Ohana Seguir historia

littlefox

"Ohana quer dizer família e família quer dizer nunca mais abandonar ou esquecer."


Fanfiction Anime/Manga Todo público.

#família #fluffy #kakagai
Cuento corto
7
5.0mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Capítulo Único

Os pequenos olhos castanhos encaravam a calçada pela janela em expectativa. Em poucos minutos sua vida mudaria drasticamente, para melhor. Teria um quarto só para si, com muitos brinquedos, uma casa para chamar de sua e o que mais almejava, uma família. Finalmente chegara o dia em que Tenten seria adotada.

As pernas balançavam sem seu consentimento, evidenciando o nervosismo que sentia. Constatou que seus novos pais estavam atrasados, olhando novamente para o relógio na parede oposta. Três minutos. Agora, quatro.

Era uma criança muito inteligente para a pouca idade que tinha, com seus quatro anos, já sabia olhar as horas, se vestir, colocar o leite em seu cereal e usar os talheres como “gente grande”. Esperava que sua nova família ficasse impressionada com suas habilidades e que não se arrependessem de tê-la adotado.

Já havia presenciado um caso onde uma de suas colegas foi devolvida após uma semana. Não era algo que acontecia com frequência, mas foi o suficiente para traumatiza-la. Ino era perfeita, muito educada e carismática, ainda sim voltou para o orfanato. Se isso havia acontecido com uma das melhores crianças, o que aconteceria com ela? Teve pesadelos com isso durante semanas, até o estranho casal aparecer para visitar o orfanato.

Era engraçado como eram altos e tão diferentes entre si. Riu ao ver o quão empolgado o homem de cabelos pretos parecia ao redor das crianças, não demorou muito para que ele se juntasse a elas no meio da festa do chá que faziam. O outro já era mais reservado, usava uma máscara cirúrgica que cobria metade de seu rosto mas mesmo assim era possível notar que ele sorria. Seus cabelos eram tão brancos quanto a neve e ela sentiu vontade de se aproximar e pedir para toca-los, mas se conteve por ter medo de receber um não.

Observava toda a cena de longe, com seu livro favorito entre suas mãos. Estava procurando pela madre para que ela lesse a história para ela quando percebeu os distintos visitantes. Pretendia passar despercebida, mas tropeçou nos próprios pés e foi ao chão no mesmo minuto, o livro, já solto de seu aperto, deslizou até os pés do homem da máscara logo sendo recolhido pelo mesmo.

A garotinha foi surpreendida pelo par de mãos que a ergueu delicadamente do solo, colocando-a de pé rapidamente. Limpou a poeira das calças um pouco constrangida por ele ter presenciado sua queda e respirou fundo tentando não chorar pelo susto.

— Você está bem? – a voz dele era tão carregada de amabilidade que Tenten não conseguiu segurar um sorriso. Acenou de forma positiva estendendo as mãos para ele, pedindo o livro de volta. – Você sabe ler? – perguntou intrigado e riu levemente ao vê-la negar. – Vamos, eu leio para você.

Estendeu a mão na direção dela que prontamente aceitou, guiando-o para o sofá da sala. Escalou entre as almofadas, acomodando-se com calma enquanto tentava esconder a animação que sentia, logo os olhos dela o miravam com expectativa e nem a máscara que ele usava foi capaz de disfarçar aquele sorriso. Aquela garotinha mal havia dito uma palavra é já havia aquecido o coração do Albino.

Abriu o livro e antes mesmo que começasse a ler, sentiu-a debruçando em cima de seu braço interessada nas gravuras. Mais que depressa, pegou-a no colo e colocou o livro em sua frente de forma que ela conseguisse ver as imagens claramente, começando a leitura devagar. Vez ou outra pegava-se olhando como ela estava vidrada na história, em nenhum momento os olhos da pequenina saiam do livro. Seu olhar cruzou com o de Gai no outro lado da sala e o moreno sorriu em resposta se aproximando lentamente. Tenten, ao notar que havia outro ouvinte para sua história favorita, sorriu radiante e chamou-o timidamente para sentar-se ao seu lado, o que Gai aceitou de bom grado. Depois de alguns minutos, todas as crianças estavam sentadas no tapete da sala ouvindo atentamente a Kakashi. Tenten acabou adormecendo pouco antes do fim da história e, ao ver aquela pequena criatura ressonar nos braços de Kakashi, o casal soube que haviam achado sua filha.

Ao saber que o casal queria adota-la, a criança mal conseguiu conter a animação e correu na direção deles abraçando-os com toda força que conseguia. Seus olhos marejaram em pura emoção, afinal, finalmente teria uma família. Contaram como haviam preparado seu quarto e como seu irmão, porque agora ela tinha um, ficou feliz em saber que logo ela estaria em casa com eles. Gai parecia o mais animado dos três e se recusava a deixar Tenten longe de seus braços por mais de cinco minutos, até mesmo conseguiu contrabandear alguns chocolates para a menina, sem que os outros percebessem. Kakashi resmungou em reprovação porém não o impediu, até mesmo soltou uma risada ao ver a boca dos dois coberta de chocolate derretido.

Logo voltariam para busca-la e, na madrugada do dia prometido, Tenten já estava com a mala pronta sentada na poltrona da sala ao lado da janela. Por mais que as freiras insistissem ela se recusava a sair dali, com a desculpa de que seus novos pais precisavam saber que ela já estava pronta e que não queria atrasa-los. Acabou cochilando por alguns minutos, mesmo contra sua vontade. Ao acordar desesperou-se pensando que eles haviam chegado mais cedo e por verem-na dormindo haviam desistido de adota-la.

Já eram dez minutos de atraso quando Tenten sentiu seus olhos embaçarem e o aperto em seu peito aumentar. Eles haviam desistido, haviam esquecido dela. A cena era de partir o coração, a garotinha, que havia posto seu melhor vestido, penteado os cabelos prendendo-os em coques da melhor maneira que conseguiu agora se arrastava junto a sua mala em direção às escadas. Estava no quarto degrau quando ouviu a campainha tocar, a chama da esperança acendeu em seu peito e lágrimas desceram por seus olhos quando viu seus pais parados na porta junto com seu irmão.

Correu na direção deles se jogando nos braços de Gai e soluçando alto. Agarrava o pesado casaco verde com medo de que fosse apenas sua imaginação e eles fossem desaparecer a qualquer momento. Gai retribuiu o abraço apertando-a contra seu corpo e murmurando desculpas contra os cabelos escuros, sentiu-se mal por não ter saído de casa mais cedo.

— Estamos aqui, não iríamos deixar você. – murmurou sentindo as lágrimas queimarem atrás de seus olhos enquanto a garotinha continuava agarrada a ele e apenas assentia tentando parar com os soluços que balançavam violentamente seu pequeno corpo.

Lee olhava a cena com curiosidade, não entendia o porquê de sua mais nova irmã estar aos prantos. Olhou para Kakashi como se pedisse uma explicação, o mais velho apenas bagunçou seus cabelos carinhosamente e assim que Gai soltou Tenten de seu aperto abaixou-se para ficar da altura da garotinha, estendendo os braços num pedido silencioso para que ela o abraçasse. Ela o fez o mais rápido que conseguiu e Lee o viu sussurrar algo no ouvido dela, fazendo com que ela gargalhasse. E, separando-se de Kakashi, Tenten correu na direção dele com um sorriso tímido no rosto.

Lee sorriu de volta e a garotinha logo grudou-se nele em um abraço apertado. Surpreso, demorou alguns segundos para que retribuísse. Ela não conseguia evitar, sentia-se como Stitch finalmente achando sua Ohana.

Não demorou muito para que partissem, seu mais novo irmão fazendo questão de carregar a mala dela até o carro tentando impressiona-la com sua força, mesmo que estivesse tendo dificuldades em arrastar o pesado objeto até o destino. Queria mostrar que poderia cuidar dela, e uma mala não ia impedi-lo de fazer isso ou ele não se chamava Rock Lee.

Tenten ia escoltada por seus novos pais, segurando a mão de ambos e praticamente saltitando pelos degraus de sua antiga morada. Nunca havia se sentido tão cercada de amor como naquele momento. Depois de ser cuidadosamente posta na cadeirinha, lembrou de acenar para suas antigas cuidadoras que estavam a porta do orfanato, despedindo-se dela. Ficava triste em deixar pessoas tão queridas mas não era maior que a felicidade que sentia no momento. Acenou despedindo-se animadamente de todos pela janela do carro, o sorriso banguela pela falta dos dois dentes incisivos inferiores não deixava de ser radiante nem.por um minuto. Agora tudo que tinha de fazer era agrada-los para que não a devolvessem e, por ela, eles haviam acabado de ganhar a filha perfeita.

O caminho foi curto e silencioso, descobriu que moravam a poucas quadras de seu antigo lar, em um dos prédios mais altos que ela já viu em sua vida. Tanto Kakashi quanto Gai miravam a garota com adoração enquanto a pequenina olhava para cima admirada. Lee logo tratou de puxa-la pela mão, exclamando animado sobre quantos brinquedos o aguardavam lá em cima.

Só havia um problema, Tenten nunca havia estado em um elevador em todos os seus quatro anos e ao mesmo tempo que encarava tal dispositivo com admiração, sentia receio. Não era muito fã de lugares tão minúsculos como aquele e ainda se sentia mais desconfortável ainda pelo mesmo parecer uma caixa. Uma caixa de metal. Engoliu seco quando foi gentilmente guiada para dentro do mesmo por um Lee mais que animado. Viu Kakashi apertar um dos botões do painel que logo acendeu em um azul escuro e as pesadas portas de metal se fechassem lentamente.

O solavanco inicial que indicava que o elevador havia começado a se mover, para muitos não era nada demais. Mas para a pobre garotinha foi o suficiente para que todo seu corpo tencionasse e seus olhos esbugalhassem no mais puro pavor.

Lee, ao perceber o desconforto de Tenten e que a mesma parecia prestes a começar a chorar, apertou-lhe a mão e, com o braço livre, passou-o envolta do corpo da menor em um abraço protetor. Queria mostrar que agora ela não deveria ter mais nada a temer pois ele cuidaria dela com sua própria vida, a mensagem foi recebida imediatamente e Tenten nunca se sentiu tão grata por ter um irmão mais velho.

Para a alegria da pequenina, não demorou mais de dois minutos para que chegassem ao andar certo e as portas se abrissem. Obviamente, Tenten foi a primeira a saltar para fora do elevador com uma rapidez desconhecida pelos demais, que tiveram de segurar o riso. Kakashi suspirou sabendo que depois da descoberta do medo de elevador de sua mais nova filha, Gai não pouparia esforços para voltar a convencê-lo de que as escadas eram a melhor – e mais saudável – opção e que aquilo com certeza deixaria sua bunda menos flácida. Lee prontamente seguiu a garota, gargalhando pela suposta animação da mesma em conhecer seu novo lar.

— Olha todo esse fogo da juventude! – Gai exclamou animado arrancando um pequeno sorriso de Kakashi. Desde que encontraram a menina pela primeira vez seu marido mal havia pregado os olhos até que os papéis da adoção estivessem todos encaminhados e eles pudessem, finalmente, buscá-la. Enlaçou o braço pela cintura dele e beijou-lhe a têmpora carinhosamente recebendo um sorriso em resposta.

Teve de segurar a risada quando finalmente voltou a atenção para as crianças e viu que Lee pendurava-se na maçaneta com toda sua força tentando – em vão – abrir a porta do apartamento que estava trancada e, aparentemente o pequeno não fazia ideia. Os resmungos sobre como sua primavera da juventude havia acabado de começar e como ele estava compenetrado em abrir a bendita porta era cômico demais para que não fosse fotografado.

Aquilo com certeza iria para o álbum da família.

Enquanto isso a garotinha encarava-o curiosa sem nem ter ideia do que ele fazia, arregalando os olhos em surpresa quando viu o menino ser erguido e posto em cima dos ombros de Vai gargalhando alto enquanto Kakashi se ocupava em destrancar a porta. Lee apenas ergueu o polegar com um enorme sorriso no rosto, como se dissesse “missão cumprida”. Gesto que Tenten prontamente imitou, ainda um pouco incerta se fazia corretamente. Tudo que Gai conseguiu fazer foi sorrir e estender a mão para que a garotinha pegasse enquanto seu marido se encarregava da mala.

Ao contrário do que esperavam, Tenten parecia ainda mais acanhada ao adentrar o apartamento. Olhava tudo admirada e parecia ter medo de até mesmo respirar de forma incorreta e acabar derrubando ou até mesmo quebrando algo. Os dois adultos apenas deram-lhe um sorriso acolhedor encorajando-a a se soltar, afinal, ela estava em casa por mais que soubessem que demoraria um pouco para ela se acostumar. Lentamente, Tenten soltou a mão de Gai assim que o mesmo colocou Lee no chão. O garoto logo saiu correndo em disparada em direção às escadas e sumiu no andar de cima. A garotinha sentiu-se tentada a segui-lo porém se conteve, ainda não se sentia totalmente confortável para sair correndo pela casa dessa forma. Se se comportasse mal eles podiam devolve-la e aquilo era o que menos queria.

Olhou para os adultos como se pedisse permissão para explorar a casa, recebendo mais sorrisos encorajadores dos dois. A primeira parada foi a sala, mais especificamente o tapete felpudo bege que ocupava três quartos do piso branco do cômodo. Era como deitar em uma nuvem fofinha. Mas não foi isso que chamou sua atenção e sim o dvd deixado na estante. Tenten reconhecia as gravuras da capa e sabia que se tratava de A pequena sereia. A mente infantil logo associou aquele como sendo o dvd favorito de seus pais e seus irmão e, para agrada-los, iria ser seu favorito também por mais que ela preferisse a Mulan.

— Tenten? Por que não vamos conhecer seu quarto? – Kakashi agachou próximo a ela, com um sorriso no rosto abrindo os braços para que a mesma subisse em seu colo. E, assim que ela estava acomodada subiram até o andar de cima, onde Gai já os esperava em frente a porta branca com algumas gravuras que remetiam ao Peter pan. Eles haviam lembrado qual era seu livro favorito, no final das contas.

Antes que pudesse finalmente descobrir o que a esperava do outro lado da porta viu Lee carregando um urso de pelúcia caramelo duas vezes maior que a si mesmo em sua direção, cambaleando pelo mesmo tampar totalmente sua visão. Gai logo correu ao encontro do filho mais velho, auxiliando-o a levar o presente até sua irmã.

— Surpresa! – a voz infantil gritou na mais pura alegria enquanto observava a expressão de choque no rosto de Tenten. Ela nunca havia ganhado um presente dessa forma, sentindo até mesmo um pouco de vergonha. – O laço é vermelho igual as fitas do seu cabelo, eu que escolhi! – Lee afirmou orgulhoso, estendendo – da melhor forma que conseguiu – o urso em direção a garotinha.

— Você gostou? – Gai perguntou, bagunçando os cabelos de Lee e tudo que Tenten conseguiu fazer foi assentir freneticamente, ainda admirada pela pelúcia que havia ganhado.

Mas a maior surpresa que teve foi ver que seu quarto não era nada mais nada menos do que o sonho de toda garota de sua idade. As paredes eram rosa bebê com unicórnios desenhados pela mesma, as cortinas eram cheias de babados, haviam tantas bonecas nas prateleiras que chegou a cogitar que os dois haviam acabado com o estoque da loja inteira. Jogos de chá e de panelinhas enfeitavam a mesa – também cor de rosa – sem contar na cozinha de brinquedo super equipada no canto do quarto. O único problema era que Tenten não tinha o gosto nada parecido com as crianças de sua idade, não tinha interesse em brincar de cozinha, muito menos era uma adoradora do rosa. Teve de fazer seu melhor para não se mostrar desanimada com a tal surpresa que haviam feito, já que, todos ali haviam dado seu melhor para impressiona-la e não queria decepciona-los.

Desceu do colo de Kakashi e logo foi em direção aos ursos de pelúcia que estavam próximos a cama, jogando-se entre eles com um sorriso no rosto. Eles e a estante com livros infantis tinham sido as coisas que Tenten mais havia gostado em meio a toda aquela imensidão cor de rosa.

Aquilo foi o suficiente para convence-los de que ela havia sim, gostado da surpresa. Abraçaram-se satisfeitos assim que viram Lee correr na direção de Tenten e chama-la para brincar de pega pega. Finalmente a família estava completa, ou quase.

Haviam acabado de jantar e, para comemorar a chegada da menina, estavam todos sentados no sofá prestes a escolher o filme que assistiriam. Era a oportunidade perfeita para que ela mostrasse que pertencia a família então agarrou o dvd da pequena sereia mais que depressa, entregando-o a Kakashi. Por mais que já tivessem assistido ao filme na noite anterior por conta da visita de sua sobrinha, não falariam nada para que Tenten não se entristece. Eles só não contavam que ela pedisse para assistir o mesmo filme durante toda a semana que sucedeu aquele dia toda vez que tinha oportunidade. Gai podia jurar que havia conseguido gravar as falas do filme naqueles sete dias e, sentia que se ouvisse mais uma vez “Parte do seu mundo” começaria a chorar.

— Você não acha que é um pouco preocupante? – questionou temeroso uma certa noite enquanto observava a garotinha ao longe junto a Kakashi, ela se recusava a desviar os olhos da televisão.

— Deve ser o filme favorito dela, não se preocupe.

— Eu sei... Mas como ela não enjoa? Já é a quarta vez hoje.

Aquilo definitivamente o estava deixando preocupado, mas mal sabia ele que Tenten já não aguentava mais assistir àquilo ou ouvir as músicas temas, muito menos ter que fugir para o quarto de Rock Lee cada vez que quisesse brincar com os brinquedos dele, já que os seus não lhe agradavam em nada. Toda vez que tentava criar coragem para dizer que não queria brincar de bonecas e sim de carrinhos lembrava do que havia acontecido a Ino e a ideia de seus pais ficarem tão bravos a ponto de devolve-la fazia com que ela desistisse no mesmo momento.

— Vai ficar tu... – o grito alto, sucedido pelo choro alto de Lee impediu que Kakashi terminasse sua frase e fazendo com que os dois corressem em direção a sala para entender o que estava acontecendo, não adiantou muito já que a cena que encontraram era ainda mais confusa do que o esperado.

Tenten segurava o controle da televisão com as duas mãos, tão pálida quanto uma folha de papel ofício enquanto Lee estava sentado no carpete alisando a cabeça com uma expressão chorosa no rosto. Os dois correram em direção ao filho mais velho em busca de explicações e Tenten sentiu seu peito apertar em ansiedade. Era aquilo. Logo ela seria devolvida e nunca mais ninguém tentaria adota-la.

As lágrimas já quase se formavam nos pequenos olhos enquanto ela assistia Lee soluçar cada vez mais e explicar o que tinha acontecido. Por conta do choro, pouco conseguiram entender e estavam prestes a perguntar a garotinha quando notaram a ausência dela no ambiente. Kakashi franziu o cenho em confusão vendo Lee finalmente se acalmar e conseguir contar o que havia acontecido.

Era cômico o motivo de toda aquela situação, mas explicava tudo o que estava ocorrendo desde que Tenten havia chegado. A pequena sereia não era o filme favorito dela e, ela só o estava assistindo durante todo aquele tempo por achar que era o favorito deles. E, quando Rock Lee tentou desligar a tv começou a disputa pelo controle. Em algum ponto o mesmo escorregou das mãos de Tenten e, em consequência, foi direto na testa do garoto. Nesse meio tempo já haviam colocado gelo na testa dele e saído a procura da menina, que não viam desde do ocorrido. Enquanto isso, ela já havia recolhido as poucas havia levado do orfanato na mala e arrastado a mesma até a porta da frente. Não queria dar mais trabalho e deixá-los ainda mais irritados do que deveriam estar.

Ajeitou o casaco e se colocou ao lado da porta, evitando encarar algo além de seus pés. Ouviu os passos se aproximarem e fechou os olhos, esperando pela bronca, mas a mesma nunca veio. Em vez disso sentiu os braços de Gai se fechando em volta de seu corpo em um abraço carinhoso.

— O que você está fazendo?

— Vocês... Não vão me devolver?

— Devolver você? Do que você está falando?

— Eu.. Eu achei que se eu não fosse boa eu ia ser devolvida... Eu não quero voltar pro orfanato, papai. – a voz embargada fez com que Gai a apertasse ainda mais em seus braços, lutando para não começar a chorar também.

Kakashi, que observava a cena ao longe com Lee, se aproximou dos dois agachando ao lado da garotinha. Afagou os fios castanhos de Tenten com um meio sorriso no rosto antes de afirmar:

— Ninguém vai te devolver a lugar nenhum. Você é nossa filha, faz parte da nossa família e nós nunca abandonamos nossa família. – ela apenas assentiu, levando as mãozinhas até aos olhos, enxugando as lágrimas que teimavam em descer por seu rosto e, em seguida, lançando-se nos braços de Kakashi abraçando tanto ele quanto Gai com toda a força que tinha. Logo sentiu-se retribuindo na mesma intensidade e um par de mãos bem menores do que a dos dois abraçando-a por trás e recostando a cabeça em suas costas. Virou o suficiente para ver Lee sorrindo e a abraçando ainda mais forte. E, naquele momento, não podia sentir-se mais feliz. Afinal, finalmente havia encontrado sua família.

25 de Agosto de 2018 a las 00:58 4 Reporte Insertar 5
Fin

Conoce al autor

Margot Sorensen Go ahead and cry little girl

Comenta algo

Publica!
Ariane Munhoz Ariane Munhoz
Awn, eu to muito derretida por essa fic, filhotinha! Eu achei maravilhosa a forma como você trabalhou o plot, e, confesso, queria mais! Imagina que lindo vai ser o desenvolvimento dessa Tenten bb ao lado do Lee bb? Eu fiquei muito emocionada! Já foi super fofa a cena do Gai lendo o livro com ela, mas as coisas só vão se tornando cada vez melhores, nossa! Eu to muito agradecida com essa historia fofinha e gostosa! Na parte em que Tenten achou que ia ser devolvida eu senti meu coração do tamanho de um grão de feijão! Tadinha! Mas ai vem o Gai e o Kakashi todo compreensivos e eu só quis amar ainda mais essa familia maravilhosa! Parabéns por esse otimo trabalho aqui, meu amor! Mainha ama voce!
26 de Agosto de 2018 a las 08:55

  • Margot Sorensen Margot Sorensen
    AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA HOJE NAO PASSAREI FRIO PORQUE ESTOU COBERTA DE AMOR POR ESSE COMENTÁRIO!!! EU FICO TÃO FELIZ QUE VOCÊ GOSTOU MAINHA <3 SIGNIFICA MUITO PRA MIM!! EU TE AMO DEMAIS DA CONTA E POSSO PROMETER QUE UMA CONTINUAÇÃO VAI VIR (mas eu preciso pagar minhas dividas primeiro...KKKKKKKKKKKK) AAAAAAAAAAAA EU TE AMO DEMAIS <3 26 de Agosto de 2018 a las 09:02
Inial Lekim Inial Lekim
IZADORA MEU CORAÇÃO ESTÁ CHEIO DE AMOR <3 Mano, você me fez chorar mesmo eu já tendo lido partes da história. Ficou lindo! O modo como a Tenten se sentia com medo de ser devolvida foi tão verídico que consegui sentir cada sentimento de medo e insegurança. E o Lee <3 Meu deus, o Lee neném ficou muito amor! O modo como ele agiu com a Tenten, querendo proteger ela foi maravilhoso. E O BERRO QUE EU DEI A MENÇÃO DA BUNDA FLÁCIDA DO KAKASHI AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA Eu realmente amei cada detalhe da história <3 ~e inclusive não me importaria com uma continuação na qual a Tenten fala que gosta de brincar com os brinquedos do Lee~ TE AMO <3
25 de Agosto de 2018 a las 13:32

  • Margot Sorensen Margot Sorensen
    AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA SO DEUS SABE O QUANTO EU TO FELIZ AGORA EU NAO TO CABENDO EM MIM DE TANTO AMOR MEU DEUS AAAAAAAAAAAAAAAAAA QUER CONTINUAÇÃO? EU DOU (MAS PRECISO COLOCAR AS OUTRAS DÍVIDAS EM DIA PRIMEIRO RSRSRS) Eu tava muito nervosa porque eu nunca tinha trabalhado Kakagai ou crianças e já viu né? Insegurança comeu maaaas EU TO MT FELIZ QUE VOCE GOSTOU E QUE EU CONSEGUI FAZER ALGO QUE TE DEIXOU CHEIA DE AMOR É MEU MOMENTO EU NAO TO NEM ACREDITANDO AAAAAAAA 25 de Agosto de 2018 a las 13:39
~