My All Seguir historia

baekhyhunnie Cherry Bomb

Me afastei do alfa e o encarei, Chanyeol de olhos fechados deixava as lágrimas escorrerem por seu rosto, fui em direção a porta pronto para sair mas novamente olhei para trás, Chanyeol dessa vez me encarava de volta, dei um último sorriso para ele e sai do quarto sabendo que aquela seria a última vez que eu o veria.


Fanfiction Bandas/Cantantes Sólo para mayores de 18.

#abo #chanbaek #hunhan #kaisoo
8
5.1mil VISITAS
En progreso - Nuevo capítulo Todos los domingos
tiempo de lectura
AA Compartir

Capitulo 1

Me chamo Baekhyun e hoje vou contar um pouco de minha história.

Nosso mundo é dividido em três categorias, os alfas, betas e ômegas, dessas três a três espécies, os normais que são humanos com instintos de lobos, os puros que são humanos capazes de se transformar em lobos e os lupus que são humanos capazes de se transformar em lobos porem não envelhecem.

Cada país é governado por um alfa lupus, ele manda basicamente em tudo e todos, também há os governantes que podem ser um alfa normal, um puro ou um lupus, eles ajudam o alfa líder a comandar o país, em cada estado há um, esses alfas tem famílias muito ricas.

Eu sou um ômega lupus, porem venho de uma família pobre, meus pais morreram quando eu tinha apenas oito anos, desde então moro com meus tios Kris, um alfa, e Tao, um ômega, nunca tive o que reclamar deles, sempre foram ótimos, trabalhavam para me sustentar e sustentar a casa onde morávamos no subúrbio de Seul.

Mas aconteceram certas coisas ruins em minha vida quando completei 14 anos.

Eu estudava em um colégio público perto de nossa casa, sempre fui um ômega muito bonito e chamava muita atenção de alfas por conta disso, e com 14 anos um deles me tomou, me obrigou a transar com ele nos fundos da escola, aquilo doeu tanto fisicamente quanto psicologicamente, os alfas tem muito poder sobre ômegas e uma das regras de nossa sociedade é que se o ômega não tiver nenhum tipo de marca de outro alfa o alfa que quiser pode tomar seu corpo para si, e foi o que aconteceu comigo.

Depois desse alfa muitos outros vieram, e isso durou até meus 16 anos que foi quando consegui uma bolsa de estudos no melhor colégio de Seul para completar o ensino médio, ele era bem longe de minha casa em um bairro nobre, mas seria ótimo ter no meu histórico escolar o nome dessa escola.

Era um colégio particular então somente filhos de famílias ricas estudavam lá, os bolsistas que conseguiam entrar ou eram completamente ignorados pelos outros ou completamente massacrados.

A primeira coisa de diferente que reparei quando cheguei lá foi que não haviam casais se agarrando pelos cantos como em minha antiga escola, eles eram mais reservados, mas em compensação eles não se importavam em mostrar seu lado animal para todos, haviam incontáveis brigas de alfas contra alfas ou contra betas por conta de ômegas, vi muitos alfas puros estraçalharem alfas ou betas comuns, eram cenas horríveis de se presenciar, principalmente pelo fato dos outros alunos adorarem ver aquilo.

Mas eu sempre fui mais na minha, nunca chamei muita atenção, até ele aparecer em minha vida, Park Chanyeol.

Chanyeol era filho do nosso líder, quando os líderes tem filhos eles não são obrigados a estudarem em uma escola a vida toda, podem estudar em casa, porem devem fazer o último ano do ensino fundamental e o último ano do ensino médio em uma escola de verdade. E Chanyeol havia entrado para completar seu último ano e eu ainda estava no segundo.

Em uma manhã estava seguindo minha mesma rotina de em toda aula livre ir para a biblioteca, quando Chanyeol apareceu e se sentou de frente para mim, alfas lupus tem uma presença tão forte que faz qualquer ômega se encolher, e não foi diferente comigo, assim que ele se sentou de frente para mim me encolhi em minha cadeira .

– Olá, eu sou Park Chanyeol, e você? – assim que ele perguntou abaixei o olhar e me encolhi mais ainda.

– B-byun B-baekhyun – falei ainda com o olhar abaixado.

– Baekhyun, que nome lindo, como você – falou e eu levantei o olhar encontrando o alfa com um enorme sorriso, veja bem eu sempre fui um ômega muito mal tratado por alfas, então quando um alfa com uma presença tão forte quanto à de Chanyeol vem falar comigo tudo que sei fazer é me encolher e sentir vontade de chorar, e foi o que aconteceu, assim que lhe encarei senti meus olhos se encherem de lágrimas – Hey eu não vou te machucar, você é bolsista certo? – perguntou me olhando preocupado.

– S-s-sim, com l-licença preciso ir – falei me levantando e rapidamente saindo da biblioteca enquanto era encarado por vários alunos que estavam na biblioteca.

Alguns dias se passaram e eu me sentia muito mal por ter tantos olhares sobre mim, a conversa que tive com Chanyeol na biblioteca se espalhou pela escola, agora todos me olhavam como se fossem descobrir a verdade sobre a criação do universo.
Fora os olhares de Chanyeol, há esse adorava ficar me encarando.

E foi em uma tarde logo após o termino das aulas que ele veio falar comigo, estava esperando o ônibus para ir pra casa quando um outro alfa veio falar comigo, ele já chegou me puxando para perto de si e dizendo o quanto eu era bonito.

– Ei, não deveria tocar no que não é seu – Chanyeol falou enquanto aparecia de algum lugar e me puxava para longe daquele alfa que se desculpou e saiu andando – Não deveria andar sozinho por ai Baekhyun, pode ser perigoso – ele falou me puxando – Vou te levar para casa.

E antes que eu pudesse protestar ele me colocou dentro de seu carro e se sentou ao meu lado fazendo com que eu me encolhesse.

– Não precisa disso – murmurei enquanto me encolhia mais.

– Claro que precisa, já disse é perigoso você andar por ai assim – olhei para ele que sorria lindamente para mim, foi só ai que reparei em Chanyeol de verdade, ele era realmente bonito, o alfa pediu o endereço de minha casa e quando passei o alfa arregalou os olhos e disse o quanto eu era louco por fazer todo aquele caminho de ônibus, ele passou meu endereço ao motorista que seguiu até minha casa.

Quando lembro dessa época sempre me surge um sorriso no rosto, ainda lembro da expressão que Chanyeol manteve no rosto o caminho inteiro, ele parecia realmente feliz e me olhava o tempo inteiro.

Também ainda lembro da sensação que senti quando ele me deixou na porta de casa e depositou um beijo em minha bochecha, senti que corei até minhas orelhas, Chanyeol apenas saiu rindo e dizendo o quanto eu era fofo.

Depois desse dia me aproximei bastante de Chanyeol, ele me contou que tinha um irmão da minha idade chamado Jongin que estava morando com seu avô em outro estado, seu pai o havia mandado pra lá, eu também conheci seus pais, seu pai ômega o Taemin era alguém adorável, me tratou muito bem e sempre dizia o quanto eu era adorável, Chanyeol não tinha muito dele em aparência, apenas os olhos brilhantes e o sorriso contagiante, mas em personalidade eles eram realmente parecidos, Chanyeol me disse que seu irmão Jongin era mais parecido com seu pai ômega enquanto ele era mais parecido com seu pai alfa, o poderoso Park SeungHyun.

Eles tinham os mesmos traços do rosto e as mesma orelhas, e quando Chanyeol ficava sério ou irritado tinha a mesma áurea assustadora de seu pai.

Depois de nossa aproximação vieram nossos primeiros contatos, o tempo todo ele gostava de me abraçar e de me dar beijos na bochecha apenas para me ver corado, e quando ele me chamava de ‘Meu pequeno’ ou ‘Meu menininho’ eu realmente me sentia no céu.

Foi depois de um tempo que veio nosso primeiro beijo, me senti no céu com ele, eu sempre estive acostumado com toques brutos de repente receber um toque tão carinhoso fez com que eu derretesse pelo Park, e mesmo depois cada beijo que ele me dava fazia com que eu me sentisse assim.

Com os beijos vieram as revelações, eu deixei Chanyeol me conhecer mais assim como ele deixou com que eu o conhecesse, ele disse que seu sonho não era governar um país e sim ser médico como seu pai ômega, mas que seu pai nunca o deixaria já que ele era o filho mais velho e deveria passar para ele o posto de líder, Chanyeol também sabia tocar violão, e eu amava que ele cantasse e tocasse para mim, me sentia tão especial.

Mas especial mesmo foi o que ele me fez sentir com nossa primeira vez.

Alguns dias antes eu havia contado para ele o que os alfas de minha antiga escola faziam comigo, e ele disse que nunca faria o mesmo e que quando fossemos ter nossa primeira vez eu nunca mais iria esquecer.

– Você é lindo – ele disse enquanto tomava meu corpo para si – E meu, eu não quero nenhum alfa tocando em você nunca, somente eu tenho esse direito.

E eu realmente nunca esqueci daquele dia, ele fez com que eu me sentisse único, a cada beijo e toque seu em meu corpo parecia que ele tocava em uma peça rara de uma coleção de arte.

Nas nossas férias do meio de ano deixei que ele conhecesse um pouco mais de mim.

Nós fomos para um sítio de sua família passar as férias lá, e Chanyeol insistiu para que fossemos correr em nossa forma de lobo, eu aceitei.

Foi realmente assustador quando Chanyeol se transformou, ele um enorme lobo negro – e quando digo enorme é enorme mesmo – com olhos amarelos e eu um pequeno lobo branco de olhos vermelhos.

Mesmo para um lupus eu era pequeno demais e me senti tão rebaixado nesse dia, pois fiquei imaginando os outros casos de Chanyeol e pensando o quanto melhores que eu eles deveriam ser.

E foi ai que mais uma vez Chanyeol fez com que eu me sentisse único, ele deve ter sentido meu desconforto, pois me analisou de uma forma bem diferente, ele esfregava seu focinho por todo meu corpo e no final compartilhou seus pensamentos comigo dizendo o quanto eu era lindo.

Nós corremos livremente aquele dia, foi bom ter a sensação de liberdade que tínhamos quando íamos para nossa forma animal, fazia tempo que não tomava a forma de um lobo.
Chanyeol me levou conhecer o riacho que havia na fazenda, quando chegamos ele pediu para que eu voltasse para a forma humana e foi o que fiz, pensei que ele faria o mesmo e me senti muito constrangido quando ele ficou encarando meu corpo nu, mas Chanyeol sempre me surpreendia, ele me fez sentar na grama que havia há margem do rio e enfiou sua enorme cabeça em minhas pernas me pedindo carinho.

Eu era o ômega e o mais novo da relação, mas nesse dia percebi que Chanyeol podia ser um filhotinho manhoso, pois depois desse dia ele me pedia carinho o tempo inteiro em sua forma de lobo ou humana, e depois que descobriu meu dom para o canto me fez começar a cantar até ele dormir toda vez que dormíamos juntos.

Ninguém além dos meus tios e de seus pais, sabiam que nossa relação era séria, o pai alfa de Chanyeol sempre dava um jeito de encobrir tudo, ele também não gostava de mim, nunca gostou, e sempre falava coisas horríveis ao meu respeito.

– Ele é apenas um ômega de bosta Chanyeol você pode arrumar algo muito melhor – um dia estava em sua casa ajudando seu pai ômega a fazer um bolo enquanto ouvia os gritos vindos do escritório.

– O caralho que posso, não vou trocar o Baekhyun, ele é meu ômega e nunca que alguém vai ser melhor do que ele – os gritos continuaram por incontáveis minutos enquanto eu apenas ouvia tudo e deixava finas lágrimas escorrerem pelo meu rosto, o pai ômega de Chanyeol me abraçou enquanto dizia que ia ficar tudo bem.

Chanyeol apareceu como um furacão me tirando da cozinha e me levando até a pequena floresta que havia próximo a sua casa, fomos até o lago que tinha lá e me sentei enquanto tinha a cabeça de Chanyeol em minhas pernas, naquele momento novamente comecei a chorar e Chanyeol vendo isso me abraçou com força.

– Eu não vou me separar de você meu pequeno, e sabe por que? – ele segurou meu rosto em suas mãos e me obrigou a encara-lo – Porque eu te amo demais pra isso – ele deu um daqueles seus sorrisos enquanto eu apenas o encarava e sem pensar muito o abracei novamente.

– Eu também te amo – segredei baixinho em seu ouvido, aquela foi uma noite maravilhosa, acabamos fazendo amor no meio da noite fria há beira do lago, peguei uma gripe por essa imprudência o que resultou em um Chanyeol tendo que cuidar de mim.

– Sempre quis morar em Busan, é um lugar lindo, eu e você vamos morar lá, conheço o governante de lá e ele me contou que as famílias adoram nos finais de semana pegar seus filhotes e ir com eles para as montanhas ensina-los a domar sua parte lobo, nós vamos criar nossos filhotes lá – Chanyeol disse certo dia em que falávamos sobre eu querer fazer faculdade em Busan.

– Filhotes? – perguntei levantando a cabeça para encara-lo.

– Sim, quero no mínimo três deles, e iremos criar todos juntos, meu pai separou eu e meu irmão quando éramos novos, então quero criar todos juntos, seremos uma família unida e feliz – ele terminou me dando um daqueles seus sorrisos enormes me fazendo sorrir também – Eu amo seu sorriso, ele tem o formato de um retângulo, é tão bonitinho – disse me fazendo corar – Oh meu pequeno esta corado, como é lindo esse meu menininho – eu mais corado ainda o abracei e escondi meu rosto em seu pescoço.

O que me deixava mais feliz era saber que ele gostava de mim ao ponto de fazer planos para nosso futuro.

Mas tudo começou a desmoronar quando estava para completar o ensino médio, estávamos no quarto de Chanyeol, seus pais haviam ido em uma viagem e tínhamos a casa só para nós, então estávamos deitados no chão do quarto de Chanyeol, na verdade ele no chão e eu em seu peito enquanto acariciava o mesmo, foi quando Chanyeol me jogou a bomba.

– Eu vou me casar – disse fazendo com que eu parasse com as caricias que fazia em seu peito.

– Como é?

– Meu pai fez um acordo com o líder da China, fazia um bom tempo que ele queria fazer uma união entre os dois países, ele só tem uma filha e é uma ômega então vou ter que me casar com Song Qian, a filha dele – na hora eu me levantei.

– E você só me diz isso agora? – perguntei de olhos arregalados.

– Meu pai só me contou na semana passada Baek, a culpa não foi minha – disse se levantando também.

– E você simplesmente aceitou?

– Não tinha o que eu pudesse fazer Baekhyun.

– Não tinha Chanyeol? Como não tinha? Bastava ter recusado, você nunca quis comandar esse país, e você tem um irmão que poderia fazer isso por você.

A discussão durou um bom tempo, Chanyeol tentando me fazer entender que não podia ir contra as ordens de seu pai e eu dizendo que ele não era obrigado a fazer tudo que o pai dele mandava.

– Você está sendo egoísta Baekhyun, estamos falando sobre um acordo entre países – ele falou um pouco alto demais.

– Quer dizer que a merda de um acordo é mais importante que eu? O acordo é mais importante que nosso amor – elevei demais meu tom de voz, na verdade berrei com o ele, o que o deixou bem irritado.

– Não grite comigo – berrou com sua voz de alfa e me jogou contra a parede, suas garras perfuraram meu pescoço e seus olhos amarelos brilhavam enquanto me encaravam.

– Pelo jeito é sim, nem eu e nem nosso amor é importante o suficiente para você ir contra seu pai – falei já com os olhos cheios de lágrimas, Chanyeol havia prometido nunca me machucar, mas estava fazendo exatamente isso, e eu não digo fisicamente.

– Baek, oh meu Deus Baek me perdoe – ele pareceu acordar do seu transe me soltando, lhe lancei um último olhar magoado enquanto virava de costas para sair, mas ele me segurou e me virou de frente para si me abraçando, mas eu recusei o empurrando pelo peito.

– Não Chanyeol, você tem razão, esse acordo é mais importante – tentei me virar novamente mas Chanyeol não deixou, ele apenas encostou sua testa na minha.

– Me perdoe Baekhyun, por favor me perdoe, droga eu te amo tanto que chega a doer – percebi que assim como eu ele chorava.

Me aproximei de si e lhe dei um beijo, seus beijos que eu sempre amei naquele dia me fez tão mal, era um beijo de despedida e eu sabia daquilo

– Não vá, por favor – ele disse quando me separei dele.

– Eu espero que você seja feliz – sussurrei juntando nossos lábios de novo – Eu te amo Chanyeol.

Me afastei de Chanyeol e o encarei ele que de olhos fechados deixava as lágrimas escorrerem por seu rosto, fui em direção a porta pronto para sair mas dei uma última olhada para trás encarando Chanyeol que dessa vez me encarava de volta, dei um último sorriso para ele e sai do quarto sabendo que aquela seria a última vez que eu o veria.

Quando saiu por todos os lugares a notícia do casamento de Park Chanyeol e Song Qian eu chorei por quase um dia inteiro, a garota era tudo que eu não era, rica, extremamente bonita, de boa família, e ainda poderia dar mais poder ainda a Chanyeol, já que ele não comandaria apenas a Coreia mas a China também, meu tio Tao teve que passar a tarde comigo me consolando e me ouvindo dizer o quando Chanyeol era idiota e o quanto eu o amava.

Mas eu não deixei aquilo me abalar, precisava seguir em frente, terminei o ensino médio e consegui passar na faculdade de história em Busan, meus tios me apoiaram e me ajudaram a encontrar um apartamento pequeno na cidade, ele iriam me ajudar nos primeiros dois meses até que eu arrumasse um emprego.

Mas no primeiro dia de faculdade meus planos já mudaram, conheci Kyungsoo e Sehun, Kyungsoo um ômega lupus que já estava no segundo ano de psicologia, o conheci pois me perdi pela faculdade e foi ele quem me ajudou a encontrar minha sala, Sehun um alfa lupus que estava iniciando seu curso de medicina, ele eu conheci na hora do intervalo quando Kyungsoo estava me mostrando a universidade, ele veio pedir informação pois também estava perdido.

Desde esse dia viramos inseparáveis, ao ponto de alugarmos um apartamento para nos três morarmos juntos e trabalhar no mesmo lugar.

Kyungsoo e Sehun faziam com que eu me sentisse bem, eles foram dois pilares importantes em minha vida quando o que eu mais queria era me jogar de uma ponte, e cada vez que sentia que iria cair eles me puxavam de volta, era bom ter eles ao meu lado, e eu esperava que eles ficassem do meu lado pelo resto da minha vida, não iria suportar perder mais ninguém.

13 de Julio de 2018 a las 02:39 0 Reporte Insertar 3
Leer el siguiente capítulo Capitulo 2

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~

¿Estás disfrutando la lectura?

¡Hey! Todavía hay 3 otros capítulos en esta historia.
Para seguir leyendo, por favor regístrate o inicia sesión. ¡Gratis!

Ingresa con Facebook Ingresa con Twitter

o usa la forma tradicional de iniciar sesión