A Fada Dos Desejos Seguir historia

cchanism CChan Nism

[HunHan] Lu Han só queria resolver sua vida, apenas queria tirar aqueles sentimentos ruins de dentro de si, e para isso, ele contaria com os três desejos mágicos de Sehun, a fada, quer ele quisesse ou não. Capa por: Kyungsoouro (spiritfanfics)


Fanfiction Bandas/Cantantes No para niños menores de 13.

#yaoi #hunhan #exo #fanfic
9
5.1mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

O dia em que encontrei a fada dos desejos

Eu estava muito mais preocupado em chegar à minha sala de aula do que cumprimentar todos os rostinhos que me sorriam ou me desejavam um bom dia, porém ainda assim eu os correspondia com imensa simpatia e inabalável bom humor, tentando deixar bem claro à todos que eu estava bem, muito bem, obrigado, mesmo que eu estivesse mais triste que macaco sem banana, mais jururu que mamãe sem celular e sem suas imagens floridas e chamativas de ‘’bom dia’’ que enviava no grupo da família todos os dias pela manhã.

Mas eu não estava bem, eu não estava nadinha de nada bem, pois enquanto eu caminhava pelo bloco de ciências biológicas eu só pensava no quanto queria sair correndo até o bloco de ciências exatas e dar uma boa quantidade de socos e pontapés num certo chinês gigante e tapado, que era conhecido como Wu Yifan e também como ‘’meu ex namorado filho da puta’’, e depois me encolher num cantinho e chorar todas as desgrameiras da minha vida.

Porém essa não era uma opção viável, visto que tanto para Yifan quanto pra cada um dos seres humanos naquela faculdade eu deveria parecer bem, feliz e cantante, super de boas com a vida e nem um pouco abalado, porque no dia em que terminamos – no meio do pátio e na frente de todos os nossos colegas – eu me saí muito bem, fui superior e dei aquela clássica esnobada, o que fez maravilhas pela minha imagem, visto que fui colocado como ‘’o cara que foi traído e ainda saiu sambado na cara do ex’’.

Porque foi exatamente isso, meus amigos. Foi exatamente isso. Eu, euzinho, Lu Han, 1,77m de pura beleza, masculinidade e gostosura, fui traído, trocado, enganado, feito de trouxa. Meu ex namoradinho, meu ex amorzinho, ex chuchu e ex pãozinho de mel havia me dito que não podia passar os domingos comigo porque havia entrado para um importantíssimo grupo de estudos físicos e que, de acordo com ele, só poderiam se encontrar justo aos domingos, justamente no dia do Senhor.

Eu obviamente estranhei, porém acabei por aceitar, visto que meu namoradinho era muito do estudioso e gostava de manter suas notas altas.

ATA

A verdade é que o grupo de estudos de Yifan se resumia à um gigante orelhudo, zoiudo, destrambelhado e esquisito que sorria igual à um palhaço psicopata, e as matérias que os dois estudavam se resumiam à Kama Sutra, o manual prático do 69 e como chupar Park Chanyeol em 6 velocidades diferentes. Mas enfim, o foco era que eu estava desanimadíssimo, com vontade de me esconder embaixo dos meus cobertores e chorar até Nazaré Tedesco deixar de querer roubar criancinhas, porém essa era outra opção inviável pra mim, visto que o professor de Ecossistemas Aquáticos estava de licença por ter feito não sei qual cirurgia e o professor substituto era um total sádico aproveitador que gostava de aplicar testes toda semana, escavando até a última vírgula da matéria para colocar nas provas.

Eu só esperava que a raiva e frustração não me fizessem ter um branco.


~*~


Lixo.

Eu havia sido um total lixo na prova.

Sim, eu respondi todas as questões.

Sim, eu dissertei sempre que necessário.

Porém minhas respostas pareciam explicações de ‘’modo de usar’’ de embalagem de shampoo e fazer uni duni tê nas questões de alternativas foi o que mais fiz.

Eu não conseguia pensar em nada, minha mente se distraía com o movimento do ventilador, com o barulhinho dos vários lápis e canetas que se moviam sobre as folhas e até com as moscas que voavam ocasionalmente por ali. E eu pensava em Yifan, no quanto eu queria socá-lo enquanto o questionava o porquê daquilo, já que por mais que eu tentasse me sair como superior, não havia como negar que minha autoestima estava pra lá de abalada.

O que eu havia feito de errado?

Seria minha aparência, já que Park Chanyeol era tão diferente de mim?

Seria o meu jeito? Será que ser sempre quieto e reservado foi um erro? Mas como ser eu mesmo poderia ser um erro?

Seria o sexo? Será que tudo o que eu vinha fazendo nos últimos dois anos e me achando um arraso era péssimo e estava tudo errado?

Era nisso que eu pensava enquanto estava sentado na beira daquele belo laguinho na lateral do campus, o qual eu havia me voluntariado para cuidar durante aquele semestre. Eu via alguns girinos nadando por ali, um peixinho ou outro acolá, duas borboletas bailavam pelo ar antes de pousarem em algumas flores coloridas que enfeitavam a margem.

Fechei meus olhos e respirei fundo, tentando absorver a paz e a calmaria daquele local, tentando tomar para mim as boas vibrações que eu sentia ao permanecer ali. Eu só queria que algo me ajudasse, que me tirasse aquelas dúvidas ou que resolvesse uma dúzia de problemas para mim.

Abri meus olhos e olhei para um ponto fixo na margem, me sobressaltando ao ver algo diferente por ali. Como se assim fosse o desejo dos deuses, minha solução estava ali, cintilando enquanto voava antes de se afundar no lago e voltar à superfície, minha boca secou e meus olhos se arregalaram em surpresa, mas eu não conseguia pensar em outra coisa, não poderia ser outra coisa além daquilo.

Um serzinho minúsculo, com formas humanas, porém asinhas translúcidas tão grandes quanto seu corpinho.

Era minha fada dos desejos, e eu iria usá-la.

23 de Julio de 2018 a las 05:45 1 Reporte Insertar 3
Leer el siguiente capítulo Quando a fada mordeu meu dedo

Comenta algo

Publica!
Anna Luisa Anna Luisa
Coisa mais linda aaaaaaa, amo essa fic <3 <3, beijos :3
23 de Julio de 2018 a las 03:12
~

¿Estás disfrutando la lectura?

¡Hey! Todavía hay 8 otros capítulos en esta historia.
Para seguir leyendo, por favor regístrate o inicia sesión. ¡Gratis!

Ingresa con Facebook Ingresa con Twitter

o usa la forma tradicional de iniciar sesión