Artístico Seguir historia

azusakim Jess Sibia

Jongdae era a definição de obra prima, Jongdae era artístico. [Xiuchen][PWP][Contém cenas de sexo]


Fanfiction Sólo para mayores de 18.

#pwp #xiuchen #sexo #lemon #yaoi #lgbt #fanfiction #exo
Cuento corto
4
4806 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Capítulo Único - Entre curvas e toques.

Kim Minseok odiava Kim Jongdae


Ele odiava tudo no moreno de olhos castanhos. Odiava a maneira como Jongdae sempre conseguia o que queria, e odiava o fato de não conseguir recusar. Odiava como ele conseguia o convencer a fazer algo totalmente diferente do planejado apenas com algumas palavras macias e alguns toques. Kim Minseok odiava o modo como Jongdae o tocava, como suas mãos macias percorriam seu antebraço com leves arranhões, que logo subiam ao pescoço e desciam a parte interna da coxa, ou como seus dedos brincavam com seu cabelo enquanto se beijavam. Odiava como a beleza de seu rosto era ao mesmo tempo única e perfeita, e como seu corpo era artístico de forma que alternava entre o angelical e o irresistível. Ele era uma obra de arte, uma que despertava os desejos e sentimentos mais profundos em Minseok.


O filme ainda rodava na televisão a frente da cama de casal em que estavam, mas nenhum dos dois prestava atenção. Jongdae, entediado com a história que não fazia seu estilo, conseguirá como sempre convencer o maior que havia coisas melhores para se fazer, e Minseok não poderia discordar.


A língua de Jongdae percorria toda a extensão de sua boca naquele momento, se enroscando em sua própria, o sabor da boca do menor o deliciava. O Kim rebolava sobre o seu colo sentado de frente com uma perna em cada lado de sua cintura, enquanto Minseok apertava e pressionava suas nádegas, puxando-o cada vez mais para junto de si em busca de eliminar toda a distância, por mínima que fosse dos dois corpos. O suor em sua testa quase em sincronia com os constantes arrepios que percorriam todo seu corpo até chegar ao membro pulsante.


Aquela altura já haviam se livrado das peças de roupa maiores e mais incômodas, e vestiam apenas suas roupas íntimas. Os quadris de Jongdae se movimentavam devagar e com firmeza, esfregando os dois membros por baixo da fina camada de tecido das cuecas. A língua assumia o mesmo ritmo do resto do corpo, se movimentando, entrando e saindo da boca do maior na mesma intensidade.


Se desfazendo do beijo, Minseok dirigiu sua boca úmida ao pescoço do outro, depositando chupões e mordidas no local e fazendo-o arfar.


“Você gemeu?” Provocou, voltando sua atenção novamente ao pescoço branco, assumia tons arroxeados devido às investidas.


“Eu respirei forte” Respondeu sem fôlego, soltando em seguida outro gemido. Na tentativa de revidar a provocação, Jongdae direcionou suas mãos ao quadril do maior, descendo lentamente sua cueca para baixo.

“D-Dae” Minseok tentou ofegante.

“É só você falar que eu paro” respondeu, levantando-se do colo para puxar a peça ao chão, em seguida assumindo novamente a posição.


“Eu odeio você”


Os movimentos se tornavam cada vez mais intensos e rápidos, Jongdae puxava com força os cabelos castanhos de Minseok enquanto o outro percorria com a boca o caminho entre seu pescoço e seu peito nu. Levando as mãos a cintura do menor, o puxou jogando seu próprio peso para baixo, fazendo ambos deitarem na cama de casal, Jongdae por cima de si.


Levantando a cabeça Minseok admirou a beleza do corpo do parceiro. A imagem de Jongdae deitado em cima de si, com as costas nuas e tendo apenas a roupa íntima preta cobrindo o volume das nádegas, era maravilhosa, digna de ser registrada em quadros de Van Gogh, fotografias de Annie Leibovitz ou poemas de Fernando Pessoa.


Ele poderia ficar o resto de sua vida apenas admirando a imagem se não estivesse com sua atenção voltada para os movimentos que o menor fazia, levando seu corpo para frente e para trás esfregando-se sobre ele. O pano da única peça vestida pelo menor roçava sua pele, ele podia sentir o tecido úmido pela lubrificação enquanto o suor de seu peito se misturava ao seu.


“Você é meu” Jongdae provocou, levantando a cabeça e puxando o cabelo do outro, o fazendo olhar em seus olhos. “Eu quero que você fale quem manda aqui”.


Minseok odiava como Jongdae sempre tentava dominar tudo, como mesmo vulnerável ele tentava controlar a situação. O fato era que ambos estavam entregues, e o Kim sabia disso. O garoto sabia como mexer, o efeito que cada toque o causava, seus pontos fracos, sabia também que Minseok não resistiria muito tempo submisso e apenas nas provocações, e contava com isso.


Jongdae levantou o corpo se posicionando sentado sobre o outro, movimentava lentamente o quadril sobre seu membro exposto enquanto arranhava seu peito com uma das mãos. Com a outra retirou o seu próprio pênis e o estimulava.


“Vai gozar pra mim?” Provocou “Ou você não consegue?”


“Cala a boca” disse Minseok agarrando o membro do menor e o massageando. O pênis ereto de Jongdae latejava a cada novo toque e estímulo. Já não conseguia mais disfarçar, soltando gemidos baixos. Os movimentos de seu quadril sincronizando aos da mão do parceiro.


Agarrando com força pela cintura Minseok empurrou Jongdae para o lado, o posicionando deitado de barriga para cima e pernas abertas. Retirou a peça íntima dele por completo segurando seu membro. O estímulo se dava com movimentos lentos, Minseok se deliciava em cada toque. Ao mesmo tempo que subia e descia com a mão simulando uma penetração, a boca era levada as coxas do menor. Os beijos e chupões lentamente percorrendo sua perna, chegando a virilha.


“Seu filho da puta” Jongdae xingou quando a pressão dos lábios de Minseok aumentou. Os beijos vinham acompanhados de leves mordidas, causando arrepios pelo corpo. Levou a mão livre entre a entrada e o início do membro do menor, esfregando a região com os dedos. Jongdae imediatamente levou a mão aos cabelos do outro, puxando sua cabeça com força e o forçando a levar a boca ao seu membro. Minseok percorreu a língua por toda a extensão do pênis, a passando pela cabeça que se movimentava involuntariamente com os toques úmidos.


“Vai gozar? Assim tão fácil?” provocou.


“Não use minhas falas contra mim seu filho da pu-” Interrompeu a fala com um gemido ao sentir o companheiro envolver seu membro com a boca. Minseok introduziu totalmente o pênis de Jongdae em sí, sentindo a cabeça na entrada de sua garganta.


Jongdae queria gozar, ele sentia que não resistiria muito tempo se o maior continuasse o chupando daquela maneira, e definitivamente não queria terminar a noite sem senti-lo dentro de sí. Com um novo puxão de cabelo, ainda mais forte, retirou o membro da boca de Minseok, forçando o maior a se afastar e se sentando na cama.


“Me fode” Jongdae pediu levantando o corpo até ficar na altura de Minseok, cravando com força as unhas em seu ombro.


“Repete” Minseok adorava provocar o menor. Ele sabia que Jongdae preferia estar no comando, faze-lo repetir aquilo o excitava.


“Eu odeio você.”


“Não vai repetir?” Perguntou novamente, deslizando levemente o dedo na região entre o pênis e a entrada.


“Me fode caralho!”


Agarrando com força seu quadril, o Kim levantou Jongdae da cama o juntando a seu corpo, o mssmo entrelaçou as pernas na cintura do maior enquanto caminhavam com dificuldade até a parede. Minseok apoiou às costas do menor contra a parede e iniciou lentamente a penetração. A primeira entrada forçou Jongdae a soltar o gemido mais alto do que esperava. Ele já havia perdido o controle até da própria voz.


O filme já tinha acabado aquela altura, e não havia nada que pudesse disfarçar os sons dos vizinhos, mas Jongdae realmente não se importava naquele momento. Ele odiava Minseok, e a maneira como o fazia perder o controle das coisas e apenas se importar com o prazer de te-lo dentro de sí.


A penetração aumentava lentamente o ritmo, o quadril de Jongdae e os movimentos de Minseok em perfeita sincronia. As estocadas ganhavam força a cada nova investida. As costas do mais novo pressionadas contra a parede enquanto suas unhas marcavam as costas do Kim.


O membro de Jongdae, que antes recebia toda a atenção, agora estava abandonado, e batia duro contra a barriga do maior a cada investida, fazendo Jongdae se esforçar ainda mais para não gozar antes da hora.


“Quem está no comando agora?” Minseok sussurrou entre gemidos.


“M-me põe no chão” Exigiu, quase sem forças de falar. “Eu to falando sério” Tentou parecer irritado, falhando miseravelmente. Ele estava sentindo prazer, mas não admitiria não estar no controle.


Minseok retirou o pênis de dentro do menor soltando seu quadril. Jongdae se sustentou com dificuldades no chão, parando alguns segundos sendo observado pelo maior.


“Chega de brincar. ” Disse, empurrando Minseok com as mãos, completando o impulso com o pé em sua barriga, o fazendo recuar até cair de barriga para cima na cama. Jongdae se posicionou em cima dele, novamente com uma perna a cada lado de seu corpo, mas agora ele estava no comando.


Descendo a bunda devagar, sentou no membro de Minseok, agachando e levantando com velocidade. As reboladas enquanto sentava no mais velho causavam ainda mais arrepios. Enquanto se apoiava na barriga do mesmo com uma das mãos, seu próprio membro era estimulado com a outra, intensificando o prazer da penetração.


Minseok amava Jongdae em todos os ângulos, em todas as luzes, amava as feições e expressões de satisfação e de prazer, amava sentir as mãos dele em seu peito, amava segura-las para dar a certeza de que eles se pertenciam e se completavam como ninguém.


Gozou soltando um gemido rouco enquanto o outro ainda rebolava em seu colo, estimulou o pênis de Jongdae até o mesmo gozar em sua mão pouco depois caindo ao seu lado na cama, os cabelos grudados na testa e a respiração que aos poucos ia deixando de ser ofegante.


Tão lindo quanto poderia ser e mais do que isso, Jongdae era a definição de obra prima, Jongdae era artístico.

8 de Agosto de 2018 a las 01:38 1 Reporte Insertar 1
Fin

Conoce al autor

Jess Sibia Perdida no meu labirinto de ideias

Comenta algo

Publica!
Anna Luisa Anna Luisa
Ficou maravilhosa, socorro, eu amei muito <3 Beijos :3
9 de Agosto de 2018 a las 15:16
~