Prisoners of Pleasure Seguir historia

vanychan734 Vany-chan 734

Era para ser uma simples missão em Kusa; no entanto, ter o Mangekyou do amado bem diante de si poderia ser a pior visão para qualquer shinobi, mas para Itachi aquilo era tão excitante, que ele se via envolto nas perversões do mais velho, prestes a explodir com ele em suas loucuras sexuais.


Fanfiction Anime/Manga Sólo para mayores de 18.

#UN #shiita #bdsm #sexo #lgbt+ #lemon #naruto
Cuento corto
11
5018 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Capítulo Único - Prisioners of Pleasure

Olaar! Essa fic já devia ter sido postada há um tempo, mas eu tava enrolada com as cordas KKKK (Vcs vão entender)

Enredo baseado NAS ARTES DO SURFAÇAGE. Capa lindissima editada pela minha web amante, Equinócio, que eu vou colocar de imagem do cap pq tá lindo sim.

Dedico a fic para a Raylanny (ESCREVE SHIITA TBM GENTE!) pela recomendação da minha outra shiita no grupo do Ink! Eu animei muito pra escrever essa após a recomendação e agora eu espero que vc goste da minha tentativa falha de DomXSub HAHAHHA <3

Queria agradecer de coração tbm pela betagem à Karambola (ELA TEM SHIITAS GENTE!²), obrigada, meu amor!

Boa leitura!

---------------------------------------

Fanfic / Fanfiction Prisioners of Pleasure - Capítulo 1 - Capítulo Único - Prisioners of Pleasure


Obito esperava impaciente pela vinda dos primos, enquanto Kakashi terminava copiar os documentos da missão. O moreno estava, mais uma vez, prestes a reclamar do atraso dos garotos quando Rin apontou para Itachi e Shisui que cruzavam a porta do salão oval da sede ANBU.

- Ah, finalmente! – o Uchiha mais velho reclamou.

Itachi lançou um olhar irritado para Shisui, que sorria maldosamente, mas que foi prontamente ignorado pelos demais.

- Estávamos ocupados, Obito-san – o de cabelo cacheado respondeu, apontando para a marca avermelhada no pescoço do namorado.

Obito revirou os olhos e deu de ombros, sinceramente não desejava saber os detalhes do que os dois faziam quando estavam sozinhos. Rin observou o companheiro com diversão, em seguida indicou que Kakashi tomasse à frente e explicasse o porquê dos meninos serem chamados.

- Bem, garotos, temos uma missão: A ANBU descobriu que um chefe do tráfico humano estará na Vila da Grama para raptar mais prisioneiros – ele falava enquanto distribuía as pastas com os documentos copiados para os presentes.

- Espere! – Shisui interrompeu – Onde está minha pasta?

O copy-nin arqueou uma sobrancelha desacreditado.

- Você sempre lê com Itachi de qualquer maneira – Kakashi deu de ombros e Shisui concordou mesmo a contragosto, em seguida esticou o pescoço para acompanhar a leitura do namorado – Continuando: segundo nossos infiltrados, um bordel bastante conhecido e frequentado de Kusa estará sediando uma festa particular para comemorar os trinta anos de aniversário do local.

- Uh, está ouvindo Itachi-kun? Vamos para um bordel – o filho de Kagami sussurrou com malícia, observando o outro tensionar a mandíbula pela sua falta de pudor.

- Shisui! Preste atenção! – Rin lhe deu um tapa na cabeça, esperando uma postura mais séria do colega.

Kakashi suspirou pesadamente e depois seguiu com a explicação:

- O ramo de Yoshiro Maeda, nosso alvo, é o tráfico humano. Os prisioneiros são vendidos como escravos sexuais para os compradores em diversas regiões do mundo shinobi. Ele e sua equipe raptam civis e ninjas, estes últimos passam por algum jutsu de selamento que os impedem de fugir.

Durante o discurso do Hatake, Itachi leu rapidamente as informações e apontou para o selo fotografado no arquivo, o qual era um padrão desconhecido para si e também para Shisui, que franziu as sobrancelhas diante da imagem.

- A organização de Maeda chegou a sequestrar até os filhos das elites das Vilas, obrigando os Kages a se reunirem e exigirem um mandato de busca internacional. Teoricamente, haverá ninjas da Grama lá, mas o Yondaime Hokage nos quer no evento para confirmar a prisão deste homem.

- Suponho que o manteremos vivo então – Itachi proferiu com a expressão tranquila característica.

- Itachi, você não deveria ter tanta obsessão com assassinatos – Shisui disse franzindo o cenho.

- Eu sou um shinobi. É o que eu faço – Respondeu tediosamente ao namorando, ainda que olhasse para o Hatake.

- Somos todos shinobi’s e eventualmente fazemos isso – Kakashi falou – E sim, Itachi, vamos levá-lo com vida para os líderes da Grama e se possível participar do interrogatório, precisamos saber quais eram seus planos e onde estão as pessoas traficadas.

- Qual nossa estratégia, Kakashi-san? – Shisui questionou – Aqui diz que seus alvos são jovens de até vinte anos... – os orbes cinzentos observavam com seriedade a pasta nas mãos de Itachi, mas assim que o ANBU compreendeu as inclinações do copy-nin, olhou-o desacreditado – Não! Itachi não vai fazer isso.

- Ciúmes? – Obito provocou, maldoso, ao ver o outro Uchiha se constranger.

- Shisui, não faça eu me arrepender de tê-lo escalado para essa missão – o prateado rebateu sério.

- Ele nem ao menos completou dezoito anos! É um adolescente. Itachi é muito novo para servir de isca sexual para um criminoso! – defendeu-se, olhando para o primo mais velho e depois para o Hatake.

- Tenho certeza que não pensa que ele é só um adolescente quando estão juntos no rio Nakano – Obito contrapôs, fazendo as bochechas de Shisui ganharam uma coloração avermelhada.

- Shisui, não seja ridículo! – o menor de todos interviu, sentindo as bochechas queimando também – Kakashi-senpai, como executaremos a missão?

- Nós entraremos disfarçados – Rin se prontificou a explicar o plano, totalmente animada – Kakashi, Obito e Shisui chegarão à Vila da Grama primeiro, um dia de diferença para não levantarmos suspeitas; nós dois vamos depois e todos entraremos com os convites oficiais do evento. Obito e eu usaremos um henge, já Shisui e você como são menos conhecidos por agirem diretamente pela ANBU, então apenas coloquem uma roupa bonita – Ela apontou para o convite do bordel na pasta – É uma festa de gala. Estejam apresentáveis, rapazes. Você e eu, Itachi – ela indicou a si própria e depois ao Uchiha com o indicador direito – temos a missão de atrair a atenção do Maeda – finalizou com uma piscadela rápida.

- E como exatamente farão isso? – Shisui resmungou desconfiado, roubando a pasta de Itachi e decorando todas as informações da missão.

O outro Uchiha riu anasalado. Normalmente as crises de ciúme do primo eram irritantes, mas essa em especial estava lhe soando divertida.

- Como sempre – Itachi respondeu com um meio sorriso malicioso que atraiu a atenção do namorado.

Shisui resmungou um palavrão e Obito riu do primo.

- Se fosse o Kakashi-san no lugar de Itachi você entenderia – acusou, revoltado.

Rin gargalhou, e Itachi observou o primo ficar vermelho, assim como Kakashi que engasgou surpreso.

- Seu pivete...!

- Vamos voltar à missão, meninos – Rin falou, ainda mantenho o sorriso límpido – Itachi, este homem procura meninos bonitos, não será difícil atrair sua atenção para você; eu estarei disfarçada com uma aparência mais juvenil também.

- E se ele tentar alguma coisa? – Shisui perguntou.

- Eu tenho a plena certeza de que seu namorado sabe se defender, Shisui – Kakashi respondeu preguiçosamente – É uma missão rank-B. Itachi, se conseguir ficar sozinho com Yoshiro, descubra tudo que puder.

O moreno assentiu e observou Shisui estreitar o olhar, ainda desgostoso da situação.

- No mais, nos vemos em Kusa. Se tiverem dúvidas… não me perguntem – o Hatake sorriu – Rin estará à disposição de vocês.

Shisui observou o prateado cruzar a porta e ser seguido pelo companheiro de equipe, já Rin aproximou-se dele e sorriu compadecida.

- É uma missão simples. Confie no seu parceiro – E assim que terminou de falar, a mulher fez o mesmo caminho que seus colegas de time.

- Shisui – Itachi chamou ao mesmo tempo que tocava sutilmente o queixo do amado, atraindo sua atenção para si – Não ouse estragar a missão.

O moreno arregalou os olhos completamente chocado pela ameaça recebida. Itachi era devoto da Folha como todo shinobi deveria ser, porém era incômodo saber que ele fazia missões em que seduzia inimigos, muitas vezes deixando-lhes que o tocassem. Shisui sentia seu corpo tremer de raiva só com esse pensamento.

- É melhor que ele não ouse tocar em você – respondeu, afastando a mão do menor que lhe acariciava a bochecha.

Itachi o fitou intensamente. Poderia fazer um discurso explicando o quanto ele estava sendo infantil, mas sabia que seria esforço desperdiçado, então simplesmente se virou e caminhou para fora.

- Se eu ficasse me engraçando com alguma kunoichi... – Shisui falou, mas foi interrompido pela aparição do amado à sua frente, o olhando com o Sharingan ativo.

Itachi era tão dissimulado que ativava o doujutsu durante brigas somente porque aquela era uma das visões preferidas do namorado, que ficava muito mais dócil em frente a elas.

- Sabemos que você nem ao menos ficaria duro perto delas – murmurou, roçando os lábios finos nos cheios do mais velho.

O rubor se fez presente em Shisui, mas assim que assimilou a frase do primo, sentiu a raiva se alastrar. Itachi era dissimulado e sabia que conseguia muitas coisas do namorado desse jeito, mas na atual circunstância, Shisui sentia-se traído pelas ambições do menor.

- Vou usar o Mangekyou nele – resmungou, apertando a cintura de Itachi. – E se tentar me impedir juro que o uso em você também.

As íris carmesins de Itachi se tornaram negras novamente e fitaram o mais velho com desconfiança enquanto se afastava.

- Não, você não vai. Sabemos qual é o limite do seu ciúme e da minha submissão – respondeu enquanto caminhava para fora – Vamos.

Mesmo resmungando, o filho de Kagami o seguiu. Saíram da sede ANBU em direção ao distrito Uchiha e assim que chegaram foram diretamente para suas respectivas casas.

Shisui fez sua pequena bolsa com pertences essenciais, ainda amaldiçoando o plano, e nem ao menos deu atenção ao pai. Itachi, por sua vez, chegou na residência principal com calma, sendo recepcionado por Sasuke que o ajudou a arrumar a pequena bolsa para a missão. Ficaram juntos durante toda a tarde, até Shisui aparecer com uma caixa de dangos e uma expressão aflita. Ele odiava discutir com Itachi, principalmente quando estava prestes a sair em missão. Confiava em suas habilidades, mas era sempre bom resolver assuntos inacabados dentro da Vila, afinal, acidentes às vezes aconteciam.

Itachi se aproximou dele com um sorriso pequeno, o qual aumentou significativamente ao constatar a embalagem dos doces.

- Você é um idiota – disse ao se apoderar da caixa e já provar do primeiro dango.

- Eu amo você também – Shisui respondeu com ousadia.

Itachi o fitou curioso. Shisui era o mais romântico dos dois, mas aquele tipo de declaração não era tão comum a não ser que estivessem em um ótimo momento. Mordeu um dango ao passo que estudava o parceiro.

- Saio da Vila em algumas horas – O maior continuou, enrubescendo sob o olhar do outro – Sabe? Temos algum tempo... preciso terminar de te marcar para ninguém chegar perto.

O de madeixas longas sorriu malicioso.

- Entre.

[...]

Itachi entregou os convites para o segurança do bordel. Rin, que estava ao seu lado, sorria meigamente para o homem que os deixou entrar mesmo fitando o Uchiha com demasiada atenção.

- Shisui vai enlouquecer quando o vir assim – a moça sussurrou, olhando ao redor do espaço.

- Esse é o objetivo – Itachi respondeu com um sorriso maldoso, perscrutando o local atrás dos chakra’s conhecidos.

O bordel estava decorado em diversos tons de vermelho. As paredes e poltronas eram de um carmesim tão intenso que lembrava o Sharingan, já as mesas e vestuários das serventes eram mais foscos e tinham alguns detalhes em dourado. As luminárias nas laterais deixavam o ambiente parcialmente iluminado, dando-lhe um ar mais carnal, que combinavam perfeitamente com a música instrumental que a orquestra tocava e com o cheiro de incensos e ópio no ar.

Rin também reparava no cenário, mais precisamente nas pessoas que estavam ali. Alguns eram grandes comerciantes, outros conselheiros de Kusa e, por último, alguns poucos ricos da Vila que frequentavam o lugar. Haviam muitos jovens, porém poucas garotas, e por isso a kunoichi resolveu se separar do Uchiha a fim de chamar mais atenção dos convidados.

O moreno, por sua vez, se dirigiu até o bar de onde poderia observar todo o salão e também os amigos disfarçados no segundo andar. Kakashi estava sem máscara, tinha uma maquiagem roxa ao redor dos olhos, usava lentes de contato cinzentas e estava com o cabelo mais liso que o normal. O Uchiha teve dificuldades em identificar se aquilo era apenas um disfarce bem feito ou se era um henge como o de Obito ao lado dele, que agora estava gordo e calvo como um homem por volta dos quarenta anos.

Foi distraído de sua divagação quando uma bebida foi posta à sua frente; sorriu ao reconhecer a mancha de nascença no braço do homem atrás de si. Não soube como não tinha reconhecido seu chakra, mas no atual momento já não importava. Bebericou a bebida gelada – descobrindo se tratar de um vinho suave – ainda sem olhar para o parceiro. Degustou do mimo de Shisui ao passo que aproveitava para analisar uma mesa escondida no final do salão, envolta pelas prostitutas mais bonitas do bordel.

- Parece que achamos nosso homem... – Itachi disse, roçando o pequeno copo no lábio inferior.

- Oh, eu com certeza já achei o meu – Shisui sussurrou malicioso em sua orelha – Se me permite, madame, me concederia uma dança? – continuou sua provocação antes de mordiscar levemente o lóbulo pequeno, pouco se importando com a missão.

- Claro – o mais novo sorriu com o arrepio sentido, além do tratamento feminino que era extremamente irônico naquele momento. A dança, além de provocar o namorado, seria um meio perfeito para criar uma cena que realmente iria atrair olhares.

Ao se virar para o primo, observou como a expressão dele se tornou surpresa e admirada. Itachi vestia um conjunto social elegante: a blusa era vermelha sendo emoldurada por um colete preto que combinava com a calça de mesmo tom, e o cabelo estava preso num coque trançado com a franja solta, valorizando sua beleza andrógina. Porém, o que mais se destacava em sua aparência era o rosto. Ele havia se maquiado para o evento, deixando o namorado completamente atônito.

- Você... você está usando maquiagem? – gaguejou a pergunta idiota, decorando cada belo traço enaltecido do outro.

- Sim. Gostou? – a retórica revelava sua essência ardilosa, ainda mais quando falava daquele modo arrastado e sensual.

Estava óbvio que o mestre do genjutsu tinha adorado o resultado de seus cílios alongados, os olhos contornados em preto e a boca roxa de batom. Não havia ninguém no salão tão bonito quanto ele e ambos sabiam disso.

- Cuidado para não se animar – o menor ciciou na orelha do primo, cuidadoso o suficiente para apenas atiçá-lo.

Shisui ficou minimamente desconcertado. Ele estava acostumado com a beleza incólume do amado, mas vê-lo tão bem produzido mexia com seus sentidos, principalmente quando este se aproximou e trouxe a fragrância de um perfume que ele o havia presenteado.

- Vamos dançar – Itachi ditou, regozijando-se pela admiração espantosa de Shisui.

O Uchiha assentiu, sem saber ao certo o que dizer, tocou as costas do menor sutilmente e caminharam para a pista no meio da multidão. Os olhares foram sendo atraídos de forma natural e assim que Shisui pediu uma melodia à orquestra, o som delicado de um violino soou.

Itachi sorriu plácido, observando de esguelha o atual chefe do tráfico lhe direcionar o olhar. Esperou por um sinal, mas antes que o homem tivesse chance, Shisui já estava de volta e o segurava com firmeza na cintura, tendo sua atenção.

Ele se moveu conforme o maior se mexia. Durante a infância ambos tiveram aulas de etiqueta e dança, uma convenção para serem homens educados no futuro – segundo o costume do Clã – agora, tinham uma conexão tão forte que tornava toda a movimentação mais intensa. Os movimentos não eram mais suaves e desengonçados como um dia já foram - eram repletos de vigor e sincronia - demonstrando que não somente suas habilidades de dança tinham evoluído, mas que eles como uma dupla também estavam mais íntimos.

Shisui o embalava no ritmo da sinfonia enquanto o fitava diretamente nos olhos, sorrindo vez ou outra quando os corpos se chocavam depressa, e aquela tensão sexual entre eles se tornava quase palpável. Itachi em meio a isso, tocava as costas másculas com mais força que o necessário, mostrando que apreciava aquela pequena demonstração de dominância do companheiro. Nesse momento, eles já não se lembravam da missão, eram apenas os dois no salão, juntos por um laço muito mais forte que o sanguíneo. O sorriso aberto nos lábios de Itachi só provava o quão seguro ele se sentia nos braços do primo, e este o encarava com a certeza de que mataria e morreria por ele.

Shisui o conduziu em um passo desinibido, o rodopiou no meio do salão para em seguida puxá-lo de volta, sentindo a perna do companheiro subir. Encantado com aquela atmosfera luxuriosa, Shisui deslizou a mão das costas de Itachi para a bunda, apertando sutilmente o local. O menor sorriu devasso e se inclinou, fazendo os lábios roçarem nos do mais velho, no exato instante que a melodia atingiu seu ápice. Por um segundo, as íris cinzentas se tornaram carmesins e Itachi jurou que sentiu a excitação do outro no interior de sua coxa.

Estava sendo de fato divertido provocar o namorado.

Os aplausos surgiram em seguida, dissolvendo o clima entre eles e fazendo com que se lembrassem do real motivo de sua presença ali. Shisui desativou rapidamente o Sharingan, e o menor se afastou para refazer o caminho até o bar, sabendo que o olhar do namorado estava cravado em suas costas, assim como o de Yoshiro.

Não demorou para o que traficante viesse até ele, sentando-se no banco ao seu lado. Ato que lhe deu a brecha perfeita para o analisar: O homem tinha o cabelo preto cacheado, a barba cheia e uma grande cicatriz na lateral esquerda da rosto. Ele percebeu o olhar de Itachi e logo sorriu, mostrando um dente de ouro.

- Uma dose da casa para mim e outra para o garoto – o timbre grave da sua voz, combinava perfeitamente com seu corpo robusto.

- Obrigado – agradeceu, assim que o copo foi posto à frente.

O conteúdo tinha a coloração azul-esverdeada e ele refletiu sobre a possibilidade de alguma droga estar dissolvida ali; ainda assim, negar a gentileza de Maeda seria péssimo para a missão e, no fim, ele estava seguro por seus colegas de equipe estarem lhe observando. Sorriu sagaz para o homem e brindou com ele antes de beber num único gole toda a dose que tinha o sabor incrivelmente doce, lembrando o xarope para tosse que tomava quando criança. Yoshiro sinalizou para a barman, indicado que enchesse os copos novamente.

- Seu namorado não devia deixá-lo sozinho – ele proferiu, sorrindo malicioso – Eu não deixaria.

- Ele não é meu namorado – mentiu, dissimulado o suficiente para fazer o outro acreditar.

- Oh, me perdoe – a voz grave ressurgiu cheia de sarcasmo – A dança estava bem íntima.

Itachi sorriu levemente e piscou os olhos devagar enquanto tocava sem pudor a coxa definida de Yoshiro.

- Eu gosto de homens que sabem se mexer – respondeu lentamente, observando como as íris cor de mel focaram em sua mão libertina. Se aproximou da orelha dele e intensificou o aperto – Quem sabe eu não te ensine alguns passos em particular?

Yoshiro gargalhou antes de se levantar e o puxar com ele.

- Eu vou te foder todinho.

Itachi sorriu provocativo, continuando com seu excepcional papel de isca sexual, embora em seu íntimo estivesse sentido asco do outro.

Nem mesmo Shisui falava consigo daquela forma.

Seguiram para um corredor estreito com pouca iluminação e ainda tingindo pelo tom vermelho das paredes. Ninguém os parou, pelo contrário, alguns de seus capangas montaram guarda na porta e outros os seguiram para dentro do quarto.

- Seus amigos não precisam ficar aqui – Itachi desconversou, enquanto desabotoava o colete, vendo Yoshiro fazer o mesmo com o terno azul-escuro.

- Um homem de negócios como eu não pode se dar ao luxo de ser idiota. Quem me garante que um shinobi como você não irá me assassinar? – o sorriso mordaz nos lábios dele mostrava que realmente não era tão tolo.

Itachi sorriu, plácido. Deslizou o colete negro pelo corpo e o apoiou sobre uma das cadeiras do quarto, sentindo as mãos formigarem, provavelmente um sintoma da droga ingerida anteriormente.

- Bem, poupemos meu tempo, então – ele se virou sério, a tempo de ver os capangas afrouxarem as camisetas e concentrarem os chakras – Diga-me seu esquema de tráfico e quem sabe sua pena seja menor – sorriu, um sorriso límpido que contrastava com seus olhos sombrios.

Maeda gargalhou e fez um gesto com a mão esquerda, indicando que seus homens tomassem à frente.

– Eu vou foder essa sua boquinha linda enquanto você estiver caído no chão.

Itachi enrugou o rosto com a baixaria ouvida. Pelo visto, anos a mais seriam dados a sua sentença – além do tráfico.

Suspirou ao sentir seus membros formigarem, denunciando que a droga ingerida tinha um fator rápido de ação, e foi neste instante que desvendou a jogada de Yoshiro: ele atraía os jovens, os drogava, e quando eles acordavam já estavam longe, sendo vendidos com algum selo que impedisse a circulação de chakra e rastreamento.

Sorriu. Os homens avançaram, alguns deles sabiam diversos jutsus, mas Itachi era um ANBU conceituado que apesar dos formigamentos que sentia, conseguia lidar com eles. Os homens avançaram em conjunto e ele revidou todos, chegou até a lançar um homem magro com lâminas de chakra contra a parede do quarto, deixando um buraco na madeira. Soube que com aquele barulho seus companheiros de missão interviriam.

O Uchiha desviou do soco de outro homem e sua visão embaçou, piscou algumas vezes e esse foi o momento perfeito para Yoshiro se aproveitar da situação e lhe socar. Quando caiu no chão, rolou os orbes ônix para cima e observou Maeda sobre seu corpo, a mão esquerda avermelhada pelo golpe desferido.

O capanga deixado para trás puxou o cabelo de Itachi, desmanchando seu coque e o fez se levantar desengonçadamente para que Yoshiro se aproveitasse.

- Você é uma gracinha – ele falou dando tapinhas na bochecha do Uchiha – Não vou vender você como os outros e sim deixá-lo só para mim – ele falava isso enquanto afrouxava a calça negra.

Outro capanga surgiu pelo buraco na parede e prendeu Itachi numa corda de supressão de chakra, deixando-o com o corpo pesado e cada vez mais dormente. Assim que Maeda se aproximou do Uchiha, este lhe cuspiu na face, completamente ciente de que aquele ato deixaria o traficante irado e que também daria tempo para que seus companheiros chegassem.

A raiva estava refletida nas íris cor de mel, assim como no pescoço que se tingia de vermelho e logo o tapa estalado foi ouvido no aposento.

- Filho da puta! – gritou para o menor que tinha a bochecha ardente.

O ANBU sorriu provocativo, sabendo que ele havia assinado a própria sentença ali, já que sentia a aproximação dos amigos.

- Você não devia ter feito isso – avisou sóbrio.

- Seu...! – assim que o traficante levantou a mão novamente, Kakashi já havia atravessado um dos capangas que segurava Itachi com um chidori e Rin quebrava o pescoço do outro, libertando o ANBU.

Kakashi jogou o morto contra o corpo de Yoshiro, fazendo-o se afastar e então começou a atacá-lo, utilizando-se dos objetos do quarto como armas. Ele deveria apenas feri-lo, afinal. Enquanto isso, Rin libertava o parceiro da corda de chakra e o ajudou a se sentar numa cadeira para receber o tratamento médico necessário.

Assim que a visão de Itachi voltou a focar na luta à frente, ele viu Kakashi desaparecer rapidamente, trocando de lugar com uma almofada vermelha, e então Shisui apareceu. O moreno tinha um olhar assassino, totalmente centrado no objetivo de fazer Yoshiro sofrer.

Os golpes de Shisui eram certeiros e atingiam as regiões que desnorteavam Maeda, que acabou se desequilibrando e caindo ao chão. O Uchiha se curvou e o enforcou, aproveitando da posição superior para fazê-lo olhar diretamente em seus olhos.

- Você não devia ter tocado essas suas mãos imundas nele – ele praticamente rosnou, exibindo um sorriso tão sádico que deixava clara sua intenção.

- Shisui! – Itachi advertiu, mesmo estando sobre os cuidados médicos de Rin.

Ele conhecia a personalidade impulsiva do namorado muito bem para saber que ele estava cogitando realmente matar Maeda, e sabia que precisava detê-lo já que não deveriam assassiná-lo.

- Eu avisei a você – Shisui disse para o amado enquanto deixava o aperto mais forte, vendo o desespero nas íris cor de mel ao encontrarem o Sharingan brilhando.

Estava preste a colocá-lo num genjutsu letal quando Kakashi puxou Maeda de seu enlace e desapareceu com ele pelo buraco na parede, provavelmente o levando para algum lugar seguro, longe de seu campo visual.

Obito que antes lutava com os homens deixados no salão, surgiu afoito com o terno sujo de fuligem e uma carranca desgostosa. Ele observou Itachi sentado numa cadeira com Rin às suas costas aplicando ninjutsu médico, enquanto Shisui tinha a mandíbula tensionada, aparentando estar bastante irritado.

- Shisui! – Obito gritou – Por que Kakashi me mandou ficar de olho em você?

- Porque ele é um idiota – Itachi respondeu fixando o olhar no namorado, que o fitou indignado.

- É assim que me diz obrigado?! – ele reclamou, aproximando-se do mais novo.

- Você iria matar ele! – Rin e Itachi disseram juntos, revoltados.

A morena estava quase tão irritada quanto o próprio Itachi. Mesmo assim, o olhar de Shisui focava-se apenas no menor, deixando-o ainda mais furioso pela determinação ali encontrada, como se o dissesse silenciosamente que faria tudo aquilo de novo, sem arrependimento.

- Falaremos mais tarde sobre isso – Itachi resmungou, desviando o olhar para o Obito ainda carrancudo na porta.

- Oh! Pode apostar que sim! – Shisui confirmou, saindo do quarto bagunçado.

- Aonde você vai? – Obito perguntou desconfiado.

- Falar com a dona do estabelecimento, ela teve um grande prejuízo hoje – respondeu sério, indicando o ambiente.

Os três se entreolharam e concordaram, a dona deveria ser minimamente recompensada pelo dano ao local, principalmente pelo terno de Obito estar cheio de fuligem, indicando que usara katon’s no saguão.

Permaneceram apenas os três no quarto até Rin dar um tapinha amigo nas costas de Itachi, o liberando da sessão médica. Assim que se levantou, Kakashi e Shisui atravessaram a porta do quarto. Obito se aproximou do Hatake ligeiramente e esperou pelas ordens.

- Levei Yoshiro para as autoridades da Grama, o interrogatório acontecerá daqui a meia hora. Partiremos em viagem amanhã. Rin, Obito e eu estaremos presentes no interrogatório, mas não poderemos fazer perguntas visto que estamos em outro território. Itachi e Shisui permanecerão na Grama até que Maeda seja preso...

Itachi franziu o cenho, mas aceitou suas ordens. Ainda assim, olhou de esguelha ressabiado para Shisui, que tinha um sorriso torpe no rosto.

- Vamos então – Rin comunicou, tendo os companheiros de time ao seu encalço.

Assim que foram deixados a sós, Itachi franziu as sobrancelhas, pronto para xingar o amado. No entanto, Shisui sempre fora mais rápido, e quando o mais novo se deu conta, sua boca já estava sendo tomada pela do outro.

Ele arfou quando foi imprensado contra a parede ao lado da cama, tendo o corpo do outro completamente alinhado ao seu. O beijo estava intenso, sabia que não era um pedido de desculpas, mas seria daquela forma que resolveriam a semi discussão.

Shisui interrompeu o beijo, encostando suas testas e o olhando fixamente. Ele respirava com dificuldade, da mesma forma que Itachi, e gravava na sua mente cada traço do outro. A beleza do mais novo mexia consigo e o deixava sempre atônito, mas desde o momento que pôs os olhos nele naquele dia, estava com vontade de agarrá-lo.

Afinal, como poderia imaginar que Itachi usando maquiagem seria ainda mais bonito?

- Eu vou borrar o seu batom – avisou, determinado.

- Esse é seu pedido de desculpas?

- Não – Shisui sorriu sádico – Esse é o seu castigo.

Antes que Itachi o respondesse de forma malcriada, Shisui o empurrou para a cama do quarto e voltou a beijá-lo com avidez. O menor até tentou se afastar, mas quando ergueu a cabeça, seu pescoço se tornou o alvo da boca experiente do namorado.

- Ah – gemeu ao sentir a língua quente se arrastar pela região, provocando-lhe arrepios.

- Eu vou fazer você gritar – ele sussurrou melodiosamente, com um pingo de sadismo típico de sua personalidade na cama.

- Shisui... – Itachi resmungou, não querendo se sujeitar àquilo – A dona do bordel...

- Ela reservou o quarto para a noite inteira – Shisui continuava beijando o pescoço do namorado, enquanto uma mão se introduziu em sua calça e começou a estimulá-lo.

Itachi puxou os fios encaracolados de Shisui com força a fim de olhá-lo nos olhos, encontrando o Mangekyou dele brilhando perigosamente. Ter o Mangekyou do amado bem diante de si poderia ser a pior visão para qualquer shinobi, mas para Itachi aquilo era tão excitante, que ele se via envolto nas perversões do mais velho, prestes a explodir com ele em suas loucuras sexuais.

- O que tem em mente? – havia uma certa curiosidade que sempre preenchia Itachi quando olhava para os olhos carmesins do parceiro.

- Você confia em mim? – Shisui retrucou sorrindo torpe, continuando a masturbá-lo.

- Com a minha vida – respondeu quase engasgando.

- Bom garoto! – Shisui zombou, se afastando dele – Sente-se e abra a blusa – mandou, observando o outro obedecê-lo prontamente – Eu tenho uma surpresa para hoje – ele se afastou e caminhou até metade do quarto a fim de pegar a corda de supressão de chakra que fora usada no primo.

- Shisui? – Itachi questionou-o com uma sobrancelha arqueada.

- Não te dei permissão para falar, priminho. Já esqueceu as regras? – ele se virou para Itachi, o fitando com o Mangekyou ainda ativo.

O mais novo negou à pergunta feita com um movimento singelo de cabeça.

- Ótimo – ele sorriu, se aproximando com a corda em mãos – Sua palavra de segurança permanece a mesma. Entendeu? – Itachi assentiu.

O gênio Uchiha sabia que o namorado era um pervertido completo, que usava sua memória fotográfica para coisas muito indevidas e que não seria diferente naquele momento. Normalmente o maior era bastante carinhoso durante o sexo, mas em alguns momentos ficava ensandecido com ideias mais peculiares.

- Sim, mestre – o mais novo entrava no jogo do parceiro, sabendo que ele apreciava a atitude – Como posso lhe servir hoje?

- Ará! – Shisui sorriu – De costas. Mãos para trás – mandou, e Itachi o obedeceu, vendo por cima do ombro o mais velho começar a amarrá-lo num nó forte – Eu quero você amarrado e só de blusa hoje.

- Sim, mestre – ele falou enquanto se levantava com o intuito de ser despido por Shisui.

- Você deveria andar nu pela Vila...

- Pensei que você sentisse ciúmes de mim – provocou, rebolando contra seu quadril.

- Oh... eu sinto – Shisui já havia retirado sua calça quando começou a acariciá-lo suavemente com os dedos longos, tocando a pele arroxeada pelas mordidas e nós da última vez que ficaram juntos, como se o lembrasse do porquê estava com aquelas marcas, evidenciando que lhe pertencia – É por isso que faço essas coisas com você... – ele beijou um hematoma na base do pescoço do primo, arrastando a língua devagar pela região já lesionada.

- Shisui – Itachi suspirou quando a mão esquerda do parceiro subiu lentamente pela sua perna, o arranhando com leveza, apenas o suficiente para arrepiá-lo.

- É apenas a minha maneira de liberar os meus instintos... – Shisui sussurrou antes de arrastar a língua pela extensão do pescoço do menor, que sentia o coração pulsar forte com o toque.

O gemido rouco de Itachi não passou despercebido para o maior assim que ele terminou de lambê-lo. Shisui sorriu malicioso ao endireitar a coluna e se aproveitar da diferença de altura para puxar o cabelo parcialmente desfeito de Itachi com força, o fazendo inclinar a cabeça para trás.

- Eu consigo ouvir a sua respiração, Tachi. Isso é tudo tesão?

O mais novo piscou devagar, sabendo que Shisui apreciava seus momentos dissimulados e o recompensava por eles.

- Sim, mestre.

Shisui o puxou pela nuca e tomou sua boca novamente. Ele invadia o menor com destreza, explorando todos os lugares conhecidos, arrastando a língua por aquele pedaço tão libidinoso do amado realçado por aquele batom roxo escuro. Não fazia ideia de onde o namorado havia adquirido a maquiagem, mas ela com certeza seria usada mais vezes.

Se afastou quando sentiu as mãos unidas de Itachi tocarem-no por baixo da blusa branca social. Shisui o olhou com um misto de orgulho e diversão.

- Tem alguém animado aqui? – sua mão esquerda se direcionou para a intimidade do parceiro e voltou a acariciá-lo enquanto a outra mão segurava fortemente seu cabelo.

- Shisui...

- Tsc Tsc – Shisui repreendeu enquanto continuava a estimulá-lo e a chupar o pescoço alvo, sabendo que cada vez mais o primo estaria envolto em sua fantasia.

- Ah...

- Continua gemendo pra mim, Tachi – Shisui o provocou assim que mordeu o lóbulo de sua orelha e depois a lambeu.

O menor até poderia aproveitar o jogo de Shisui, mas jamais se deixaria controlar tão facilmente, então voltou a se esfregar contra a ereção dele, desejando desestabilizá-lo também. Shisui estremeceu diante de seu ato, mas não o impediu de continuar.

- Hum... – rosnou, sentindo a respiração falhar – Não esqueça do seu lugar, Tachi.

Toda aquela situação era eletrizante. Shisui sentia o membro latejar só pelo roçar do amado e a perspectiva de tê-lo amarrado e totalmente à sua mercê era de fato alucinante.

Para provocá-lo, o menor se virou parcialmente e o beijou no pescoço, passando a friccionar suas genitálias, sentindo o quão duro o membro do namorado estava. Itachi riu anasalado, soprando o ouvido do mais velho, desejoso pela corpo do outro.

Shisui se afastou ofegante, empenhado em se livrar da própria blusa rapidamente, já Itachi permaneceu em pé, observando o outro com o mesmo desejo insano, ainda tendo as mãos amarradas.

- Fique de joelhos na cama – Shisui mandou, sinalizando com uma das mãos para o outro se aproximar.

Assim que Itachi seguiu a ordem, o mais velho pegou a corda e amarrou os tornozelos do primo os flexionando para trás, vendo como o região apertada se tornava vermelha. Depois, uniu os dois nós e passou a corda pelo tronco do namorado, percebendo como o suspiro de Itachi lhe mostrava que a supressão de chakra já o estava desestabilizando.

Shisui observou o menor por alguns instantes: A posição curvada de Itachi lhe era muito conveniente já que o deixava completamente indefeso, além de fazê-lo parecer ainda mais feminino com os fios soltos caindo por seu rosto e a bunda empinada à sua frente. O maior puxou seu cabelo com força, de modo que o olhasse de cima e então roubou mais um beijo caloroso, o qual acabou com uma mordida no lábio inferior.

- Shisui... – Itachi gemeu, sentindo corpo pesar e esquentar.

- Shiii – o mais velho sussurrou em sua orelha antes de deixar um beijo estalado nela.

Shisui se afastou e observou a barra de metal no teto do quarto. Ele reconhecia aquele objeto e o fim daquilo, por isso sorriu maldosamente e se voltou para Itachi, puxando a corda ninja que o prendia, o fazendo arquear as costas.

- Vamos brincar – falou enquanto jogava o pedaço da corda pela barra e a puxou quando caiu do outro lado, pronto para suspender Itachi.

Shisui pegou a corda ninja e a amarrou na mesa mais próxima, de modo que o peso do móvel fosse suficiente para manter o namorado no ar.

- Shisui! – Itachi resmungou com irritação, os tornozelos e pulsos ardiam, principalmente pela posição contorcida em que o corpo ficava em suspensão.

- Ah, Tachi! Você estava indo tão bem... – ele falou jocoso, andando ao redor do corpo do menor, o olhando como um animal à caça, vendo a presa totalmente desprevenida à frente. Ele parou diante de Itachi, observando como os olhos negros dele estavam sombrios, indicando sua revolta pela posição indesejada – Não vá me decepcionar agora... – ele sussurrou, lento e carinhoso, depois lambeu os lábios finos do namorado sensualmente.

No entanto, Itachi ainda estava desgostoso da posição e por isso desviou o rosto da língua de Shisui, causando surpresa no dominador. Shisui piscou duas vezes, incrédulo pela desobediência de Itachi e não evitou castigá-lo por isso. O tapa foi estalado e forte, o suficiente para deixar a marca de seus dedos na pele alva do amado.

- Tsc Tsc... olha o que você me fez fazer... – a mesma mão que havia batido, foi aquela que afagou a bochecha de Itachi, indo novamente para o maxilar do namorado a fim de fazê-lo olhar para si – Agora seja um bom garoto e não me obrigue a te castigar novamente, mesmo que eu goste disso.

Shisui tinha diversos fetiches agressivos, mas ele se controlava para nunca desagradar o menor, porém a partir do momento que Itachi concordava com uma de suas fantasias, não havia misericórdia – não até a palavra de segurança, Nakano, fosse proferida. Aquilo era um acordo entre os dois, e até tornava o clima mais excitante quando Shisui se exaltava um pouco.

No entanto, naquele momento, Itachi o fitava com raiva. Já tinha levado tapas antes, mas nunca levara um no rosto e isso soava muito humilhante para si.

- Sim, mestre – Itachi rosnou baixo e revoltado, ainda que se sentisse cansado.

Um treino com o outro era tão exaustivo quanto usar aquela corda. Era impressionante a capacidade que o artefato ninja tinha de suprimir a circulação de chakra dos shinobis, Itachi não ficaria admirado se houvessem algemas com o mesmo material, usadas até mesmo pela gangue de Yoshiro.

- Bom garoto! – Shisui exclamou.

O mais novo fitou o parceiro com uma dualidade no olhar. Ainda sentia o corpo pesar – e consequentemente se sentia revoltado por isso – mas também se sentia excitado ao reconhecer o sorriso satisfeito de Shisui à frente, principalmente quando seu Mangekyou rodava no padrão regular por estar gravando a cena. Shisui era, além de sádico, pervertido.

O mais velho tocou a corda de modo que ela se moveu e Itachi foi levado pelo balanço. Era um embalo suave, mas totalmente erótico para Shisui, que o olhava de uma forma obsessiva, quase como se fosse um inimigo em campo, mas ainda contendo uma minúcia de devoção.

Itachi sacudiu o próprio corpo, ele ainda estava extasiado com os beijos anteriores, queria ser tocado novamente, principalmente quando Shisui começou a se masturbar à frente, apenas observando o movimento que seu corpo contorcido fazia.

- Tachi... – Shisui ronronou quando o viu se desesperar nas cordas.

- Shisui! – Itachi sentia-se quente, a vontade de ser tocado já estava quase o alucinando, principalmente ao ver o namorado seminu à frente com tanto empenho em dar prazer a si mesmo e o esquecendo.

Shisui era belo. Tão belo quanto qualquer Uchiha, mas o carmesim de suas íris era um detalhe que atraía Itachi completamente. Os longos cílios negros contrastavam com o vermelho de uma forma sublime, combinando com o sorriso sexy que lhe era direcionado. Itachi quase ronronou ao ser finalmente beijado e ter a mão do namorado lhe acariciando mais uma vez. Seu coração pulsava forte, a respiração já estava irregular e a genital latejava dormente.

A mão calejada de Shisui movia-se num vai e vem ritmado, enquanto a outra mão acariciava seu próprio membro. Itachi se contorceu, sentindo o baixo ventre queimar, sabendo que aquilo era efeito da corda de supressão, e Shisui sorriu zombeteiro ao notar o suor escorrer pelo corpo do mais novo.

- Se eu soubesse que você fosse gostar tanto, Tachi, eu já teria feito isso antes... – o mais velho diminuiu o ritmo do movimento somente para torturar o amado e após ouvir o grunhido irritado dele, Shisui lhe deu um tapa na bunda em repreensão.

Diferente do que imaginava, Itachi não o xingou, ao invés disso um gemido arrastado se fez presente, e notando sua reação, o primo continuou a estapeá-lo. A cada novo tapa, ele aumentava gradualmente a força imposta, tendo os grunhidos de Itachi o incentivando a continuar.

- NAKANO! – Itachi gritou exausto após alguns minutos, as lágrimas desciam pelas bochechas e ele finalmente havia gozado.

Shisui parou sua mão imediatamente e o beijou com fervor, mesmo sabendo que ele respirava com dificuldade. Em seguida, deu a volta no corpo suspenso e beijou a bunda do mais novo, sobre a marca de seus dedos ali. A pele estava quente e avermelhada e Itachi murmurou com dor assim que o sentiu tocar a área lesionada.

- Você foi incrível! Você é excepcional, Itachi! – Shisui declarou, convicto de que o namorado merecia mimos por sua performance.

Sabendo que ele estava sensível, o maior voltou a acariciar sua genitália, espalhando o gozo e ouvindo os suspiros baixos proferidos pelo menor. Beijou a bunda marcada mais uma vez e seguiu para sua entrada, circundou a língua na região de modo cuidadoso e depois introduziu a ponta, sentindo o membro do primo pulsar em sua mão novamente ao passo que dizia palavras desconexas.

O dominador sorriu malicioso com a reação, satisfeito pelo menor deixá-lo continuar e ainda estar apto a outra rodada. Arrastou novamente a língua para a entrada e depois introduziu o dedo lambuzado pelo gozo de Itachi no próprio Uchiha, ouviu as lamúrias dele como se fossem a sinfonia tocada anteriormente e relembrando os tons da música, começou a arrematar o menor, ora introduzindo um dedo, ora fazendo movimentos de tesoura, ora colocando mais um dedo.

- Por favor! – Itachi gemeu, descontrolado, balançando seu corpo contorcido.

Shisui era ardiloso na cama, mas até mesmo como dominador não conseguia ignorar um pedido do amado, principalmente quando era feito tão necessitado assim.

- Como quiser, amor.

A camisa parcialmente vestida de Itachi foi empurrada, dando ao maior a plena visão de sua entrada, com uma mão separou a bunda do primo e com a outra introduziu-se devagar, assim que esteve completamente dentro, segurou o quadril de Itachi e empurrou a corda, fazendo com que o movimento pendular dela o ajudasse a penetrá-lo. O menor resmungou impropérios até se acostumar com as investidas brutas e o balanço sensual da corda, mas quando ambos movimentos se complementaram, todo seu corpo tremeu.

A corda o fazia se sentir vulnerável e fraco, a resistência de batalhas era reduzida a de um civil qualquer, e tendo o corpo franzino, ele se via totalmente à mercê de Shisui; algo que o irritava profundamente, pois embora amasse o primo, às vezes queria socá-lo pela dominação tortuosa que sofria. Ele não era submisso, não com tanta facilidade, porém quando o mais velho puxava seu cabelo daquela forma e investia conta seu interior com tanta precisão, poderia admitir que amava sucumbir aos desejos insanos dele... e talvez até viesse a agradecê-lo por esses momentos no futuro.

Itachi sentia o ar pesado, respirava pela boca entre um gemido e um suspiro exasperado, o corpo suava e por causa disso seu cabelo grudava no pescoço, os pelos estavam eriçados, a genitália pulsava e o sangue em suas veias parecia queimar. Quando Shisui acelerou o ritmo de suas investidas, o mais novo podia jurar que estava prestes a desmaiar de prazer, sentindo-se totalmente rendido e prisioneiro daquela fantasia luxuriosa; não foi com muito esforço que gozou novamente, os jatos sujando o colchão abaixo de si e também seu abdômen amostra, enquanto gemia roucamente.

Dando tempo para que ele se recuperasse, Shisui rapidamente desamarrou a corda da mesa em que estava presa deixando que o corpo mole de Itachi caísse; antes que o namorado atingisse o chão, Shisui o capturou no ar velozmente e sorriu convencido.

- Peguei você!

Em seguida, o depositou na cama e observou com adoração o namorado lânguido pelo segundo orgasmo da noite. O Mangekyou rodava enquanto capturava a visão do primo corado, respirando com dificuldade e sujo de sêmen, o que lhe deu uma ideia.

Assim que Itachi se viu livre da suspensão, tentou se livrar de ambos os nós, no entanto, antes que tivesse sucesso, Shisui foi mais uma vez rápido e o puxou pelo cabelo, literalmente esfregando seu pênis na cara do menor em seguida.

- Chupe – mandou, insano pelo desejo que o consumia.

Itachi mal respirava, porém o comando na voz do mais velho soava tão atraente que foi suficiente para convencê-lo da tarefa. Arrastou a língua com languidez da base até a cabeça, deixando um beijo cálido na ponta, em seguida sugou como se sua vida dependesse daquilo, e de certa forma dependia. Shisui insatisfeito sexualmente era um Shisui insano por sexo ao longo da semana seguinte nos locais e momentos mais indevidos possíveis.

Faltava pouco para o mais velho gozar, mas quando Itachi se afastou, colocando a língua para fora e começou a estimulá-lo com as mãos – e o dominador não soube como estavam livres – foi impossível não ter seus tomoes girando para capturar aquela belíssima imagem ao gozar na cara dele. Seu sêmen se espalhou por todo o rosto de Itachi e antes que conseguisse articular qualquer palavra, se jogou contra o corpo magro na cama, beijando o mais novo e sentindo seu próprio gosto no amado.

Foi preciso vários minutos para que se recuperassem da experiência e quando o maior ficou lúdico novamente, ele desamarrou os nós do tornozelo e da barriga de Itachi, vendo as marcas arroxeadas que a pele pálida havia adquirido.

- Quão ruim está? – Itachi questionou, os olhos fechados o impedindo de ver o dano.

- Parece que você foi espancado... – Shisui respondeu, beijando as marcas e ganhando gemidos roucos de desaprovação.

- De certa forma eu fui... – Itachi refletiu, malicioso e abriu seus olhos para fitar Shisui.

O mais velho jogou a corda no chão e sorriu mordaz ao ver como os olhos ônix o fitavam com provocação. Se aproximou mais uma vez do primo e capturou seus lábios em um beijo apaixonado e lento, pela primeira vez na noite, arrastando-se sobre o menor como uma erva daninha que embrenhava-se num jardim.

O mais novo suspirou, ainda sem fôlego suficiente para tal ato, e ao se afastar sorriu plácido para o mais velho, vendo com clareza como o rosto branco estava manchado de roxo, denunciando o borrado de seu batom.

- Você também está roxo... – comunicou com graça.

- Bem... – Shisui sorriu malicioso – é ótimo ter um prisioneiro tão bem produzido assim – ronronou, passando o nariz com leveza pela bochecha, indo em direção ao ouvido – Me faz querer fodê-lo novamente.

- Eu sou seu prisioneiro, mestre. Estou aqui para servi-lo.

E após aquela frase pervertida de Itachi, Shisui teve certeza que eles passariam a noite inteira experimentando suas fantasias.  

----------------------------------------------

Eu vou bater em quem não 'pegar' a ideia do título depois da one. 'Teje' avisado. UASHUSAS Espero que tenham gostado! Beijinhos <3

25 de Mayo de 2018 a las 00:23 1 Reporte Insertar 3
Fin

Conoce al autor

Vany-chan 734 Fada do Fluffy e maluca dos angst. Luto pelo fim dos leitores fantasmas, por SasuSaku e por ShiIta, meus OTPs! "KakaSaku - Uma Chance para Nós" não será repostada aqui até ter sido devidamente betada, assim como "O Caminho que Trilhamos".

Comenta algo

Publica!
Raylanny Alves Raylanny Alves
MINHA FIC AAAAAAAA ♥
26 de Mayo de 2018 a las 16:55
~