seu corpo o deixava com um ar de superioridade. Seu cheiro fora o que mais chocou o ômega, estava diferente, mais chamativo, era bom.

Lindo. Kim Taehyung estava lindo demais para quem tinha apenas seus quinze anos.

Seus olhos percorreram toda a extensão do salão. O ômega congelou quando notou que ele estava olhando para si, andando lentamente em sua direção. Suas mãos tremiam, suas pernas fraquejaram, sua garganta secou de uma hora para a outra.

ー Alteza. ー o rapaz se curvou para beijar a mão da rainha, ainda tendo os olhos do pequeno sobre si, sorriu. Comprimentara o rei se curvando minimamente, e lhe apertando a mão.

Um grande sorriso surgiu no rosto do mais novo ao ver que sua vez chegara. Manteu sua postura, e se levantou para o comprimento. Se curvaram minimamente, e apertaram as mãos, assim como havia feito com o rei, mas seu sorriso não estava lá, não tinha o mesmo calor de meses atrás.

O Kim estava mudado, e Jungkook odiava mudanças.

Um suspiro cansado escapou de seus lábios, havia comprimentado todos daquele salão, mas sem dúvida, nenhum teria que custado tanta energia como o herdeiro do Norte.

ー Ele cresceu. ー comentou ao que Hoseok surgiu ao seu lado, com duas taças de champanhe.

ー Um ano se passou Taehyung. Seria estranho se ele não crescesse. ー ambos bebericavam o líquido em suas taças observando o garoto. ー Ele está chateado, veja, o sorriso é forçado.

Taehyung sabia que era o culpado. Assim como sabia de todas as cartas que respodia, mas não tinha permição para enviar, mas ainda sim, lia cada uma, várias e várias vezes ao dia.

Jungkook era seu bem mais precioso, e sentia que devia deixa-lo a par de tudo. Mas como? Estava próximo de fazerem o grande anúncio, caso trocasse apenas um olhar ao mais novo, estragaria tudo.

Seu champanhe estava preste a acabar quando um serviçal apareceu lhe servindo mais do líquido dourado.

O rei levantou de seu trono, carregando um enorme sorriso no rosto, com um taça de champanhe, começou:

ー Meus caros, obrigada pela presença de todos na comemoração dos treze anos de meu filho, Jeon Jungkook.

Palmas eram direcionadas a pequena criança, que corou minimamente com toda a atenção voltada para si.

ー Ótimo, ótimo. Estamos deveras felizes com esta festa, e chegou o momento de torná-la mais especial. ー os pelos da nuca de Jungkook assim como os Taehyung, se arrepiaram.

Foi automático, seu olhar se direcionou ao menor, que também o encarava. Ambos sorriram, eram amigos ainda, Jeon pensou.

ー Meu filho irá se casar!

O local explodiu em palmas e assovios em comemoração, todos estavam feliz e ao mesmo tempo atordoados. Quase todos.

Casar. Ele tinha apenas treze anos, não podia casar. Sua mãos procuraram o manto de seu pai para lhe questionar, mas foi interrompido pelo mesmo.

ー Por favor, Taehyung, venha. ー o sorriso do homem podia ser considerado assuatador, só pelo fato de deixar os dentes perfeitos e brancos a mostra, em um sorriso psicopata. Taehyung subiu os pequenos degraus do palco, seu rosto não tinha expressão alguma, parecia frio. Se curvou pela segunda vez ao mais novo naquela noite, se ajoelhando a sua frente, e lhe estendendo uma belíssima caixa magenta, com detalhes em dourado.

ー Desculpe, Jeongguk. ー sussurou para o menor ao que tirava da caixa um belo colar. ー Como és apenas uma criança, no lugar de um anel, lhe darei este colar. ー a joia banhada a ouro, continha um belo pingente de lua. Era uma bela peça, mas não era o que Jungkook esperava ganhar de seu Hyung de aniversário.

Noivo. Ele estava noivo do garoto que viu crescer, de seu pequeno Kookie. E tudo para "agradecer" ao Reino do Norte por terem lhe dado um lar. Ele era grato a eles, sem dúvidas, mas, criar um aliança como presente de agradecimento, era estúpido demais.

Ele se casaria com Jungkook quando o mesmo atingisse seus dezoito anos. Até lá, ficariam em seus respectivos reinos, apenas trocando cartas, e possivelmente, em festas reais.

Taehyung havia voltado, mas para se casar com consigo. Ele não respondeu nehuma de suas cartas nesse um ano, ele não se preocupou. E agora, iriam se casar.

ー Tae hyung? ー cochichou, ganhando um "hum?" como resposta. ー Você as leu, não leu? As cartas. Você leu? ー pelo canto do olho pode ver os ombros do outro se tensionarem, mesmo que mantesse a mesma cara fechada de antes. Jeon assentiu, mantendo a mesma expressão de indiferença. ー Eu sabia.

O mais novo correu para o meio do salão, e subitamente parou, se virando sorridente olhando para o Kim.

ー Príncipe Taehyung! ー gritou chamando a atenção de todos ali. ー Eu lhe odeio! Passar bem. ー sorriu inocente. Em passos apressados correu para seus aposentos. Ele estava disposto a fazer de tudo para que o casamento não acontecesse; mesmo que esse tudo significasse odiar Taehyung.

12 de Septiembre de 2018 a las 00:10 0 Reporte Insertar 0
Continuará… Nuevo capítulo Cada 15 días.

Conoce al autor

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~