Starman Seguir historia

ladysalieri Lady Salieri

Donna sonha com Doutor, mas realmente se trata de um sonho?



Fanfiction Series/Doramas/Novelas Todo público. © Doctor Who pertence à BBC, esta obra se trata apenas de uma fanficção e não visa qualquer interesse comercial.

#Donna-Noble #DoctorDonna #DoctorWho #Liga-dos-Betas-do-Nyah-Fanfiction
Cuento corto
4
4.8mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Capítulo Único



Donna abriu os olhos muito a contra gosto. Sabia que o homem do espaço a enganava. “Desperte-se”, ele dizia, ou lamentava, ela nunca sabia discernir. Então ela forçava a vista para focá-lo, para torná-lo nítido, e tudo o que sempre conseguia era acordar e estar ao lado do seu marido que respirava de forma muito regular, alheio à tudo.


Não parecia justo. Nunca parecia justo…


Levantou-se, abriu a janela e encarou muito séria as estrelas penduradas no céu. O rádio tocava baixinho alguma coisa do Bowie. Parecia adequado. Baixando os olhos, viu no quintal as luzes acesas da barraquinha do avô. Vestiu um roupão e desceu para lá.


O avô assustou-se ao vê-la, como se houvesse sido pego fazendo algo que não devia. Mas cumprimentou-a, ofereceu-lhe um chá quente de uma garrafinha térmica, pegou um cobertor e ambos sentaram-se de frente ao telescópio ali instalado.


De um tempo para cá, Donna sentia-se mais próxima dele do que nunca. Sua loucura pelo espaço e pelas estrelas era cada dia mais palpável e cada dia mais mundana, uma ida à padaria, um bom dia de manhã... E não era só uma vontade ou uma saudade do desconhecido, era uma nostalgia rancorosa, corrosiva, como se lhe tivessem arrancado de onde pertencia. Mas como ela podia sentir algo dessa magnitude sendo que nem sair de Londres tinha saído?


— Vovô, o senhor acredita mesmo que exista um homem do espaço que esteja olhando por nós enquanto seguimos nossa vida?


— É isso que te roubou o sono essa noite, Donna?


Ela suspirou:


— Pode ser…


— Bom, eu acredito que exista esse homem. Acredito que cada um dê um nome a ele, mas para mim é só um homem do espaço que viu muito mais coisas que a gente.


— E ele não poderia aterrissar de vez em quando e compartilhar alguns dos segredos dele com a humanidade? Alguma história fantástica do presente, passado ou futuro?


— Um ser assim seria no mínimo assustador, não acha? E, ainda... se o segredo fosse que não existe segredo nenhum, e que tudo o que temos é esse grande e incompreensível presente que escorre das nossas mãos agora e agora e agora?


Donna não sabia por que, mas as lágrimas invadiram seus olhos. Não chorou perto do avô porque se sentiria ridícula, mas olhou o céu, e a vista embaçada lembrava o quadro do Van Gogh, com tudo muito vivo movendo-se ao redor dela mesma num grande espetáculo.


Deitou a cabeça no ombro dele e deixou as lágrimas caírem, sem deixar de encarar o céu. Tinha uma certeza absurda de que se movesse o telescópio uns dois graus em direção ao zênite, pegaria-o olhando-o justo para aquele ponto da Terra, seus olhos se encontrariam e ela o escutaria pedindo-lhe para que se despertasse. De fato queria poder fazê-lo, mas teve medo de olhar o céu e só ver o abismo, por isso permaneceu ali embebida das possibilidades.


Se tivesse encarado o avô, teria visto-o chorando igual. Wilfred mal podia se controlar junto dela, quando a poucos minutos estivera conversando com o Doutor (que havia mudado de aparência e parecia um jovenzinho), contando as peripécias da neta, tentando ser o elo dessa relação impossível. Quando ele dizia que havia um homem no espaço e ele tinha medo de descer na Terra para não assustar os humanos, falava dela em especial. O Doutor mal havia saído dali, tanto que se ela pegasse o telescópio e mirasse na direção correta, teria visto a TARDIS rumando para o infinito deixando um rastro azul de silêncio e tristeza.

20 de Agosto de 2018 a las 16:50 2 Reporte Insertar 3
Fin

Conoce al autor

Lady Salieri Alguém que gosta de escrever mais do que de qualquer coisa na vida.

Comenta algo

Publica!
Karimy Karimy
Assisti poucos episódios de Doctor Who, mas o conto me fez sentir uma saudadezinha e uma vontade de voltar a ver a série! Engraçado que o jeito que a conversa se dá, se lida por alguém que não conhece a história ou até se interpretada de outra forma, parece que eles não estão falando de um "homem" mas de uma divindade.
26 de Agosto de 2018 a las 20:05

  • Lady Salieri Lady Salieri
    Oláááá, sua linda! <3 Então, eu também acabei vendo poucos episódios de Doctor Who. Estive muito preparada para a troca de doutores, mas a Donna me quebrou as duas pernas XD. Tinha muito tempo que eu não me identificada TANTO com uma personagem... Mas acho que se um final me incomodou TANTO é porque valeu a pena de certo modo... Que legal que você captou essa questão do homem/divindade. isso é bem típico do Doutor mesmo e, na história, enquanto o avô dela coloca-o bem próximo, a Donna tá falando de uma coisa mais irreal, aquele que povoou seu sonho poucos minutos atrás <3. E o Doutor é tão humano, mas é um alien... Muita coisa ahaha. Mas, ó, obrigada por tirar um tempo seu e ler e comentar, fez meu dia, minha semana, meu mês, meu ano. Adoro. Um bjo grandão pra vc <3 27 de Agosto de 2018 a las 11:21
~