Expectation Seguir historia

medhuzas2 Medhuza s2

Pensou em tantas coisas, mas não pode fazer nada. Seu destino já estava selado. Seu caminho já estava pronto. E ele não incluía ninguém além dele. Era um caminho repleto de dor e sofrimento, solidão e a esperança de que algum dia pudesse retornar. Sasuke partiu de Konoha com o gosto adocicado da mais bela cerejeira da vila.


Fanfiction Anime/Manga Todo público.

#ssmonth #SSM2018 #sakusasu #naruto #sasusaku
Cuento corto
1
4.8mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Capítulo Único

Era noite em Konoha, a lua brilhava e o céu estava limpo. Tudo parecia tão calmo e sereno... Mas nenhuma dessas qualidades estava presente no coração da Haruno antes de desmaiar.

Sasuke sabia que o coração da rosada estava tempestuoso e triste. Tempestuoso pela maré de sentimentos que a assolavam e triste estaria quando ela acordasse no outro dia.

Naquela noite ele não esperava encontrar a garota na saída da vila, não esperava conversar com ela e muito menos ter que fazer aquilo.

“Eu gosto de você! Gosto tanto que nem consigo segurar isso dentro de mim!”

Ele já sabia dos sentimentos da garota, mas a declaração verbal e direta do que sentia por ele o fez vacilar. Mesmo que fossem trilhar caminhos diferentes, aquele sentimento era genuíno. Ele só esperava que ela não sofresse com sua partida.

“Nós vamos viver felizes para sempre! Com certeza encontraremos a felicidade!”

Não, eles não iriam viver para sempre! Como poderia provar? Era só ver seu clã e o fim que todos tiveram. E quanto a felicidade, ela é momentânea, passageira. É um estado de espírito, você não é feliz, você está feliz. E ele sabia que a rosada poderia lhe proporcionar esse estado...

“Eu sou capaz de fazer qualquer coisa por você!”

Ele sabia.

“Por favor, fique! Eu estou te implorando!”

“Não me peça para fazer isso. Por mais que eu deseje ficar aqui, por mais que eu queira ficar ao seu lado, por mais que essa proposta me pareça boa... Não posso! Não conseguiria viver sabendo que o assassino de meu clã está à solta. É impossível seguir a vida normalmente enquanto ele vive impune...”

“Por favor! Fique aqui comigo!”

“Não posso.”

“E se isso não for possível, então me leve contigo!”

É por saber dos perigos que ela correria ao lado dele que ele não podia fazer isso. Se a garota fosse, ele teria mais uma preocupação. Sakura deve ficar em Konoha, aqui estará segura de todo o mal que irá circundá-lo.

“Se você der mais um passo, eu grito!”

Não, você não pode fazer isso.

“O que fiz? A única coisa possível naquele momento: agradecê-la. Seu simples obrigado, tentou retratar tudo aquilo que estava em seu coração. Queria dizer que estava grato por ela se preocupar com o bem-estar dele, por tê-lo aturado por todos esses anos, por ter estado ao seu lado, por ter sido sua amiga, por ter feito aquele pedido e principalmente, por tê-lo amado enquanto as últimas pessoas que haviam feito isso de forma verdadeira haviam sido seus pais.”

Se não a houvesse nocauteado, ela teria denunciado sua fuga.

Ele tinha que ir, tinha que deixa-la.

Após ter a acertado na nuca, o pequeno corpo da rosada iria cair no cão se ele não o houvesse amparado com as mãos. Com ela nos braços, pensou em leva-la inconsciente, mas o que o impedira de dizer tudo o que sentia não deixou que fizesse isso.

Caminhou lentamente até o banco mais próximo. Queria aproveitar ao máximo aquele curto prazo em que seus dedos e braços roçavam na pele macia e cheirosa da garota. Queria poder visualizar mais vezes aquele rosto angelical.

Depositando-a no banco, se aproximou.

A poucos centímetros de seu rosto, parou e observou o ressonar lento e tranquilo de sua respiração. Ela estava bem, e se fosse por ele, ficaria até que sua vingança estivesse completa.

Num último ato, encostou levemente seus lábios na boca da rosada. Ele queria saber se o gosto dela era o mesmo de seu nome. O gosto de cereja. Delicadamente depositou um beijo inocente em seus lábios macios e constatou o que queria saber: ela tinha o doce gosto da fruta das cerejeiras em flor.

Ele esperava que aquela sua única palavra conseguisse exprimir tudo aquilo que sentia. Tudo aquilo que estava guardado em seu peito.

Pensou em tantas coisas, mas não pode fazer nada. Seu destino já estava selado. Seu caminho já estava pronto. E ele não incluía ninguém além dele. Era um caminho repleto de dor e sofrimento, solidão e a esperança de que algum dia pudesse retornar. Sasuke partiu de Konoha com o gosto adocicado da mais bela cerejeira da vila.

Em sua mente ressoava a expectativa de que algum dia pudesse voltar a sentir aquele sabor.

30 de Julio de 2018 a las 22:00 0 Reporte Insertar 1
Fin

Conoce al autor

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~