Jogos de Prazer Seguir historia

sakuu-chan Sakuu-chan Oficial

Seu relacionamento de oito anos com Sasuke estava caindo na rotina por causa da falta de tempo de ambos, mas Sakura não estava disposta a entregar seu relacionamento ao fracasso de bandeja, se dependesse dela e de seus joguinhos com Sasuke, seu relacionamento duraria a vida inteira, bastava ela colocar em prática as suas ideias. Uma noite foi capaz de fazer com que ele tomasse uma enorme decisão, mas ele estava disposto a manter aquilo firme, bastava saber se Sakura seria tão obediente quanto ele foi, mas acreditem, ele conhecia sua namorada melhor do que ela mesma, ela não recusava um belo desafio, principalmente vindo de Sasuke. “Eu quero envolver minhas mãos em volta do seu corpo e te deixar colado a mim, e não soltar jamais.” — Contador de histórias.


Fanfiction Anime/Manga Sólo para mayores de 18.
Cuento corto
2
4.8mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Capítulo Único

Capítulo Unico

**

Por mais que tentasse estudar, não conseguia, sua cabeça estava presa em outro lugar, em outra pessoa, em outro problema. Suspirou e largou a caneta sobre os papéis em cima da mesa em que estudava e encarou a tela do notebook que passava fotos suas com o namorado em forma de slide.

Seu namoro estava desandando, caindo na rotina e deixando-a sem tesão algum, mas não era sua culpa e nem a de seu namorado, era culpa da falta de tempo de ambos, Sakura estava entrando em seu 6º ano de medicina e fazia plantão para a residência, passando até mesmo 48 horas fora de casa – onde dividia com o namorado. Já Sasuke estava começando a tomar dê conta do escritório de advocacia da família.

Mordeu o canto do lábio inferior e puxou para si o computador portátil, e começou a procurar por alguma coisa que pudesse “aquecer” sua relação novamente. Estava com Sasuke há oito anos, era quase um casamento, entretanto, sem oficialização, não deixaria sua relação com o moreno desmorona por um motivo tão bobo como a falta de tempo, resolveria aquela situação ou não se chamava Sakura.

Passou cerca de uma hora pesquisando formas de “reascender” a chama de seu relacionamento, quando fechou o notebook e levantou da cadeira, tinha inúmeras ideias na cabeça, e colocaria em prática aquela tarde mesmo.

**

Relia aquele relatório sobre o caso da família Yakamura pela trigésima vez, e mais uma vez, não conseguia entender nada, por mais que tentasse não conseguia se concentrar em nada naquela manhã, e pelo que pareceria, não iria se concentrar em nada o dia todo, tudo por culpa dela.

A imagem de Sakura dormindo pesadamente de bruços não saia de sua cabeça, isso tudo porque não a via direito e não a tocava a mais de um mês – o que estava torturando-o –, mas naquela manhã, sua amada namorada estava deliciosamente convidativa vestindo uma de suas camisas sociais e uma calcinha boxe.

Suspirou e passou as mãos asperamente pelos fios negros, perdendo totalmente a compostura e o controle.

— Senhor Uchiha. – A voz de sua secretaria atravessou a sala pelo alto-falante do telefone ao seu lado.

— Sim? – Respondeu apertando o botão necessário.

— Uma encomenda para o Senhor.

Ficou em silêncio por alguns minutos, suspirou e relaxou na cadeira ao se lembrar de que seu irmão havia contratado um office-boy para lhe entregar alguns processos para ajudá-lo.

— Pode mandar entrar. – Falou por fim.

Encarou a porta se abrir poucos minutos depois e sua secretaria passar por ela com uma caixa negra de veludo com uma fita vermelha a lacrando em mãos, estranhou, pois aquilo não era de seu irmão, talvez pudesse ser uma brincadeira de mal gosto de Naruto, seu melhor amigo.

Ficou encarando a secretaria colocar o embrulho sobre a mesa e encarou-a, desconfiado.

— O office-boy disse que foi uma moça que mandou entregar. – Confessou, pois a mesma estava ciente das brincadeiras insanas de Naruto para com seu chefe.

— Obrigado. – Agradeceu dispensando a funcionaria enquanto voltava seu olhar para o embrulho.

Mordeu o canto dos lábios e puxou a caixa para sua frente, desatou o laço com cuidado, se falasse que não estava com medo do que estava por vir, estava mentindo. Tirou a tampa da caixa e encontrou várias bolas de isopor, sem paciência enfiou a mão entres as bolotas e encontrou um porta-retratos virado para baixo, lentamente o virou e seus lábios entreabriram em surpresa.

Sakura estava em uma foto descontraída e sem querer, sexy, com a camisa levantada por uma das mãos até a cintura mostrando a calcinha, uma perna apoiada na outra, a outra mão segurando o celular, piscando uns dos olhos verdes-esmeraldas que Sasuke tanto amava e lhe dando língua.

Sasuke tinha que assumir, sua namorada estava espetacular. Infelizmente, teve que retirar sua atenção da foto da namorada para dar atenção ao celular que tocava, mas para sua sorte, era a mesma, fazendo-o sorrir de canto.

— Gostou da surpresa, Sasuke-kun? – Foi à primeira coisa que a rosada lhe perguntou ao atender ao telefone móvel.

— Impossível não gostar. – Confessou.

— Agora eu preciso ir, estou na Universidade, beijos, te amo! – Sakura falou rápido, desligando rapidamente na cara do namorado, que só deu um sorriso pequeno, pois já estava acostumado com tal ato.

— Senhor Uchiha. – Sua secretaria abriu a porta logo após dois toques. – Chegou este envelope para o Senhor. – A moça falou entregando-lhe um envelope A4 pardo.

“Os documentos que Itachi mandaria”. Sasuke pensou pegando o envelope e colocando o porta-retratos encima de sua mesa, ao lado de outro que tinha uma foto dele com Sakura na sua formatura.

Abriu o envelope sem pensar duas vezes, pois agora estava com vontade de trabalhar depois do estímulo que Sakura havia lhe dado, entretanto, para sua surpresa o que tinha em suas mãos não eram documentos, mas um papel com letras escritas em dourado.

Querido Sasuke-kun…

Ultimamente, andamos muito afastados, sei que isto não é minha culpa e nem sua, mas da falta de tempo, sei o quanto você está se esforçando para tomar conta do escritório sozinho, já que Itachi esta de licença paternidade, mas acredite, estou aqui para melhorar nossa relação e diminuir seu estresse… Está manhã decidir fazer um pequeno joguinho, eu já estou dentro, basta você querer entrar, mas acredite, eu sei que não recusará.

A primeira parte já foi concluída, você já recebeu um dos meus presentes e espero que tenha gostado, a segunda parte é fácil, estou a sua espera, espero que não demore.

Mas antes… Encontre-me se for capaz, só assim passaremos para a próxima fase.

Com amor, sua namorada, Sakura!.”

Sasuke não pensou duas vezes, pegou o paletó sobre as costas da cadeira de couro e jogou sobre os ombros, pegou as chaves do carro, carteira e telefone celular jogando-os de qualquer jeito no bolso da calça social enquanto caminhava até a porta.

— Desmarque qualquer coisa que tenho hoje e talvez amanhã. – Falou ao passar pela secretaria que tinha um sorriso alegre, alegre demais para seu gosto, mas não se importou, pois estava com pressa.

**

Sakura observou Sasuke sair apressado do prédio comercial onde funcionava o escritório Uchiha, era impossível esconder o sorriso animado, finalmente sua relação com Sasuke voltaria a ser o que era antes, já não estava mais aguentando aquela situação.

— Universidade Konohagakure, por favor. – Pediu ao motorista de táxi enquanto apertava mais o nó do casaco sobretudo na cintura. Sua sorte que aquele dia amanhecerá frio.

O caminho percorrido foi rápido, pagou o valor referente à corrida e saiu do táxi de forma relaxada, deu uma olhada para trás e viu Sasuke estacionar e sair rapidamente do veículo, voltou seu olhar para frente e sorriu, pois sabia que ele a tinha visto, e isso só a deixou animada.

Suas botas de cano alto até o joelho e de salto fino faziam barulho quando se encontravam com o piso liso e bem limpo do corredor, suas mãos estavam escondidas nos bolsos do casaco, os cabelos ondulados e os lábios pintados de rosa natural, os olhos marcados pelo rímel e lápis, não conseguia esconder seu sorriso e sua beleza atraia olhares, mas ela queria e tinham um único olhar em mente, o de seu namorado Sasuke, que vinha logo atrás, seguindo-a com o olhar como um gavião.

No momento que desceu do carro a viu e não conseguia desgrudar os olhos dela, Sasuke adorava quando Sakura usava suas botas, mas sabia que por baixo daquele sobretudo estava sua surpresa, pois podia ver algo em suas pernas, e isso o estava matando de curiosidade. Segui-a como um cachorrinho e não se importava, estavam quase perto da biblioteca quando rosada parou e encostou-se nos armários ali, esperando-o.

Sasuke não conseguia desviar seus olhos da namorada, principalmente porque ela lhe sorria de volta, caminhou em direção à rosada, mas para seu azar, alguém atrapalhou seu caminho com um esbarrão, depois outro, quando deu por si, o corredor já estava lotado de alunos e Sakura estava totalmente fora de seu campo de visão.

Desviando-se dos ex-colegas de universidade, Sasuke chegou onde Sakura estava a menos de um segundo, ainda podia sentir o cheiro da namorada, deu uma longa olhada a sua volta atrás da rosada, entretanto, a única coisa que encontrou foram rostos desnecessários para aquele momento.

— Hey Sasuke-kun… – Hinata com uma barriga de grávida de três meses apareceu na sua frente, lhe sorrindo.

— Hinata… – Respondeu com um aceno de cabeça.

— Sakura-chan pediu para que eu lhe entregasse isso. – Hinata riu e lhe entregou o envelope vermelho, antes de se afastar. – Até mais, Sasuke-kun e boa sorte.

Ficou encarando o envelope por poucos segundos, não havia entendido o “boa sorte” de Hinata, mas o estava aceitando.

Dica número um: um dia é o da caça e outro é do caçador, qual dos dois você é hoje, Sasuke-kun?”

Sasuke conseguia ouvir a risada de Sakura em sua cabeça, se ela estava querendo instigá-lo, estava conseguindo. Catou o celular no bolso e apertou a discagem rápida, chamando logo em seguida, para depois ser atendida.

— Olá, Sasuke-kun… – A voz de Sakura estava incrivelmente sedutora e instigante.

— Onde você está? – Perguntou sem rodeios, olhando envolta.

— Perto… – Sakura respondeu e sorriu. – Sasuke-kun, seu objetivo é me caçar e não eu te dizer onde estou, acredite, quero tanto quanto você ser encontrada.

Sasuke bufou ao ouvir os bipes de finalização de chamada, Sakura havia desligado em sua cara, deixando-o totalmente curioso. Respirou e analisou quais os lugares que Sakura mais frequentava naquela Universidade, ergueu os olhos e viu a grande placa: Biblioteca Jiraya.

Mas claro; aquele era um dos lugares que Sakura mais ficava trancada. Sem pensar duas vezes arrastou a grande e pesada porta de madeira e vidro e entrou no recinto silencioso, que sempre que podia, dava uns amassos em Sakura escondido entre as prateleiras lotadas de livros. Caminhou até o balcão de informações e chamou a morena que lhe sorria.

— Olá Sasuke… Quanto tempo. – Shizune sorriu-lhe e pegou algo sobre o computador. – Sakura deixou isso para você.

— Obrigado. – Agradeceu e pegou o envelope vermelho.

“Dica número dois: Se tem uma coisa que eu gosto é de estudar é seu corpo.”

Essa havia sido fácil, adentrou a biblioteca e foi direto na secção de atlas de anatomia, suspirou e encarou a grande estante, analisando bem todos os atlas, até que encontrou a ponta de um envolve em um deles, sorriu e o pegou.

Dica número três: nosso primeiro amasso universitário.”

Sasuke não deixou de sorrir, impossível se esquecer de onde ele e Sakura matavam aulas dando amassos, o ginásio era o ponto deles, quase ninguém ia, e quando ia; quase não os via. Em passos largos, caminhou até lá, encontrando-a encostada em uma das traves do gol de futsal, lhe sorrindo, quanto mais ele se aproximava, mais ela lhe sorria, ela não fugiria; não daquela vez.

Sasuke estava seguindo perfeitamente seu objetivo e plano, agora faltava apenas uma fase e uma das mais importantes e acredite; Sasuke não se importaria com que estava por vir. Sorriu quando o viu parar a sua frente e lhe olhar.

— Hora de receber minha surpresa.

O beijo foi imediato, as mãos de Sasuke agarraram sua cintura e a puxou para si, apertando-a contra seu corpo enquanto sua língua entreabria seus lábios, Sakura deixou o riso escapar e tratou de retribuir o beijo segurando a nuca e os cabelos negros do namorado, puxando-o, uma de suas mãos desceu pelo peito e barriga do Uchiha, parando no cós de sua calça, puxando-o para si, como se isso fosse possível.

O beijo foi terminando aos poucos, Sakura prendeu os dentes no lábio inferior de Sasuke e o sugou, fazendo-o arfar. Afastou-se lentamente e o olhou nos olhos, dando um sorriso sapeca e animado.

— Desculpe querido, mas é agora que vai começar a brincadeira.

Após tais palavras, afastou-se do Uchiha repentinamente, rumando para a saída em passos largos e rápidos, enquanto Sasuke a encarava sem entender nada, só entendeu que Sakura o estava deixando ali, sozinho e num “puta” tesão; quando a mesma bateu a porta do ginásio.

Em passos largos, Sasuke correu até a porta do ginásio e após passar por ela, passou a procurar Sakura com o olhar, mas para seu azar a única coisa que encontrou ali foram rostos desconhecidos. Começou a caminhar pelo campus atrás da namorada, mas algo lhe dizia que a mesma não se encontrava mais por ali.

Suspirou e passou as mãos nos cabelos, até que o bipe avisando que havia chegado uma mensagem chamou sua atenção, pegou o celular do bolso e viu que a remetente era sua amada namorada, Sakura.

Dica número quatro: Nosso lugar favorito. Entretanto, para chegar lá, terá que achar um modo, já que eu peguei seu carro ;)”

Em anexo a mensagem havia uma fotografia de Sakura sorrindo e piscando um dos olhos, segurando a chave do carro de Sasuke bem próximo ao rosto, fazendo com que Sasuke sorrisse da forma travessa da namorada.

Era difícil ficar com raiva de Sakura, mesmo quando era necessário, muitas vezes precisava se fingir de bravo para não falar com a rosada e ela achar que ele estava realmente com raiva dela, e isso o fazia rir e feliz.

Clicou na agenda telefônica e ligou para companhia de táxi pedindo um, seu objetivo naquele momento era chegar a um único lugar, onde tinha certeza que encontraria Sakura.

**

Tinha que confessar que se separar de Sasuke havia sido um grande sacrifício, entretanto, não poderia se deixar cair em tentação quando estava próximo de realizar seu objetivo. Estava tão sedenta por Sasuke quando o moreno estava por ela, mas precisava ter calma e paciência para esperar o que ainda estava por vir.

Roubar a chave de Sasuke havia sido uma das coisas mais fácil que havia feito naquela tarde interessante, já estava quase anoitecendo e isso só a ajudaria colocar o final de seu plano em prática. Isso a fez sorrir. Dirigir o carro de Sasuke era uma maravilha, quase não pegou transito, mas não poderia dizer o mesmo do namorado, que provavelmente voltaria de táxi.

Ao chegar ao pequeno apartamento que dividia com o namorado, estava quase tudo arrumado, só deu os retoques finais e colocou em práticas algumas ideias que teve enquanto torturava Sasuke à distância.

**

O trânsito da cidade estava cada vez mais caótico em sua opinião. Suspirou, pagou a corrida e desceu do táxi afrouxando levemente a gravata, já estava noite, mas estava cansado demais para olhar as horas no relógio de pulso, para falar a verdade, estava escondendo sua ansiedade a sete chaves, até porque, ele era um homem que não expressava suas emoções abertamente, por mais que quisesse.

Cumprimentou o porteiro e rumou para o elevador, que logo entrou. Seu pé batia no assoalho discretamente enquanto seus olhos analisava o painel onde mostrava os andares, que em sua opinião, estava lento demais. Deu graças a Deus e aos céus quando o elevador parou no décimo quarto andar, o seu andar. Sem pensar muito, caminhou em passos firmes até a porta de número quatorze mil e dois, onde dividia com Sakura.

Passou a ponta da língua sobre o lábio inferior e puxou a maçaneta, abrindo a porta. O apartamento estava pouco iluminado por velas e a música willow da cantora Jasmine Thompson tomava conta do ambiente, pegou o pequeno envelope preso em um cordão de nylon a sua frente leu as palavras grafadas com a letra de Sakura.

As dicas acabaram, mas agora começa o jogo. Em alguns cômodos do nosso lugar favorito terá uma mensagem para você, guarde-as com carinho. Estou a sua espera, querido. Vire… sobre a mesa de centro, uma surpresa.”

Seus olhos negros desviaram das palavras e miraram a mesa de centro, viu uma pequena caixa com outro envelope sobre ele, pegou os dois, e abriu a caixa, onde encontrou uma fotografia de Sakura com a roupa que trajava na UK (Universidade Konohagakure), entretanto, o sobretudo estava levemente aberto, relevando a pouca roupa que a namorada trajava por baixo, fazendo com que Sasuke arfasse e sua ansiedade aumentasse.

Abriu o envelope e leu em voz alta:

Para relaxar, há algo para você na cozinha, sinto em lhe dizer, o jantar só será servido mais tarde.”

Sasuke riu mais uma vez, Sakura não era um máster chefe de cozinha, mas não deixava as coisas queimarem ou ficarem ruins, ela sabia enganar a fome e isso satisfazia o Uchiha. Em passos firmes e segurando a fotografia foi até a cozinha, onde encontrou um uísque recém-colocado com gelo, do jeito que ele gostava, pronto para consumo e escorado no copo, um bilhete.

Beba-o”.

Quem seria ele para contraria a mulher de sua vida? Jamais faria isso, bebeu o líquido e embaixo do copo, um último envelope, isso o fez sorrir, pois significava uma coisa: estava na hora de receber sua surpresa; abriu-o e leu:

Te espero em nosso quarto, querido.”

**

Caminhou pelo corredor até parar em frente ao quarto do casal, sem esperar, abriu a porta e entrou, o quarto estava cheiroso e pouco iluminado, começou a vasculhar o quarto atrás de Sakura, mas não a encontrou.

— Feche os olhos. – Arrepiou ao sentir o hálito quente de Sakura próximo a sua orelha.

Sakura havia se escondido atrás da porta, só a espera de Sasuke, agora sim, o jogo começaria. Levou as mãos ao ombro de Sasuke e deu um leve aperto, para depois puxar o paletó, o retirando do corpo do namorado e o jogando no chão, após fazer isso, ficou de frente para o moreno e lhe deu um beijo suave na curva do pescoço e o lambeu levemente, até porque, mesmo usando saltos altos continuava menor que Uchiha.

— Mantenha os olhos fechados, eu te guiarei.

Sasuke não respondeu, apenas deixou um suspiro escapar dos lábios, deu um passo à frente quando Sakura o puxou pela gravata, após alguns passos, Sakura o fez parar e o virou.

— Sente-se. – Pediu Sakura, e assim ele fez. – Quando eu pedi, abra os olhos. – Sussurrou.

Não respondeu outra vez, a expectativa já tomava conta de seu corpo, fazendo com que o tesão e a vontade de agarrar a sua namorada apenas aumentasse. Levou uma das mãos até a gravata e a afrouxou mais, o calor estava começando a sufocá-lo.

— Pode olhar agora.

Abriu os olhos e viu Sakura parada a sua frente com o rosto virado para o lado com uma máscara negra com penas cobrindo a região dos olhos tirando lentamente o sobretudo, revelando a lingerie cinta liga na cor preta que cobria o corpo esbelto e escultural, fazendo com que Sasuke prendesse a respiração, seguindo cada gesto da namorada com os olhos.

Sentia os olhos de Sasuke percorrendo cada pedaço de seu corpo, fazendo-a arfar de expectativa e desejo, mesmo com rubro nas bochechas o encarou e viu os olhos do namorado diferentes, havia mais do que luxuria ali, havia desejo, amor, cuidado, carinho, paixão, era um misto de sentimentos e sensações, deixando-a totalmente emocionada.

Caminhou até Sasuke e colocou um dos pés sobre a cama, antes mesmo que pudesse chegar à bota, o moreno segurou sua canela e começou o processo, sem desviar o olhar do seu, fazendo-a arfar e fica mais emocionada. Sasuke não era do tipo romântico, mas aquela noite, ele estava a surpreendendo e Sakura estava amando isso.

Sasuke estava se esforçando para que aquela noite fosse inesquecível, ele não era do tipo romântico, mas por ela, estava disposto a mudar isso. Após retirar a bota de uma perna da namorada, distribuiu pequenos beijos no pé, tornozelo, panturrilha e joelho da mesma, chegando à coxa e parando por ali, fazendo-a arfar e morder o lábio para reprimir o gemido. Fez o mesmo gesto com a outra perna, mas desta vez, Sakura não conseguiu reprimir o gemido e isso agradou Sasuke.

Sakura segurou o rosto do namoro e o beijou, enquanto sentava em seu colo, Sasuke segurou sua cintura firmemente e gemeu ao sentir o peso de Sakura sobre seu colo, Sakura rebolou lentamente fazendo sua excitação aumentar, suas mãos começaram a percorrer as costas, coxas e nádegas da namorada, enquanto suas mãos pequenas puxavam-lhe fios de cabelo e arranhava a nuca.

Afastou seus lábios lentamente dos do Uchiha e o olhou, deu um sorriso singelo e pequeno, como sentia falta daquele homem, Sasuke sabia onde lhe tocar para lhe dar prazer, e ele fazia isto com maestria. Suas mãos apertavam-lhe as coxas e puxava-a para mais perto, seus lábios brincavam com os de Sakura, apenas encostando, passando a língua levemente sobre os lábios entreabertos da rosada, fazendo-a arfar de desejo.

Fechou os olhos ao sentir as mãos de Sasuke sobre seu rosto, retirando a máscara, que ela já havia esquecido que estava ali.

— Gosto de ver o seu rosto e os seus olhos. – Sasuke confessou, fazendo-a entreabrir os lábios em surpresa.

Esse era seu pequeno segredo, mas já estava na hora de Sakura saber e entender de uma vez por todas, que apesar dele não demonstrar, ele não viveria sem ela ao seu lado, tendo paciência, amando, respeitando, incentivando e cuidando. Não existia outra mulher para ele, a não ser Sakura Haruno.

Sakura sorriu e lentamente começou a retirar a gravata, camisa social e regata do corpo do namorado, sem desviar os olhares, Sasuke sorria-lhe de volta, acariciando lhe o rosto, cintura e as coxas, fazendo com que ela o quisesse mais do que fosse possível.

Os lábios tocaram-se mais uma vez, mas desta vez, com mais fervor e paixão, fazendo com que cada um soltasse um gemido de satisfação, Sasuke deitou Sakura na cama e ficou por cima, beijando-lhe o pescoço e colo, fazendo com que a rosada arqueasse o pequeno corpo, com um gemido.

Guiou seus beijos até o ombro da namorada e desceu uma das alças do sutiã, adorava como o rosto de Sakura ficava corado pelo desejo e adorava mais ainda sua reação aos seus beijos, como seu corpo se arrepiava, seus olhos ficavam mais escuros e sua boca entreabria para respirar. Retirou lentamente a peça de cima do conjunto de lingerie e ficou, mais uma vez, deslumbrado com a beleza de Sakura.

Os seios medianos clamavam por seu toque, seus cabelos curtos estavam espalhados pelo travesseiro, o rosto corado não escondia as vontades e desejos da namorada, deixando Sasuke com mais vontade. Beijou-lhe os lábios, passando pelo pescoço, colo, chegando até o vale dos seios, onde arrancou suspiros e gemidos de Sakura usando a mão, os lábios e a língua.

Beijou Sasuke novamente, enquanto suas mãos percorriam as costas largas do moreno, passando pelo peito e abdômen, até chegar ao cós da calça, que desatou o cinto, abriu o botão e desceu o zíper, assim como o sapato e as meias, a calça saiu rápido, revelando a excitação de Sasuke sob a cueca boxe azul escura, sentia o corpo de Sasuke sobre o seu, fazendo-a gemer baixo o nome do Uchiha.

Sentia os beijos de Sasuke por todo o seu corpo, e assim como ele, queria sentir o gosto de sua pele, tentava sempre que podia, beijar-lhe em lugares que sabia que ele gostava. A mão de Sasuke era mais delicada, apesar de continuar firme, e Sakura amava isso. Queria-o por inteiro, a cada momento, a cada instante.

Sua mente estava viajando nas carícias de Sasuke, sentindo cada carícia cada vez mais profunda e delicada. Enquanto Sasuke retirava sua cinta liga e a calcinha, Sakura deliciava-se com os lábios e com a língua de Sasuke sobre sua pele, que já pegava fogo. Percorreu suas mãos pequenas pelo corpo de Sasuke, arranhando-o completamente, fazendo com que o Uchiha lhe beijasse com mais fervor.

Não sentia um pingo de vergonha do namorado, havia perdido sua vergonha na cara quando dormiu nos braços daquele homem pela segunda vez, pois sabia que jamais seria de outro homem a não ser dele. Mordeu o lábio de Sasuke e o puxou ao mesmo tempo em que suas mãos tiravam a única peça de roupa que cobria o corpo do moreno e lhe tocava sua excitação de forma delicada e firme, fazendo com que Sasuke gemesse baixo em seu ouvido.

Gemeu alto quando o moreno lhe invadiu, os olhares em nenhum momento desgrudaram-se, cada um estava concentrado na reação do outro. Por mais que estivessem há anos juntos, a relação continuava a mesma, cada um sabendo o que sentia pelo outro, respeitando e valorizando isso.

Os gemidos se completavam a cada movimentação, assim como Sasuke e Sakura se conectavam, era encaixe perfeito, feitos um para o outro, e eles sabiam disso. Sakura sentia-o dentro e fazia questão de recebê-lo com prazer, Sasuke estava dando o melhor de si para ver aquela mulher feliz, atendia aos seus pedidos de ritmo, beijava-a, acariciava-a, cuidava. Naquele momento havia mais que desejo carnal ali, havia amor.

Podia-se notar isso em cada beijo, em cada toque. Os suores grudavam nas peles, deixando claro que eles eram um. Eram únicos. Seus lábios se encontraram mais uma vez, com mais paixão, desejo, amor. A cada estocada, Sasuke mostrava a Sakura que ela havia nascido pra ele, e não para outra pessoa, eram perfeitos um para o outro.

Uma última estocada funda e forte fez com que clímax invadisse o corpo de ambos, fazendo-os gemer alto o nome do outro, tendo mais que uma simples noite de sexo, tendo uma verdadeira noite de amor.

Sasuke deitou ao lado com a respiração pesada e rápida, mas ainda sim, puxou Sakura para si, abraçando-a possessivamente, o que a fez sorrir. Adormeceram lentamente um nos braços do outro.

**

Acordou de madrugada sentindo seu corpo encaixar-se a um menor, isso o fez recorda-se de horas mais cedo, aconchegou-se mais a rosada e suspirou, afastou-se um pouco e encarou aquele rosto delicado e o alisou, talvez estivesse na hora de mudar o relacionamento deles. Dá uma avançada.

Beijou-a na testa e voltou a dormir, tinha muito o que planejar.

17 de Julio de 2018 a las 03:01 0 Reporte Insertar 0
Fin

Conoce al autor

Sakuu-chan Oficial Aspirante a escritora

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~