1
5.2mil VISITAS
En progreso - Nuevo capítulo Cada 10 días
tiempo de lectura
AA Compartir

Um encontro inusitado

Sentado em meio à uma devastadora e desoladora escuridão, o belo homem de cabelos castanhos contemplava aquele deprimente cenário que o cercava pelos últimos dois anos de sua vida. Para ele, esse lapso temporal era ínfimo, porém, naquele lugar sombrio e fétido, o tempo jogava contra os seus propósitos, tornado sua vida um verdadeiro e odioso tédio, sendo este consideravelmente piorado por suas atuais condições, pois estava quase que totalmente selado, ficando somente sua boca, nariz e olho esquerdo descobertos das muitas faixas que o impossibilitavam de utilizar o seu imenso e insano poder. Bem, pelo menos era no que todos acreditavam, pois o próprio Aizen sabia que aquilo e nada davam exatamente no mesmo: jamais conseguiram de fato restringir o uso de sua reiatsu.

Então, por inúmeras vezes ele perguntava a si mesmo: porque ainda permanecia ali, naquele lugar ridículo? Poderia simplesmente usar sua Kyoka Suigetsu, fazer uma ilusão convincente para enganar os tolos olhos da Central 46 e do restante do Gotei, e sair dali como se nada tivesse acontecido… como se ele ainda permanecesse preso, cumprindo sua esdrúxula pena…

O próprio ex-Capitão não tinha ideia do porquê ainda insistia em ficar ali, atado aquela cadeira imunda, se submetendo à um castigo ao qual todos sabiam que não era páreo para detê-lo por muito tempo, muito menos por 20 mil anos. Talvez fosse por puro comodismo, ou queria recompor suas energias decentemente, até pensar em algo estrategicamente perfeito para poder enfim, tomar o controle da Soul Society, e dar cabo da vida daquele ser infeliz, ao qual o título de Rei das Almas nada mais era do que uma tremenda injustiça, pois valorizava algo que não era mais do que uma simples coisa, um boneco de marionetes santificado pelos hipócritas que compunham a Central 46.

Bocejou em alto e bom som, e logo depois, bufou irritado. Definitivamente, tinha que sair dessa monotonia, desse marasmo em que sua vida ficou estacionada.

Mesmo com a rejeição do Hogyoko, ele tinha um potencial incrível em suas mãos, e seria um desperdício não aprimorar isso, nem que não fosse para contra atacar de imediato, e sim, elaborar com calma e primor um novo plano para conquistar tudo aquilo que era pra ser seu… tudo o que deveria estar sob o seu controle e domínio.

Com esse pensamento, uma à uma das faixas que cobriam o seu corpo vão se deteriorando e indo ao chão quase que pulverizadas, e em menos de um minuto ele estava livre, de pé, e com um sorriso vitorioso em seu belo rosto. Com o seu corpo vestido de negro, que era o uniforme padrão do Muken, ele dá seus primeiro passos rumo à uma liberdade ao qual ele nem ao menos sabia onde desfrutaria, mas, o que de verdade interessava, era que já não era mais um prisioneiro… ele era, e sempre seria Sousuke Aizen, o ser mais poderoso que já existiu.


xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx


Nos porões da 5ª Divisão, que atualmente tinha voltado ao comando de Shinji Hirako, o castanho se enveredava por lugares em que o Vizard jamais teria cogitado a existência, nem na época em que serviu com ele, e nem agora, que voltou ao seu lugar de direito.

Ao descer todos aqueles degraus e passar pelos labirintos construídos por si para abrigar um laboratório clandestino, destinado aos seus experimentos ilegais, o sorriso que se deu em seu rosto só fazia aumentar ao imaginar a cara de todos que o vigiam, com expressões tranquilas, crendo piamente que a ilusão que deixou lá no Muken era realmente ele. Daria tudo para gargalhar com vontade da ingenuidade deles, mas, era um sujeito racional demais pra isso, mesmo que esse tipo de criancisse por vezes parecesse bem tentadora. Chegando onde almejava, contemplou com seriedade um protótipo que flutuava num gigantesco tubo cheio de um aquoso fluido. Tal experimento era um gigai ultramoderno, que desenvolveu pouco antes de começar toda a sua jornada rumo a conquista da Soul Society, e este, agora lhe serviria muito bem, pois foi desenvolvido para uma situação de emergência, como era esta que se encontrava agora.

Este não era um gigai comum, pois ele tinha a capacidade de esconder completamente a reiatsu de quem quer que o usasse, e com o bônus de que os poderes de seu portador poderiam ser usados livremente, sem qualquer tipo de restrições, como era o caso dos gigais desenvolvidos por Urahara e Kurotsuchi, que sempre restringiam, e muito, os potenciais de quem os utilizavam.

Com uma calma invejável, o charmoso ex-Capitão se fundiu em seu gigai, e vestiu esse com um shihakushou qualquer, pois não queria chamar a atenção. Seu objetivo agora era ir para algum distrito distante do Sereitei, para então, abrir um pequeno Senkaimon, e com isso, poder ir para o mundo humano, onde já possuía toda uma estrutura montada por ele, pois alguém com o seu intelecto, sempre tinha uma ou duas cartas escondidas na manga.


xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx


Andando com discrição pelas ruas daquele lugar, e bem perto de sair do perímetro do Sereitei, eis que Sousuke vê algo que lhe intriga bastante: a Vizard e ex-Tenente Lisa Yadomaru, trajando uma curtíssima hakana e andando de modo muito suspeito, carregando uma espécie de caderno debaixo de seu braço direito.

Ela vez ou outra olhava para os lados, depois voltava o seu olhar para o objeto que levava consigo, e em seguida, apressava os seus passos, tentando se evadir dali o mais rápido possível. Aquela atitude da mulher à sua frente instigou seu lado mais curioso, e mesmo que ela não passasse de uma pseudo-Arrancar, resultado de uma experiência sua que não deu certo, achou que seria interessante segui-la, para ver o que ela de fato escondia.

Por dez minutos ele seguiu a morena, que foi parar em frente à uma excêntrica residência, que tinha dois grandes braços erguidos em cada lado da construção, e esta bizarrice arquitetônica, é claro, pertencia nada mais nada menos do que à Kukkaku Shiba, líder do decadente clã em questão.

As duas mulheres conversaram por cerca de cinco minutos, onde por vezes gargalhavam escancaradamente, enquanto Lisa fazia anotações no bendito caderno. De onde estava, Aizen não conseguia escutar o que diziam, mas deveria ser algo vulgar e de mal gosto, pois conhecia bem a fama das duas mulheres, que eram famosas pervertidas sexuais.

Por fim, ambas se despedem, e a Vizard caminha um pouco mais, até chegar à um descampado desabitado. Antes de usar sua zanpakutou para abrir o Senkaimon, ela se certifica se não tem ninguém à espreita, e confiando em seus orbes, que nada enxergaram, ela abre um pequeno portal, e se adentra neste. O que a bela mulher não imaginava, era que o ardiloso Sousuke, se utilizando de um shunpo veloz, também se adentrou na fenda aberta por ela, e lhe fazia companhia no caminho do dengai que lhes levariam ao Mundo dos Vivos.

Um pouco mais tranquila, a jovem anda lentamente, mas, em nenhum momento tira o misterioso caderno debaixo do braço, fato esse que volta a intrigar o castanho homem, que segue os passos femininos ao longe.

- Ui… que sensação estranha… - a morena murmura baixinho, pois sentiu um pequeno calafrio correr seu corpo. Mas, ao olhar ao redor, não nota nada anormal, por tal motivo, continua sua caminhada até chegar a sua casa.

O homem sorri pra si mesmo, pois estava constatando que seu gigai era realmente perfeito, insuperável, pois em nenhum momento Lisa sentiu sua presença ali, à poucos passos dela, e auxiliado por seu ilusório shikai, era como se ele não existisse… ficou se perguntando como não teve essa brilhante ideia há muito mais tempo?

Poucos minutos depois, uma luz se fez naquele túnel, e a ex-Tenente saiu do dengai e seguiu por uma rua mal iluminada, que a levou diretamente para um velho galpão, aparentemente abandonado, onde ela entrou sem maiores cerimônias. Do lado de fora, o belo de orbes castanhos analisava a construção por fora, onde deduziu que este fosse o local em que os exilados do Sereitei se esconderam por mais de um século.

- Interessante… - sussurrou com um meio sorriso nos lábios.

Feliz por ter chegado ao Mundo dos Vivos sem fazer nenhum grande esforço pra isso, o elegante fugitivo já iria embora dali, quando este sentiu a reiatsu da morena um tanto oscilante. Novamente uma súbita curiosidade se deu em seu ser, e ao ver que a energia vinda da mulher emanava de uma das janelas do 3º andar do antigo prédio, então, ele usou outra vez seu ultra rápido shunpo, e em frações de segundos, estava dentro do que parecia ser o quarto da Vizard.

Alheia ao estranho em seu quarto, e já dentro de seu gigai, Lisa se sentia extremamente exausta, pois a rotina nos últimos dias estava sendo verdadeiramente extenuante.

Desde que o velho Comandante Yamamoto resolveu se aposentar, juntamente com o seu fiel Tenente Sasakibe, ela estava interinamente à cargo da Capitania da 8ª Divisão, pois Shunsui Kyoraku havia sido escolhido como o novo Comandante Geral do Gotei 13, escolha essa feita pela própria Central 46 e de caráter indiscutível e irrevogável. À princípio, Lisa não queria assumir tamanha responsabilidade depois de décadas de afastamento, mas, como Kyoraku sempre foi um ótimo Capitão, ela resolveu ajudá-lo, porém, somente provisoriamente, pois não tinha certeza de que voltar a fazer parte definitivamente do Gotei 13 seria uma boa ideia.

Fora que ela montou uma rede de negócios em parceria com Kukkaku Shiba, e que estava enchendo sua conta bancária com muito dinheiro. Não era algo permitido pelas leis da Soul Society, mas não via mal nenhum em revender mercadorias do Mundo dos Vivos para seus colegas Shinigamis, especialmente se essas mercadorias fossem de conteúdo erótico ou pornográfico, que eram os artigos que mais geravam lucro para as duas sócias, pois a líder dos Shibas montou uma pequena lojinha para vender essas excentricidades nas dependências de sua esquisita casa.

Sentada em sua cama de solteiro, Yadomaru suspirou pesadamente, pois a fadiga começava a se apoderar de si. Levantou-se preguiçosamente, e com uma das mãos, desfez o nó de seu traje, que desceu displicentemente ao chão, revelando o seu belo corpo nu ao incógnito espectador que estava camuflado por seu shikai no quanto da jovem.

À poucos metros dela, encostado em uma das paredes do cômodo, Aizen fica boquiaberto ao contemplar a perfeição do corpo feminino. Não era ingênuo ao ponto de não ter imaginado que talvez fosse se deparar com uma cena assim, já que ela acreditava estar sozinha, e se encontrava na intimidade de seu lar. Mas uma coisa é conjecturar, outra coisa é ver, enxergar todo o esplendor da nudez da Vizard ao vivo, e tão ao alcance de si como era o caso agora.

Ainda sem perceber a presença de seu maior desafeto em seu quarto, Lisa se dirige à um armário de duas portas que ficava no alto da parede de frente à sua cama, e o abrindo, ficou de frente à esse, divagando em voz alta.

- Hummmmm… com qual dos meus queridos amiguinhos eu vou me divertir hoje…? - se perguntou enquanto parecia escolher algo.

Os incrédulos olhos de Sousuke se arregalaram ao ver a imensa quantidade de consolos, vibradores, e outros variados tipos de brinquedos sexuais que Lisa possuía. Conhecia a fama de pervertida que ela tinha desde os tempos em que ele ainda era Tenente de Hirako, mas comprovar tal fato assim, com os próprios olhos, foi... digamos… chocante.

Depois de muito pensar, a Vizard escolheu um vibrador pequeno e com o formato arredondado. Fechou o armário, e dirigiu-se ao banheiro que havia dentro do próprio cômodo, e lá abriu o chuveiro na água morna, onde, depois se soltar seus traçados cabelos, se enfiou debaixo deste, e tomou seu relaxante banho, como o de costume. Terminado este, a formosa morena continuou embaixo da ducha, deixando a água corrente percorrer seu corpo, e esticando o seu braço, pegou o mini vibrador. Abriu um pouco as pernas, e ativou o aparelho, o posicionando em cima de seu clitóris, ato que arrancou vários gemidos sensuais da garota. Com a mão livre, ela acarinhava seus seios, beliscando de leve os bicos endurecidos, e revezando massagens leves entre ambas as mamas.

Com um click em um dos botões, ela aumentou a velocidade da vibração, e com isso, seus gemidos e grunhidos também se intensificaram, a levando à um delicioso e necessário orgasmo, que aliviou de imediato a tensão acumulada naquele estressante dia.

Encostado na porta entreaberta, o ex-Capitão está suado, com a respiração ofegante, e extremamente excitado com a cena que acabou de presenciar. Se não fosse por seu indefectível gigai, ela com certeza o teria descoberto, pois sua reiatsu oscilou bastante. Afinal de contas, por mais que fosse superior à todos, e que muitas coisas levianas não o afetassem, com toda a certeza a visão de uma bela mulher se masturbando e gemendo sensualmente não era uma delas.

Ainda atordoado, Aizen se afasta dali, e se senta na cama da Vizard, onde, vagarosamente, acaricia seu membro por cima da roupa. Riu pra si mesmo, pois não contava em vivenciar algo assim nesse dia. A única coisa que planejava era sair do Sereitei, e ir para o seu esconderijo no Mundo Humano, mas… nem tudo ocorre como o planejado, e isso, ele aprendeu na carne, quando foi derrotado por Kurosaki, um simples humano.

Porém, uma coisa o deixou curioso: porque uma mulher bonita com Lisa precisava tanto de apetrechos artificiais para obter prazer? Não era um homem de ficar com algo lhe martelando a mente por muito tempo, por isso, logo logo ele iria descobrir os mistérios por trás daquela linda mulher...


xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx


Ainda no banheiro, cantarolando feliz, Yadomaru seca todo o seu corpo, e com a toalha na mão direita, ela enxuga de qualquer jeito os seus longos cabelos negros, enquanto com a esquerda, pega o vibrador para guardá-lo de volta no pequeno armário. Porém, ao sair de lá distraída, e sem olhar aonde ia, pois esfregava o topo se sua cabeça, e a toalha lhe obstruia a visão, ela esbarra em algo firme, e momentaneamente fica tonta.

Um pouco irritada, ela levanta o olhar, e sua boca literalmente se abre num perfeito O, pois nada mais nada menos que Sousuke Aizen estava ali, na sua frente, lhe olhando de cima abaixo, com os orbes cintilantes, cheios de algo que não sabia ao certo definir, e lhe sorrindo enigmaticamente.

Mesmo envergonhada por estar completamente nua na frente dele, sua mão já ia parar em cheio no rosto do homem em questão, porém, ele foi mais rápido, e como um raio, tomou o pequeno brinquedo sexual de suas mãos, o jogando para longe, ato que espatifou o pobre vibrador em muitos pedaços.

Revoltada, ela avança pra cima dele, que firmemente segura seu pulso.

- Me solta desgraçado! - vocifera raivosa - Que pensa que está fazendo?

Ele mantém seu semblante imutável, e lhe responde com outra pergunta.

- Acredita mesmo que um objeto ridículo como este lixo fabricado por humanos pode te dar mais prazer que os toques de um homem de verdade?

Ela pisca os orbes turquesas repetidamente. Custava a acreditar na ousadia daquele crápula em lhe perguntar algo tão íntimo.

- Que merda de pergunta é essa? Não lhe dou esse direito!

Os lábios masculinos se curvam num cínico sorriso, pois ela chegou exatamente ao ponto em que ele queria.

- Não estou aqui pra tratar de direitos, pois sei que não os tenho. Meu questionamento é somente fruto da minha imensa sede de conhecimento, e o fato de ter visto tantos objetos de cunho sexual nos seus pertences, e de constatar que trata o sexo como um simples alívio para as sua frustrações, instigou bastante esse meu lado mais… - chegou o seu rosto bem próximo ao dela, e a sentiu tremer, pois ainda segurava com firmeza o fino pulso dela - Curioso… - soltou a palavra com os lábios quase colados ao dela.

Lisa ficou, por alguns instantes, sem reação. Tinha um ódio mortal desse homem, mas senti-lo tão perto a desconcertou. O hálito quente e mentolado que escapava de sua boca a fez estremecer. O olhar penetrante daqueles orbes castanhos fez queimar seu baixo ventre, e sua intimidade molhou-se de imediato.

Não… não podia ser… ele era um canalha! Uma pessoa vil, torpe, traiçoeira! Sentir algo dessa natureza por ele era inconcebível, inaceitável!

Com raiva dele e de si mesma, ela se livra de seu forte agarre, e já apressava seus passos para se apoderar de sua zanpakutou, quando sente seu corpo ser bruscamente virado, e sua pele nua colar-se ao viril corpo do garboso homem.

- Ainda não respondeu minha pergunta, Yadomaru… - a voz potente do homem sai como um sexy sussurrar, e Lisa arfa sem ao menos perceber.

- E nem vou responder, seu imbecil! - ela mais uma vez tenta livrar-se dele, porém, não é exitosa na tarefa, pois sem nem mesmo se esforçar, ele, infelizmente, era muito mais forte que ela - Me larga! O que quer de mim, idiota? - as palavras saem num misto de ira e impotência.

Sem se importar com as ofensas da jovem, ele se achega ainda mais, se seus lábios tocam de leve os dela.

- Eu quero isso… - ele a beija com ternura, carinho, invadindo sutilmente a boca da morena, e lentamente enlaçava sua língua à dela, onde as duas bailavam em perfeita sincronia.

Lisa se sentia perdida e eufórica ao mesmo tempo. Sabia que tinha que quebrar aquele contato e sair de perto dele o mais rápido possível, mas, para a sua desgraça, seu corpo pesou ante o tesão que sentia e não respondia mais aos seus comandos. Se frustrou ainda mais por isso.

As mãos de Aizen passeavam pela pele exposta da ex-Tenente, e sentir todo o calor que dela vinha o fez outra vez se excitar, e seu mastro pulsava desejoso dentro de seu shihakushou.

Ela, por sua vez, sentiu toda a dureza do órgão latejante encostar em si, e ofegou fortemente em meio ao ósculo, ato que fez Sousuke aprofundar ainda mais o fervoroso contato, a trazendo para si mais bruscamente, a pegando com vontade pelos cabelos da nuca feminina.

Gemidos são emitidos pela Vizard, e estes fazem o castanho almejar muito mais do que um simples beijo dela… queria possuí-la… adentrar-se naquele corpo quente e desejável… mostrar a ela que nenhum brinquedo poderia fazê-la alcançar um prazer tão perfeito quanto o que daria à ela.

Com muito custo ela volta à si, e se afasta dos toques gentis e sedutores dele. Na parede oposta onde estava, ela se encosta, e tenta enfim, recuperar sua razão. Não podia cair em tentação… não podia ceder… não à ele… não ao maldito que arruinou a vida de tantos, que quase conseguiu a proeza de querer ser um deus….

Ele não se chateia com o afastamento dela. Pelo contrário: a acha sumamente linda nesse estado de tamanha vulnerabilidade. Como um felino, se aproxima aos poucos, e seus dedos tocam a alva pele do rosto feminino, e acariciam com leveza a sua magnífica face.

Ela ofega entre nervosa e excitada, e ele prossegue com suas carícias, que descem os ombros, os braços, e depois sobem aos seios, que eram médios e apetitosos no seu ponto de vista.

Ela tenta afastá-lo mais uma vez, porém, a única coisa que consegue com isso, é ter o corpo dele junto ao seu, e sentir por mais uma vez sua respiração lhe queimar a tez.

Desesperada por não conseguir reagir, ela chora. Suas lágrimas descem por sua face, mas logo os polegares dele secam os caminhos percorridos por elas. Lisa o olha fixamente, e só consegue ver um intenso desejo vindos dos orbes dele e se sentiu estranha ao notar tal fato. Sentiu-se mais segura ao constatar que ele não iria lhe machucar, então, relaxou seu corpo e não ofereceu mais resistência aos avanços do belo ex-Capitão, que sentindo essa agradável entrega da parte dela, falou sexymente em seu ouvido.

- Depois do que irá acontecer aqui, jamais irá querer saber usar esses brinquedos vulgares novamente…


Continua... 


Notas do autor


Olá meus amores!!!


Aqui estou eu com mais uma história, e com um casal, que até agora, é a primeira vez que os vejo como protagonistas de uma trama.

Porque Aizen e Lisa? Lhes digo que é por causa da dualidade de sentimentos que ambos carregam, e pela história pregressa em comum. Creio que todos são capazes de sentir algo bom por alguém, como sei que qualquer pessoa é capaz de perdoar. Sendo assim, creio que esse casal funcionará bem mediante essa temática.

É lógico que terão outros casais, até pq a trama é longa, e está praticamente toda escrita. Uns são bem conhecidos do público, outros são pura invencionice da minha caixola pensante, e espero de coração que vcs gostem!


No mais, desfrutem esse primeiro capítulo!


Obs: A arte da capa da fic é minha, com edição de W-chan!!! Fiz uma arte para esse capítulo, eis o link para quem se interessar em ver: https://78.media.tumblr.com/62cd5c3173fba2a73c4df2e5c3244345/tumblr_p9aa64Noic1wbwdwfo1_540.jpg


25 de Mayo de 2018 a las 15:32 0 Reporte Insertar 0
Leer el siguiente capítulo Sonho ou realidade?

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~

¿Estás disfrutando la lectura?

¡Hey! Todavía hay 4 otros capítulos en esta historia.
Para seguir leyendo, por favor regístrate o inicia sesión. ¡Gratis!

Ingresa con Facebook Ingresa con Twitter

o usa la forma tradicional de iniciar sesión