Perdoe-me Padre, Porque Pequei Seguir historia

bakutodo Sara Eros

† Mais errado do que pecar, é um Padre pecar, mais do que isso ,é cometer esse pecado com um Homem ,e pra piorar era com um demônio, que queria-o de volta ao pecado. E que faria qualquer coisa pra conseguir ter o jovem padre para si. † ♦ Sasuke Uchiha um jovem padre de 22 anos. Que veio pra o Vaticano fugindo de seu passado, e deixando seus pecados para trás. Que se vê encurralado quando, um ser que sabe tudo sobre si, vem procura-lo para o lembrar que não importa o que faça, nada pode apagar o seu passado. ♦ ♦ ♦


Fanfiction Anime/Manga Sólo para mayores de 18. © História de Completo Direito de Escrita Autoral

#lgbt #yuri #HidaSasu #SasoSasu #demonios #Pecados-Capitais #lemon #itasasu #yaoi #narusasu #naruto
7
4.8mil VISITAS
En progreso - Nuevo capítulo Cada 30 días
tiempo de lectura
AA Compartir

Pecados : Dia Chuvoso

1846 d.c.

Chovia muito lá fora, a igreja estava quase vazia, se não fosse por mim duas irmãs, e outros três fiéis que estavam orando.

-Parece que a tempestade vai demorar a passar Padre. _disse uma das freiras que ainda estava acordada, já que todos os membros da igreja já haviam se retirado para dormir. Exceto eu a freira que conversava comigo Hinata, e a irmã tenten, mais a mesma já estava dormindo em um dos bancos da grande igreja.

-Tem razão irmã, parece que noite vai ser mesmo bem fria. _ eu estava ao seu lado, de joelhos de frente ao altar, enquanto a irmã tenten dormia no banco atrás de nos.

-Bem de qualquer maneira, devemos oferecer algo a estas pessoas, para aquece-las enquanto a tempestade cai lá fora _Hinata era uma das freiras mais gentis, ela estava sempre pensando no que poderia fazer para ajudar as pessoas, sua inocência era o que a tornava ainda mais bela, ela não via maldade nas pessoas, sempre vendo seu lado bom, ela costuma dizer que as pessoas não são ruins ,são apenas incompreendidas. Ela também era a mais jovem freira, com apenas 16 anos. Ela foi deixada pelos seus pais, na porta da igreja quando criança, sendo criada pelo monsenhor Hashirama, ele que comanda nossa igreja. Ele é o tipo de pessoa que esta sempre pensando no melhor jeito para ajudar a todos os fiéis e os irmãos, um homem sábio e bondoso.

-Sempre pensando primeiro nos outros, não é Irmã _ digo me levantando, faço o sinal da cruz, e a olho sorrindo singelo. Ela repete meus movimentos e me olha com ternura, e um sorriso doce nos lábios.

-É nosso dever cuidar uns dos outros, esses são os mandamentos, “Ame o próximo como a si mesmo”.

-Claro que esta certa irmã, mas já passaste do teu horário de sono. E amanhã a madre vira busca-la para irem ao orfanato

-Eu sei Padre, mais...

-Nenhuma palavra a mais , a Irmã deve se retirar, pois deve descansar para amanhã, eu me encarrego de cuidar dos nossos irmãos até que a tempestade passe, está bem.

-Tudo bem Padre _ela sorri meiga e gentil.

Até que a porta de entrada se abre, fazendo um alto barulho, nos fazendo olha para a enorme porta sendo aberta, e revelando um homem trajando um sobretudo azul escuro com capuz, tampando seu rosto, todo molhado. Ele da passos calmos adentrando a igreja, e a porta atrás de si se fecha fazendo um som de ‘BAC’ bem alto, ecoando pela igreja. Ele retira o capuz nos dando uma clara visão de seu rosto. Ele tinha cabelos loiros, que estavam molhados agora, um belo par de olhos azuis safira, e parecia ser bem jovem, chutando eu diria.. que ele estava no auge de seus 17anos. Ele me encara como se estivesse pronto pra me atacar, como a raposa que encurrala o coelho’ .

-Ola irmão seja bem vindo _com a voz um pouco assustada ,quem disse foi Hinata, já que eu paralizei com o olhar que ele me lançará.

-Seja bem vindo, esta perdido? _disse tentando ao máximo não me intimidar com o olhar sombrio daquele jovem rapaz.

-Perdido? De forma alguma, achei exatamente o que estava procurando. _ ele diz me olhando ferozmente, e sorri de canto.

-Bom e o que procura minha criança. _seu sorriso pareceu se alargar com minhas palavras.

-Bom, primeiro dizer ao senhor Padre, que não sou uma criança, na verdade estou longe disso, e também que eu estava procurando a algum tempo essa igreja. Sabe Padre depois de ver tantas coisas por esse mundo, nos precisamos nos confessar ,tirar... Hãm o peso... Da alma, pra poder começar do início. _ ele diz forma profunda, e tudo sem parar de me encarar, e eu pude quase ter certeza de já ter ouvido essas palavras,dia quem e eram bem familiares. Ele me fez tremer, e a irmã Hinata também estava trêmula. Ela não falava uma palavra sequer, e os outros fiéis estavam todos orando fortemente, e tremendo igualmente a irmã.

-Todos somos criança pelos olhos do Senhor, e espero que possamos ajuda-lo. _eu pelo menos tentava falar, já que os outros estavam travados, diante da presença daquele rapaz. -Irmã? Você não ia se retirar. _Hinata estava paralisada nunca a tinha visto assim, era sempre gentil, mas nunca deixando seu ar alegre ,e espontânea. -Irmã! _chamei novamente.

-Hã..A-Ah, sim Pa-Padre, perdoe-me. _ela diz saído do transe e para de olhar o rapaz, dirigido seus olhos pra mim. -Claro já estou indo.... Hã Irmã tenten.

-Hum... O que foi.. Eu tava só descansando os olhos um pouquinho... Não tava dormindo não ... _ela diz bocejando e se pondo de pé, quando virou o rosto e se deparou com a figura que nos encarava. Ela tremeu dos pés a cabeça e começou a chorar.

-Irmã!!!! Você esta bem vem comigo, vou acompanha-la até seu quarto. _Hinata disse rapidamente, muito preocupa com a amiga.

-Você deveria já estar em seu quarto, e cuide para que a irmã fique bem, traga-lhe um copo com água, e calmante, ela deve estar assim por causa do sono e deve ser também efeito da tempestade _eu disse firme a ela, que rapidamente segurou na mão da amiga a tirando dali o mais rápido e muito preocupada.

-Então Padre vai ou não ouvir minha confissão. _eu volto meu olhar para o rapaz, que por incrível que pareça, estava apenas a quatro passos de distância de mim. Eu fiquei perplexo, como ele se aproximou tão rápido, eu nem sequer pude ouvir seus passos se aproximarem ou sentir sua presença. Mais de qualquer maneira, eu sou Padre e não posso recusar ouvir as confissões de um fiel.

-Claro que sim meu filho, vamos até o confessionário, por aqui por favor. _disse andando e o sentido me seguir como pedi. Mais ainda sentir seu olhar fixo em mim.

"Eu entrei no confessionário e ele se ajoelhou em frente.'

-Então meu filho.

-Perdoe-me Padre porque pequei. Eu fiz coisas muito ruins a muitas pessoas, a maioria mereceu mais alguns inocentes se feriram no meio. _ele começou, meis estava sorrindo como se, sentisse orgulhoso de suas ações.

-Ninguém merece ser castigado, as punições pertencem somente ao senhor, só ele pode e deve nos castigar, nos punindo de acordo com nossas ações.

-Você falando essas coisas?, meio hipócrita não acha. _me assustei com suas palavras, como assim aonde ele quer chegar.

-Eu não entendi meu filho, o que quer dizer com isso?

-Ah, nada não Padre, pode continuar. _ele diz sorrindo ainda mais. Parecendo interessado.

-Mais de qualquer forma, você esta arrependido de suas ações e busca pelo perdão divino. Meu filho se você se arrepende de coração Deus é capaz de nos perdoar.

-Ah não Padre, você não entendeu. Não me arrependo de nada, até porque eu não o fiz sozinho, mais a pessoa que fez isso comigo fugiu, e não pagou pelo serviço que me pediu. Eu cumpri minha parte no acordo mais ele não. _ele me olha com intensidade, como se enchergase minha alma. Como Ele me encontrou, e o que pretende mandando esse garoto.

-Não devo nada, me deixa em paz, foi Ele que te mandou aqui não foi ?.... _eu estava assustado e meu coração estava a mil.

-Calma Padre, O que houve? Parece assustado, ou por acaso eu te lembro o seu passado. _ Do outro lado do confessionário, ele fala cinicamente com um sorriso divertido nos lábios, parece que eu estar apavorado, o divertia.

-Não perdoe-me, eu apenas me exaltei um pouco, é que você me lembrou de uma pessoa.

-Tudo bem você se sentir fraco Padre, as vezes não temos fé o suficiente. E não é vergonha alguma temer os mals do nosso passado, até porque alguns podem ser, De-Ma-tar. _diz pausadamente destacando muito bem as palavras. Seus olhos estavam avermelhados e um sorriso travesso passou pelo seu rosto.

-Esta errado. Eu tenho total fé no senhor, e minha fé é muito maior que qualquer fantasma do meu passado. Deus perdoa todos aqueles que se arrependem verdadeiramente. Deus só castiga os maus e aqueles que tem pecado dentro de si, e que não mudão seu modo de pensar e agir. Aqueles que continuam sentindo atração nas coisas que o inimigo nos oferece. Então não se preocupe meu filho _eu tentava falar o mais calmo possível e não deixar me abalar tanto, ou pelo menos não deixar que ele viesse o quanto me fazia recuar.

-Nossa então você esta condenado, e saiba que nem Deus o perdoaria pelas atrocidades a quais você esta envolvido, não adianta posar de bom moço, você sabe o que fez Sasuke Uchiha. _quem é ele? Como me conhece? Foi Ele que o mandou até mim? , essas eram as perguntas que rondavam minha cabeça, eu realmente estava com pensamentos a mil assim como meu coração. -Eu estou aqui pra você pagar o que me deve. E não adianta tentar fuguir, eu sempre irei acha-lo. Não se pode fugir do passado Sasuke, no final todos temos que pagar por nossos pecados.

-Como você... Quem é você?, e o que você quer aqui?

-Apenas vim buscar oque é meu por direito. _seus olhos estavam num vermelho escarlate enquanto um sorriso diabólico brincava em seu rosto.

'Ele simplesmente se levantou e saiu com um sorriso, parecendo satisfeito, me deixando completamente boquiaberto e com medo. Ele me conhecia, isso me assustava , afinal tem coisas do passado que devem ficar no passado , e bem enterradas na cova mais funda de preferência.'

-Eu tenho certeza que foi "Ele" que mandou esse garoto ate mim. Mais depois de tanto tempo, o que ele quer comigo _ eu falei sozinho, ainda dentro do confessionário. -Não importa, ninguém nunca mais se machucará novamente.

7 de Septiembre de 2018 a las 13:25 0 Reporte Insertar 2
Leer el siguiente capítulo Pecados : Garoto Neji

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~

¿Estás disfrutando la lectura?

¡Hey! Todavía hay 2 otros capítulos en esta historia.
Para seguir leyendo, por favor regístrate o inicia sesión. ¡Gratis!

Ingresa con Facebook Ingresa con Twitter

o usa la forma tradicional de iniciar sesión