Loucuras de uma cabeça enamorada Seguir historia

C
Connie Torres


Desvaneios desperdiçados em loucuras de amor na imaginção de um ser polisexual


Cuento Sólo para mayores de 18.

#loucuras #inlove
Cuento corto
0
4.7mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Confúcio já dizia....

Confusão, sentimento ambíguo e linear e constante em minha vida. Eu penso em como seria sucumbir ao meu desejo de me entregar a ti completamente em todas as sintaxes e metáforas que a vida permitir. Mas a realidade não permite. Crueldade e mágoas. 

Uma mensagem que mal faria a uma pessoa normal, mas não somos normais. Enfrentamos a vida ou melhor esse momentum que a vida nos proporciona de forma tão intensa e reprimida que continuamente cessa minha vontade de batalhar por ti e da mesma forma e volume que me invadem esses pensamentos pecaminosos também me trazem paz. Paz livre para te amar além de todas as barreiras. 

Meu desejo mais completo de te ter e não poder e ao mesmo tempo não entender essa voracidade de pensamentos e sentimentos também me questiono acerca da veracidade de meu próprio ser. 

Eu luto para me permitir entregar a uma forma humana que antes não visualizava como possível e entrando em todos os complexos da lesbianeidade e do espectro cinza que a sexualidade realmente é, poderei eu me permitir amar um ser do sexo oposto e me entregar tal qual a forma quanto desejo em meus pensamentos? 

Confusão novamente, pois além de toda batalha interna de descobrimento meu jaz uma barreira maior que a força física que nos une, a impossição social monogamista de atar laços permanentemente com uma dita alma gêmea incontundente. 

Honestamente não sei onde este despejo de tentação irá terminar pois me questiono toda vez ao dissertar neste espaço incongruênte e anônimo virtual o motivo que me impede de o fazer para ti. Mas não pode pois este romance especial somente pode viver em nossas memórias. E assim cada vez me firo mais por não ser capaz de viver livremente esta descoberta particular que faz cada célula de meu organismo duvidar de quem realmente sou.

E ao mesmo tempo que esta angústia de viver no sigilo e separado me consome, minha mente louca também traça o famoso final feliz onde plenamente poderemos percorrer essa jornada de busca e compreensão e libertação sexual que a sociedade oprime e define nos quadrados do check - list, definindo uma raça por questões biológicas entendidas como corretas e que te submete a se definir por algo que você não verdadeira mente o é. 

E nessa loucura de despejar sentimentos e luxúrias que enfrento agora me perco profundamente questionando minha mera existência e revirando sentimentos já esgotados.

11 de Julio de 2018 a las 01:46 0 Reporte Insertar 0
Fin

Conoce al autor

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~

Historias relacionadas