jssuparmy Amanda Sheila Machanguana

Ser solteiro era a melhor coisa que Kim Seokjin sabia fazer na vida. Depois de ter sido abandonado do altar a poucos minutos do seu casamento, se relacionar e se apaixonar por outra pessoa deixou de fazer parte da sua lista de desejos, sendo substituído somente pela vontade de se divertir o máximo que pudesse e manter seus pais o mais distantes possíveis da sua vida. Entretanto, um reencontro inesperado com alguém que não via há anos pode ser o ponto de partida para uma mudança não planeada no estilo de vida de Seokjin ou a confirmação que o mesmo precisava para saber que não era fadado a relacionamentos.


Fanfiction Bandas/Cantantes No para niños menores de 13.

#namjin #btsindependent
4
5.1mil VISITAS
En progreso - Nuevo capítulo Cada 30 días
tiempo de lectura
AA Compartir

Prólogo

Seul, 13 de Outubro de 2007


12:15 da tarde


Mansão dos Kim


"Eu sei que provavelmente irás odiar-me mais do que já o fazes agora mas não podia deixar que esta loucura fosse avante. Tu não queres, eu não quero, então porquê estragarmos as nossas vidas com algo que fará os outros, e não nós, felizes?

Sei muito bem que sabes que esta é a decisão mais lógica a se tomar neste momento.

O meu único arrependimento é ter tomado esta decisão em cima da hora e não antes, para evitar o constrangimento pelo qual estás a passar agora. Realmente, sinto muito por isso.

Enfim, espero que o rancor que guardarás de mim não estrague qualquer possibilidade de nos encontrarmos no futuro e voltarmos a ser amigos. Amo-te e espero, do fundo do meu coração, que encontres a felicidade como eu encontrei.

Fique bem

Jeon Sana"


Kim Seokjin olhou para o bilhete que tinha em mãos mais uma vez antes de deixá-lo na mesinha de cabeceira e deitar-se na cama. Estava extremamente cansado e esgotado, tanto física quanto emocionalmente, e a única que queria fazer naquele momento era fechar os olhos e dormir, mas a movimentação que estava a acontecer no andar de baixo da sua casa naquele momento não permitia.


Podia escutar sua mãe ladrar ordens e seu pai tentar acalmá-la, o que fez com que soltasse um suspiro. Sabia muito bem que tinha que estar com sua mãe, a resolver tudo, mas não estava em condições de pensar em mais nada que não fosse enfiar-se na cama e só sair dela depois de anos.


Afinal de contas, acabava de ser abandonado no altar.


Soltou uma risada amarga quando se lembrou do momento em que havia recebido a notícia de que sua "esposa-em-breve" estava desaparecida, junto com todas suas roupas e a única coisa que ela havia deixado para trás era um bilhete que, pela letra, havia sido escrito às pressas.


Estava no altar, com seu amigo e padrinho, Min Yoongi, do seu lado, a espera da sua noiva aparecer na porta da igreja. Tinha plena consciência de que fazia parte da tradição as noivas atrasarem-se um pouco mas tinha consciência também que dit atraso não se referia a um atraso de mais de uma hora. Escutou alguns cochichos e viu algumas pessoas comentarem a demora da noiva mas sua mente estava mais preocupada em tentar perceber o porquê daquela demora absurda; algo que aconteceu quando o motorista da família da sua noiva foi até si e entregou-o o bilhete.


Foi aí que a confusão toda começou.


Depois de ter lido o bilhete pela primeira vez, amassou-o e meteu-o no bolso antes de sair apressado da igreja, ignorando os chamados confusos do seu amigo. Não podia dizer que estava necessariamente triste por causa daquilo mas também não estava muito feliz porque teria que aguentar sua mãe encher sua paciência, com o seu discurso de que aquela situação havia arruinado a reputação da família, porque era somente com aquilo que ela se importava, a reputação da família e não com a felicidade do seu filho.


Aquele casamento, tal como acontecia em famílias que ainda seguiam a tradição, havia sido arranjado, como uma forma de aumentar os recursos capitais das duas famílias e torná-las mais fortes na indústria. Tanto ele como Sana não tinham nenhuma vontade de contrariar seus pais, por isso alinharam na ideia, até porque aquela era a única forma de não terem um monte de pessoas em cima deles.


Entre eles não havia nenhum sentimento a não ser o de amizade, o que facilitou muito a convivência entre eles, mas não passava disso. Eles mal se tocavam, a não ser alguns beijinhos na bochecha, andar de mãos dadas, somente na frente das pessoas para manter as aparências. Mas cada um deles tinha sua vida, ela com os seus casos e ele com os seus.


Era um acordo que agradava os dois e os mantinha felizes. Desde que nada fosse descoberto, cada um podia ficar com quem quisesse.


Seokjin era o "solteirão" da cidade, que todas as mulheres, e alguns homens, mantinham o olhar em cima, a espera de um oportunidade de ter, pelo menos, uma noite com ele. Como não tinha problema nenhum em ser desejado por tantas pessoas, por quaisquer motivos que fossem, se aproveitava muito daquele factor para ficar com quem agarrasse o seu interesse por mais de 5 minutos e três bebidas. Quando anunciou seu noivado publicamente, por insistência da sua mãe, algumas pessoas recuaram das suas investidas mas, as mais corajosas continuaram em frente, o que deixou-o muito feliz. Não gostava muito da ideia de perder a sua onda de interessados mas pelo menos ficaria com os mais leais a si...ou os mais viciados em adrenalina e perigo da exposição, tal como ele.


Felizmente para si, e infelizmente para os seus pais, agora que havia sido abandonado no altar (uma situação infeliz), suas conquistas poderiam sentir vontade "consolar" o seu coração partido, não que houvesse um, claro. Seria errado se aproveitar daquilo para ter sexo com as pessoas.


Um alto estrondo tirou-o dos seus pensamentos, e Seokjin olhou para a porta, onde sua mãe estava parada, com uma expressão nada feliz no rosto e suas bochechas super rosadas.


- O que estás a fazer aqui?! Devias estar lá embaixo, a ajudar-me a arranjar essa confusão que a Jeon deixou para trás.


Com a testa franzida, Seokjin sentou-se na cama.


- Eu fui abandonado no altar. Não acho que exista algo mais sensato a se fazer em situações como essas a não ser ficar enfiado no quarto para dar a impressão de que estou a sofrer por causa disso - uma pausa. - Afinal de contas, as aparências é que importam, não é mesmo?


Sua mãe soltou um suspiro antes de abanar a cabeça.


- Não me provoque, Kim Seokjin, que neste momento não estou com cabeça para aguentar as tuas ironias.


- Não foi ironia, mãe. Desde que essa história maluca de casamento começou, a única coisa que pedias que se mantivesse intacta era a aparência. Eu e a Jeon tínhamos que parecer estarmos felizes um com o outro, tínhamos que parecer estar comprometidos com esse "relacionamento", tínhamos que rodar a cidade inteira com sorrisos colados nos nossos rostos. Aparências, nada mais.


- Esse casamento era uma óptima oportunidade de negócios e por causa dessa menina mimada, foi arruinada - a mãe dele passou a mão pelo cabelo, exasperada.


- Pelo menos essa "menina mimada" teve coragem de fazer algo que nem sequer eu, o que mais me opunha a essa palhaçada que era esse casamento, consegui fazer - Seokjin pegou o casaco da cadeira onde o havia deixado e vestiu-o, antes de pegar seu celular e metê-lo em um dos bolsos das calças. - Agora, se me dá licença, vou sair.


Sua mãe franziu a testa.


- Sair para onde?! Vais mesmo deixar-me aqui sozinha?


Seokjin riu do drama que sua mãe estava a fazer. Era realmente engraçado ver aquilo.


- Vou ao meu bar favorito, encher a cara e, quem sabe, ter sexo com uma pessoa... - levantou as sobrancelhas sugestivamente -...ou duas. E não estou a deixar-te sozinha, tens o pai para aturar o teu humor.


Seokjin estava a sair do quarto quando foi parado pela mão da sua mãe no seu pulso.


- Tu não podes voltar ao teu estilo de vida horas depois da Jeon ter-se ido embora. É simplesmente imoral.


- Para a tua informação, querida mãe, mesmo quando "estava" com a Jeon, cada um de nós dormia com quem quisesse, quando quisesse, como quisesse e onde quisesse. A única diferença é que voltarei a fazê-lo publicamente - tirou delicadamente a mão da sua mãe do seu pulso. - Não me espere acordada.


Ignorando os protestos da sua mãe, pegou as chaves do carro e saiu de casa. Sorriu enquanto começava a imaginar com quem iria dormir na sua primeira noite como um solteiro publicamente, já eliminando e selecionado os candidatos.

Era realmente bom ser solteiro.

30 de Junio de 2018 a las 21:09 3 Reporte Insertar Seguir historia
1
Continuará… Nuevo capítulo Cada 30 días.

Conoce al autor

Amanda Sheila Machanguana Escrevo porque meu cérebro acumula muitas ideias e preciso libertá-las em algum lado. E porque gosto de escrever também.

Comenta algo

Publica!
Isis Isis
Oooooh temos um player aqui. Já estou seguindo pra acompanhar. Quero ver a chegada de Taehyung pra bagunçar esse Seokjin cheio de si
May 01, 2019, 04:05
Isis Isis
Oooooh temos um player aqui. Já estou seguindo pra acompanhar. Quero ver a chegada de Taehyung pra bagunçar esse Seokjin cheio de si
May 01, 2019, 04:05
Isis Isis
Oooooh temos um player aqui. Já estou seguindo pra acompanhar. Quero ver a chegada de Taehyung pra bagunçar esse Seokjin cheio de si
May 01, 2019, 04:05
~

Historias relacionadas

Más historias

Mi verdadero ser Mi verdadero ser
 IMAGINA CON JIMIN             "28 días para enamorarte"          IMAGINA CON JIMIN ...
Heartbeats Heartbeats