Sangue Seco Seguir historia

tiatatu Tatu Albuquerque

Os lençóis de seda fina de tom púrpura manchados do licor da vida. O ambiente antes sagrado profanado pelo sexo. Já não havia sangue puro, apenas sangue seco eternizando o toque daquela noite.


Fanfiction Anime/Manga Todo público.

#sasusaku #gaalee #shiba #naruhina #konohana #fns
3
4.9k VISITAS
En progreso - Nuevo capítulo Cada 30 días
tiempo de lectura
AA Compartir

Prólogo

“Eu aceito!”


As palavras sussurradas da forma mais deliciosa que ela havia ouvido nos últimos 300 anos lhe foram extremamente excitantes, mais ainda que a foda louca que tinham naquela noite de lua cheia. 


Até mesmo ergueu seu quadril de forma que o pau dele deixasse seu interior apenas para ter certeza que aquelas não eram as palavras de um homem afetado pelo tesão, afinal, aquele seria um caminho sem volta.


Como se adivinhasse o que Hanabi iria lhe perguntar, ele olhou no fundo dos olhos característicos dela, acenando positivo e se mantendo sério, beijando a mão dela não em tom de promessa, mas de servidão.


Ela sorriu, aquilo era muito melhor do que pensava e só de enxergar as veias com sangue quente à sua disposição ela sentiu a necessidade de voltar ao que faziam, sentando gostosa como sempre e ele foi ao seu, já se mostrando um servo do prazer dela, que tocou seu pescoço com cobiça e ele via seus olhos brilhando. 


Finalmente podia matar sua fome. Não que Konohamaru não lhe fosse um bom amante, pelo contrário, mas era muito mais gostoso poder finalmente matar sua sede sangue com a mesma pessoa com quem matava a de sexo. 


Seria tudo o mais confortável possível para ele, a quem beijou como um agradecimento e uma promessa de que logo teria algo melhor, mordendo o lábio provocante, tomando uma face assustadora por alguns momentos, mas ele permaneceu certo, esperando para ser abatido pelo destino que havia escolhido. 


Nos poucos segundos em que ela levou para mostrar suas presas originais, pensou se de fato era o que queria para si e, como chegou à conclusão que sim, a deixou prosseguir enquanto a fazia rebolar melhor em seu colo. 


Estavam no ponto alto do sexo e para ela finalmente cravar seus dentes nele antecipou em muito o orgasmo e ele também podia jurar que achava um pouco de prazer na ardência inicial da mordida que lhe rasgou a pele. 


Agarrou a bunda dela, continuando aquele ritmo indecente e acelerado de seus quadris, marcando a pele de sua bunda branca com suas mãos, sentindo o ápice da foda e também daquele processo sofrido. 


Aquilo doía, sentia suas veias arderem como nunca e era apenas a primeira vez. 


Ela tinha muita sede e lhe era tentador sugar até a última gota de sangue que ele pudesse lhe proporcionar, mas ele tinha um sangue gostoso demais para que não provasse mais uma vez. 


Sentiu até mesmo vontade de provar daquelas gotas rebeldes que escapavam de sua boca e agora manchavam os lençóis de seda daquele lugar que era quase que um templo sagrado. 


Mas o sangue provado era divino, deveria ter estado ali antes. Tinha valido a pena todo o esforço que havia tido ao mascarar o cheiro de humano que ele tinha até então, pelo menos agora as invenções de Shino não seriam mais tão precisas. 


Era até uma pena que Konohamaru só durasse mais 10 mordidas como aquela como humano antes de finalmente se contaminar com aquilo a que chamava de doença. 


Estava longe de gostar de ser uma vampira, mas momentos como aquele lhe eram muito prazerosos e, ah, como ela queria que assim fosse até a última gota. 


Enfiou-lhe mais os dentes como ele havia se enfiado nela, gemendo abafada contra a pele dele, que também grunhia por conta do incômodo que lhe afligia, mas não pensava em interrompê-la, apesar de sentir que estava chegando ao seu limite. 


A pele que antes tinha seu tom bronzeado tornou-se pálida pela falta de sangue. Ela tinha que parar e se não fosse a promessa outrora feita de que não o mataria no processo, ela não teria motivação o suficiente pra acabar ali. 


Ele tombou exausto sobre aquela cama tão macia e confortável, tonto vendo as manchas nos lençóis e vendo o sorriso dela, que beijou seu pescoço, lambendo os rastros deixados na sucção, beijando os furos que se tornariam cicatrizes. 


Estava consumado! 


Não era vampiro ainda, mas bastava a primeira mordida para que sentisse vontade de ser, principalmente por ser aquilo seu passaporte para mais tempo ao lado dela. 


Sentia que via o mundo de forma diferente agora e até mesmo a risada dela lhe soava diferente e mais gostosa, tal como a pele parecia mais macia. 


Mesmo cansado, a puxou pelos cabelos e a beijou, vendo nos olhos dela que ela estava totalmente satisfeita e aquilo era ótimo. 


Uniu sua mão à dela e dormiu, ainda achando que aquilo era como realizar um sonho e tentando ignorar que poderia voltar a ser um pesadelo logo na manhã seguinte. 

3 de Agosto de 2018 a las 02:51 4 Reporte Insertar 1
Continuará… Nuevo capítulo Cada 30 días.

Conoce al autor

Tatu Albuquerque Mãe de Konohamaru, madrinha de Hanabi, adepta da Fé do Sagrado KonoHana. Você tem 5 minutos pra ouvir a palavra da minha igreja? Kaiten no cu e gritaria, kore!

Comenta algo

Publica!
Aline Fonseca Aline Fonseca
uiuiui! temos uma vampirinea sedenta aqui, goxtei, quero mais!!
23 de Septiembre de 2018 a las 15:02

Blue Martell Blue Martell
Caralho, Hanabi, quantos dentes você tem? Hahhahaha Gostei do detalhe do Konohamaru ser mais submisso a Hanabi, geralmente a gente vê o contrário, né? Mas não poderia ser diferente com Tatu poderosíssima!
3 de Agosto de 2018 a las 01:13

  • Tatu Albuquerque Tatu Albuquerque
    Huahahahahhahahahajajaja que graça teria se fosse o contrário, não é? Huahaha Konohamaru servo sim e pau no cu do mundo. Beijo! 3 de Agosto de 2018 a las 05:32
~