Twice Seguir historia

sr.-artie Sr. Artie

Em uma manhã de maio, enquanto observava Jimin dormindo ao seu lado, JungKook ponderou todos os seus erros e acertos em relação a eles. Também pensou na enorme importância que Jimin tinha para si e, no fim, concluiu que faria as coisas exatamente iguais se tivesse uma nova oportunidade. Então, sim, ele faria tudo de novo, sem pensar duas vezes.


Fanfiction Bandas/Cantantes Sólo para mayores de 18.

#lgbt #yaoi #romance #fluffy #jungkook #jimin #jikook #bts
Cuento corto
8
4874 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Capítulo Único: Twice

Notas da História:

Jimin e JungKook são pessoas reais e o enredo dessa história não passa de pura ficção. Porém, sabemos que JiKook é real, irmãos.

Capa criada pela Fellurian 

História betada pela Rebel Princess (Nyah - Liga dos Betas) 

História baseada na música Twice da Xtina

História postada no Nyah, SocialSpirit e Wattpad 

*JiKook*


Notas do Capítulo:

Bem, primeiro quero dizer que me converti ao Kpop não tem um mês e só tem umas duas semanas que estou caindo de amores pelo BTS. A questão é que JiKook me pegou de um jeito inacreditável, igualmente a SasuSaku, foi aquele casal que eu vi e amei. Depois de assistir algumas análises e ver alguns vídeos de interações deles, eu estou mais que convencido que eles são os namoradinhos de Busan. JiKook is real. 

Segunda coisa é que eu só estou caindo de amores por JiKook por causa do flood exagerado (obs.: isso não é uma reclamação) da Erica todo santo dia no Facebook. Então, Erica, estou dedicando essa fanfic a você. A experiência de escrever uma história sabendo que tem alguém completamente maluca para lê-la é revigorante e, antes de te conhecer, eu nunca tinha tido essa sensação.

Em terceiro, Monique do céu, pessoa que perdeu horas dos seus dias tentando me fazer diferenciar cada um dos membros do BTS, essa fic também é para você. Apesar de eu saber que você prefere VKook (mana, que falta de fé no amor), espero que essa JiKook te alegre.

Por último, Rebel, obrigado por beta mais uma história minha. Se prepare que vem uma long. É isto. 


Twice

By: Sr. Artie

Capítulo Único


Retornamos ontem dos EUA.

A movimentação no aeroporto, aqui na Coréia, é sempre intensa; nossas fãs são obstinadas quando o assunto é conseguir nossa atenção. Dessa vez, me certifiquei em segurar seu braço com força, mantendo você junto a mim, porque jamais vou permitir que você caia novamente. Jimin Hyung, eu vou te proteger.

Irei te manter seguro por dois motivos. O primeiro deles é que eu sou grato a você e aos outros meninos pelo apoio que deram a mim conforme eu crescia dentro do grupo, tanto pessoalmente quanto artisticamente. Comecei no grupo quando era apenas um adolescente, hoje sou um homem e, por essa razão, te agradeço. O segundo é meio óbvio: porque te amo, simples assim.

Não posso te dizer com precisão o dia que esse sentimento surgiu dentro de mim ou o momento exato em que percebi amar você, a única coisa que sou capaz de afirmar é que sempre gostei de sua companhia e de estar ao seu lado. Por essa razão, peço desculpas por todas as vezes que me esquivei de você, mesmo naquelas que eram apenas brincadeiras.

Percebi que, com o tempo, as inúmeras rejeições pareceram te afastar de mim. Provavelmente você estava ressentido comigo e, quando notei isso, fiquei aterrorizado. Jimin-sshi, eu imaginei inúmeras vezes que você nunca mais voltaria a me tratar com o mesmo carinho de antes e você não pode imaginar o medo que senti com isso.

Lembro de estarmos numa estação de rádio, cedendo uma entrevista, quando o entrevistador afirmou que você parecia gostar muito do maknae do grupo - ou seja, eu - e te perguntou o que mais gostava em mim. Olhei para você, envergonhado e cheio de expectativas, esperando sua resposta, mas, dessa vez, diferentes de todas as outras quando o assunto era eu, você hesitou para só então responder, um pouco irritado, que havia muitas coisas erradas em mim, mas ainda assim eu era fofo. Sorri de alívio ao perceber que você ainda conservava seu carinho por mim.

Ontem, saímos do aeroporto e fomos direto para um hotel, não podíamos voltar para as nossas cidades natal, o show de comeback seria em um prazo mínimo de dias. No sorteio para divisão dos quartos, eu fiquei junto com Tae e você conseguiu o quarto sozinho.

Esperei meu companheiro de quarto dormir e me esgueirei até o seu. Toquei a campainha, embora conhecesse a senha padrão que você usava em todos os hotéis, e esperei que viesse até a porta e a abrisse, ansiando te ver com o seu sorriso alegre, tão característico de seu semblante. Como se soubesse exatamente o que eu tinha idealizado, você surgiu, rompendo para fora do cômodo, enquanto me chamava pelo nome e me hipnotizava ao olhar para mim sorrindo. Sua mão tomou a minha e você me puxou apressado para dentro do quarto, me tirando do transe que entrei.

Às vezes, eu acho que sou um satélite, como a lua, orbitando em torno de um astro, o qual seria você — o sol. Jimin-sshi, você é tão precioso, talvez o sol não seja digno de ser associado a você, teu valor e importância se estendem além de algo tão banal como uma estrela. Infelizmente, as minhas palavras não vão ser capazes de mensurar sua significação para mim.

Existe tantas coisas em você que adoro. Acredito que seu charme seja a maior delas. Não me recordo se alguma vez te achei algo menos que lindo. Preciso me desculpar pelas vezes que te coloquei no fim da lista de beleza dos membros do grupo, era só a minha maneira de implicar contigo e te deixar consciente da minha presença constante ao seu lado. Sei que não é a forma mais adequada de fazer alguém prestar atenção em você, porém me dê um desconto, eu era um garoto tolo e assustado naquela época.

Assim que ouvi o baque da porta se fechando às minhas costas, seus braços se enroscam no meu corpo e seu tronco colou-se em mim.

— Achei que não iria vir — isso é tudo que você disse.

— Desculpas, Tae demorou a dormir.

— Não é como se os meninos não soubessem sobre a gente.

— Eu ainda fico constrangido, você sabe.

Minhas últimas palavras serviram de ponto final para a conversa. Suas mãos subiram e desceram sobre o tecido de algodão da minha camisa, alisando meu peitoral e minha barriga. Sem pressa, minha camisa fora removida e seus dedos tocaram minha pele quente, me fazendo estremecer.

— Então esse é o abdômen que causou uma comoção na indústria musical neste último final de semana? O que as pessoas pensariam se soubessem que ele é só meu?

Seu tom de voz, ao falar isso, era rouco, uma tentativa falha de soar sexy. Contudo, você possuía ciência da maneira como me sentia embaraçado ao ouvir coisas desse tipo, então sabia que você só queria me deixar desconfortável para rir de mim em seguida. O riso que ouvi era a prova que eu precisava para afirmar que te conhecia tão bem.

Soltei um muxoxo, tentando parecer irritado com a situação, mas a alegria notável no meu timbre me fez falhar do mesmo jeito que você havia falhado antes.

Com destreza, eu me virei, deixando-nos cara a cara. Meu movimento brusco quebrou seu abraço que me envolvia, te pegando de surpresa. Não te dando tempo para pensar sobre alguma coisa, te beijei. Um gemido escapou por sua boca quando minha língua, vertiginosa e desejosa pela sua, a invadiu.

O seu espanto por eu ter dado o primeiro passo, no entanto, à medida que o beijo se aprofundava, sumiu. Alguns instantes depois senti as palmas da sua mão pressionadas contra o meu peitoral. Você me empurrava em direção a cama, eu apenas deixei-me ser guiado, até meu corpo cair sobre o colchão macio, separando nossas bocas. Sem demora, você subiu em cima de mim e retomou o beijo que fora quebrado, o qual persistiu pelo tempo que conseguimos, até que nossos pulmões nos obrigaram a buscar por oxigênio. Seu rosto estava corado, assim como o meu deveria estar.

Nossos olhares se cruzaram e eu me perdi na galáxia dos seus olhos, mais uma vez orbitando em seu entorno. O som do seu riso foi quem me tirou de órbita, me trazendo de volta a realidade.

— JungKook-ah, você tem que parar com isso, sempre fica entregando nossa relação. Ninguém acredita que é fanservice quando você me olha assim.

Ornei um sorriso constrangido. Estava correto de sua parte me repreender, mas eu simplesmente não conseguia evitar agir daquela maneira. Não tinha controle quando se tratava de você.

— Jimin-sshi, você é um demônio ou um anjo?

— Hã? Que tipo de pergunta é essa?

— É uma pergunta fácil quando se analisa o nosso relacionamento. No que diz respeito a nós, você é um demônio ou um anjo? — Tornei a perguntar.

— Você ainda me faz uma pergunta dessas enquanto olha para esse rostinho angelical? — Questionou sorrindo.

— Ah, você não levou minha questão a sério.

— Desculpa, mas parece que você está zoando comigo, não consigo te responder. O que você acha que eu sou?

— Sinceramente? Os dois…?

O som do seu riso preencheu o quarto e eu me chateie com a sua reação. Você estava ali, exatamente ao meu lado, fazendo pouco de mim.

— Ah, Jimin-sshi, deixa isso para lá. Esquece, vamos mudar de assunto.

— JungKook-ah, desculpa, me conte o que você acha, prometo não rir mais — sua respiração estava descompassada por causa da crise de riso.

— Quando formaram BangTan, eu tinha era apenas um adolescente bobo, acho que você pode imaginar o quão assustador foi para mim. Jimin-sshi sempre esteve cuidando de mim, antes mesmo do debut. Então, por causa disso, costumo te associar a um anjo, por ser bondoso, humilde e carinhoso.

— Por que disse que achava que eu era os dois se me associa a um anjo?

— Porque, apesar de zelar por mim, suas investidas eram evasivas demais. Eu vivia assustado, com medo da próxima peróla que você diria e da forma como reagiria a ela, preocupado se conseguiria te afastar. Some isso ao fato de eu estar descobrindo minha sexualidade, a sociedade coreana ainda é cheia de tabus e temas como homosexualidade não são discutidos. Por vezes, cheguei a achar que o sentimento que sentia por você era errado, o que me levou a te relacionar a um demônio.

— Nunca soube que te fiz se sentir tão mal. Eu só pensava em mim quando estava dando em cima de você — arrependimento era a única coisa que sua voz expressava. — Kookie, desculpa.

— Hoje você está continuamente me pedindo desculpas. Esqueça o que falei, está tudo bem. Por mais que eu me perguntasse se estava no paraíso ou no inferno, mal conseguindo encontrar uma prova para me salvar das minhas dúvidas quando parava para avaliar meus sentimentos por você, com o amadurecimento e te observando, percebi que não tinha problema em amar outro homem, em amar você.

— Você está tão romântico hoje, algo aconteceu?

— Não, só estava pensando em como nossas vidas mudaram nos últimos anos, em tudo o que conquistamos e todo aquele frenesi que aconteceu no BBMA por eu ter mostrado meu abdômen. Você sabe que o meu eu de outrora não seria alguém capaz de realizar isso. Te amar me libertou de tantas maneiras, me deu confiança e me tornou menos introspectivo. Acho que posso te comparar…

Não fui capaz de terminar aquela frase, sua boca alcançou a minha, calando-a com um beijo leve.

— Shh, está me deixando constrangido.

Neguei com a cabeça, sinalizando que não iria parar.

— Acho que posso te comparar com a água. Jimin-sshi é água, eu não posso viver sem você.

— Ah, sério, você heim…

Sua falsa irritação por eu ter zombado de você, usando a mesma frase usada por ti para definir as Armys, fez com que eu soltasse uma risada, mas logo me recompus e voltei a falar.

— Você também é fogo, me incendiando com cada olhar e toque voluptuoso seu. Entretanto, apesar de o fogo simbolizar destruição, o que você representa, para mim, é o meu para sempre. As pessoas poderão dizer que eu sacrifiquei a maioria da minha juventude estando com você. Isso é uma traição? A verdade é que gastei parte da minha adolescência ao seu lado e pretendo consumir todo meu tempo de vida também, sou predestinado a coexistir junto a você e nada diferente disso, pois você é meu fim.

Essas foram as últimas palavras que te disse ontem. Não houve mais tempo para que eu continuasse me declarando despreocupadamente para você, uma vez que sua boca novamente calou a minha. No entanto, opondo-se a antes, suas mãos correram desinibidas pelo meu corpo, até alcançarem o cós da minha calça. Sua mão escorregou para dentro, rápida, alisando meu membro recém desperto, e eu gemi em aprovação.

Cada ação sua que se seguiu depois me fez estremecer. Você parecia conhecer meu corpo melhor que eu mesmo, de modo que me entregava aos seus toques, embriagado de desejo. Logo nossos gemidos, desacompanhados de qualquer outro som, eram a ambientação sonora do cômodo. Eu podia apenas sussurrar seu nome.

Depois que você se deitou ao meu lado, permaneci te observando por um espaço curto de tempo. Nossos rostos ficaram um de frente para o outro, sorrimos. Beijei sua testa e te envolvi no meu abraço, ao passo que o sono nos envolvia no dele.

Dormimos.

Hoje, acordei mais cedo que você, mas, ainda assim, permaneci deitado, te admirando. Comecei a recordar as palavras que te disse na noite passada e conclui que não me arrependo de me abrir para você, falar que te amo e os motivos pelos quais eu faço isso me deixam alegre. Só que, ontem, eu não cheguei a falar tudo o que desejava, você não me permitiu. Agora, enquanto você ainda dorme, é um momento propício para isso, então o farei.

Jimin-sshi, você é meu pecado, impuro, me contaminado com os pensamentos mais sórdidos que consigo pensar. Paralelamente, você é meu perdão, puro, indulto e gracioso. Eu sei que você não é um anjo, embora eu tenha te associado a um, e nunca te pedi que fosse. Você é meu perigo, porque é exatamente o que preciso para sair da minha zona de conforto.

Durantes os meus meses iniciais no grupo, às vezes, eu me perguntava qual era o real significado da minha vida, meu propósito, se eu estava destinado a ser mais do que uma pessoa comum. Em concomitância, descobri, sem procurar, o preço do amor. Oh, foi assustador te conhecer e te amar, você não tem noção, cheguei a perder a cabeça em alguns momentos. Por isso, fiz escolhas erradas no que diz respeito a você.

Todavia, no fim, meus erros e meus acertos me trouxeram até aqui, até o presente que divido com você. Então vou perdoá-los e não deixar que meu passado defina o que eu pretendo ser no futuro para você. Apenas saiba que é tarde demais para mudar minha mente, eu faria tudo novamente sem pensar duas vezes. Acho que devo ser eternamente agradecido a você por me amar, apesar de tudo.

Sei que está dormindo e que não consegue me escutar, mas Jiminie-sshi, para que fique claro, mais uma vez, eu te amo.


1 de Junio de 2018 a las 01:59 2 Reporte Insertar 4
Fin

Conoce al autor

Comenta algo

Publica!
Bárbara Maria Bárbara Maria
Ai caralho, eu tô muito jikooka aaaaa Li o texto todo com um sorrisinho besta no rosto, tô muito apaixonada! Consegui imaginar as carinhas lindas dos dois em cada momento descrito aqui, ficou muito lindo, Artie! Amei esse pedacinho da biografia jikook, material canon a gente tem que aplaudir skdkskdksd Te amo, e amo jikook <3
31 de Mayo de 2018 a las 23:56

  • Sr.  Artie Sr. Artie
    Vi te responder de livre e espontânea vontade e sem pressão alguma, rsrs Mds, JIKook é só amor. Não posso ver o Kookie sorrindo por causa do Jimin ou virse-versa que meu coração se derrete e eu me desfaço em em sorrisos bobos. Essa essa sensação de felicidade única que eu quis passar com a fic e fico contente que você tenha sido tocada pelo amor JiKook. Felizmente, casal canon e desenvolvido e o melhor: real. A gente tem mais que enaltecer mesmo, não é nossa culpa se eles se amam. Barbie, eu te amo demais, mds. Obrigado pelo comentário, fada <3 4 de Junio de 2018 a las 20:53
~