Prometa-me Seguir historia

machadorisos Machadorisos .

Um segundo de desatenção. Um acidente. Uma vida de arrependimento. Um amor eterno. Uma promessa.


Fanfiction No para niños menores de 13.

#drama #naruto #sasusaku #fns #sarada #agnst
Cuento corto
5
4896 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Capítulo Único

Certas coisas não podem ser evitadas. E por mais que tenhamos o conhecimento disso, nada impede que o arrependimento surja. Nada impede que a dor venha, e nada impede que as lágrimas se tornem suas companheiras em noites frias.


Horas antes


Um domingo ensolarado, quente, confortável, leve, adorável. Um almoço em família, comemoração da notícia da gravidez de Izumi. Felicidade palpável, sorrisos sinceros, corações unidos.

Sakura estava linda, radiante, usava um vestido de tom azul claro, seu cabelo estava solto e seus olhos, brilhantes. Linda como sempre. Sarada, nossa filha, o que dizer sobre ela? Minha pequena princesa, uma perfeita mistura entre mim e Sakura.

– Sarada – Sakura chamou à atenção de nossa filha – Coma seus tomates!

– Mama – Choramingou minha princesa – Não gosto de tomates!

– Ora, Sarada – Disse em tom sério – Tomates são muito gostosos! E tem muitas vitaminas!

– Mas eu não gosto de tomates! – Disse com um biquinho infantil, do qual me segurei para não rir – Eu não posso comer outra coisa no lugar dos tomates? – Perguntou ansiosa.

– Sim, querida – Sakura lhe acariciou os cabelos – Vai comer as ervilhas então! – E não quero mais discussões sobre isso. – Disse minha esposa já saindo de perto indo conversar com minha mãe.

– Papa – Chamou Sarada – Você ama a mama? – Indagou me olhando.

– Sim. Por quê?

– Por nada... Eu também amo a mama – Disse sorrindo.

Lhe sorri de volta. Claro que a amamos. Era o centro de nossa família. Minha cerejeira, estava sempre ao nosso redor, fosse brigando ou nos abraçando e nos dando amor.

O almoço corria bem, Itachi estava só sorrisos, e eu conhecia bem a sensação. Quando descobri que seria pai, tudo mudou. A felicidade mal cabia em mim, e Sakura não estava diferente. Hoje, Sarada estava com seus 5 anos, e não havia um dia que fosse que eu não agradecesse a Kami por ela existir em nossas vidas.

– Sasuke – Sakura me chama – Acho que devemos ir, já está ficando tarde e Sarada tem aula amanhã – Disse aproximando-se de mim e passando os braços em torno de meu pescoço.

– Sim, tem razão. Prepare as coisas para irmos, irei falar com meus pais – Dei um beijo em sua testa e entrei em casa, já que estávamos sentados na varanda.

Com as coisas arrumadas, despedidas feitas e a promessa de uma visita antes o fim do mês, prendi Sarada em sua cadeirinha e saímos da propriedade dos Uchihas.

A estrada estava tranquila, embora já tivesse anoitecido, a noite estava clara. Não haviam muitos carros na pista. Sarada dormia tranquilamente. Sakura admirava a vista, e eu dirigia calmamente.

– Sasuke – Chamou-me gentilmente – O que acha de termos mais um filho?

Naquele momento, por um segundo eu desatentei da estrada. Por um maldito segundo não reparei que um carro vinha em alta velocidade em mão contrária. Por conta do meu erro, desviei tarde demais.

O carro derrapou na pista, e eu a todo custo tentando manter o controle. Sentia meu coração palpitar. Sakura. Sarada. Minhas vidas estavam naquele maldito carro. Tenho que conseguir.

O carro derrapou novamente, e de novo. O grito de Sakura foi a última coisa que ouvi antes de sairmos da pista. Árvores, estamos sem controle indo de encontro as árvores, está rápido demais.

Uma batida.

Escuridão.

Frio.

Choro.

Acordei desnorteado. Com dores em todo corpo, a visão embaçada. Tudo estaria silencioso há não ser pelo choro de Sarada. Precisava agir, mas meu corpo parecia entorpecido.

Ao olhar para o lado é como se meu mundo perdesse o sentido. Sakura estava com um galho atravessado em seu tronco, sua mão esquerda o segurava com força enquanto ela tentava se virar para nossa filha.

– Sakura! Oh meu Deus! Não se mexa – Me desesperei com seu sangue, sua situação – Não se mexa!

Inutilmente tentei me soltar do cinto e do peso que prendia minha perna esquerda. Sarada chorava. Sakura sangrava. E eu não conseguia sair para ajudá-las.

Desespero.

Angústia.

Desolamento.

– Sakura! – Me estiquei e toquei seu rosto – Ei não dorme! Fique acordada! – A sacudi, não deveria, mas o fiz, tamanho era meu nervosismo – Por favor! SAKURA!

– Mama? – Sarada a chamou com a voz embargada – Papa? – Tentou mais uma vez – Papa... Papa, eu estou com dor – Chorou minha menina.

– SARADA! – Me virei e a olhei, o cinto de segurança de sua cadeirinha a protegeu do maior impacto, seus rostos tinha arranhões e seus braços estavam sangrando um pouco – Sarada! Fique calma, tudo bem? – Disse mais baixo, eu deveria lhe passar segurança – Papai vai te tirar daí ok? Espere um pouco. – Ela soluçou e acenou, direcionou seu olhar para a mãe.

Sakura estava olhando para mim, olhava fixamente. Seu peito subia e descia com rapidez. Arfava e me fitava com intensidade. Estiquei novamente minha mão e toquei seu rosto. Seus olhos marejaram.

– Sasuke – Disse baixinho com certa dificuldade – Quero que me prometa uma coisa.

– Não! Não fale! Por favor! Descanse, vou tirar a gente daqui! – Disse exasperado – Fique calma, ok? Vai ficar tudo bem! Vai ficar tudo bem!

– Sa... Sasuke – Disse baixinho – Por... Por favor – Me olhou suplicante – Me prometa!

Meu corpo tremia, minha mente estava nublada. Meu coração doía. Eu a estava perdendo. Estava perdendo minha mulher. Eu a estava perdendo.

– Pro...Prometa-me! – Disse num fio de voz e esticou o braço esquerdo para mim e segurou minha mão – Prometa-me – Disse com sua voz falha – Prometa-me que irá cuidar de Sarada – Sua mão apertou a minha levemente e pude sentir sua força esvaindo. – Prometa-me que vai ser feliz, que não vai se reclusar e que vai amar de novo...

– Sakura... Sakura, por favor – Pedi com lágrimas escorrendo pelo meu rosto. Meu coração apertava-se. Ela estava me deixando e eu não a estava impedindo, eu não conseguia a impedir – Por favor... Não faça isso comigo! Não faça isso coma gente! Por favor, amor – Pedi desesperado com meus braços esticados em sua direção.

– Prometa-me... Prometa-me, Sasuke – Pediu-me novamente.

– Eu prometo! Prometo! – Chorei com meu corpo abraçando a lateral do seu – Mas por favor! Por favor! Aguente mais um pouco, vou tirar a gente daqui... Por favor.

– Sasuke... Eu amo você. – Ela sorriu para mim.

– Sakura.... – Solucei – Por favor – Implorei com todo meu ser – Por favor – Solucei mais uma vez – Não me deixa...

– Diga a Sarada que eu a amo – Sorriu mais uma vez e fechou os olhos devagar – Eu amo vocês mais do que tudo.

– EU AMO VOCÊ – Gritei lançando meu corpo para seu lado, a dor me fez tremer – Amo você, cerejeira... Por favor...

Seus olhos se fecharam. A mão que apertava a minha levemente se afrouxou. O sorriso permaneceu em seu rosto. E no silêncio que ficou dentro do carro um grito foi ouvido. O meu.

Meu corpo sangrava.

Meu coração latejava.

Meu amor partia.

Tudo escureceu, devagar, a dor me levou.


Horas depois


– Ele está acordado?

– Sim... Fizemos todos os exames necessários... Porém o paciente não diz nada. Apenas perguntou pela filha.

– Foi muito triste, não é? Coitado.


Dias depois


– Sarada, ande logo ou vai se atrasar – A chamei próximo à porta de seu quarto. – Sarada – A chamei novamente, como não houve resposta, resolvi entrar no quarto.

A morena estava sentada em sua cama, com uma foto em mãos. Uma foto de nossa família em um dia de piquenique no parque. Sakura sorria. Meu coração apertou e caminhei até ela.

– Papa – Me chamou com a voz embargada – Por que a mama não vai voltar? – Questionou me inocentemente chorando baixinho. A envolvi em um abraço. Doía. Doía demais dizer que Sakura não voltaria, não daquela vez.

– Sarada... Sua mãe... Ela não pode voltar... Eu sei que é difícil..., Mas – Parei para esperar minha voz estabilizar – Mas nós temos que continuar aqui, entende? Temos que cumprir a promessa.

Minha pequena princesa me abraçou e chorou. Seu pequeno corpo sacudia violentamente por conta dos soluços. Eu chorava junto com ela. Pois sentia que parte de mim havia ido junto com minha esposa.

A alegria de minha vida, os sorrisos mais lindos, os melhores beijos, o melhor amor que já fiz... Tudo havia partido junto com ela, e agora eu juntava os pedaços. E ali abraçado a Sarada, juntava os cacos de meu coração para seguir em frente.

A promessa que fiz... Não sabia se conseguiria cumprir. Cuidar de Sarada é meu objetivo daqui pra frente, o resto o tempo ajeita. Assim como Sakura era a cerejeira em minha vida, com ela tudo florescia, sua ausência levou toda a beleza.

Mas nada impede que Sarada floresça. E eu estarei ao seu lado, para lhe guiar e proteger, e lhe admirar quando se tornar a mais linda do jardim. 



E então? O que acharam?
Essa pegada de drama é algo que quero desenvolver, e nada melhor do que ler bastante o gênero e tentar escrever sobre, não é?
A capa foi feita por UzuKitsune, do grupo Naruto Shippers Design [https://www.facebook.com/NarutoShippersDesign/]
Espero que tenham gostado ^^
Um grande beijo e um enorme brigadeiro <3
23 de Abril de 2018 a las 02:22 0 Reporte Insertar 2
Fin

Conoce al autor

Machadorisos . Aqui você vai encontrar de tudo um pouco, quase um mercadinho de fic. Sente, relaxe e aproveite, quem sabe não possa te tirar um sorriso com o que escrevo?

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~