Cooking and Loving Seguir historia

txemin mandy

Park Jimin — um estudante de design esforçado, modesto e com amigos de ouro — se verá enfeitiçado pelo filho mais novo de um chefe famoso, assim que ele e sua família chegarem na cidade.


Fanfiction Bandas/Cantantes Sólo para mayores de 18.

#preconceito #faculdade #jungkookchefe #fluffy #romance #lgbt #namjin #vhope #taehyung #seokjin #jin #namjoon #hoseok #yoongi #jungkook #jeongguk #jimin #jikook #kookmin #bts
11
4995 VISITAS
En progreso - Nuevo capítulo Todos los sábados
tiempo de lectura
AA Compartir

Apresentações

Às vezes tenho que me lembrar de que estou concluindo o penúltimo ano de faculdade, porque, sinceramente, vida de universitário é exaustiva! Tudo bem, estou fazendo um curso pelo qual sou apaixonado — design —, mas ainda assim, provas longas e trabalhos maçantes, para os quais preciso estudar e fazer, no mínimo, duas visitas semanais à biblioteca da faculdade — carregando livros cada vez mais grossos — estão me deixando bastante exausto e sem tempo! Enganam-se os adolescentes recém-formados no ensino médio, que acreditam que ser um universitário significa sair quase todo fim de semana para ir a algum pub encher a cara ou a um karaokê pagar mico com os amigos. Coitados.

Eu, por exemplo, estou em casa, em pleno sábado, com a cara enterrada em livros para conseguir concluir com exímio — estudo na Universidade Nacional de Seul, ou seja, é particular e consegui entrar graças a uma bolsa, logo, minhas notas devem ser sempre exemplares — o último trabalho do ano! E por mais que eu realmente tenha notas excelentes desde que comecei a estudar, esse trabalho é decisivo e o professor que o corrigirá é severo.

Talvez eu me cobre demais, meus dois melhores amigos — que moram comigo — vivem dizendo isso, mas entenda: entrar numa faculdade renomada já é difícil e conseguir passagem para cursá-la através de uma bolsa, é praticamente impossível! E gente como eu, que não possui pais ricos ou até mesmo famosos, precisam estar entre os melhores alunos do curso, caso o contrário, pisam em você sem dó. E não digo isso apenas de um modo figurativo. Vivo cercado de gente que possui incontáveis zeros na conta e andam por aí com suas roupas caras de marca, sem contar que boa parte mora no bairro ao lado — onde parece haver uma competição de quem tem a moradia mais luxuosa.

Meus melhores amigos são assim. Todavia, ao contrário da maioria, são pessoas do bem, que ao invés de se gabarem por seus progenitores possuírem contas gordas, querem construir seu próprio futuro com seus próprios méritos.

Kim Taehyung é filho de cirurgiões plásticos e Min Yoongi, de um CEO de uma empresa musical conhecida. Meus pais são donos de uma cafeteria bem simples e lembro bem que há quase cinco anos, quando era apenas um calouro e ainda morava na nossa casa modesta, ia todos os dias de transporte coletivo à aula. Meu irmão mais velho já era um pouco mais independente e dividia apartamento e, infelizmente, o gasto diário com transporte pesava demais no bolso de meus pais. Quando Taehyung e Yoongi-hyung me conheceram e souberam da minha situação, propuseram que eu fosse morar com eles num apartamento próximo, insistindo que eu economizaria pelo menos metade dos custos se ajudasse com os afazeres domésticos. No começo, relutei com a proposta, mas eles insistiram dizendo que queriam me ajudar, visto que suas mesadas eram altas o suficiente para sustentarem, no mínimo, uma família inteira. Por sorte, nos demos muito bem e desde então somos inseparáveis, como irmãos postiços, mesmo que façamos cursos distintos e não tenhamos muito contato no campus.

Quanto ao lugar onde moro, realmente, não tenho o que reclamar. É duas vezes maior que minha antiga casa, todo mobiliado e decorado com um pouco da personalidade de cada um dos três. Meu lugar favorito, sem dúvida alguma, é a sala. Antes de eu me mudar, já havia uma estante repleta dos mais variados livros que nunca tinha sequer ouvido falar. Confesso que me senti bem acanhado nos primeiros meses, era tudo tão diferente, tão caro! Senti-me um intruso no meio de tudo aquilo e quis recusar a “oferta” mais de uma vez.

“— Nem pense em fazer o que sabemos que está pensando! Será um prazer poder te ajudar e se isso o faz se sentir melhor, quando se formar e arranjar um emprego estável, cobraremos de você com juros! — Yoongi-hyung disse entre risos.”

Pergunto-me até hoje o que fiz para merecer esse tipo de ajuda. Quem sabe esse seja um dos motivos de eu me cobrar tanto. Preciso fazer por merecer e dar orgulho aos meus pais, assim como meu irmão, já formado, também deu.

— Se você chegar ainda mais perto do livro, logo estará dentro dele, hyung! — Pulei de susto em minha cama ao escutar a voz de Taehyung vindo da porta, o mesmo estava sorrindo para mim com uma xícara grande e cheia do que parecia ser café, pelo cheiro.

— Não faça isso com meu pobre coração! — Riu baixinho e andou até mim, oferecendo a xícara. — Obrigado.

— Vai acabar isso ainda hoje? — Beberiquei o líquido quente, sentindo-me um pouco melhor, já que estava há um bom tempo sem comer.

— Injusto vocês terem tido uma prova final ao invés de um trabalho. — Resmunguei enquanto bebia mais um pouquinho do café. Na verdade, a prova era tão terrível ou senão pior que um trabalho! — Estou no final, graças a Deus! — Escutei-o rir e, ainda com os olhos vidrados no livro a minha frente, senti a cama afundar um pouco ao meu lado.

— Ainda bem! O hyung fez muita pipoca doce para assistirmos ao programa que passa daqui a meia hora e a um filme que irá passar depois e você sabe, as pipocas que o hyung faz são uma delícia e acabam rápido! — Tive que rir, era verdade.

Ah, o programa... Uma ex-atriz americana era a apresentadora principal e sei que deve estar se perguntando: por que então tanta gente assiste na Coreia do Sul? Pois bem, quando a apresentadora — agora senhora Jeon — decidiu dar uma pausa em sua carreira e viajar pela Ásia, acabou conhecendo e se apaixonando por um chefe sul-coreano famoso, que após três anos juntos, casados e com um filho, retornaram aos Estados Unidos e lá o programa se iniciou. Tiveram um segundo bebê, esse, ao contrário do outro, vivia com sua mãe nas telas e assim foi crescendo no meio artístico. Ao ficar mais velho, interessou-se por culinária como seu pai e ao iniciar o curso, ganhou um quadro no programa onde tinha que cozinhar para os ilustres convidados. E o melhor, as comidas que ele preparava eram todas orientais! Porém, o programa só viralizou por conta de artistas famosos daqui começarem a irem lá e quando eles iam, só conversavam na nossa língua — acredito que para os americanos havia a legenda para que entendessem, assim como havia aqui para nós quando falavam em inglês. E ninguém do nosso trio gostava de perder de assisti-lo, acho que, pensando melhor, quase ninguém que conheço não o assistia, porque além de tudo, era muito divertido.

— Pode ir lá, só falta eu arrumar os três últimos parágrafos, grita se começar e eu não estiver terminado! — Sua mão bagunçou meu cabelo e logo senti a cama se movimentar novamente e pude escutar seus passos se afastando.

Terminei de tomar o restante do café, estalei os dedos e, como se a bebida tivesse me dado energia extra, consegui finalizar todo o meu trabalho em pouco menos de vinte minutos. Finalmente! Estive trabalhando nele desde o começo da semana.

Apenas ajeitei a bagunça de livros e papéis espalhados pela cama e segui quase correndo até a sala, encontrando meu hyung e Taehyung sentados no tapete com um balde cheio de pipoca no colo do mais velho.

— Cheguei a tempo? — Ajeitei-me entre eles, que estavam vidrados encarando a televisão.

— No laço, bem na hora que ia gritar te chamando! — Taehyung quem me respondeu, a abertura do programa já estava rodando.

— Já pensou ter a vida desse cara? Poder morar no ocidente e ainda viajar por todos aqueles países. — O Min comentou sonhador assim que finalizou a abertura tão famosa, com dois talheres de madeira cruzados e o nome Jeon em vermelho, para então dar lugar ao estúdio bem iluminado e às duas pessoas que o apresentam.

— Nem de perto! Sabe que amo essa vida de estudos e trabalho árduo! Quem pensa em viajar?! — Respondi irônico, escutando-os rir.

“— Sejam bem-vindos a mais um programa da família Jeon.” —A senhora começou, com seu filho mais novo ao seu lado.

— Começaram falando em coreano, qual será o artista da vez? — Questionei retoricamente o que todos nós estávamos pensando.

“— Hoje, o programa será diferente e breve! Temos um anúncio a fazer, não é mesmo, querido?”

Todos nós trocamos olhares curiosos, primeira vez que algo assim acontecia.

— Será que irão anunciar que o bonitão ali está namorando? — Yoongi-hyung franziu o cenho, porque parecia ser algo bem improvável.

“— Sim, mãe. Sabemos que talvez, muitos não nos entenderão, mas o programa chegou ao fim. Todos entramos num consenso e decidimos retornar ao país de origem de meu pai e meu irmão, onde reabriremos seu restaurante. Queremos levar uma vida mais sossegada, longe de holofotes diários e eu, particularmente, pretendo seguir minha carreira de chefe, apenas.”

— Não acredito! — O Kim ao meu lado foi o primeiro a anunciar. Estávamos todos chocados. Como não teríamos mais nosso programa favorito?

“— Esperamos que nos entendam, e para aqueles que quiserem conhecer o novo restaurante, iremos postar mais informações nas nossas redes sociais futuramente. Até breve.” — A senhora Jeon retomou a palavra e ambos se curvaram em sinal de respeito antes do programa acabar e terem início às propagandas.

Acredito que o silêncio entre nós durou uns bons minutos, cada um processando o que acabávamos de ouvir.

— O quê? — Fitei meus amigos. Taehyung estava com os olhos arregalados e o Min piscou um par de vezes antes de se dirigir a mim.

— Acho que entendo a decisão deles.




~ Após um mês ~


“É um enorme prazer vir aqui anunciar que o Restaurante Jeon estará com as portas abertas neste fim de semana! Agendem seus horários no link abaixo com o site do restaurante, onde, além do menu, possui telefone e endereço. Esperamos por vocês!”

Terminei de ler o post da conta de Jeon Jeongguk no Twitter, para os meus amigos. Tínhamos acabado de chegar do mercado, as férias chegaram para todos — consegui concluir o penúltimo ano com nota máxima no meu trabalho —, mas desta vez, optamos por relaxar em casa ao invés de viajarmos.

— Bem, se abre este fim de semana e ainda não sabíamos o que faríamos no meu aniversário, que tal reservarmos uma mesa para três? — Yoongi-hyung, que estava terminando de guardar as compras no armário enquanto eu e Taehyung arrumávamos a geladeira, propôs.

— Tá aí uma excelente ideia! O que acha, Jimin-hyung? — Ambos pararam o que estavam fazendo e me encararam.

Seria muito legal, mas e o valor? Não tenho muito dinheiro para gastar com refeições caras. E por esse motivo, antes de respondê-los, abri a página, pelo celular, com o link do restaurante para dar uma olhada nos valores.

Eles colocam ouro na comida?

Escutei a risada do dois ao meu lado, percebendo que acabei falando isso em voz alta.

— Deixa eu ver isso aqui. — O Kim pegou o celular de minhas mãos e percebi que mordeu os lábios, conforme via os preços. — É salgado. — Meneou e passou o telefone para Yoongi, que olhou rapidamente antes de revirar os olhos.

— É meu aniversário, então nem se preocupem! Vamos por minha conta num local bacana e Jimin, já vou avisando, se recusar, juro que te deixo careca durante a noite! — Ri negando e dei de ombros.

— Só porque é seu aniversário!

— Acho bom.

— Não precisa pagar o meu, hyung. — Taehyung falou sério.

— Se for assim, não precisa me dar presente. — O Kim aceitou e virou-se para mim.

— Amanhã irei com você para Myeongdong te ajudar a comprar o presente do hyung, pode ser?

— Eu estou aqui! — Yoongi disse indignado, tive que rir dos dois.

— Shh, ainda é surpresa porque não sabe o que iremos comprar. — O Kim fez um aceno com a mão e Yoongi apenas deu de ombros, voltando a guardar os alimentos. — E então?

— E então o que?

— Jimin-hyung! Você não me respondeu se podemos ir amanhã comprar o presente!

— Ah, sim, vamos. Faremos nada amanhã de qualquer forma.

— Ótimo, e será que o hyung deixa eu levar o Hoseok-ah? — Perguntou tímido. Ele estava falando do meu irmão, os dois namoram há um bom tempo. E assim como era delicado o assunto sobre dinheiro comigo, não era muito diferente para o outro Park. Acho que Taehyung estava pensando o mesmo que eu, pois logo tratou de negar e falar — Bem, é só para o nosso trio, né? Então deixa.

— Não custa perguntar. Duvido muito que o hyung vá recusar, eles são amigos. O problema é se o Hobi vai aceitar que alguém pague por ele. — Nos encaramos e ambos sabíamos que eu tinha razão. Meu irmão conseguia ser mais orgulhoso do que eu.

— Então é melhor só nós três irmos no sábado e no domingo preparamos um bolo, podemos chamar outras pessoas. — Ele se encostou na bancada da cozinha, assim que terminamos de guardar as compras na geladeira.

— Sobre o que os dois estão falando sem minha amada presença? — Yoongi retornou para perto de nós.

— Estávamos falando sobre o Hoseok ir sábado com a gente.

— Seria legal também, mas ele viria? — Franziu o cenho, é, até o hyung sabia que meu irmão batia mais o pé sobre essas coisas.

— Por isso estávamos pensando em fazer um bolo domingo e chamar mais alguns amigos. — Taehyung retornou a falar. — O que seria divertido, já que faz tempo que não reunimos o pessoal.

— Se for bolo de chocolate com morango e estiver escrito “O Yoongi é demais”, não precisam mais tentar me convencer. — Yoongi descontraiu, nos fazendo rir. — Cadê meu celular? Preciso fazer a reserva e o pedido do que vamos comer.




~ A noite do jantar ~


Se eu estava nervoso? O mais velho de nós, depois de quarenta minutos para chegar até aqui, tinha acabado de estacionar seu carro e eu já estava tremendo e olha que eu não era o pior do trio. Yoongi ajeitava os cabelos a cada minuto e Taehyung passava as mãos suadas de nervosismo na calça, conforme nos aproximávamos da entrada do local. Estava cheio de gente! Desde quem tinha feito as reservas, até fotógrafos e jornalistas curiosos encrustados na entrada. Segurei ainda mais firme a sacolinha com o presente do hyung dentro, e só o entregaria depois de jantarmos.

O novo restaurante se localizava no bairro Cheongdam. Extremamente luxuoso e badalado por famosos. A cada esquina, uma loja de marca famosa nacional ou internacional. Sem contar as cafeterias de requinte e as galerias de luxo. Somente quem tinha muito dinheiro circulava por ali.

A fachada do restaurante era toda de madeira, com o símbolo, que antes tinha no programa, incrustado bem na frente. Dois seguranças, que mais pareciam dois armários, guardavam a porta de entrada, toda de vidro. Não dava para ver de fora como era dentro, pois o vidro era espelhado.

Fiquei espantado com a quantidade de rostos de gente importante que reconheci, sendo de apresentadores, comediantes e os famosos idols. Lembrei-me de quando entrei pela primeira vez no apartamento dos meus melhores amigos, senti-me um peixinho fora d’água, mesmo que estivesse bem vestido por causa das roupas emprestadas de Yoongi e estivesse com meu melhor calçado.

Estava usando minha camisa branca, um blazer preto e um jeans claro, ambos de Yoongi, com meu sapato social preto. O mais velho vestia um jeans um pouco mais escuro e rasgado nos joelhos, sapatos também, blusa preta e um blazer xadrez em tons de vermelho e azul. Taehyung optou por um par de sapato azul escuro, calça social preta e uma camisa social branca com riscos cinzas. Todos formais para a abertura.

— Estou nervoso. — Taehyung sussurrou para que só nós escutássemos, antes do Min entregar nossos documentos aos seguranças e conferir os nomes na lista. — E faminto.

O ambiente por dentro era ainda mais deslumbrante. Decorações em cores vivas e quentes, como carmesim, dourado e bege estavam por toda parte, sendo nos tecidos refinados das mesas ou nas cadeiras. Assim que entramos, uma moça de feições estrangeiras nos acompanhou — através de um tapete vermelho que dividia o local em dois — até nossa mesa, que ficava próxima a uma mesa de sinuca. E não uma mesa de sinuca qualquer! Era toda preta com detalhes florais de madeira por toda a borda.

— Uau. — Foi o que consegui dizer quando sentamos. As cadeiras tinham um estofado tão confortável, os lustres — que muito lembravam aqueles que se vê em castelos nos filmes — estavam por toda parte. E pelo o que pude observar, em todas as mesas o burburinho corria solto.

— Está cheio de gente aqui! — Até o hyung olhava tudo maravilhado.

— Yoon-hyung, aquele ali não é um grupo da empresa do seu pai? — Mesmo depois de anos convivendo juntos, às vezes me esquecia de quem o pai do Min era. E, incrivelmente, um grupo masculino sentava perto de onde estávamos, e também pareciam estarrecidos. Yoongi os olhou rapidamente antes de responder.

— É sim, só espero que não me reconheçam, justo no dia do meu aniversário.

Até faria um comentário sobre isso se um silêncio não tivesse ocorrido. Todos viraram as cabeças para a entrada, onde as portas estavam devidamente fechadas e quatro pessoas vestidas, impecavelmente, caminhavam pelo tapete. O senhor e senhora Jeon vinham na frente, com ele vestindo terno e gravata e sua esposa com um vestido longo em um vermelho escuro. Seus dois filhos vinham logo atrás, também usando roupas semelhantes às do pai. Incrível como ambos herdaram boa parte da genética do senhor Jeon, apenas o mais novo herdara os olhos grandes da mãe enquanto o mais velho, os lábios grossos da mulher. E mais incrível ainda era como os dois eram extremamente bonitos.

— É muita beleza para dois irmãos. — O Min falou em meu ouvido, já que estava sentado mais perto de mim.

Eles andaram, cumprimentando seus funcionários, até chegarem num balcão com o escrito “caixa” — que atrás havia uma porta onde deve levar à cozinha — ficando de frente para todo mundo.

— Boa noite a todos, sejam muito bem-vindos! Sei que devem estar com fome então não enrolarei. — Risos ecoaram com a fala da senhora Jeon. — Hoje é uma data muito especial, depois de anos retornamos para este país incrível. Espero que desfrutem das especialidades que temos a oferecer e que foram escolhidas a dedo pelo meu marido e meu filho mais novo. Meu filho mais velho ficará responsável pelo pagamento aqui neste balcão, enquanto Jeongguk fará a gentileza de ir de mesa em mesa, assim como eu e meu marido, cumprimentando todos vocês. Os garçons estarão sempre ao seu dispor caso precisem. Tenham uma excelente noite! — Uma salva de palmas foi dada e ao invés de acompanhá-las, virei-me rapidamente para meus amigos que estavam petrificados.

— Vamos conhecê-los? — Perguntei já nervoso, atraindo a atenção dos dois, mal notando os garçons trazerem taças com algum tipo de líquido claro dentro.

— Segura o fôlego, Park, porque o filho mais novo está vindo aqui primeiro. — Mal deu tempo de eu formular uma resposta para o Kim, pois uma voz rouca se fez presente bem atrás de mim.

— Boa noite, senhores, me chamo Jeon Jeongguk.

1 de Julio de 2018 a las 18:52 0 Reporte Insertar 0
Leer el siguiente capítulo O Restaurante

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~

¿Estás disfrutando la lectura?

¡Hey! Todavía hay 2 otros capítulos en esta historia.
Para seguir leyendo, por favor regístrate o inicia sesión. ¡Gratis!

Ingresa con Facebook Ingresa con Twitter

o usa la forma tradicional de iniciar sesión