Way's Of Life Seguir historia

gabbysaky Gabriela Garcês

Haruno Sakura e Uchiha Sasuke namoram desde os 14 anos. Aos 16, Sakura descobre estar grávida e quando decidem contar aos pais de Sasuke, percebem que estavam sozinhos. A vida de Sasuke e Sakura se transformou a partir da decisão de ambos de morarem juntos e cuidarem daquele pequeno ser que já fazia parte de ambos. A vida de suas amigas foi diferente, os pais de ambos os lados aceitaram tanto a gravidez quanto o casamento. Mas mesmo com tudo que tiveram que passar para cuidarem do pequeno bebê, eles não desistiram do que escolheram. Estavam felizes com a família que tinham... Bem, isso até um "acidente" acontecer.


Fanfiction Suspenso romántico Sólo para mayores de 18.

#universoalternativo #casaissecundarios #sasusaku
3
5.0mil VISITAS
En progreso - Nuevo capítulo Cada 10 días
tiempo de lectura
AA Compartir

Uchiha's

A mansão estava calma e quieta, todos ainda dormiam, afinal não se passava das 07:30. Em um dos quartos havia um garoto deitado em sua cama, parecia que nada poderia acorda-lo, apesar de pequeno, era o primeiro filho do casal. Em um quarto de frente ao do garoto, havia uma menina meiga e cheia de energia, mas ao contrário do irmão, já estava acordada. Ainda de pijama e descalça, saiu do seu quarto sem fazer nenhum barulho e caminhou em direção ao quarto dos pais sorrindo.


http://www.mulherbeleza.com.br/wp-content/uploads/2013/01/pijama-feminino-kyly-bege_153763_301_1.jpg


Em um grande quarto, Uchiha Sasuke e Uchiha Sakura ainda dormiam em um sono profundo, ainda era cedo para levantarem e queriam descansar um pouco mais, mas uma menininha não estava com os mesmos pensamentos dos pais e resolveu fazer uma pequena aparição no quarto de ambos, olhava os pais com um sorriso no rosto e se aproximou da cama, seu nome era Uchiha Sayuri.


**--** **--**


Sasuke sente um puxão no braço, mas continua dormindo, não tinha um sono tão leve quanto sua esposa. No terceiro puxão ele acorda, mas não abre os olhos, sabia exatamente quem era que lhe acordava ás 07:30 da manhã. Ele sente outro puxão e um resmungo, disfarçando um sorriso ele continua fingir que estava dormindo, sabia que Sayuri não desistiria de acorda-lo, além de ser uma criança bem agitada, hoje era final de semana e ela vinha contando os dias para chegar Sábado e poder ficar com ele, Sakura e Daisuke. Sasuke trabalhava muito, não teve uma vida muito fácil depois que Sakura engravidou e ficou ainda mais difícil quando descobriram que ela estava grávida de Sayuri no mesmo ano em que Daisuke completava seu primeiro ano de vida. Por isso não tem tido muito tempo com a família, havia ficado semanas trabalhando até nos finais de semana... Mas aquela semana ele havia prometido algo á filha e ela vinha falando disso o tempo todo.


Papai, acorda! – Sasuke a ouviu reclamar.


Sayuri era muito impaciente, diferente de Daisuke que era calmo como ele. Sayuri puxou mais coisas de sua esposa do que dele, mas ele não reclamava, afinal ela era sua princesinha. Sayuri percebeu que o pai não se mexeu, então começou a chacoalhar o mesmo sem parar, queria que ele se manifestasse e já começava a ficar mais impaciente. Sasuke abre os olhos vendo que não tinha opção, vê a princesa da casa sorrindo ao vê-lo acordar. Sayuri tinha cinco anos, Sasuke observava a filha olhar a mãe que continuava a dormir, sua princesinha tinha cabelos até na metade das costas, tão negros quanto os seus e o que mais amava, era o fato dela ter os mesmos olhos verdes, incríveis, que sua esposa têm.


Posso saber por que me acordou tão cedo? – Perguntou assim que a garotinha lhe olhou. Sayuri sabia que seu pai estava brincando por isso sorriu. Sasuke se sentou e puxou a garotinha para seus braços, Sayu o abraçou e lhe deu um beijo.


Porque você prometeu que agente ia ficar o dia todo no parque. – Sasuke sorriu. Sasuke sabia que a filha estava desesperada por aquele passeio, por isso se levantou com a menina ainda no colo. Sayuri era uma criança cheia de energia, não parava quieta, já havia perdido as contas de quantas vezes a filha aparecera na empresa que ficava á duas ruas de sua casa, lembrara que na primeira vez ele e Sakura quase surtaram de preocupação. Depois da primeira vez, Sayuri começou a fazer isso quase todos os dias, ela não podia vê-lo saindo que começava a chorar e ele odiava ver aqueles olhos esmeralda marejados, por isso na maioria das vezes a levava com ele por algumas horas. Sakura já estava acostumada, amava o jeito cuidadoso, carinhoso e preocupado de Sayuri para com o pai, mas ela era assim com o irmão e com ela também. Sakura acordou com o barulho e quando olhou para o lado viu seu marido com a filha no colo e deu uma risada chamando a atenção para ela, Sakura já estava acostumada a ser acordada pela risada da filha ou por alguma brincadeira que a menina fazia todos os dias de manhã.


Ela veio te acordar de novo? – Se sentou na cama e sentiu ser abraçada pela filha que fora solta pelo pai que se sentou novamente na cama.


Bom dia. – Deu um beijo na mãe. – Eu acordei o papai... Ele dorme demais né mamãe? – A rosada abraçou a garotinha enquanto dava uma risada junto ao marido. Sasuke a beija rápido, principalmente por causa da pequena que estava ali.


É cedo ainda. Sayu está desesperada por causa do passeio... – Comentou para a esposa.


Pelo que eu me lembre... A ideia foi sua, amor. – Antes de Sasuke responder, ouviram a porta do quarto ser aberta. O filho mais velho do casal acaba de acordar, Uchiha Daisuke.


Por que esse barulho todo? Ainda está cedo. – Comenta esfregando um dos olhos com a mão, sinal de que acabara de acordar.


Pergunte a sua irmã. – Disse olhando para a filha que estava no colo da mãe.


Você dorme demais, que nem o papai, Suke. – Ela o chamava assim desde bebê por não saber falar o nome inteiro do irmão, mesmo quando aprendeu continuou a chama-lo com aquele apelido.


Não me chame assim... – Odiava ser chamado por aquele apelido. Sasuke vendo a cara marrenta do filho segurou uma risada.


Não seja rabugento igual ao seu pai. - Comentou sorrindo e sentiu o olhar do marido sobre ela.


Não sou rabugento. – Sakura o questionou só com o olhar. Mas o filho interrompeu ambos para desejar bom dia. – São 15 para ás 08:00 por que não vão se arrumar para tomarmos café juntos?


Só por que eu queria dormir mais... – Reclamou fazendo com que os pais rissem.


Preguiçoso. Ta parecendo o tio Shika. – Os dois se espetavam o tempo todo, se deixassem.


E você está se tornando uma irritante. – Sasuke se lembrou de quando chamava sua esposa assim quando mais jovens.


Não estou não. – Cruzou os braços emburrada.


Está sim. E se não tomar cuidado vai parecer a tia Ino... – Sakura viu que ia começar uma discussão, então reagiu.


Ok, chega. Daisuke, não precisa disso tudo, filho... – Viu o garoto se emburrar também. – E Sayuri não precisa ficar emburrada. – Sakura viu os olhos da pequena marejarem e ao olhar para o outro lado onde encontravam os homens de sua vida, percebeu que tanto seu marido quanto seu filho também haviam visto.


Daisuke irritava a irmã porque gostava de ver ela emburrada, mas não gostava nenhum pouco de vê-la chorando, por isso quando viu os olhos da irmãzinha marejar sabia que a menina ia abrir o berreiro e assim como o pai começou a chamar atenção da garotinha para que não chorasse.


Sakura olhava o filho e o marido tentando fazer com que Sayuri não chorasse. A menina era mimada, principalmente pelo pai que a deixava fazer de tudo, mas tinha limites. Sayuri não era uma criança mal criada, nem respondona, quando ela ouvia um não, sabia que era definitivo, mesmo que ela não gostasse de ouvir aquela palavra, a pequena obedecia. Sakura foi desperta de seus pensamentos com a gargalhada da filha, que estava no chão olhando para o irmão que tinha uma cara emburrada e braços cruzados, não ouvia o que diziam, mas sabia que Sayuri estava falando algo constrangedor, pelo tom rosado das bochechas do filho.


Então, vocês querem se atrasar para o passeio? – Falar essa frase chamou atenção de ambos os filhos.


Verdade. Você acordou cedo para isso, certo? – Olhou para a filha. – Vão tomar banho e se vestir que daqui a pouco tomaremos café juntos, antes de sairmos. - Os pais viram Sayuri empurrar um Daisuke com sono para fora do quarto, dizendo que queria sair logo. – Sayu a cada dia se parece mais com você. – Comentou.


Comigo? – Sakura olhou para o marido que estava sentado na cama. – Mas ela tem os seus cabelos. – Sasuke sorriu e empurrou a esposa para a cama novamente, deitando-se por cima dela.


Mas ela tem seus olhos, sua delicadeza... – Enquanto beijava o pescoço de Sakura ele continuava a falar. – Com certeza vai puxar sua beleza e que Deus me ajude. – Sakura deu uma gargalhada.


Ela ainda tem cinco anos, não precisa se preocupar... – Sasuke a interrompeu lhe dando um beijo que lhe tirou o ar. Sakura sentiu o marido subindo sua camisola, ficou preocupada com os filhos, afinal eles poderiam entrar ali. – Sasuke... – O chamou em meio aos beijos. – Sasuke... As crianças... – Foi interrompida novamente por outro beijo mais intenso e cheio de desejo.


Não se preocupe. – Tirou a camisa que usava e a camisola da esposa. – Eles vão demorar. Temos tempo... – Sakura não conseguiu, sentindo as carícias do marido e seus beijos, ela desistiu de resistir.


É o primeiro capítulo, por isso pequeno. Mas prometo que os próximos serão maiores. Espero que tenham gostado!


28 de Abril de 2018 a las 15:12 0 Reporte Insertar 0
Leer el siguiente capítulo Algo para se Comemorar

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~

¿Estás disfrutando la lectura?

¡Hey! Todavía hay 3 otros capítulos en esta historia.
Para seguir leyendo, por favor regístrate o inicia sesión. ¡Gratis!

Ingresa con Facebook Ingresa con Twitter

o usa la forma tradicional de iniciar sesión