obrigado Seguir historia

levy_laia laia laia

eu sei que sou demais pra você, então de nada *imagens da artista Tizy Izumy


Drama Sólo para mayores de 18.

#estupro #inkdisney #relacionamento-abusivo
Cuento corto
4
5204 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

capítulo único

Música: you're welcome   Filme: moana

- Bom dia G - como está se sentindo hoje? - um homem de cabelos pretos e pele escura adentra na sala, como faz todas as manhãs, trazendo uma prancheta transparente e seus papéis, e mais dois seres com comidas em bandejas.

- Eu estou bem senhor Zero, muito obrigado - se senta na sua cama bege com os olhos baixos, esperando o que recebia sempre, estando bem ou não.

- Abaixe a blusa, por favor - e o  garoto de cabelos ruivos acatou. Não tinha surpresa na injeção dolorida e demorada que levava no braço, mas sempre parecia doer mais do que podia suportar.

Com a comida deixada na escrivaninha, senhor Zero e suas pessoas saem do lugar, o deixando sozinho de novo, contando nos dedos quando a dor começaria.

As paredes brancas o deixava tonto, os papéis e giz de cores não o entretinha ou fazia sentido, e nada mais acontecia ali, tudo tão vazio e repetitivo que cansava, mas não sabia ele o porquê disso, já que sempre foi assim.

Suas mãos começavam a tremer; estava na hora.

Em menos de um piscar de olhos, todo seu corpo doía, tremia e se debatia, fazendo despencar da cama baixa e se esparramar no chão, o contato com o frio sempre aliviava, não suas dores mas sim sua mente, que fervia a ponto de querer derreter logo. Era dor demais apenas para seu corpo, e extravagante para sua mente, mesmo assim ele conseguia resistir aos 5 minutos.

Levantou-se após o ocorrido e sentou na cama, exausto. Precisava de um banho.

- G como você se sente? - A voz do senhor Zero ecoava no quarto, assustando de leve o garoto, que ia em direção à sua refeição.

- Minhas costas doem senhor, eu não quero mais fazer isso, por favor.

- Isso não vai acontecer G, você sabe disso não é?! - Um som estridente ecoa no lugar encerrando a fala do moreno, que em alguns segundos aparece na porta.

- Mas por que disso senhor Zero? Eu sou tão ruim assim? Por que faz isso comigo? Estou confuso e cansado.. - O garoto o questionava enquanto o mesmo sentada na sua cama,  olhando nos olhos transparecendo sinceridade e calmaria.

- Aqui tem tudo precisa, eu sou tudo precisa, lembra? Tudo que fiz foi por você, acho que o que quer dizer é obrigado - O moreno toca em seu ombro delicadamente e abre um sorriso, deixando-o confuso.

- Obrigado?

- De nada.

- Mas senhor isso... - O homem não deixou o falar, se levantou e emanou seu ar de confiança e autoritário, girou seu corpo e colocou as mãos no bolso, deixando se mais convincente ainda.

- Okay, okay, eu sei o que está acontecendo aqui, é difícil aceitar que tem a mim e mereça ser tão bem cuidado assim não é?! E eu não imagino o quão bem eu te faça e você nunca vai consegui retribuir isso, é adorável da sua parte.

- Mas senhor, eu... - Senhor Zero coloca uma das frutas em sua boca, interrompendo qualquer outro tipo de raciocínio do garoto.

- Abra os seus olhos, vamos começar! - Solta uma risada e se senta com o garoto novamente - Aceite os meus cuidados e mimos, eu sou assim, me importo mais com você do que qualquer outra pessoa se importaria, eu sou assim por você! - o abraça de lado, aspirando o cabelo ruivo do garoto.

G não entendia o que estava acontecendo, mas sua mente desligava quando aquele homem falava, não queria saber de mais nada e se ele falasse que estava certo, com certeza ele estava, não tinha motivos para não estar, já que o cuida tão bem, talvez o ame mais do que a si mesmo e ele estava sendo um ingrato, por algumas injeções.

- mas o que eu posso dizer além de, de nada? De nada G por tudo que eu fiz por você e farei mais, não precisa ficar constrangido com isso, eu te torno uma pessoa incrível e maravilhosa apenas por estar com você! De nada pela comida, pela cama e por minha companhia, está tudo bem ouviu?

Senhor Zero se sentou mais perto de G, seu sorriso tinha mudado, para um coisa que o ruivo não sabia o que era, mas sentia calafrios em todo o corpo, e quando a mão do moreno começou a subir pelos seus braços seu corpo tremeu mais.

O moreno o deitou e ficou em cima do rapaz sorrindo, com seus peitos colados e dificuldades de respirar, nenhum falou nada, mas a cena não era vista com similaridade pelos dois.

- Você sabe o quão é importante pra mim e sempre será, e aqui terá mais um presente meu para você, então ficará quieto, não é? - O moreno dizia sussurrando em seu ouvido e passeando as mãos pelo seu corpo, chegando em suas pernas nuas e levantando o vestido do ruivo devagar.

Aquele momento G não entendia o que estava acontecendo, mas isso era comum então por que? Por que estava tão apreensivo assim? O que estava acontecendo com ele? Não sabia e não conseguia pensar, mas precisava

G sabia que não gostava daquilo, e muito menos queria aquilo, é diferente das injeções ou dos choques, ou qualquer coisa que se lembre, sabia que estava acontecendo algo que não queria e não aceitaria, mesmo não sabendo o que é, nem mesmo as palavras do senhor Zero o dominavam, sua mente estava a mil, como se estivesse sonhando com coisas e o deixando agir, era muito medo e terror até para ele mesmo.

- Prometo que vai gostar, é um belo presente meu - Dizia isso mais afastado do rapaz, tirando seus sapatos e retirando cinto e calça a deixando jogada no chão e voltando para o G.


..


Ninguém viu o que aconteceu, as câmeras estavam desligadas por algum motivo desconhecido.

Senhor Zero estava morto com seu cinto amarrado em seu pescoço e a calça dentro do anus.

Ninguém sabia onde estava G.


- obrigado senhor Zero - E com essas palavras ele salta do terraço do prédio, onde tinha uma vista linda de deserto gelado, onde o sol aparentava nascer ou se esconder e mesmo com frio aquecia as bochechas coradas de G, mas com o contato do chão.

Não existia mais bochechas coradas, ou bochechas.

Foi deixado apenas um obrigado tanto nas paredes do quarto, quanto na sua alma.

17 de Mayo de 2018 a las 08:45 8 Reporte Insertar 0
Fin

Conoce al autor

laia laia gaalee, nagima e kiruto são vida

Comenta algo

Publica!
MiRz Rz MiRz Rz
Olá, eu sou a MRz do Sistema de Verificação do Inkspired. O sistema de verificação atua não só para ver a qualidade da história, como também para observar se a história está de acordo com as normas do site. Sua história está “em revisão” porque há alguns errinhos bem pequenos, como frases que estão começando com letra minúscula em “[...] – mas o que eu posso dizer além de, de nada? [...]” e em “[...] – obrigado senhor Zero [...]” e na sinopse também. Tem um “porque” escrito errado em “[...] mas isso era comum então por que? [...]”. O “por que” no final da interrogativa precisa ser acentuado, sendo a forma correta “por quê?”. Há um ponto final faltando na frase “[...] não conseguia pensar, mas precisava [...]”. Sugiro corrigir os hifens no lugar do travessão e uma última coisinha, acho legal também adicionar uma tag de “suicídio” por conta do final. São errinhos bem pequenos mesmo, que uma revisão do texto já os corrige. Depois de corrigido esses erros, é só responder esse comentário para que eu faça uma nova verificação. De resto, a história está ótima!
16 de Marzo de 2019 a las 18:35
Inkspired Brasil Inkspired Brasil
Olá! Preciso começar o comentário enaltecendo a maneira como você abordou a música. Você conseguiu pegar a essência do "De nada" do Maui, porque ele fez algumas besteiras e acreditava que todos deveriam ser gratos a ele e foi incrível como você retratou isso na história; e eu senti essa essência, o que significa que você conseguiu completar o desafio com maestria. Aplausos, aplausos, você merece. O tema abordado aqui foi bem pesado. Seu texto trata de estupro, abuso e eu senti seu personagem um tanto infantilizado. Não sei se pela idade mesmo (porque isso não fica claro), mas ele tem essa ingenuidade de criança, visto que nem sabia direito o que tava acontecendo, só que não gostava. Eu achei incrível a maneira como isso foi abordado, porque você nos mostrou como o personagem se sentia e o quanto ele estava desconfortável com a situação inteira. Também conseguimos perceber a dependência psicológica dele, que pensava que o senhor Zero estava lhe cuidando e tudo mais. O enredo está maravilhoso, de verdade. Pedimos apenas para que você coloque as tags de aviso; "estupro" e "relacionamento abusivo" são essenciais. Se o G tiver menos de 14 anos, "pedofilia" também. A maior questão da sua história, porém, é a gramática; você cometeu alguns errinhos ao longo do texto. Uma boa dica é separar narrativa de diálogos. Em vez de colocar as ações dos personagens no mesmo parágrafo da fala, deixe apenas um "fulano disse" e comece um parágrafo novo para falar sobre as ações. Isso deixa a história mais organizada e facilita o entendimento do leitor. Outra dica seria diminuir um pouco o uso do gerúndio (o famoso "ndo"). O gerúndio é usado para ações simultâneas (fulano chegou sorrindo = chegar e sorrir ao mesmo tempo). Vou pegar um trecho da sua história "...dizia sussurrando em seu ouvido e passeando as mãos pelo seu corpo, chegando em suas pernas nuas e levantando o vestido...". Aqui temos quatro ações: sussurrar, passear, chegar e levantar. Ele não tem como fazer tudo isso ao mesmo tempo. É só uma dica para você deixar suas próximas histórias mais dinâmicas ;) Mas o enredo da sua história está realmente muito bom! Obrigada por ter participado do desafio e parabéns por pensar em algo tão criativo! <3
23 de Junio de 2018 a las 11:39
Emily C Souza Emily C Souza
Marida.... tô sem palavras. Foi um plot twist desgraçado esse q vc deu em. E eu gostei muito da ideia, do enredo e da sua interpretação da musica. Eu nunca assisti Moana, então eu não sei qual é a proposta original da musica, contudo eu gostei da sua visão. Vc passou muito bem o relacionamento abusivo, mas eu confesso que fiquei confusa em certo ponto. Não sei se vc queria passar com o ambiente, já que o foco é a relação do G com o Zero. Na proxima, foque mais nos pensamentos dos personagens, pois o G fico meio estranho no final. Ele começa sem saber o porque das coisas estarem acontecendo com ele e a imagem que eu tenho é que ele é bem inocente. Mas no final ele mata o Zero e some, e vc deixa claro que ele so tem o "obrigado" dentro dele, ou seja, ele so tem a parte ruim. Isso ficou um pouco confuso. Mas eu amei a historia e o enredo, me impactou muito o final (de uma forma boa). Parabens Marida <3
17 de Mayo de 2018 a las 16:54

  • laia laia laia laia
    na verdade o G não pensava em nada já que n sabia de nada, mas por instinto ele se obriga a pensar por alguns instantes e tomas as atitudes, que ele mesmo escolheu e ele mesmo quis fazer sem intervenção de ninguem....mas ele não sabia de nada, como prosseguir? obrigadinha marida linda <3 17 de Mayo de 2018 a las 18:15
 ❤ Tia Kuro Neko ❤ ❤ Tia Kuro Neko ❤
Oi Laia, então... Eu não gostei. E isso não significa que está mal escrito ou que o plot está fraco. Apenas não gostei, pois o assunto e a cena foram um pouco fortes para mim, isso significa que você escreveu bem o suficiente para causar uma reação emocional. Mas esse tipo de leitura apenas não é agradável para mim. Você capturou muito bem a manipulação, a confusão de alguém que é envenenado por palavras, o medo obscurecido, a culpa por achar que deve existir gratidão quando não há. Muito bem escrito. Eu apenas ficaria um pouco mais atenta ao formato, para ser mais agradável aos olhos. Eu não corrijo erros gramaticais quando leio, acho que chegam a ser irrelevantes até certo ponto. Tente se aprofundar mais em sentimentos, esse plot seriam um angst potente se focado nas nuances do sentimento do G, se você narrasse o funcionamento da mente horrenda do Zero. Tem muito potencial. (Eu apenas não lerei, não tenho coração pra isso >.<)
17 de Mayo de 2018 a las 14:19

  • laia laia laia laia
    kkkkkkkkkkkkkkkkk desculpaaa tu sabe que não foi a intenção te fazer mal :cc, queria algo seco e cru pros leitores darem seus proprios sentimentos ao que acontece na cena, deixar o choque e a revolta por eles mesmos, eu amo esse tipo de escrita e a que eu me dedico mais, alem do que foi isso que eu vi no filme moana quando eu assisti (sim, eu estava no cinema perplexada enquanto crianças dançavam com a musica), mas valeu mesmo assim por tentar! obrigadinhoo 17 de Mayo de 2018 a las 18:10
Uni Katty Uni Katty
Nossa, fiquei sem palavras, isso está demais
17 de Mayo de 2018 a las 13:05

  • laia laia laia laia
    aiii obrigadinhoo >.< 17 de Mayo de 2018 a las 18:06
~