Cuento corto
1
4879 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Um pequeno ladrão de cãozinhos

Hoseok podia não ter uma memória impecável, — o que era perfeitamente aceitável levando em conta que recém completara seus nove aninhos de idade — no entanto lembrava perfeitamente o dia que conheceu Jeongguk, o garotinho da rua ao lado e também o maior causador de suas adoráveis expressões emburradas.

Não era como se o Jeon fosse um gênio do crime que o ameaçava com uma arma para que entregasse o seu lanche da escola, porém ainda assim era algo perigoso para a cabecinha teimosa do garoto mais velho.

Seu ranço era totalmente justificável e baseado em um único e crucial motivo: ciúmes. Não do outro como logo pensariam, mas de alguém com um espaço muito maior em seu coração mole, era essa Nuri, a cadelinha que ganhara de seus pais no natal passado e que atualmente era o alvo de todo o seu carinho e sorrisos bobos.

O garoto era extremamente apegado ao filhote e logo se tornou um tanto quanto protetor com aquela que denominara como sua melhor amiga. Sempre cuidava para que estivesse bem alimentada, a levava para passear e fazia questão de enchê-la de carinho a todo o momento.

Porém, isso não evitou a enorme traição que aconteceu bem diante de seus olhos. Um dia quando a guiava para mais um passeio, acabou por encontrar com um garotinho de madeixas negras e sorriso adorável. Mas bastou soltar a coleira por um instante, para cumprimentá-lo de volta, que sua querida Nuri disparou desgovernada na direção do outro como se esquecesse quem era o seu verdadeiro dono.

Naquele dia o Jung apenas permaneceu indignado, encarando o estranho acariciar a sua bebê como se fosse dele. Sem contar que a dita cuja nem sequer protestara para que o mais velho se acalmasse um pouco, na realidade, saltara e distribuira lambidas pelas mãos e rosto do mais novo. Uma traição sem igual, ele diria.

Desde o tal ocorrido, tentara evitar cruzar seu caminho com o Jeon, entretanto, o destino parecia estar rindo de sua cara visto o fato que sempre se encontravam de uma maneira ou de outra, fazendo com que Hoseok se visse com um bico maior que a cara quando era mais uma vez abandonado cruelmente pelo animalzinho.

Nem mesmo sua tentativa de suborno com petiscos fora capaz de afastar a atenção de Nuri de Jeongguk, o que ele tinha de tão especial no fim das contas? Ao menos o seu Mickey não o largava dessa maneira e o Jung não cogitava a ideia de trazê-lo para perto do moreno. Afinal, não se pode confiar em ladrões de cãezinhos.

Agora, enquanto o garoto mais velho caminhava mais uma vez com sua companheira como de rotina, uma expressão de desconfiança já marcava suas feições delicadas. Havia pegado um atalho diferente desta vez e esperava que fosse efetivo para que ao menos pudesse curtir o trajeto sem se irritar com certo garoto com dentinhos de coelho. Ele merecia uma folguinha, certo?

Bem, era o que pensava, mas o universo parecia discordar firmemente, pois assim que olhou para frente pode visualizar a face sorridente daquele que tanto evitava, acenando radiante em sua direção como se fossem melhores amigos e não meros conhecidos de calçada.

Ele até tinha um sorriso legalzinho e Hoseok o valorizaria se não estivesse irritado no momento.

Tamanha foi sua frustração que impulsivamente chutou o ar em revolta, porém com certeza teria se contido caso pudesse prever que seu lindo sapatinho sairia voando e cairia bem a frente de um Jeon Jeongguk agora confuso com a situação.

E para piorar ainda mais o que já estava péssimo, o seu tênis foguete pareceu ter despertado a atenção de Nuri que saiu energética na direção do moreno, acabando por desequilibrar o pobre Jung agarrado a coleira e assim trazendo-o ao chão de uma maneira cômica e deveras trágica.

O castanho massageou seu joelho dolorido pela queda com uma expressão chorosa tomando seu rostinho juvenil. Acabara de ser abandonado, humilhado e traído ao mesmo tempo, tudo por conta de um mero aceno do maldito garotinho mais novo. Tinha como ter mais ranço por ele?

Estava prestes a tomar coragem para dizer algumas verdades na cara do outro, mas foi surpreendido quando este foi mais rápido e se ajoelhou a sua frente com uma faceta preocupada, ignorando totalmente a cadelinha que pulava em suas costas.

Hoseok não soube reagir quando teve seu pé erguido e em seguida encaixado mais uma vez no tênis que perdera segundos atrás com seu jeito estabanado. Enquanto seus olhos estavam mais abertos que o comum, o Jeon aparentava calma ao mesmo tempo que amarrava seu cadarço habilmente e deixava um singelo carinho sobre seu joelho para então ajudá-lo a levantar.

O mais velho sentiu bolhas no estômago quando Jeongguk se inclinou em sua direção e ao invés de separar as mãos unidas, entrelaçou-as cuidadosamente ainda com o rosto ansioso que junto ao olhar intenso em sua direção, demonstrava toda a sua inquietude com a situação.

— Você está bem? — O moreno inclinou a cabeça para o lado e piscou com os grande olhos negros focados na figura mais velha.

— A-Acho que sim...Eu-

Mal pode terminar de gaguejar sua resposta quando sentiu patinhas pequenas se pressionarem a altura de sua canela. Quando olhou para baixo se surpreendeu ao notar uma bolinha de pelos brancos tentando chamar sua atenção com afinco.

— Parece que ela gostou de você...— O outro comenta, soltando uma pequena risada como se não sentisse qualquer sintoma de ciúmes em seu interior. — Acho que os nossos bichinhos tem um probleminha em lembrar quem é o dono!

E com essas palavras o outro deu um sorriso tão brilhante, mas tão brilhante que Hoseok pensou se era normal desejar beliscá-lo para que parasse de ser tão fofo. Oras, ele o odiava há cinco segundos atrás, como ele se atrevia?

Talvez o motivo de não sentir mais tanto ranço do outro fosse o fato de que fora extremamente gentil consigo, além de que o Jung acidentalmente também roubara o animalzinho alheio, logo agora estavam quites na mente do garotinho. No fim das contas, o coraçãozinho do mais velho sempre fora deveras mole.

Então, quando o garoto de sorriso fácil o convidou para um passeio em conjunto, pela primeira vez aceitou o convite e se viu desviando o olhar para que o pequeno sorriso de covinhas que moldava o seu rosto não fosse notado.

Os dedinhos ainda estavam unidos e o Jeon devaneava sobre como havia sido o seu dia no momento que um pensamento cruzou a mente do castanho. Talvez Jeongguk não fosse tão odioso assim, mas só talvez.

25 de Junio de 2018 a las 23:58 0 Reporte Insertar 2
Fin

Conoce al autor

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~